Posts Populares

Arrow – S07E14 – Brothers & Sisters

Arrow tá menos uma série de ação e mais uma série dramática. Será que isso é bom?

Num resumo, sem tentar enganar e enrolar ninguém, não teve muita coisa acontecendo nesse episódio. Não vem acontecendo muita coisa importante na série no geral, na verdade. Tirando aquele lance de mostrar o futuro sem Oliver e Felicity, que nem anda fazendo muito sentido, a série tá meio parada. Mas enfim, vamos ao que aconteceu em Brothers & Sisters.

Pra não perder muito tempo falando sobre o futuro, tá todo mundo bem confuso com esse lance da Mia ser irmã do William, mas o filho adotivo do John confirma tudo. O que levanta algumas dúvidas: como é que ninguém ficou sabendo que a Felicity tava grávida? E de onde saiu esse filho adotivo do John? Porém, cada uma dessas dúvidas cria outras várias, principalmente em relação a quantidade de segredo que teria que ser guardado pra coisas assim passarem desapercebidas por todo mundo. Enfim, essa descoberta trouxe à tona a possibilidade de que a Felicity pode tá viva, no fim das contas.

No presente, o Rene tá dando umas dicas pro Oliver melhorar a relação dele com a Emiko em pleno ambiente de trabalho. E como eles já tão por lá, o Raw Dog entrega a bala da arma que matou a mãe da Emiko pra que o Oliver investigue mais, com os recursos que ele tem, pra descobrir quem é responsável pelo assassinato da mãe dela. E, enquanto isso, a Iniciativa Fantasma (agora que tem filme, não dá pra ficar falando Esquadrão Suicida toda hora, provavelmente porque o pessoal da Warner acha que pode dar confusão) tá lá treinando pra próxima missão e o John tem que contar pro Oliver, e principalmente pra Felicity, que o Diaz faz parte do grupo e que, dependendo de como as coisas forem acontecendo, ele vai ser solto. E levando em conta que ela tá tendo diversos pesadelos com ele, a reação dela não é, e nem deveria ser, das mais amistosas. Mas como é muito importante prender esse tal Dante, do qual a gente – nem ninguém – nunca tinha ouvido falar, até o Oliver entende que é o jeito de resolver o maior problema. Mas a Felicity não fica muito feliz com isso e bola um plano bastante simples com a Laurel pra finalizar o problema: explodir a bomba na cabeça do Dragão. Mas quem disse que a Laurel tá querendo matar alguém?

A missão do Esquadrão é até simples: utilizar o Diaz como contato pra chegar no Dante. Eles vão ter que ir em um evento de compra e venda de armas, entrar em contato com o intermediário do possível novo vilão pra, em seguida, atingir o alvo principal. Obviamente, não dá certo, já que hora da verdade parecia que todo mundo já sabia que eles iam ir lá e, quando confrontado, o Virgil se jogou pela janela e ainda ameaçou o Diaz. É um negócio bem estranho, na verdade, já que fica a forte certeza que o medo de morrer pela bomba na cabeça é muito menor do que morrer pelas mãos do Dante.

Enquanto isso, a Laurel percebeu que a Felicity tá grávida, o que só torna ainda mais estranha essa coisa de ninguém no futuro saber que ela tava grávida. E como a situação já tá estranha por si só, a Laurel tem que convencer a Felicity de que ela sempre vai conseguir proteger a família e que não tem necessidade de matar o Diaz. E ela disse algo que faz bastante sentido: sempre vai ter outro vilão, sempre vai ter outra pessoa querendo matar o marido dela e, consequentemente, todo mundo que ele ama. Acabar com o problema agora não impediria que ele acontecesse de novo.

No lance com a Emiko, ela, o Rene e o Oliver conseguem descobrir quem é, supostamente, o responsável pela morte da mãe dela, mas só os dois ex-vigilantes tem a possibilidade legal de ir atrás do cara; a Emiko ainda é uma vigilante e, portanto, fora da lei. Sem muita delonga, dá pra dizer que isso não dá certo, já que na hora do combate ela aparece lá. E a já não boa relação deles chega perto de ir pro saco, mas o Oliver (que tá um personagem um tanto quanto passivo nesse episódio) acaba caindo na real e indo pedir desculpas por isso.

Daí, um monte de coisa começa a acontecer. O William do futuro revela que, depois de ir morar com os avós, nunca mais teve contato com o Oliver e com a Felicity – o que é bem estranho, já que o episódio começou com o Oliver ligando pra ele e tentando contato. A A.R.G.U.S. tem uma pista do Dante, mas o pessoal do resto da organização quer a demissão da Lyla. Aí o pessoal da Iniciativa é enviado pra uma missão, acreditando que ele vai estar lá. E de fato, ele tá lá. Mas não só ele. A Felicity superou os problemas e tá lá, ajudando na parte da comunicação e tecnologias, e o Oliver/Arqueiro Verde tá lá, caso precise. E de fato, precisa, já que rola um confronto entre ele e o Dante. Mas o vilão consegue fugir.

Porém, o Diaz não consegue. Quando ele tá quase fugindo, a Felicity consegue impedir que isso aconteça e ele termina o episódio preso, dessa vez pra sempre. Mas o pra sempre sempre acaba, e esse nem dura muito. Lá na prisão, como prometido pelo Dante, o Diaz recebe um banho de combustível e um isqueiro de presente. Aparentemente até o Dragão pega fogo.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Rafael Augusto

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries