Posts Populares

Arrow – S07E03 – Crossing Lines

Quando é chegada a hora de desconhecer alguns limites.

Esse episódio basicamente tratou da ideia de passar um pouco dos limites para alcançar um objetivo maior, já que em muitas das vezes fazer tudo “como manda o script” não sai como o esperado. E o mais interessante é que isso é mostrado no episódio abrangendo todas as personagens que participam dele, cada uma com seu plot específico passa dos limites de alguma forma, até o próprio Diaz que sempre desconheceu limites resolve passar ainda mais para alcançar o que ele considera o melhor de si mesmo. Oliver é o maior destaque dessa história toda, já que desde que ele entrou na prisão, ele resolveu ser o prisioneiro mais corretinho possível para que pudesse sair logo da prisão e ir de encontro à sua família e amigos, mas as coisas não deram nada certo dessa forma e ele foi só se “transformando” até chegar ao ponto que chegamos hoje, quando ele quebrou o Sampson quase em dois naquela luta (inclusive, vibrei muito com isso) e ainda feriu real os guardas da prisão, isso tudo para que fosse levado ao nível 2, o nível mais baixo da cadeia, para que encontrasse o tal do Demônio que Brick tinha dito que era quem mantinha contato com Diaz. E em nenhum momento eu fiquei contra ele, muito pelo contrário, estou mais ao lado dele do que nunca porque finalmente ele resolveu revidar de verdade contra esses babacas que eram os vilões que ele combateu como o Arqueiro. A cena da luta dele com Sampson, logo em seguida ele voando pra cima do Brick e depois partindo pra cima dos guardas foi um HINO, amei forte! Ouso dizer que de todos aqueles ali, o Turner talvez seja o único que ainda tem salvação, a conversa dele com o Oliver colocando os dois praticamente nos mesmo patamar, foi bem digamos… interessante. Passei até a pensar se nesse mato vai ter cachorro ou se foi só uma reflexão momentânea do episódio.
Além de Oliver, tivemos Felicity que vem a cada episódio cruzando mais a linha do limite e dessa vez conseguiu o apoio da chata da Watson que se comoveu com seu discurso de ficar sem a família. Mas, como seu plano de pegar Diaz juntamente com Watson, Dinah e Rene não deu certo, ela resolveu dar uma enganada básica nas 2 e se juntar somente a Rene para que ambos conseguissem algo da Silenciadora, que faz parte do trio dos Caçadores. Por mais que Watson tenha subido só um cadinho no meu conceito, eu tive que concordar com a Felicity, porque a Dinah não ia deixá-la agir da forma como deve ser feita e a Watson não ia continuar uma fora da lei e como Rene é o que tá a apoiando no momento, vamos lá! Mas, mesmo assim, até ele agora tá meio em dúvida né? Vejamos até onde Felicity vai levar isso.

Enquanto isso, do outro lado, temos o outro casal maravilha, vulgo Lyla e Diggle que por alguns instantes tem problemas no paraíso. Diggle, com a ajuda de Curtis, descobre que Lyla tá tramando algo nas costas dele e não sabe o real motivo e isso tudo na operação deles lá na Suíça. Ele vai atrás dela e a acusa indiretamente e ela revela que, às vezes, é necessário passar um pouco dos limites porque a justiça tarda e falha muitas das vezes e que ela como diretora há tanto tempo da ARGUS entendeu isso. Ela até dá uma indireta pra ele dizendo que entende o porquê dele não ter querido ser o Arqueiro Verde, mas ela se sentiu na obrigação de fazer algo. Depois dessa leve discussão, os dois se entendem e Diggle até se desculpa por ter desconfiado dela, foi uma cena bem fofa e, inclusive, reconfortante porque por alguns minutos, eu fiquei com um certo medo da Lyla estar fazendo alguma merda, mas não, ela continua sendo fodarástica mesmo, que mulher!
Bom, como o desenrolar disso tudo, entendemos que o tal guarda que achávamos que era o vilão da cadeia, era na verdade quem mantinha a ordem no lugar e quem eu me vi desejando a volta (risos). Oliver foi levado para o tal nível 2 e só Deus sabe o que irá acontecer com ele lá, Watson foi transferida pra uma função bem inútil e bateu um papo com Felicity que me deixou com a pulga atrás da orelha de que talvez, quem sabe, elas trabalhem juntas num futuro próximo e, por fim, Diaz começou a se injetar uma mistura doida lá para, aparentemente, ficar cada vez mais forte. Estranho foi que falaram que era algo do vírus Ebola e uma outra coisa perigosa, achei meio nada a ver esse resultado “final” nele, mas ok. Eu só sei que eu não suporto mais olhar pra cara dele e não vejo a hora dele morrer de vez de uma forma bem digna da embustice dele porque olha… oh cara insuportável, SOS!

A 7ª temporada começou até boa, mas nada de uau, continua não sendo nada assim, mas sinto que ela pegou no embalo a partir desse episódio e que as coisas vão começar a ficar bem mais interessantes a partir de agora e acho de verdade que o Diaz não vai durar muito, porque ao meu ver não faz muito sentido manter um vilão tão chato em 2 temporadas e ele nem é tão incrível como outros que o Oliver já enfrentou, muito pelo contrário. E também porque li um comentário do Stephen no Twitter dizendo que muitas pessoas tem perguntado quem seria o grande vilão dessa temporada e se realmente teria, ou seja, Diaz não deve durar muito. Eu tô sem saber muito o que esperar da temporada desde o começo, espero que isso seja um bom sinal e eu só me surpreenda. E vocês, o que acharam do episódio? Esperam algo dessa temporada, quais os palpites?

gostou da matéria? deixe um comentário!

Caroline Azevedo

Seriadora de carteirinha. Shipper de plantão. Friendsmaníaca. Viciada em música. Feminista. Meu sonho é ser uma Sense8 e me dividir em várias partes para conhecer esse mundão afora, tudo ao mesmo tempo, agora.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries