Posts Populares

American Idol – S16E13 – Top 14 Performances

Finalmente o top 14!

Olá pessoal, bem vindos a mais uma review de #AmericanIdol. Hoje finalmente teremos as performances ao vivo dos 14 finalistas e podemos esperar muitas coisas boas vindo deles viu. Confesso que quando eu vi o spoiler dizendo os finalistas, eu fiquei um pouco com o pé atrás e bastante decepcionado por alguns nomes que eu havia gostado tanto ter ficado de fora, como Effie, Rissa, Harper entre outros, mas rodada após rodada, a maioria dos candidatos do top 14 foram me conquistando, e hoje posso afirmar que gosto de mais da metade deles e torço veemente por pelo menos uns cinco desses candidatos.

Sendo agora as rodadas que colocarão à prova o potencial dos candidatos, ficaremos atentas, pois o lacre vai vir com força. E por falar em rodadas, deixarei aqui o cronograma das próximas rodadas e pasmem que o programa já vai terminar mês que vem :O Foi tão rápido!!!

22/4- Top 14 perfs
23/4- Top 14 perfs (6 candidatos passarão direto, 8 disputarão o wildcard e 4 serão salvos pelos jurados)
29/4- Top 10 perfs (Tema: Disney)
06/5- Top 10 results & Top 7 perfs (Tema do Top 7: Prince)
13/5- Top 7 results & Top 4 perfs
20/5- Top 4 perfs & Finale perfs
21/5- Finale results

Bom pessoal, aproveitando que eu estou bem inspirado na nossa rainha das reviews Dam, nomearei as minhas comentaristas maravilhosas hoje com o sobrenome das estrelas que o Idol já revelou para nós. Então hoje teremos eu Rick Underwood, Luana Clarkson e Tati Hudson (@Dam não me deu licença poética para isso, mas ele é amorzinho e não vai me processar por plágio).

Vamos nessa / Here we go / Aquí vamos

Caleb Lee Hutchison – Midnight Train To Memphis (The Steeldrivers)

Rick Underwood: Como um corte de cabelo faz toda diferença, né meninas? Caleb ficou um sapo, e chegou cheio de atitude em uma performance bem diferente de tudo que ele havia feito  no programa. Eu adorei a agressividade que ele colocou em sua voz durante a performance, inclusive fiquei bem surpreso com isso, já que não me lembre de ele ter feito algo semelhante. Novamente elogio sua voz super grave executada de forma natural e única na competição. Estou apostando muitas fichas no Caleb, acho que se ele continuar surpreendendo assim poderá facilmente chegar até o top 4.

Luana Clarkson: A voz do Caleb várias vezes me dá “Sawyer vibes” e nessa música ficou bem semelhante, ao meu ver. Ele já teve performances melhores, mas ainda assim achei essa bem competente. Ele veio todo diferentão tocando banjo e acho que foi uma decisão bem legal e que diz muito sobre sua personalidade musical. Achei a performance bem linear em sua maior parte, mas ele conseguiu fazer tudo de forma bem natural e sem esforço. Foi agradável.

Tati Hudson: Caleb <3 gosto de graça e vou defender sempre que eu puder. Primeiro, não conhecia esse instrumento e achei tão legal e diferente. Segundo, combinou perfeitamente com a música, mas tinha algo que estava deixando o som pouco bagunçado, pelo menos me pareceu e isso me incomodou um pouco. Tirando isso, gostei da vibe da apresentação e achei que Caleb melhorou um pouco sua interação com o público, embora tenha um longo caminho pela frente. Vocalmente ele foi muito bem também e gosto muito quando ele abusa desses graves dele e nessa música tudo casou de uma maneira bem legal.

Michelle Sussett – Friends (Marshmello & Anne-Marie)

Rick Underwood: Preciso dizer que Michelle é alguém que para mim foi bem indiferente até aqui. Entretanto, preciso elogiar sua forte presença e confiança no palco, ela já age como uma estrela com bastante atitude e conforto. O inicio da performance achei bem bom, inclusive sua voz me lembrou bastante a nossa Camila Cabello. Porém, houve certos momentos que eu acho que ela perdeu o tom da música e acabou ficando bem estridente e não tão agradável de ouvir. Em comparação a suas apresentações passadas, acho que essa decaiu um pouco de nível, e eu concordo com a Katy, que disse que talvez essa música não foi uma boa escolha para ela.

Luana Clarkson: Ih gente, achei a performance da Michelle hoje bem gorezinho, viu. Ela é ótima e a voz também, mas hoje foi tudo meio estranho. Primeiro, eu não acho que essa música seja uma boa pedida pra realities, ela limita vocalmente e até em questão de interpretação mesmo. E apesar dela estar a cara da Demi Lovato, a voz acabou não casando legal com a música. Eu acho que ela está em perigo sim, viu migos.

Tati Hudson: Michele tem um ar de “X-factor” que me agrada bastante. Quando ela fez a blind fiquei com medo dela exagerar, mas até então ela tem ido bem. Dessa vez, ela veio com uma música mais contida, mas que deu pra perceber um pouco mais da versatilidade dela. Embora a voz dela me soe um pouco irritante em alguns momentos, eu amei a movimentação dela no palco e essa vibe “spice girls”. Uma apresentação bem sólida e divertida.

Márcio Donaldson – It’s a Miracle (Barry Manilow)

Rick Underwood: Péssima songchoice gente… Márcio estava arrasando muito na competição, mas essa performance para mim foi de longe a sua pior. Senti a voz dele meio “presa”, parecia que nas grandes notas a voz dele não subia para um falsete e acabou me incomodando. Sua presença de palco foi muito bacana, ele pulando pelo palco foi eu mesmo ontem na balada, mas tirando isso, os vocais e a escolha da música foram sofríveis… Bem decepcionado com Márcio, mas espero que ele já arrase na rodada seguinte.

Luana Clarkson: Misericórdia. Que negócio datado, deus me free. Marcio é um ótimo cantor, mas hoje não poderia ter vindo mais brega e mais basic. A música em si já soa batídissima, ainda com as backing vocals ao fundo, meu Jesus cristinho! E ainda por cima, ele não conseguiu criar um “momento” na performance sabe. Ela começou e acabou na mesma linha, realmente não teve nada demais. Foi bem simples e bem batidinho. Não curti não.

Tati Hudson: Ai eu gosto do Márcio, mas tava com medo dele seguir uma linha que não curto muito no programa e eis que o que mais temia aconteceu hoje. Que música chata e que apresentação maçante. Marcio tem uma presença de palco incrível, além de tudo, é bastante simpático, mas achei essa apresentação chatíssima e mega linear. Não rolou pra mim, não!

Mara Justine – This Is Me (The Greatest Showman)

Rick Underwood: Me irrita muito o fato de que para se cantar essa música a pessoa precisa parecer que vai chorar o tempo todo. Mara tem uma ótima voz, mas esses exageros que a própria música proporciona para mim acabaram tirando o brilho e o poder da voz da moça. Apesar de tudo, tiro o chapéu para ela, toda vez que Mara sobe no palco eu sinto uma grande energia emanando dela, e não é algo forçado igual em outras @ por aí, é simplesmente essa jovem de dezesseis anos sendo ela mesma. Por fim, achei que talvez foi sua pior performance, mas ainda assim não foi nada sofrível, para mim a escolha da música poderia ter sido melhor.

Luana Clarkson: Virje, garota, o que foi isso?! Mara chorando de novo, gostaria de estar surpresa, porém não. A música é enorme, e teoricamente, Mara seria capaz de segurar a marimba. Mas na prática não foi assim. Tudo foi muito inconsistente, desde as notas mais baixas, até os agudos. Ela não conseguiu criar um ambiente favorável para mim e tudo ficou fora de lugar. Tinha grande potencial de ser a performance da noite, mas eu achei que ficou mais pra mini desastre mesmo.

Tati Hudson: MEU DEUS O QUE ACONTECEU COM A MARA DA SEMANA PASSADA? Eu to decepcionadíssima com a bagunça vocal que foi essa apresentação e também porque acho que Mara está mortíssima após essa apresentação. Ela estava muito nervosa e os vocais estavam tão trêmulos :(, totalmente diferente do que vimos semana passada, creio que tenha sido pelo nervosismo do primeiro live. O final também foi problemático e eu fiquei realmente com dó da bichinha! Pra falar que não estou só críticas, ao menos a interpretação dela foi bastante emocional.

Garrett Jacobs – Reging Fire (Phillip Phillips)

Rick Underwood: Se eu faria? Faria sim! Mas minha revolta por ver Effie fora e ele dentro é maior que tudo. O boy ainda me faz o favor de escolher uma música do Phillip Phillips, só para dificultar meu trabalho de critica-lo –q. Achei a performance boa, sua voz para mim não é tão convincente a ponto de cantar uma música do reizinho, mas ele fez um bom trabalho, se encaixou bem no arranjo e por alguns instantes me fez perder o ranço dele. Talvez essa tenha sido uma de suas melhores performances, mas acho que ainda prefiro sua audição (tempos que eu ainda não tinha ranço dele, saudades).

Luana Clarkson: Olha, quando Garrett não é o mais básico da noite, isso sim é surpresa! Hoje ele foi até bem, viu… Comparado ao que vi antes dele. Continua básico pra caramba? Demais. Mas pelo menos hoje foi consideravelmente consistente e conseguiu ser melhor que muita gente. A música também não era grandes coisas, mas ele conseguiu tirar coisa daqui. Ainda estou no aguardo de Garrett me provar porque merece estar aqui de verdade, mas por hoje, vou aceitar o que tem mesmo.

Tati Hudson: Ai, como eu tenho preguiça desse boy! Pra mim é apenas uma carinha bonita, com uma voz “ok” e violão. Ele é até simpático, mas não consigo ficar à vontade quando estou vendo uma apresentação dele. Dessa vez ele não veio tão mal, mas, como sempre, bastante esquecível, entregando aquelas apresentações que a gente não acha horrível, mas acha bastante pombo. Pelo amor de Deus, América, não arraste um basicão desses!

Ada Vox – The Show Must Go On (Queen)

Rick Underwood: Os refrescos voltaram. Depois de eu me decepcionar bastante com sua última performance, Ada veio com força e entregando mais uma apresentação incrível para nós meros mortais. O início bem dramático e obscuro deu todo o tom da apresentação, achei que foi maravilhoso esse momento e Ada conseguiu passar vulnerabilidade e ao mesmo tempo poder em sua interpretação. As notas altas e agudas foram boas, apesar de ter achado um pouco, como eu poderia dizer… “engasgadas”, como se tivesse algo no meio da nota interrompendo ela sair toda limpa, entendem o que eu digo? De toda forma foi uma ótima apresentação, e Ada felizmente volta para o topo do programa, lugar de onde ela nunca deveria ter saído.

Luana Clarkson: ATÉ QUE ENFIM UMA PERFORMANCE BOA, ufa! Não foi o melhor de Ada, mas caramba, até o “marromenos” dessa mulher é melhor que 90% do resto, haha. A música é gloriosa, ela tem uma construção ótima, tem muita coisa pra explorar até chegar no ápice, e olha, tem potencial para ser um senhor ápice. Esperei muito mais do que recebi de Ada, mas não vou ficar reclamando demais não, porque sabemos de tudo do que ela é capaz e, sem dúvidas, merece permanecer na competição e ter um GRANDE momento nos lives. 

Tati Hudson: Ai, gente, o que está acontecendo com esse programa hoje? Até minha favorita ficou devendo hoje. Mas, preciso dizer, que coloco a culpa única e exclusivamente na songchoice, que, ao meu ver, limitou Ada demais da conta! Pra mim, ela não explorou metade dos vocais que pode explorar e o que ela conseguiu mostrar estavam inseguros e pouco potentes. Enfim, tristíssima pelo desempenho da minha fave hoje e espero que ela não me apareça com músicas assim novamente.

Catie Turner – Take Me To Church (Hozier)

Rick Underwood: Eu fiquei bem apreensivo quando vi que Catie cantaria essa música, e devo dizer que não foi lá uma grande performance, mas fiquei satisfeito com o resultado. O início da apresentação, assim como Ada, foi ótimo, deu todo o tom da música e Catie estava bem intensa na sua interpretação, entregando ótimos vocais. O problema que me faz desgostar das versões dessa música (geralmente cantadas por vozes femininas) é que acho que ficam sempre muito estridentes. Inclusive, essa versão de Catie foi bem parecida com a da Demi Lovato, a voz estava bem parecida nos agudos. Enfim, foi uma boa apresentação, mas ainda quero ver minha Catie das primeiras rodadas brilhando novamente.

Luana Clarkson: Olha, confesso que achei o início sofridinho. Mas ao decorrer foi ficando melhor e melhor. A bridge foi MUITO BOA e a voz da Catie é daquelas que continua te surpreendendo, porque ela alcança pontos muito interessantes dentro da melodia e o vibrato é muito firme e constante, mesmo nas notas mais agudas. Me incomodou ela cantar essa música sorrindo? DEMAIS, mas vou deixar passar, pois acho que os vocais foram tão bons e foram crescendo tanto que a forma que ela interpretou foi o de menos aqui.

Tati Hudson: Cansada estou dessa música, MAS que  legal ver uma artista trazendo novas versões dessa música mesmo depois de performances tão maravilhosas que fizeram dessa música (saudade Matt!). Eu gostei da versão da Catie, pois foi algo simples, nem tão dramático, mas que permitiu perceber a relação que ela estabeleceu com a música. Nunca senti Catie tão concentrada e contida e isso fez bem pra ela, já que ela vinha apresentando algo mais enérgico. Um bom momento para ela mostrar esse lado.

Cade Foehner – Black Magic Woman (Santana)

Rick Underwood: Mais uma apresentação deliciosa de Cade. Fico encantado com a voz desse homem, é muito hipnotizante, e ele consegue conduzir a canção muito bem, dando sempre um tom bem sexy em suas apresentações (AMOOO, e faria muito). O problema é que já estou começando a ficar cansado de ver Cade com a guitarra, poderia desgrudar dela pelo menos em uma performance né colega? Btw, essa apresentação foi vocalmente bem mais contida, mas ainda assim repleta de atitude. Obs: A KATY PEDINDO UM FIO DE CABELO DO CADE E MENTINDO DIZENDO QUE É PARA LEVAR PRA MÃE DELA, SOCORRO KATYA, O QUE TU VAI FAZER COM ESSA CABELO FIA?

Luana Clarkson: Reizinho, né mores. Tati achou o boy exagerado hoje, mas olha… Eu não tenho do que reclamar, haha. Achei a performance muito boa, de verdade. Cade é especial e disso já sabemos, e é bom saber que ele tem muito mais guardado também. O problema de entregar um 10/10 toda semana é esse, quando você entrega um 8/10, o pessoal já sente a diferença, haha. Mas independente de ter sido sua melhor performance ou não, foi MUITO legal. Pra mim, Cade é figurinha garantida na semana que vem e se isso não acontecer, eu me demito, apenas.

Tati Hudson: Cade é um artista maravilhoso e é uma dos meus favoritos da competição, mas essa apresentação foi uma das que menos gostei e uma por razão muito simples: excesso de drives. Nesse caso, me soaram um pouco exagerados e atrapalharam, inclusive, o entendimento do que ele estava cantando. Espero que os jurados orientem ele nesse sentido, pois ele é um artista incrível. Tirando isso, a presença de palco dele é incrível e ele é um rockstar nato, mas precisa também tomar cuidado para não fazer sempre mais do mesmo.

Dennis Lorenzo – In My Blood (Shawn Mendes)

Rick Underwood: Gente, chocado com Dennis, não esperava isso dele, ainda mais com uma música do Shawn Mandes. Os vocais crescentes foram maravilhosos, sua voz estava realmente um pouco tremula no início, como Katy disse, mas facilmente ele superou isso e acabou brilhando muito na parte alta da canção, com vocais mais agressivos e muito bem executados. Depois disso novamente ele foi mais sutil, mas dessa vez foi bem certeiro nas notas e acabou soando tudo muito lindo. Estou bem surpreso com Dennis, facilmente uma das melhores apresentações de hoje, e minha favorita dele na competição.

Luana Clarkson: Olha, primeiro que essa música é UM HINO. E assim, Dennis foi bem trêmulo nos graves, e a música é construída PRINCIPALMENTE em cima dos graves, então acho que isso acabou pesando. Ele compensou nos agudos e colocou tudo de si neles, o que resultou em momentos espetaculares na performance. A única coisa que me impediu de amar 100% foi a insegurança nos graves mesmo, acho que ele poderia ter posto um pouco mais de empenho nessa parte de sua voz, que é visivelmente a mais frágil.

Tati Hudson: Quando ele começou a cantar, eu pensei: hum… isso vai ser fofinho. Porém, ao longo da apresentação eu fui me envolvendo e terminei totalmente arrepiada. Que ótima construção de apresentação e excelente apresentação de Dennis. Emocional e muito conectada, uma das melhores dele pra mim e uma das melhores da noite também, o que não é difícil, né? Hahahaha

Maddie Poppe – Homeward Bound (Simon & Garfunkel)

Rick Underwood: Minha Maddie está VIVAAAAAA!!!! Aí @Deus obrigado por nos proporcionar esse momento, depois de meu coração partir com aquela performance horrível de Brand New Key, Maddie deu lindamente a volta por cima e nos entregou essa angelical performance. Que voz meus amigos, cheia de inflexões lindas, falsetes certeiros e uma interpretação de quase me fazer derramar lágrimas de felicidade. Amei muito, está entre minhas apresentações favoritas da temporada, e isso porque adoro essa song, e achei que combinou perfeitamente com ela. Que trabalho incrível, felizmente posso dizer ‘eu fui, eu tava, eu era o pedestal’.

Luana Clarkson: Ow meu Deus! A princesinha voltando ao lugar que jamais deveria ter saído: melhor da noite. Tudo que Maddie faz é tão doce, tão gentil e delicado, ela te faz lembrar daquele sentimento de infância, comendo algodão doce e correndo livre no parquinho. É tudo sempre tão puro e inocente, singelo demais! Se anjos existem e podem cantar, com certeza suas vozes são algo bem parecido com o que Maddie faz. Princesinha angelical, lindo, lindo, lindo!

Tati Hudson: ESSA MENINA É MEU ANJINHO E IREI SEMPRE DEFENDER! Vejam essa aura, ouça essa voz! Eu poderia ficar ouvindo essa apresentação por horas. Tão singela, tão pura, umas das coisas mais fofinhas da noite.  Além disso, Maddie usou seus falsetes de uma forma bastante inteligente na canção, dando a ela uma suavidade bem peculiar. Menina Maddie precisa vir com canções assim, que valorizem seu timbre e demonstrem o quão sensível ela pode ser. Apaixonada!

Jurnee – Bang Bang (Jessie J)

Rick Underwood: Olha elaaaa minha gente. Apesar de detestar essa song sendo cantada nos realitys, preciso dizer que Jurnee fez um bom trabalho. Os vocais foram ótimos, ela fez o rap e ainda improvisou colocando sue nome no meio, por fim, arrasou na grande nota da canção. A sua entrada foi bem diferente do costume, e isso já me chamou a atenção, o problema é que durante certos momentos da música eu estava achando ela meio ‘avulsa’. Acho que essa canção não permite o cantor explorar muitas coisas com a voz, mas pelo menos Jurnee conseguiu se superar dando um ótimo show de presença.

Luana Clarkson: Destruiu, arrasou demais, Anitta… Quer dizer, Jurnee! Haha. Gente, passada que a menina tava a cara da Anira, viu. Mas vocalmente, pisou né mores. Eu já fico com medo com o act vem com esse tipo de música, mas Jurnee manteve tudo sob controle em todos os momentos, e que senhor controle! Ela fez tudo que tinha que fazer com maestria. Eu amei, sem mais!

Tati Hudson: Não foi a melhor apresentação de Jurnee, mas foi a que permitiu que ela demonstrasse um pouco mais do que havia entregue no programa até o momento e eu gostei disso. Tanto a presença de palco, quantos os vocais foram decentes e ela fez o que a música pedia. O começo foi um pouco morno, mas as coisas melhoram do meio pra frente, principalmente na parte da high note.

Jonny Brenns – This Is Gospel (Panic! At The Disco)

Rick Underwood: Meu crush <3 Eu estava torcendo tanto para ele cantar This Is Gospel na versão acústica, uma pena que isso não aconteceu, mas de toda forma eu adorei sua apresentação, foi bem energética, com vocais ótimos e uma ótima vibe. Jonny cresceu muito na competição, e eu o acho muito versátil, principalmente com sua voz, que por horas é bem grave, mas consegue ser mais aguda e dinâmica quando ele cresce no refrão. Além disso, ele tem esse fator “indie” que sempre funciona muito bem e da o brilho que tanto me cativa… Essas pequenas firulas e tons ao decorrer da canção fazem toda a diferença para mim. Enfim, gostei bastante da performance, claro que ainda espero um momento incrível como Somebody Else, e na verdade acho que esse poderia ter sido o momento caso a performance tivesse sido no piano.

Luana Clarkson: Jesus Cristo, Jonny matou a música. Brazil, I’m devastated. Assim que começou a performance, eu gritei “QUE HINOOOOOOOOOO”, mas não deu nem tempo de terminar a frase pra perceber que o hino estava no caminho de ser detonado, lol. Meu sonho era vir aqui e dizer que tudo foi maravilhoso, mas Jonny não colaborou. Arrasou na songchoice, mas a execução deixou MUITO a desejar, infelizmente. 

Tati Hudson: Gente??? Jonny tinha uma songchoice maravilhosa e uma voz que se casava tão bem com à música, mas ele vem e me entrega isso… que triste, sério! Foi tudo tão sem graça. Uma versão mais lenta ou até mesmo no piano permitiria que ele explorasse um lado mais emocional, que ele precisa recuperar no programa. Eu já gostei muito de Jonny, mas acho ele muito inconsistente e tenho minhas dúvidas se ele merece continuar nesse programa, viu? Uma pena, pois ele tem uma voz maravilhosa.

Michael J. Woodard – Titanium (Sia)

Rick Underwood: Mais uma surpresa nessa noite… Mas antes de comentar sobre a performance, vou dar uma de Clarice no Panela’s Fashion Police e dizer que essas roupas do Michael são terríveis minha gente! Parece uns macacão de operário, muito estranho, pelo amor troque isso. Sobre a performance, obviamente não foi tão impactante quanto Sai, já que se igualar a voz dessa mulher é quase impossível, mas eu achei genial a mudança de arranjo, que permitiu Michael arrasar na sua zona de conforto, atingindo notas ótimas e reproduzindo vários melismas que ficaram lindos nessa versão.

Luana Clarkson: Nossa, deixa ver como vou me expressar aqui, porque tenho tanto a falar, mas não sei muito bem como expressar. Primeiramente, eu gostei MUITO disso aqui. Segundo, tem algo tão especial na forma que esse boy enunciou toda a canção. Ele criou desenhos belíssimos com a voz, e o mais surpreendente é que ele não precisou mudar muita coisa pra fazer isso. Ele utlizou inflexões bem simples, mas extremamente inusitadas e APENAS isso modificou a música completamente e tornou algo MUITO único. Olha, eu achei um sambão de muito bom gosto!

Tati Hudson: Não aguento mais Titanium, mas Michael conseguiu eu amar tanto essa versão, ao ponto de desejar MUITO um estúdio dessa música. Achei dramático na medida certa e com uma interpretação genuína. Além disso, a voz de Michael é tão maravilhosa e combinou tanto com essa versão, que estou convencida de que foi uma das melhores apresentações dele até o momento.

Gabby Barrett – The Climb (Miley Cyrus)

Rick Underwood: Mais um dia normal na vida de Gabby, em que ela vem e pisa com bondade. Arrasou viada, começou na música muito bem e mostrou personalidade e uma ótima interpretação. Para mim o que pesou mesmo é a escolha da música, que eu não gosto tanto, mas obviamente Gabby foi muito bem e não há nada do que criticar de sua apresentação vocalmente falando. ‘Ain’t No Way’ ainda é minha performance favorita dela, mas toda vez Gabby está entregando algo de alto nível assim como naquela performance. Encerrou a noite muito bem!

Luana Clarkson: Tá bom, então. Lá vou eu comentar a performance nº 8.785 de “The Climb” em realities musicais, LOL. Não resta dúvidas que Gabby é maravilhosa e tudo que ela canta é muito competente, mas eu vou contra a maré aqui hoje. Não encontrei absolutamente nada especial nessa performance, pelo menos, nada tão especial a ponto de diferencia-la de todas as outras centenas de covers que já vimos antes. Foi muito bom, mas também só isso mesmo: bom.

Tati Hudson: Uma música tão batida em realities e Gabby vem e faz o que? Destrói meu coração com uma versão maravilhosa e muito emocional. A voz da Gabby não tem nada de TÃO especial, porém, é sempre tão bem projetada e executada sem erros, que eu a ouviria por horas também. Os jurados estavam louquíssimos quando disseram que ela deveria cantar apenas R&B! E que rainhazinha versátil, é country, mas pode cantar de tudo, viu? Combina com versões mais animadas e hoje arrasou com música mais emocional.

E ai pessoal, o que acharam da primeira noite de lives? Eu sinceramente gostei, mas achei que poderia ter sido beeeeeem melhor. Algumas ressalvas: O palco está bem legalzinho, mas seria um sonho ver o antigo palco do Idol de volta, era bem grande, dava para se fazer tanta coisa lá. O ponto que eu gostei foi a passarela desse palco, que vai direto para os jurados, já quero ver alguém indo até lá e dar um close na cara deles. Por fim, após a noite de hoje, fica bem imprevisível de saber quem serão os seis candidatos que passarão direto… Apostas? Dado o histórico e as performances de hoje, eu aposto em Maddie, Gabby, Catie, Caleb, Jonny e Dennis. Deixem aí nos comentários sua opinião sobre as performances de hoje e suas apostas para os resultados de amanhã. Participem votando da nossa enquete que estará logo abaixo, e nos vemos na próxima pessoal, até mais 😀


gostou da matéria? deixe um comentário!

Ricardo Souza

Tem gente que diz que sou um amorzinho, eu digo que sou um trouxa. Viciado em maratonar séries e ficar na bad depois de assistir tudo em um dia. Amo muito música indie, quando quiser me chamar pra ouvir Florence já sabe onde procurar. Mineiro do interior que não puxa o 'r' quando fala, mas adora um pão de queijo.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries