Posts Populares

American Idol – S17E17 – Top 6 Performances “Woodstock and Show Stoppers”

Vocês acharam que foram tombados com a saída precoce de Walker semana passada? Isso é porque não estavam esperando o episódio de hoje e o que ele irá nos revelar…

TOP 6! Essa semana nossa candidatos a se tornarem o próximo ídolo dos Estados Unidos vão cantar duas vezes: a primeira dedicada ao tema “Woodstock”, festival hippie americano que aconteceu em 1969 e misturou folk, indie, blues e rock em seu line up e abriu espaço para diferentes tipos de arte ficando marcado na história. O festival completa 50 anos em 2019 e terá sua segunda versão, além disso o Idol resolveu então homenagear a primeira versão do evento. A segunda canção será uma escolha livre dos candidatos com o tema “Show Stoppers”, mas basicamente é uma escolha livre para eles.

Antes de ver o episódio conversava com alguns amigos e todos chegamos a conclusão que o único salvo era Laine, os números dos outros candidatos eram similares e qualquer um poderia rodar. Os comentários hoje ficam por conta da minha lindaaa Tati e do meu friend futuro melhor médico de MG: Lucas! Vamos lá!!!

RODADA 1: WOODSTOCK

Maddison VanDerburg – “Piece Of My Heart” by Janis Joplin

Lindo: Gente eu apenas ADORO como as pessoas AMAM usar uma guitarra como adereço para o look do dia. Sobre a escolha da música achei boa, mas eu vou falar algo que eu jamais esperaria falar: faltou mais GRITO, faltou VONTADE para fazer isso aqui acontecer. Madison entregou vocais em uma zona de conforto aqui e fez uma performance bem morna, passou longe de ser ruim, mas passou ainda mais longe de ser ótimo.

Tati: Ô gente, Maddison vinha numa crescente muito legal nos lives e eu estava amando. Mas sabe quando a gente tem a impressão de que a música vai ser demais para um artista? Foi isso que eu senti. Ela tentou muito aliar presença de palco e vocais, mas ficou defendo na execução desses dois quesitos. Tipo, não faltou entrega, mas foi uma bagunça vocal e ela praticamente só bateu cabelo. Infelizmente, não me agradou. Talvez com outra música “menor” da Janis ela se sairia melhor

Lucas: Ela se segurou até bem na performance, mandou bem seus agudos, mas definitivamente essa não era a música certa pra ela. Faltou algo mais. Mais potência, talvez um diferencial na sua voz… a performance apenas não foi marcante.

 

Laine Hardy – “I Don’t Need No Doctor” by Joe Cocker

Lindo: Clássico de Woodstock Joe Cocker era uma das apostas dos paneleiros de onde boa parte das song choices poderiam sair e foi dito e feito. Sobre a performance essa guitarra deve tá cansada porque só me lembro de ver ela nesses lives kk, vocalmente ele foi bem, performance sólida e energia na medida certa apesar de ter sentido falta de uma explosão, mas o suficiente para ser uma das melhores performances da rodada.

Tati: Gente, que escolha mais perfeita para Laine, né? Algo meio rock com toque de blues, que pede uma guitarra e pluft: algo bem dentro da linha que Laine vinha fazendo até aqui. Aliás, essa performance é completamente um resumo do que o Laine fez nessa temporada todinha: algo bom, mas nada uau. Competente dentro daquilo que ele propõe, mas longe de ser algo do tipo: CARACA, QUE PERFORMANCE QUE LAINE ENTREGOU. Complicado, pois nem criticar a gente pode direito, já que foi uma performance consistente. Mas elogiar também não vou, não. Me poupo disso.

Lucas: Mais uma vez, bem ok. O problema do Laine semana após semana é que ele não traz diferencial nem vocal e nem artístico nas suas performances. De novo aqui se limitou a ficar atrás de uma construção de performance extremamente preguiçosa. Existem diversas performances bem parecidas com essa dessa mesma música, então realmente Laine, apesar de apresentar vocais consistentes e ter conquistado o povo americano, não consegue se diferenciar em nada de vários outros cantores do mesmo estilo.

 

Jeremiah Lloyd Harmon – “Swing Low, Swing Chariot” by Joan Beaz

Lindo: Nunca vi Jeremiah tão feliz e confortável em uma performance, eu não vou ser cínico e dizer que AMEI, eu achei a música bem chatinha, mas olha foi tão legal ver ele tendo um outro tipo de momento e outro tipo de performance, apenas ADOREI! Pena que esse cristal não é valorizado da maneira que deveria pela América.

Tati: Um parêntese que estou amando esse tema! Olha que clima maravilhoso que Jeremiah deu para essa música. Sem dúvidas, souber trazer muito do tema. Ele interpretou muito bem e mandou muito vocalmente, o que não é nenhum desafio para ele, não é? Artista de verdade. Para mim, tirou leite de pedra, já que a música é bem repetitiva e mesmo assim ele deixou a performance interessante.

Lucas: Olha, uma performance perfeita vocalmente, porém com uma música extremamente chata. Começou num clima, no piano… e daqui a pouco estava de pé alcançando as notas com perfeição. Ele canta demais! Realmente a única coisa que atrapalhou eu gostar mesmo da performance foi a escolha musical.

 

Laci Kaye Booth – “To Love Somebody” by Janis Joplin

Lindo: Exausto de gente reclamando desse timbre da Laci, que é apenas MARAVILHOSO e para mim qualquer coisa que ela canta eu simplesmente AMO! kkk Entretanto essa primeira performance veio abaixo do que ela já tinha feito no programa, ela vim de um grande momento com a “Queen Week” e aqui apresentou uma performance sem momentos e com pequenas falhas vocais, foi uma performance bem morna para ser sincero.

Tati: Meu Deus, como ela estava lindinha e como ela estava à vontade. Amo ver meus cantores assim. Assim, foi uma performance gostosinha de se ouvir e dentro dos limites vocais da Laci (que não são tão altos, diga-se de passagem). Acho que ela mandou bem, dentro do que a música e arranjo permitiam. Não foi a melhor dela e nem da noite, mas ao menos foi mais decente que o Kotado.

Lucas: A Laci estava linda ali com esse cabelo e com a guitarra, e o timbre dela realmente realça bastante o que ela canta, porém essa performance foi recheada de erros vocais. Ela desafinou, a voz dela falhou em alguns momentos… o que salva mesmo é o timbre dela que fica lindo em praticamente qualquer música.

 

Alejandro Aranda – “White Rabbit” by Jefferson Airplane

Lindo: EU SIMPLESMENTE AMEI! Eu to em CHOQUE, eu jamais esperaria amar algo vindo de Alejandro, mas ess vibe mais psicodélica onde ele conseguiu explorar mais os vocais e foi simplesmente sensacional. Até aqueles uhuuuu eu amei, Alejandro trouxe uma vibe bem Alt J e lembrou um tiquinho de Arcade Fire, podia continuar assim ao invés de cantar a mesma coisa toda semana.

Tati: Gente????????? Eu sempre abro vídeos do Alejandro pronta para criticar, mas dessa vez fui tombada kkkkkkk. Eu achei a performance bem legal. Um estilo meio diferentão, alternativo. Que vibe foi essa? Nem pareceu o moço de voz e violão de sempre hahahahaha. Adorei muito, interpretação e palcos impecáveis. Não vai dessa vez que eu vou criticar o moço haha.

Lucas: Não sei se foi o próprio Alejandro que adequou o arranjo, mas ficou maravilhoso para a voz dele. A voz do Alejandro esteve inteira como nunca, sem falar do nível de envolvimento dele com a performance. Alejandro estava totalmente entregue à música, fazendo uma das suas melhores performances no programa. Ficarei no replay aqui hahaha.

Wade Cota – “With A Little Help From My Friends” by Joe Cocker / The Beatles

Lindo: Olha o Wade veio preparado para não pagar micão dessa vez, deixou o notão pro coral e não se arriscou em um momento algum, pegou uma música boa para sua voz e foi inteligentissimo nesse ponto. Performance boa, a melhor dele que não quer dizer muito e ele segue sendo arrastado por votantes que ninguém sabe da onde vem. #sofrendo

Tati: Gente, olha esse horror desse moço com voz de finamente em seus últimos cigarros. Eu não simplesmente não aguento mais esse timbre. Parece que ele está perdendo a voz cada vez mais e ele tá sempre me dando a impressão de que ele está forçando o timbre. Além disso, a performance foi mega linear e 0 interpretação. Parabéns, ficou horrível.

Lucas: Gosto nem um pouco da voz dele e mais uma vez ele fez uma performance bem “ok” pelo tamanho da música. Tentarei ser o máximo imparcial na minha análise. Bom, o Wade conseguiu segurar bem a música, que foi uma escolha perfeita pra ele. Não cometeu erros grosseiros, como em outras semanas, mas também fugiu do notão no meio da performance, que é um dos ápices da música. No geral, foi bem, mas nada que apague suas outras péssimas performances na temporada.

 

RODADA 2: SHOWSTOPPERS

Madison VanDerburg – “I Surrender” by Celine Dion

Lindo: Semana passada vimos Madison arrasar nos vocais cantando “The Show Must Go On” mas pecando na emoção, era a mesma de uma porta. Hoje ela conseguiu corrigir isso parcialmente, com os vocais poderosos como sempre e evitando gritos onde sua voz sairia de forma estridente ela fez uma performance completa e com bons momentos. Minha crítica fica aqui a alguns sorrisos que rolaram em alguns momentos que não combinam com a vulnerabilidade exigida pela música. Entretanto, isso é mínimo perto do seu trabalho vocal e não tira seu mérito até aqui, apenas um ponto para melhorar.

Tati: Essa música é uma verdadeira bomba para se cantar em reality. Um hino? Um hino! Mas justamente por isso é algo dificílimo de cantar. Quando vi que Madi ia cantar já pensei: bichinha corajosa! Eu achei que ela começou bem, mas depois do refrão, a música ficou muito grande pra ele e ela nem conseguiu alcançar algumas notas. Mas eu achei que ela estava ao menos conectada com a música, o que acaba sendo um ponto positivo. Pelo menos tentou! hahaha

Lucas: Que performance maravilhosa! Ela começou com a suavidade que precisava e nas horas dos notões, os alcançou com propriedade. Não esteve ofegante e não cometeu deslizes vocais aparentes. Vocalmente perfeita!

 

Alejandro Aranda – “Poison” (Original Song)

Lindo: Olha só porque elogiei Alejandro na primeira canção por trazer algo diferente e com mais competência vocal ele me traz uma original seguindo aquele mesmo estilo Alejandro de ser. Não vou ser o chato aqui é falar que não foi legal, isso ou aquilo, consigo ver as qualidades dele como artista e entendo a vibe que muitas pessoas veem nele, apesar de assistir sua performance e não sentir nada, vejo que o arranjo encaixou muito bem com a sutileza de sua voz e que ele foi bem.

Tati: Aaaah, eu super ouviria essa música no meu Spotify. Vibe bem legal e que mostra um pouco melhor o trabalho dele. Aliás, a performance foi bem gostosinha de se assistir, dessas que a gente amaria ouvir em um luau. Assim é o estilo de Alejandro, né? Voz (quase no mesmo tom) e violão. Bom, considerando o padrão que ele entrega, ele mandou bem.

Lucas: Dar a cara a tapa cantando ao vivo uma música autoral não é pra qualquer um. Isso por si só já é respeitável, mas não é suficiente. A música precisa de ser boa e a performance precisa de ser bem executada. Hoje Alejandro preecheu a todos os requisitos, trazendo uma composição maravilhosa, com um arranjo muito bem feito e tudo muito bem executado ao vivo. Ao meu ver, Alejandro elevou o nível da competição, e desejo todo sucesso do mundo pra esse rapaz, porque a humildade com que ele faz seu trabalho e a coragem de expor suas composições e seus arranjos é no mínimo digna de atenção. Performance linda!

 

Laci Kaye Both – “Open Arms” by Journey

Lindo: Eu ainda sigo encantando como Laci consegue me fazer embarcar na maioria das música devido ao seu timbre tão singular, cheio de textura e rouquidão. Laci conseguiu achar uma forma de abordar essa canção onde fugiu do linear e fugiu de ser uma versão que exigisse vocais grandiosos que ela não pode ter devido ao seu timbre mais rouco, mas ainda assim ela conseguiu manter a essência e entregar a vulnerabilidade necessária para brilhar. Acredito que posso dizer que Laci é a artista que consegue entregar as performances mais vulneráveis e emocionantes desse programa.

Tati: Eu amo tanto essa música e adorei o começo da Laci! Bem suave e voz dela estava bem agradável de se ouvir. Mas como Laci canta sempre no limite, só foi subir o tom e eu já notei algumas pequenas falhas, principalmente no refrão. Mas eu acho que ela arrasou na emoção e se segurou como podia na nota mais alongada. Acabou sendo melhor do que esperei.

Lucas: Eu tinha tudo pra não gostar dessa performance, porque claramente ela pede algo que a voz da Laci costuma não entregar, mas eu simplesmente amei essa versão. A Laci não cometeu grandes erros como previ que poderia acontecer, dada a dificuldade da música. Tudo bem que os notões não tiveram yna execução de cair o queixo, mas ela conseguiu fazer uma versão sua, que eu queria muito o estúdio hahaha. Gostei, viu!

Jeremiah Lloyd Harmon – “Somewhere” by Barbra Streisand

Lindo: Diferente da primeira escolha aqui vimos Jeremiah conseguir brilhar de forma completa, uma performance cheia de momentos e camadas construída com vocais fortes e potentes. Ele conseguiu cantar no mesmo nível e level da cantora original, mandou notas altas e agudas de forma completa e o mais complexo disso tudo foi que ele não soou estridente em nenhum momento, o que geralmente acaba acontencendo, enfim, ele quebrou tudo e fez a melhor performance da noite aqui.

Tati: Jeremiah tem algo muito clássico em seu estilo e essa performance evidenciou esse lado de uma forma, que eu pensei que estava em um musical ou algo do tipo. Apesar de ter achado, pro meu gosto, uma performance um pouco chata, foi algo extremamente profissional, que só mostra que esse menino está pronto e um passo à frente dos outros candidatos. Não preciso nem falar que vocalmente ele arrasou (como sempre), né? Ícone.

Lucas: Música extremamente mal escolhida. A performance começou morna e continuou assim por um bom tempo. Na hora do refrão, que era a hora que tudo poderia ficar mais interessante, a voz do Jeremiah soou estridente e a performance acabou sendo algo bem mais ou menos. Vocalmente foi correto, porém nessa altura do campeonato precisamos de mais do que isso, né?! Pena, porque Jeremiah é maravilhoso.

Wade Cota – “Through the Valley” by Shawn James

Lindo: A voz segue quase sumindo e a gente segue sem compreender como Wade chegou até aqui e ainda segue sendo votada massivamente por parte do público. A música escolhida foi perfeita para ele, permitia ele criar mínimas dinâmicas dentro da zona de conforto para seus vocais, e ainda rolou uns uhuuu antes dele vir com aqueles vocais sofríveis e me fazer me arrepender por ter tecidos comentários tão agradáveis sobre ele no início aqui, mas é isso neh gente, infelizmente nossa opinião tem zero poder sobre os votos da América.

Tati: Sofro que Wade pegou uma das minhas músicas favoritas. Sabe uma coisa que amei nessa apresentação? O coral. Única coisa possível de eu gostaria numa performance de Wade a essa altura do campeonato. Achei que ele se movimentou bem no palco e tal, mas é pouco em vista do que os concorrentes apresentaram. Não achei ruim, mas ficou aquém de outras performances.

Lucas: Foi uma ótima escolha pra ele, porém ele precisa saber usar melhor a rouquidão da voz dele, né?! Não pode ficar abusando assim. Do começo ao meio da performance eu fiquei numa agonia tremenda, pois a todo tempo parecia que ele estava no limite da sua respiração, e quando ele subiu um pouco, deu uma aliviada nessa sensação pra mim, porém o excesso de rouquidão descontrolada não me desceu. É aquilo, há quem goste, né?!

 

Laine Hardy – “Johnny B. Goode” by Chuck Berry

Lindo: Ai eu AMO essa vibe Rock’n Roll que o Laine vem cada vez mais empregado em suas performances. Laine pode soar o mesmo como Alejandro, mas confesso que o carisma dele me contagia e isso me faz colocar ele a frente do Alejandro por exemplo na minha escala kk. Eu to amando o trabalho de presença de palco e esse estilo upbeat que ele conseguiu se encaixar tão bem, a música foi ótima, a execução muito boa e ele poderia fazer mais? SIM, mas ele realmente precisa fazer mais tendo uma gigante fã base e entregando boas performances? NÃO.

Tati: Aí gente, acho a voz do Laine legal e ele é até simpático, mas convenhamos, né? O menino tem a presença de palco de uma porta. Nem com uma música massa dessa e tentando se mexer, ele não consegue sair da monotonia. Mais uma performance na média do que ele sempre entrega.

Lucas: Essa performance foi montada da mesma forma do que suas outras, porém nessa a música é um clássico que soa bem melhor aos meus ouvidos. Fez uma performance super decente, com vocais bons e consistentes, além de se apresentar com uma energia maravilhosa. Talvez seja sua melhor performance até aqui.

 

PERFORMANCE ESPECIAL

Gabby Barrett – “I Hope” (Original Song)

Anjo country da temporada passada que retornou com seu novo single com mais de 20 milhões de execuções nas plataformas de streaming! Gabby parece que vem alcançando voos altos! Confiram sua performance!

RESULTADOS

Aquele momento que pode ser agridoce mas que nessa temporada vem sendo marcada por momentos amargos ao menos para nós da equipe aqui do site! A temporada viu estrelas com Uche e Walker deixarem o show cedo demais enquanto artistas como Wade seguem avançando sem a mínima qualidade. Sem mais delongas, Ryan anunciou que estavam salvos…

Madison VanDerburg

Laine Hardy

Alejandro Aranda

Wade Kota (aff)

Os dois últimos artistas e assim seriam eliminados seriam Laci e Jeremiah! MINHA GENTE E EU FIQUEI MUITO PUTO, simplesmente meus dois favoritos nessa altura do show, Laci a melhor voz e aquele timbre maravilhoso e do outro Jeremiah que nunca entregou nada sem qualidade, acabamento, sempre mantendo um nível de qualidade que ninguém chegou aos pés.

A presença de ambos é também algo que não poderíamos achar tão estranho, Lacy é uma cantora originalmente country que não vem cantando muito country, deixando de criar um vínculo com esse possível voto. Do outro lado, infelizmente vítima de preconceito por ser gay assumido dentro da igreja não vem recebendo a quantidade de votos que merece.

Mas não parou por ai, os jurados tinham direito ao SAVE! E obviamente eles usariam hoje, porque seria impossível a produção do show querer uma final com quatro artistas! Eles usaram e eu tava aqui lindo no meu sofa assistindo ao vivo e tranquilo pensando: vão salvar Jeremiah. E ai o plot twist veio, os jurados resolveram salvar Laci!

LACI KAYE BOTH

Olha eu AMOOO demais a Laci, talvez at[e mais que Jeremiah como artista, mas é inegável que ele merecia vencer esse show e fez a trajetória mais merecedora até aqui,porém, choices neh! Vamu fazer o que?

TOP 5 escolhido pela América e Jurados!

E vocês o que acharam da eliminação precoce de Jeremiah? Eu to bem triste ainda! Semana que vem dois artistas deixam a competição e tá bem claro que Laci será um deles, a outra vaga eu só espero que seja de Wade.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

Amado por 30 milhões de Brasileiros! Paulista, Canceriano, 25 anos, Químico e atualmente faço Doutorado em Biotecnologia e Polímeros. Me achou nerd neh? Sou mesmo! Amo uma boa banda alternativa/indie, fã número 1 de Imagine Dragons e adoro perder um bom final de semana maratonando séries! P.S. Sou bêbado também gente, me chama para uma cerveja e para falar de série!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu