Posts Populares

American Horror Story: Apocalypse – S08E08 – Sojourn

E assim nasceu a Miriam Mead que conhecemos.

É, minha gente! Mais um episódio de AHS: Apocalypse que podemos resumir em alguns parágrafos. A temporada tem deixado a desejar, com episódios fracos e pouco empolgantes, salvos pelas referências à própria série, mas que não são capazes de se sustentar sozinhas. Infelizmente nem o elenco de peso consegue dar conta.

Nesse episódio, temos um foco (exagerado) em Michael, mostrando como ele conseguiu algumas coisas e como se tornou a pessoa que conhecemos no futuro, no começo da temporada. Tinha necessidade de um episódio inteiro pra isso? Não tinha, mas a gente finge. Enfim, depois de ver seus aliados queimados, Michael e Cordelia tem um confrontamento, e eu não entendi a Cordelia querendo trazer Michael pro lado delas, depois de ter queimado a “mãe” dele KKKKKKKKKK Loka! Mas tá, acabou que ela só conseguiu deixar Michael mais irritado, principalmente depois de ele saber que não pode trazê-los de volta à vida, como fez com Queenie e Madison.

E aí a saga dele por respostas começa, principalmente questionando seu pai. Depois de alguns dias e alucinações, ele para na igreja de Satã, uma sociedade secreta em que as pessoas vendem a alma pro Diabo pra conseguir coisas na vida. Olha, a vontade de vender aqui tá grande também HAHAHAHAHAHA Michael consegue se enturmar e revela quem é de verdade, ganhando admiração de todos os membros da seita, o que nos leva pro próximo tópico. Apesar de toda a atenção, Michael não está completo, sente falta de seus aliados, de Mead, dos outros feiticeiros. Mas por ser filho do Diabo e por ter aparecido na igreja de Satã, agora ele tem regalias, e com a ajuda de alguns nerds, ele consegue construir uma Mead robótica, como a que vimos nos episódios do futuro. Precisava passar o episódio todo pra mostrar isso? Precisava não, vamos combinar.

Além da Mead robótica, esse episódio também mostrou a origem de Venable, e como ela sempre teve sede de poder, mas sempre foi submissa. É uma delícia ver Sarah Paulson flutuando entre dois personagens diferentes e fazendo isso muito bem! Essa mulher arrasa!

Bom, de forma bem resumida, esse foi um dos episódios menos interessantes da temporada. O personagem de Michael é pouco cativante, não consegue sustentar a nossa atenção em tela, e com isso o episódio se torna maçante. Não havia necessidade de a gente esperar 40 minutos pra descobrir como a Mead robótica surgiu. Na verdade, pareceu ser algo pra encher linguiça, já que a série não vai pra frente. Está difícil defender minha AHS, que outrora já mostrou que podia bem mais.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries