Posts Populares

American Idol – S17E18 – Top 5 Performances

Demorou, mas saiu! 

Finalmente, a review do penúltimo episódio de live shows do American Idol está no ar, minha gente! Essa semana foi bem corrida pra mim, mas cá estou eu para falar das últimas apresentações e resultados do nosso reality tão amado.

O que eu não estou amando de jeito nenhum é essa temporada! Tá fácil não, viu? Meus favoritos foram saindo ao longo da temporada, sobraram alguns arrastados e, ainda por cima, eu acho que alguns candidatos caíram na mesmice. Aliás, eu tenho certeza! Tanto que esse episódio comprovou um pouco isso.

Nesse top 5, tivemos  Bobby Bones como mentor dos candidatos, sendo que cada um deles cantaram três músicas, uma à escolha de Bobby, uma em homenagem às suas mamães e uma em homenagem a Elton John. Vamos recapitular como foram as performances? Comentando comigo hoje, eu tenho os GUERREIROS Lindomar e Luana HAHAHAHA! Vem com a gente!

Rodada 1 – Bobby Bones Picks

Wade Cota – “You Are The Best Thing” by Ray LaMontagne

Tati: Confesso que comecei essa review de coração aberto para tentar assistir as performances do Wade sem criticar muito, mas realmente ele não é o tipo de artista que me agrada e eu fico me perguntando como ele conseguiu chegar até aqui deixando tanta gente boa para trás, como o Jeremiah. O comecinho (bem o comecinho mesmo) foi até agradável. Mas depois desandou tudo e eu, mais uma vez, detestei.

Lindo: Olha que mico BRASIL assim não da, Wade é tão básico que nenhuma notinha fora daquela zona linear que ele criou para essa música saiu, a performance foi monótona e cheia de falhas técnicas que nem vou me dar o trabalho de digitar, vou seguir mentalizando a eliminação dele aqui.

Luana: Ai gente… Não aguento mais reclamar do Wade, vocês me desculpem. Eu tô há mais de três semanas muito passada do meu limite, eu não tenho de onde mais tirar conversinha mole, sério. Olha, não foi nem uma performance ruim, na verdade, foi até legal, mas JÁ DEU. JÁ DEU DE VERDADE, JÁ CHEGA.

Laci Kaye Booth – “The House That Bouilt Me” by Miranda Lambert

Tati:  Olha que coisa maravilhosa é a voz de Laci nesse tipo de música. Dá vontade de fechar os olhos e só ficar ouvindo a noite toda. Escolha acertadíssima para ela, ponto para o Bobby! Mas, assim como quase todas as apresentações dessa rodada, eu achei a performance em si pobrezinha, sabe? A gente está falando de uma semifinal, poderiam ter caprichado um pouquinho mais, inclusive na composição do palco. De qualquer forma, foi bem bonitinha e agradável de se assistir. A voz da Laci, apesar de limitada, é uma delícia.

Lindo: O timbre da temporada? A voz da temporada? Se tem um artista que conseguiu ter um timbre excêntrico, lindo, rouco e que ainda tem uma habilidade ímpar: se conectar com o que canta. Laci encanta a todos dessa maneira e se eu pudesse colocaria minha menina Laci na final SIM. Uma performance linda, tocante e com tudo na medida certa, Miranda Lambert está orgulhosa!

Luana: Que coisa mais linda, meu Deus. Assim, chegou perto da versão da Miranda? Claro que não. Mas ainda assim, eu achei que foi uma das performances mais lindas da Laci. A letra da música é muito tocante e o timbre diferenciado da Laci deu um toque bem especial. Ela não se prendeu a fazer mais do que podia, ou tentar tocar na original, ela só chegou ali e entregou o que sabia e foi mais do que suficiente. Laci é um anjo, minha gente.

Alejandro Aranda – “No Woman, No Cry” by Bob Marley

Tati: Nossa, nunca imaginei essa música para o Alejandro, mas posso dizer que caiu uma luva para ele. Eu não curto muito o jeito monótono do Alejandro de cantar, mas essa song e esse arranjo ficaram tão massa, que eu seria injusta de não confessar que eu amei! Inclusive, adoraria uma versão em estúdio dessa performance.

Lindo: O que vem acontecendo com a minha pessoa? Semana passada finalmente curti uma performance de Alejandro e aqui estou curtindo a segunda! A música escolhida caiu como uma luva para ele e acredito que música mais calmas e com essa pegada do reggae seriam uma saída impar para ele alavancar sua popularidade ainda mais. O único ponto negativo dessa performance é que essa música tem uma vibe contagiante e que acabou se perdendo nesse arranjo.

Luana: Ah, pronto a apelação direta à mim na songchoice. Apesar da vibe totalmente nova criada por Alejandro, acho que o mais importante sempre esteve ali, que foi a intenção pura e o coração. Essa foi uma das performances que senti Alejandro mais conectado ao que estava fazendo, provavelmente porque ele deve ter dito uma boa abertura criativa para criar sua atmosfera aqui. E além da boa produção, os vocais estavam bons e suficientes para o que a música demandava. Eu curti de verdade, bem bom.

Laine Hardy – “Can’t You See” by The Marshall Tucker Band

Tati: Ai, gente! Nunca consigo criticar muito Laine, pois ele está longe de ser ruim, mas eu nunca consigo elogiá-lo muito, pois eu acho ele meio básico. Porém, nessa performance, eu consegui curtir tudo o que ele fez no palco, pois, claramente ele se sente super confortável com esse tipo de música e convenhamos que combina demais com ele, né? Adorei a presença de palco e a forma como ele conduziu a apresentação. Uma das minhas favoritas dele, certamente.

Lindo: No episódio de hoje veremos Laine aos poucos saindo de sua zona de confortoo! Aqui ele até começou fora da guitarra e sem saber o que fazer para ter um equilíbrio entre os vocais sólidos que ele geralmente traz e uma boa presença de palco e isso afetou a sua performance como um todo, achei uma das performances mais fracas dele nos lives. A música dava liberdade para ele explorar o palco e ir até a platéia e ficar ali paradinho no centro me soou como uma péssima ideia.

Luana: É isto, isso é o que funciona por Laine, vamo fazer o que. A diferença dessa performance aqui para as outras duas dele foi gritante demais, gente. É triste que ela não consiga ser multidimensional, porque ele tem uma voz muito interessante e descolada. Óbvio, foi uma performance muito boa e eu curti de verdade, como curto toda semana. Mas me deixou triste, apenas porque percebi o quão preso o Laine está.

Maddison VanDenburg – “Wha’t About Us” by P!nk

Tati: PELO AMOR DE DEUS, GENTE! VAMOS ESQUECER ESSA MÚSICA EM REALITY! Não funciona, já foi provado um milhão de vezes que as performances ficam sem graça demais. A Madison até conseguiu encaixar um “boom” com uma nota mais alta, mas não funcionou muito, sabe? Pois ela precisou cortar rapidamente, por causa da dinâmica da música. Enfim, sempre acho as performances dessa música mais sem graça que um rodízio de chuchu com água e dessa vez não foi diferente. Péssima escolha do Bobby, infelizmente.

Lindo: De todas as escolhas do Bobby Bones para os artistas posso dizer com folga que essa foi a pior. Essa música simplesmente não funciona em realities, ela exige respiração demais, vocais em uma zona que não é confortável cantar e acaba soando genérica em boa parte do tempo e infelizmente foi isso que aconteceu aqui. Madison começou super bem mas foi se perdendo conforme a melodia da música avançava, ela ainda se recuperou do meio pro final e conseguiu fechar bem.

Luana: Definitivamente, essa música não foi feita para ser cantada em realities. A Madison tem uma dificuldade extrema de parecer conectada com o que canta, e a música ainda não ajudou em nada. Eu já vi performances legais de “What About Us”, mas nenhuma delas foi surpreendente. E aqui não foi diferente. É uma música complicada para fazer funcionar nesse formato, porque o forte dela não são os vocais e ela não é construida para ter grandes/impactantes momentos. E acho que não ajuda em nada quando sua conexão com a letra também não é lá das mais fortes, né. Enfim, vocalmente mais uma ótima apresentação da Madison, mas todas as 3 me deixaram com a sensação de que algo estava faltando.

Rodada 2: Elton John

Wade Cota – “Rocket Man” by Elton John

Tati: Vou começar elogiando o palco, pois foi o que eu mais gostei aqui. Sério, achei lindíssimo  Quanto a performance: chata e MUITO LINEAR. Não vou nem comentar do óculos para poupar meus dedinhos e digitar com coisas mais interessantes.

Lindo: Olha ele estragando esse hino com esse oculos cafona que não encaixou no visual dele foi a própria morte. Eu não consigo compreender ainda como o povo acha isso BOM! A performance ao menos teve um pouco de entrega emocional dele que conseguiu se conectar com a música melhor, mas os vocais foram ainda piores e isso aqui foi péssimo sejamos sinceros! Felizmente os jurados tiveram o mínimo de decência para criticar um tiquinho do que ele merecia ser criticado.

Luana: POR QUE EU ESTOU PASSANDO POR ISSO? Ai olha, não sou obrigada. Adorei o estilo, óculos lindo e o que vale é a intenção. Parabéns, Wade. Próximo.

Laci Kaye Booth – “Saturday Night’s Alright” by Elton John

Tati:  A pobre, gente hahahahahah! Tentou sair da zona de conforto e eu admiro muito isso, mas acho que não funcionou muito bem. Achei o começo muito bom! A atitude dela foi ótima. Mas depois do refrão a voz dela começou a sumir um pouco e achei que a performance ficou linear demais e até um pouco repetitiva. Mas, pelo menos, ela tentou.

Lindo: Fada que não tem medo de sair da zona de conforto mesmo quando as coisas não dão certo. Laci veio cheio de pose e brilho e mostrou um lado mais exótico e cheio de presença de palco de si mesmo, entretanto o ritmo rápido da música não combinou com o tom mais pesado que sua voz tem, causando pequenos problemas de dicção e de ritmo. Uma performance bem aquém da fada Laci nesses lives.

Luana: Por mais que eu ache que É necessário sair da zona de conforto e mostrar outros lados de si, eu nunca curto a Laci nessas músicas mais agitadas. A voz dela é muito suave, não foi feita pra algo assim jamais. Eu aprecio demais a ousadia e a devoção, mas isso não foi nada bom, vamos ser sinceros, né? É isto.

Alejandro Aranda – “Sorry Seems To Be The Hardest Word” by Elton John

Tati: Outra escolha maravilhosa para o Alejandro! E pela primeira vez lamentei MUITO a edição do vídeo cortando a performance, pois queria muito ter assistido essa performance inteira. Eu amo essa música e adorei a forma como ela ficou numa versão mais suave e intimista. Ficou uma apresentação bem gostosinha de assistir!

Lindo: Eu não to crendo que to aqui me rendendo de novo a Alejandro! Escolha perfeita que combinou com uma performance no piano e com vocais mais vulneráveis que ele trouxe. Quando foi necessário subir o tom ele subiu de forma agradável e conseguiu mostrar conexão que era o mais importante até aqui, de longe a melhor performance performance da rodada de Elton John até agora.

Luana: Primeiramente, o que porra foi essa edição picotando a performance toda? Eu hein, toma vergonha nesta cara, American Idol. No mais, eu super curti a apresentação do Alejandro (pelo o que vi, claro). Foi legal vê-lo sair da zona de conforto e entregar algo mais “convencional”. Eu acho que ele realmente precisava de momentos assim, por mais contraditório que possa parecer. Enfim, performance super boa e sem dúvidas uma das minhas preferidas do Alejandro.

Madison VanDenburg – “Your Song” by Elton John

Tati: Devo concordar com minha amiga Luana e dizer que essa música já deu. Tipo, ainda é e sempre será uma das minhas músicas favoritas. Mas ela entra na cota de saturada em realities pra mim. Tanto que fiquei esperando cada movimento dela durante o palco, inclusive quando ela usaria o agudo. De qualquer forma, foi uma ótima performance e ela se recuperou bem da rodada passada.

Lindo: Matou a pau Madison! Se recuperou com classe da escolha errada da primeira rodada e se entregou aqui com tudo, inclusive emoção que é sempre um ponto crítico para ela. A música dava liberdade para ela sorrir daquela forma contagiante que ela sabe sorrir e transparecer toda a emoção, os vocais ótimos e ela realmente mostrou que merece vencer esse programa após a saída de Jeremiah.

Luana: Puts, Madison com MAIS UMA música mais datada do que pintura rupestre. Eu acho “Your Song” uma das músicas mais singelas já escritas, mas como você pode deixar sua marca em algo que já foi tão “dominado” anteriormente? Ela foi divina mais uma vez, mas fica aqui minha crítica à essas songchoices.

Laine Hardy – “Something About The Way You Look Tonight” by Elton John

Tati: Meu Deus, que terno brega hahahahhaa. Sério, juntava isso com o óculos do Wade e poderia mandar o Laine direto pro esquadrão da moda hahhahaha. Mas como não é disso que devamos avaliar, deixe-me falar sobre a performance: CHATÍSSIMA. É isso. Não tenho muito o que dizer. Achei previsível e linear e talvez seja porque a música não combinou muito com o estilo dele. Volta aqui Laine da primeira performance. Gosto mais de você assim!

Lindo: Gostei de ver o Laine fora da guitarra e com algo mais calmo centrado no palco e que foi adequado para isso (diferente da primeira música) e ele tentou puxar seus vocais ao máximo e mesmo sem saber o que fazer com as mãos na maioria do tempo ele mandou bem.

Luana: Chato pra caramba. Sei que tava super animada pra essa semana quando vi as songchoices do Laine, mas ele simplesmente não entregou o que eu esperava. E assim, acho que isso aqui foi super razoável, afinal, ele nunca entregou nada abaixo de razoável, mas sabe… Acho que o Laine irá vencer, e apesar de consistente, eu gostaria realmente que ele entregasse um MOMENTO para justificar a vitória. Pra mim, fica claro que ele é capaz de mais, porém por comodidade e “segurança”, ele decide não arriscar nunca. Só que assim, se você quer vencer o American Idol, você tem que APOSTAR alto. Poxa, Laine.

Rodada 3 – Hero Tributes

Wade Cota – “Hard Luck Woman” by KISS

Tati: Gente, vocês percebem que às vezes o Wade força a voz demais e parece que ele está rosnando? Não sei se isso é natural dele ou se ele faz de propósito, mas me dá um pouquinho de medo hahaha. Nessa performance isso ficou bem nítido. Olha, embora ele tenha se demonstrado totalmente confortável em cantar essa música, eu não curti, não. Principalmente considerando o quesito vocal.

Lindo: Gente KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK que Chacota foi essa? Ele já começou sem voz afinal tinha gastado tudo nas duas primeiras performances… Difícil levar ele a sério com essas performances tão pombo e sem graça, olha Wade vamos admirar teu esforço ao menos e pensar que você deu o seu máximo mas sigo torcendo pela sua eliminação.

Luana: Puta merda, por que diabos eu ainda estou sendo obrigada a ver Wade destruir tudo que canta em plena semi final? Meu Deus do céu. Enfim, eu nem terminei esse vídeo, porque simplesmente não aguento mais. Não há nada positivo que eu possa dizer aqui, porque meu limite com o Wade já foi atingido há séculos. Boa sorte em sua carreira, Wade. Mas é isto, já deu no Idol.

Laci Kaye Booth – “Dreams” by Fleetwood Mac

Tati: Que escolha mais acertada para Laci! Essa música, esse palco e ela paradinha como anjinho que é. Eu achei que combinou demais com ela e caiu uma luva para o tema e para a artista que ela é. Achei tudo lindinho de se assistir. Estava tudo maravilhoso, ela, a voz e o palco. Ao meu ver, uma das melhores apresentações de Laci.

Lindo: Olhaaaa eu vivi para ver esse momento! Que performance incrível, vulneravél e perfeita que a menina Laci entregou aqui! A música lhe caiu tão bem combinado com aquele arranjo mais calmo, uma luz ao fundo do palco que criava um efeito maravilhoso, eu to apaixonado por essa performance e meu único desejo é que ela tivesse sido maior. Fiquei só a Katy Perry com o coração partido sabendo que minha menina iria embora.

Luana: Puts, NENHUM defeito. Eu tô gritando demais, que anjo meu Deus! Eu sempre tive o sonho (rs) de ter um fave cantando “Dreams” do jeito certo, e olha ISSO! Laci nasceu pra cantar essa música e tudo foi tão extremamente perfeito. O arranjo simplesmente não poderia ter sido mais lindo, e ela estava simplesmente divina aqui, em todos os sentidos. Eu não acho que a Laci seja uma cantora excepcional ao vivo e ela já decepcionou bastante nesse quesito, mas nessa apresentação em questão ela esteve super bem! Enfim, eu adorei demais tudo aqui! Laci, você quer o mundo?

Madison VanDenburg – “Make You Feel My Love” by Adele

Tati: Outra música batida, né? Mas essa eu finjo um pouquinho mais que não é, pois eu simplesmente AMO essa música. E tirando a escolha que poderia ser menos previsível, vamos combinar que Mad arrasou. Achei o começo lindo demais. A voz dela me arrepiou e a nota mais alongada foi um sucesso. Se eu fosse a mãe dela, iria chorar muito também, pois que arraso de filha talentosa. Uma das melhores performances da noite, sem duvidas (o que não é muito difícil, né?) hahahaha

Lindo: A melhor performance da Madison em toda competição veio na reedição da versão de Adele! Nunca vi ela tão imersa em uma canção como vimos aqui e conseguindo manter os vocais impecáveis, enfim, Madison simplesmente ARRASOU e mostrou que merece ir a final e vencer o programa.

Luana: Ai gente, eu amo a Madison, mas tem certas músicas que já estão TÃO batidas em realities que simplesmente não acrescentam nada de especial na jornada de alguém. Depois de 800 versões dessa música (e ainda… Adele), não consegui apreciar como deveria a Madison aqui. Foi uma boa performance, mas uma performance à qual eu me conectei e/ou impressionei zero.

Laine Hardy – “Hey Jude” by The Beatles

Tati: Ai, gente, mais uma performance básica, mas eu achei tão fofinho o tanto que ele estava curtindo em se apresentar. Nada de excepcional na questão vocal e nada de diferente na presença de palco dele, mas teve energia e o final foi muio gostosinho de se assistir.

Lindo: Olha eu gostei MUITO mais disso aqui do que das duas performances anteriores! Ele estava confortável com sua guitarra e conseguiu manter os vocais sólidos (com exceção do refrão) e improvisar uma boa interação com a platéia. Uma boa performance, nada espetacular mas boa!.

Luana: Eu tava animada para ver o Laine nesse tributo aos Beatles, porque claramente seria algo que o viria a puxá-lo para fora de sua zona de conforto. E apesar dele ter dado conta da canção, eu fiquei um pouco decepcionada. Na verdade, não foi uma apresentação tão diferente das outras semanas, apesar da mudança de estilo. Enfim, Laine tem um timbre lindo, mas anda devendo bastante no quesito versatilidade e desenvolvimento.

Alejandro Aranda – “Blesser” by Alejandro Aranda

Tati: Oficialmente, o Alejandro fez a minha trinca de performances favoritas da noite. Embora eu continue achando que ele não seja incrível vocalmente, eu adorei essa performance e a música. Arranjo incrível, o que prova que ele é um compositor e tanto. Como Lindo falou, ele tem que aproveitar o hype e lançar um disco com esse tipo de música, pois é muito original. Curti demais!

Lindo: Alejandro já pode montar o EP dele e lançar depois do programa e se aproveitar da gigante fã base que ele montou! Ele nunca foi um dos meus favoritos e segue longe de ser, infelizmente não consigo adorar os arranjos que ele faz mas dessa vez posso elogiar essa composição, que letra linda e acho que se fosse apenas em um arranjo menos “agitado” do ponto de vista do “piano” ficaria ainda melhor.

Luana: Eu sinceramente acho que o Alejandro é um gênio quanto à instrumentos musicais e arranjos, mas me incomoda demais o fato de sua voz simplesmente não acompanhar seu brilhantismo de produção. Óbvio que entendo que um artista vai muito além de uma voz, mas no caso de um reality como o Idol, eu acho que a voz é um dos principais fatores. O que eu posso dizer é que Alejandro é um dos artistas mais originais, talentosos e promissores à pisarem no palco do American Idol, no entanto, o mesmo não pode ser dito ao Alejandro vocalista.

Top 3 Results

 

E, sem muitas surpresas (pelo menos pra mim), a America escolheu como finalistas:

Alejandro Andra
Laine Hardy
Madison VanDenburg

 

*** Considerações Finais ***

Sinceramente, meu povo? Eu esperava isso aí mesmo desde sempre. Meu único tombo foi não ter Jeremiah na final, já que, pra mim, ele era o candidato mais consistente da temporada. Achei uma final justa considerando os cinco artistas que estavam disponíveis. Apesar de eu amar o timbre de Laci, ela não tem uma trajetória tão diferente de Laine ou Alejandro. Quanto ao Wade, ele foi bem longe, ao meu ver, bem mais que outros candidatos mais preparados.

Dentre os três, minha favorita é a Madison e torcerei para ela, mas acho que o título é do Laine e ninguém tira. Vamos ver se somos surpreendidos, né? Por hoje é só, obrigada pela companhia e nos vemos na final!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Tatiane Silva

Sou uma Social Media e Community Manager que ama tanto o que faz, que acaba fazendo isso quase que o tempo todo. Eu moro na internet, por isso acrescento doses diárias de cultura inútil e memes que é pra eu não me entendiar. Amo realities musicais, gasto horas em grupos de discussão e sou viciada em coisas que me fazem dar boas risadas e esquecer da minha conta bancária negativada.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries