Com um pouco de atraso, vamos a um combo dos dois últimos episódios de audição do American Idol.

Miranda Poh Scott – Fairytale (Sara Bareilles)
Ai que timbre mais lindo. Estava ótimo cantando Sunday Morning, até poderia ser a música da sua audição, porém a música de Sara Bareilles também casou bem com sua voz. Gostei por ser uma garota com um talento natural.

Amelia Eisenhauer – Many Rivers To Cross (Annie Lennox)
Amelia é maravilhosa, sem mais. Ela tem um timbre extraordinário, com uma certa rouquidão na voz, sem soar enjoativo em hora alguma. Acho que ela pode investir nesse lado mais rouco da sua voz e continuar apostando em músicas desse estilo. Essa vai longe!

Joy Dove – Jambalaya On the Bayou (Hank Williams)
Adoro quando aparece alguém com uma personalidade tão divertida e contagiante assim. Na sua performance Joy mostrou que canta super bem, pode fazer ótimas performances, porém tem nada de especial, nada que já não tenhamos visto. Mas realmente torço pra Joy arrasar, porque adorei ela.

MacKenzie Bourg – Stupid Boy (Keith Urban) / Come By Me (Harry Connick Jr) / Love Don’t Cost A Thing (Jennifer Lopez) / Making Memories Of Us (Keith Urban)
Mackenzie, com sua voz, possui pontos fortes e pontos fracos que podem ser crucial na sua jornada no programa e na sua carreira. Sua voz nas performances ao vivo pode ficar super fraca e repetitiva, porém para um CD é perfeita pra gravar, pois é uma delicia de ouvir. Que inteligência esse medley em?

Jenna Renae – She Don’t Love You (Eric Paslay)
É o tipo de candidata que eu queria escolher a música toda semana. Dá pra fazer coisas incríveis com essa voz e coisas que não deixarão o público enjoado e nem entendiado com a candidata. Super interessante.

Adam Lasher – Knocking On Heaven’s Door (Guns N’ Roses)
Todos sabem que Adam é foda. Ele arrasa com muita personalidade. Espero mesmo que nesse retorno ele tenha muito sucesso, estarei torcendo. Arrasa nessa última temporada, meu filho!

Jessica Cabral – Brand New Me (Alicia Keys)
No The Voice Brasil seria campeã haha. Filha de brasileiros, Jessica é ótima. Possui controle da sua voz, traz força e suavidade nos mesmos versos e surpreende por sua confiança cantando. Ótima, óóótima!

Brian Dale Brown – Unchained Melody (Righteous Brothers)
Adoro candidato divertido, mas ele me pareceu muito forçado. Aliás, cantando tive a mesmo impressão. Brian tentava fazer muitas mudanças em sua voz, que não são naturais e fica muito feio, mal executado. Achei estranho, não gostei, não aprovaria.

Melany Huber  Talking to the Moon (Bruno Mars)
Que performance carregada de emoção. Mesmo com uma voz com um timbre não tão especial e com poucos recursos vocais, Melany canta e encanta, nos fazendo delirar na sua força e na sua paixão pela música. Ótimo ver pessoas que cantam porque música é sua vida e não enxergam a música apenas como um objeto de sucesso. Adorei.

Chyna Sherrod – One Last Time (Ariana Grande)
Adorei a personalidade de Chyna e sua voz, o que dizer? Maravilha pra se ouvir e curtir. Não tem nada especial ali, porém é correto, é seguro, é ótimo para os ouvidos. E o que dizer dessas pessoas que parecem ser mais velhas do que são? Realmente gostei da candidata.

Lillian Glanton – Country Boyfriend (música autoral)
Acho que passou muito mais pela sua música do que pela sua voz. Voz bem comum, nada demais, sem muita personalidade. Já a música, é o famoso apelo country. Aquele tipo de música que muitos não entendem o motivo de estar no topo das paradas, mas que de vez em quando aparece.

Casey Haynes – Brother (Needtobreathe Feat. Gavin Degraw)
Possui uma rouquidão super interessante na voz e consegue executar falsetes, subir e descer um pouco durante a música, o que o torna super interessante. Apesar de que achei que vacilou muito na escolha musical, que poderia ter sido muito mais interessante e memorável.

Zach Person – Next Door Neighbor Blues (Gary Clark Jr)
Primeiro que ele domina totalmente o seu instrumento, o que não o faz ser apenas mais um garoto com o violão. Sua performance foi interessantíssima, aliás, acho que uma das mais interessantes da temporada. Traz o pacote completo, com voz, habilidade com o instrumento e performance.

Colette Lush –Who’s Loving You (Jackson 5)
Ainda não entendo pra que cantar essa música, sendo que temos mil versões ótimas dela. No entanto, Colette se preocupou muito mais em dominar a música e nos entregar uma performance suave do que alcançar notal altas. Foi bacana, foi bom, super interessante. Não vi isso de Carrie Underwood como JLo disse, mas ok. Vamos observar.

Avalon Young – XO (Beyoncé)
Amei Avalon, porque aqui não temos apenas uma boa cantora, mas sim uma boa cantora com ótima personalidade. Mostrou que apesar de não ter a melhor voz, consegue entreter e faz coisas durante a música que não costumamos ver por aí.

Usen Isong – Not The Only One (Sam Smith)
Acho que eu, você e toda a América se surpreendeu com a capacidade vocal de Usen. Pensei que seria mais um candidato louco, mas cantou super bem e mereceu passar. Acho que irá soar enjoativo nas próximas fases.

Jaci Butler – It Will Rain (Bruno Mars)
Tem muita segurança, mas não gostei da voz. Achei enjoativa e com uma performance mais ou menos. Confesso que mandou bem, mas simplesmente não gostei de Jaci.

Stephany Negrette  Who’s Loving You (Jackson 5)
Forte, latina, interessante. Voz gostosa e potente. Pode cantar muitas coisas e simplesmente domina sua voz.

Manny Torres – This Love (Maroon 5)
Adorei, amei, apaixonei. Voz gostosa, interessante, deliciosa, que dá vontade de ouvir o dia todo. Já quero indo longe. Nada a reclamar

Louco pensar que o episódio 6 foi o último dia de audição da história do American Idol. Esse último episódio foi bom, porém eu estava esperando algo ÓTIMO, justamente por ser um episódio único. Poderia ser memorável, mas foi apenas bom.

Então, por aqui vai se encerrando as audições do American Idol, que foram no geral ótimas, com todos os episódios muito bem divididos, equilibrados e tudo no mesmo nível.

E você, o que achou desses dois últimos episódios de audição do Idol? Deixe sua opinião sobre os episódio e sobre a review. Valeu galera, até a Hollywood Week

 

 

Lucas Prata
Lucas Prata

Capixaba, basqueteiro, Coldplayer e apaixonado por séries e filmes. Gosta tanto de escrever que tem um bloco de notas no celular só pra isso. As vezes é meio doido, mas quem não é, né?!
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: