Posts Populares

Cine Panela: Democracia em Vertigem – The Edge of Democracy

….o começo e o fim de um sonho que nunca nem sequer começou….

A indicação de um produto Brasileiro veio e de onde uma certa parte dos brasileiros menos esperava, o documentário escrito, dirigido e produzido por Petra Costa que retrata as mudanças políticas no governo brasileiro após o fim da ditadura militar focando na ascensão do PT e na sua remoção do poder que veio por meio do golpe/impeachment da presidenta Dilma Rousseff e o julgamento comandando por Sérgio Moro que incriminou o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva a cadeia.

Toda essa história é abordada da perspectiva de uma menina que cresceu em uma família com pais com uma vertente progressista e avós que fundaram empreiteiras e que apoiavam a ditadura militar, algo que soa ambíguo mas mais comum do que se imagina no Brasil. Essa garotinha viu seus sonhos serem suprimidos diante da ditadura militar, mas ao crescer, a ditadura acabou e ela passa a viver o sonho democrático, a ideia de votar pelo seu presidente e em especial ela destaca a ascensão de Lula como candidato do povo, mostrando suas tentativas em eleições presidenciais de 90, 94 e 98 e até a sua vitória em 2002. Essa vitória trazia uma bandeira diferente, uma bandeira que uma mudança política viesse a ocorrer afinal pela primeira vez um partido que não fosse de centro-direita alcançava o poder.

Entretanto, de forma didática Petra nós alerta que essa vitória veio com um custo, o alinhamento de Lula e do PT com os interesses do mercado que garantiam sua governabilidade, entretanto um outro ingrediente ainda estava faltando: a maioria do congresso. Esse último ingrediente vem com o apoio do PMDB (atual MDB) e deixa evidente que jamais em um país como o Brasil alguma mudança virar sem um preço, para se garantir no poder é preciso que as ovelhas dancem com os lobos, mas SEMPRE o lobo vai engolir a ovelha no final. Todo esse jogo político é um destaque do documentário, é acaba mostrando que para o PT se manter no poder foi necessário o apoio do congresso e o início de um esquema de corrupção que envolveu a Petrobas e o descobrimento do Pré-Sal que geraria fundos para a Educação e Saúde mas que foi a ruína de tudo.

Essa ruína chega quando o dinheiro para banqueiros e avanços sociais não é mais suficiente, a crise financeira derruba o preço dos commodites e a reeleição de Dilma em 2012 para o seu segundo mandato aparentemente foi a gota d’agua de tudo isso, uma série de decisões erradas no aspecto econômico e uma não aceitação de sua vitória por parte de seus adversários começa a trazer antigos fantasmas de volta a realidade. Esses fantasmas que antes pediam autorização para entrar ao congresso, agora andam por lá com frequência e todo os flashback da época do impeachment são explorados com inteligência e dão voz a uma pessoa que foi pouco ouvida na época dos acontecimentos, Dilma Rousseff. Depois disso a figura principal volta a ser Lula, e todo seu julgamento feito pelo atual Ministro da Justiça Sérgio Moro, eu achei bem interessante o corte daquele advogado na ONU falando de como o próprio investigador vira o próprio Juiz no mesmo caso, bem pontual a forma como a justiça é feita por aqui não?

Além de mostrar os acontecimentos de uma perspectiva diferente, Petra mostra seu talento como escritora, diretora e produtora ao intercalar imagens e vídeos dos bastidores do impeachment, prisão de Lula e da eleição de Bolsonaro com muita veracidade, intensidade e realidade, as citações poéticas dão um tom melancólico e por fim aquele sonho democrático que batia forte no coração de menina no início se torna um coração triste e melancólico que se apenas se pergunta: “de onde tirar forças para caminhar entre as ruínas e começar tudo de novo?”.

Será que existe alguma chance de Democracia em Vertigem ser o primeiro produto brasileiro a ganhar um Oscar? Eu acredito que não justamente devido ao viés político da sociedade atual, mas quem sabe não é exatamente por isso que ele tem alguma chance de levar… Vamos ver o resultado logo mais. E apenas defendendo um pouco a Petra, vale relembrar que toda obra cinematográfica é composta a partir da perspectiva de alguém e que não tem qualquer obrigação de ser uma verdade absoluta, como muitos veem criticando a obra (apesar de estar corretíssima @Petra).

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

A indie/gótica do @PanelaDeSéries! Paulista, canceriano, 27 anos de dores na coluna, faço Doutorado em Biotecnologia e vivendo pelo mundo. Me chama para beber @ e vamos falar de série, falar de Imagine Dragons e Lana Del Rey, falar de signos, falar de ciência e xingar os fascistas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries