25 de julho de 2016
[ESPECIAL] Looking: The Movie

E chegamos ao fim de Looking, essa série que conquistou sua parcela de fãs, assim como não compreendedores da obra, então vamos lá falar um pouquinho da coisa linda que foi esse desfecho…

O filme inicia com a volta de Patrick a São Francisco para o casamento de pasmem Augustin com o maravilhoso do Eddie. Logo de cara temos a fotografia impecável que Looking nos proporciona, junto a uma trilha sonora também alá Looking. O taxista numa tentativa de simpatia pergunta a Patrick se ele está feliz em voltar a cidade e ele responde que é melhor responder isso em alguns dias. Acredito que como todos nós achamos melhor responder após terminar o filme, a partir dessa cena os questionamentos sobre o que viria a acontecer, agora que Patrick estava de volta, diante dos acontecimentos um tanto turbulentos do final da ultima temporada, tomam a nossa cabeça.

Logo Patrick encontra Augustin e Dom, pela primeira vez atrasado para um encontro, o que faz Dom se sentir aliviado por sentir uma certa mudança no amigo. Estaria Patrick menos certinho do que ele sempre foi ou tentou ser? Se Patrick estava menos certinho Augustin nem parece aquela mesma pessoa que demos de cara no primeiro impacto com a sério lá na primeira temporada, prestes a casar e extremamente centrado, até mesmo sóbrio. É inquestionável o bem que Eddie fez para ele. Já Dom parece continuar sendo o bom e velho Dom, sempre o mais cabeça e maduro dos três. A única certeza que me toma agora é de que eu estava morrendo de saudade desses personagens tão incrivelmente reais. Naquele mesmo dia os 3 encontram-se com seus amigos, Doris, Kyah, Brady, o namorado de Doris e ele gente, nosso amorzinho, Richie. É o primeiro encontro de Patrick e Richie depois de tanto tempo, Richie continua namorando o chato Brady e já percebemos a primeira tensão #PaChie e o desejo de saber no que vai dar tudo isso só toma conta de todos nós, com certeza!

Durante a conversa deles no bar Patrick é questionado sobre sua vida em Denver e a realidade LGBT lá. Ele diz ter uma vida sexualmente ativa o que impressiona todos, até nós. A gente conhece Patrick e sabe o quão Alice ele sempre foi, ver um Patrick mais ousado e safado, que fala sobre sua vida sexual assim é com certeza uma novidade. Então temos a primeira conversa em particular de #PaChie onde vemos aquela antiga face de Patrick de volta, sua necessidade de se explicar em tudo, que o deixa sempre tão boring, enquanto Richie continua o cara incrível que sempre foi, extremamente compreensível e sem cobrar nada.

Em seguida o telefilme começa a cumprir sua função, dar desfechos aos pontos que a série deixou em aberto. Assim descobrimos como está a mãe porra louca de Patrick, que está vivendo uma vida conturbada agora. Já do lado de Richie em sua relação como o pai, ele confirma a homofobia do mesmo, o que provavelmente vai fazê-lo viver no armário por um bom tempo para seu pai, e essa é a realidade de muitos LGBTs, até vivem fora do armário fora de casa, mas dentro tem que se por dentro da caixinha para não magoar os sentimentos dos parentes LGBTfóbicos.

Então começamos a notar os rumos que os personagens tomaram do fim da season 2 até agora, Augustin parece ter realmente consertado toda sua vida, até mesmo voltou a falar com o ex super fofo Frank, apesar do merda que ele sempre foi, seu “imã” para caras legais é uma realidade. Logo todos os amigos dele começam a tirar sarro dessa nova fase de sua vida, o que é justificável após tanta besteira que ele fez, com certeza um dos melhores momentos é quando eles dizem que Augustin se tornou o tipo de gay que ele sempre odiou e com certeza esse foi o personagem que mais mudou ao decorrer da série. Eu particularmente sempre gostei muito dele, mas essa não é uma constante para todos os fãs de Looking. E finalmente nosso amado Eddie aparece, em minha opinião ele é um dos melhores personagens que essa série já nos apresentou, acredito que todos lembrem, ele é soro positivo para o virus HIV e quebra todos os tabus impostos sobre essa comunidade, ele é o personagem mais feliz e engajado em causas sociais de Looking, está totalmente fora dos padrões de beleza e tem um amor próprio que não vemos em personagens mais padrãozinhos como Patrick. Vamos falar um pouco mais de Eddie depois, o que importa agora é que ele e Augustin vão casar e seu padrinho está na cidade. Logo somos apresentados a Jake, italiano super fofo e me pergunto qual seria a importância desse personagem para o final da história. Em seguida temos o primeiro indício, Eddie conta que está tentando fazer Jake se mudar para San Francisco e Augustin apresenta ele a Dom, logo em seguida Eddie vem com um dos momentos mais engraçados do filme quando ele expõe o interesse de Jake com Dom, o que o deixa envergonhado e Dom fingindo  não entender o que estava acontecendo ali.

01

Patrick chama Brady e Richie para a pista de dança, se mostrando cada vez mais tranquilo em relação a Richie e Brady, porém assim que ele saí Richie o observa, é nesse momento que nossos corações apertam. ao menos para quem é #TEAMRICHIE Será que ele ainda ama Patrick? E após isso, em mais uma conversa entre os dois, Richie diz a Patrick que estava feliz por ele ter ido embora, pois assim ele conseguiu seguir em frente, o deixando no passado. O momento de tensão se instaura e Brady estraga prazer aparece com uma dose de tequila, começa a tocar o hino “Peace Of Me” da nossa princesa Britney Spears, é nesse momento que Dom pergunta a Patrick sobre Richie e ele reage como se não quisesse falar sobre isso. É ao som da sucessora de Madonna que revemos nossos 3 mosqueteiros gays juntos de novo, cenas de dor e sofrimento por lembrar que Looking foi cancelada e nunca mais vamos ver esses três juntos. Ainda ao som de Britney, Patrick começa sua primeira paquera desde que voltou a São Francisco e a cena muda para ambos já transando, mas Patrick agora como ativo, coisa que ele nunca se sentiu muito a vontade em ser (QUE CENA FOI ESSA BRASEEL? EU TÔ SECA!!). Mais uma vez Patrick nos mostra o quanto mudou. Temos aqui um Patrick mais confiante, menos inseguro e certinho. Depois do sexo babado com o carinha temos a primeira menção a Kevin numa conversa de Patrick e o carinha novo (que ninguém sabe o nome), Patrick conta de um relacionamento conturbado que teve com seu antigo chefe e o menino pergunta do nada se era Kevin (Mãe Diná?). Após ser questionado por Patrick como ele adivinhou o menino diz que foi pura percepção por ele saber onde Patrick trabalhou e quem era o chefe da empresa, mas todo mundo sabe que essa gay fez cursinho de stalker antes de pegar o Patrick , logo o menino conta que fez uma entrevista lá, mas não foi aceito, que Kevin aceitou um carinha gostoso de L.A.. O filme agora gira em torno de Kevin, mesmo sem ele não ter dado as caras até agora, o que mais me intrigou nesse babado todo foi que o carinha só fez falar do ex do boy que ele estava agora, tudo isso no primeiro encontro. ALOK

Claramente estão todos seguindo em frente (estão?), obviamente essa conversa com o carinha de 22 anos sobre Kevin iria mexer com Patrick. Ele começa a se questionar se deve revê-lo, mas temos Dom para botar juízo na cabeça desse menino. Será que Patrick ainda tem sentimentos por Kevin? O filme passa a girar em torno de Dom (finalmente), ele recusou ficar com Jake, por mais que ele fizesse seu “tipo” e Doris alega que ele apenas se preocupa para o trabalho. Acredito que talvez ele não tenha superado Lynn ainda, então sem que eu nem forme opinião sobre isso Doris é mais rápida e faz logo a pergunta de 1 milhão de dólares, ela o questiona sobre Lynn e ele admite que que gostava de estar com ele, mas isso não era o que ele queria para ele agora, então o que tu quer homem? Eu sei que sou eu, sorry society! Está bem claro que Dom não quer um relacionamento, nem muito menos falar sobre isso, mas qual seria o motivo? Gente realmente é necessário um motivo? Relacionamento não é tudo, sua felicidade não depende de outra pessoa e acredito que esse seja o dialogo que Looking quer abrir aqui, essa necessidade das pessoas de estarem envolvidas emocionalmente com alguém. Isso é realmente necessário?

 Patrick recebe uma ligação de Augustin que estava surtando devido ao casamento e vai em seu encontro. Mais uma vez o filme volta a focar nesse personagem, agora com um dos melhores diálogos do filme. Obviamente Augustin iria cair nessa indecisão entre casar e continuar solteiro, ele evoluiu do personagem mais canalha da série para o mais certinho, até Patrick está mais “porra louca” que ele, e por mais que ele acredite que o amor seja algo socialmente construído seu amor por Eddie é evidente, a prova disso é quando ele diz que não quer magoa-lo como sabe que é capaz de fazer. Definitivamente Looking veio com tudo nesse filme, é exatamente sobre “Move On” que ele se trata, o conselho de Patrick para Ausgustin é válido para todos nós, e até para ele mesmo, o que importa o que a gente fez, se podemos melhorar? O que importa o que as pessoas vão pensar? E nossas atitudes presentes podem ser cagadas, mas podemos conserta-las com o passar do tempo, isso é a vida!

O filme decorre e temos o momento mais WTF, COMO ASSIM PATRICK E DOM JUNTOS? Após a conversa com Augustin, Paddy começa a insinuar que ele e Dom deveriam tentar um relacionamento, por estarem sozinhos, se conhecerem há anos e serem amigos, eu me questiono se após toda a merda que eles já passaram se eles entenderam alguma coisa hahaha. Patrick adora fazer uma boa cagada né, mas algo lá no fundo me faz shippar eles dois, comigo! Até que Dom mostra o quão ridículo aquilo estava sendo, Patrick concorda com ele será?, Paddy se justifica falando que talvez assim tudo fosse mais fácil para eles, nesse momento eu tive que concordar com ele, pelo visto não foi só eu, é depois disso que DOM BEIJA PATRICK e eu fico loucaaa, mas eles logo percebem que isso foi um ato impulsivo e insano, acredito que todos nós tenhamos rido junto com eles e posso ser bem realista? Estragar uma amizade tão linda como a deles por causa de um romancezinho não dá né!

02

Patrick acorda e conversa com alguém no celular, eu estava pedindo para não ser o que eu pensava que fosse, mas era, na cena seguinte vemos ele ao encontro de Kevin que continua bem gato inclusive. Ele conta a Patrick que voltou com John (se é que alguém lembra dele) o que deixa Patrick meio desconfortável, ele fala um pouco sobre sua vida, como tudo estava indo bem para ele e Patrick diz que quer dar a sua parte do jogo que eles criaram juntos para Kevin. É aí que vem o babado, pois Kevin quer saber o motivo disso e Patrick diz que acha que não faz sentido eles continuarem fazendo isso juntos, até que Kevin pergunta se em algum momento Patrick o amou, Patrick responde que sim ou que ao menos amou a ideia deles dois juntos e era exatamente isso que ele amava, a ideia deles juntos. Gente Patrick e Kevin não se parecem muito, eles não fazem muito sentido juntos, mas quem nunca teve um fetiche com o chefe gato, né nom?! Eu não julgo Paddy, já Kevin claramente não superou Paddy ainda, ao menos não completamente, por mais que Patrick não tenha tentado como deveria com ele, todos nós sabemos quem Kevin é, né manas? Sinceramente não tem muito como defender Kevin não, mas ele finalmente falou verdades, Patrick é um grande covarde mesmo, apenas por ele nunca se arriscar, ele sempre foge, a maior prova disso é ele ter ido morar em Denver.

E vem um dos momentos mais lindos do filme, Patrick questiona Kevin se ele realmente acha que eles teriam dado certo, ele responde que eles deveriam ter ao menos tentado e isso é pura verdade! Patrick fugiu, por mais podre que Kevin seja, ele deveria ter tentado, mas pra mim isso tem outro motivo e o nome é Richie, afinal, até onde ele foi após todo o babado no fim da season 2? Isso mesmo, raspar o cabelo com o latino mais gato de São Francisco e o que eu acabei de falar a vocês se confirma, Kevin da um tapa na nossa cara e demonstra que realmente ama Paddy, conseguindo um bom emprego para ele em São Francisco, perto dos seus amigos e ainda vai embora para não atrapalhar a vida dele. Pela primeira vez eu gostei da ideia de Patrick e Kevin juntos e aquela cena de Kevin beijando Paddy e indo embora doeu no meu coração também.

03

Agora todos se encontram no cartório para o casamento de #AugusDie, dessa vez é Eddie quem está tendo um ataque antes do casamento. Nesse momento Augustin se mostra mais uma vez maduro, encorajando o noivo a se casar (Quem era Augustin, não é irmxs!) Jake reaparece e quando Dom diz que precisa ir ao banheiro, ele diz que também precisa, seria a primeira abertura de Dom para Jake? Patrick se vê num lugar onde vários casais LGBTs se casam, basicamente o momento que ele sempre sonhou ter, entretanto numa situação bem diferente da que ele sempre sonhou. Claro que esse seria um momento propicio para ele pensar sobre Kevin, quando ele encontra a senhora que oficializará o casamento #AusgusDie e pergunta a ela sobre a durabilidade dos casamentos, e se é capaz as pessoas mudarem por outras pessoas, ela o responde com a frase “As pessoas se adaptam para as outras, isso é mais realista” e realmente é bem mais realista, ninguém muda por causa do outro, mas procuram formas de se adaptar aquela nova realidade que vive com o(a) amado(a). É ai que o rumo que o fim de Looking está levando começa a me preocupar, eu sempre fui #TeamRichie mas as circunstâncias me parecem que levam Patrick a terminar com Kevin, o filme faz você querer isso de certa forma, vamos ver o que acontece a seguir.

Augustin e Eddie estão oficialmente casados e esse é um dos melhores momentos da série para mim, Augustin começou como o maior canalha de todo o seriado, foi um péssimo namorado para Frank, até que na season 2 conhece Eddie, um “urso”, afeminado, gordo e soro positivo, Eddie é o personagem mais good vibes de Looking e tem um amor próprio que não encontramos em nenhum outro personagem da serie, tenho que dizer que essa é a melhor construção de personagem da série, nenhuma das coisas que poderiam empatar a felicidade de Eddie são grandes motivos para deixa-lo para baixo, totalmente pelo contrário, com certeza viver com HIV não deve ser fácil ainda existe um grande tabu sobre isso na sociedade, eu mesmo sinto uma trava em relação a esse assunto, é importante entender que essas pessoas são normais como qualquer outra que vive com uma doença crônica, elas merecem ser amadas e respeitadas como qualquer outra. Infelizmente Looking foi cancelada e não tivemos um aprofundamento maior sobre esse assunto, mas só dele ter sido posto na mesa já é importante para a gente pensar sobre, Augustin partiu de um cuzão para o único do grupo capaz de amar acima de tudo, amar acima do HIV, ver Eddie como Eddie e não como uma condição que ele está sujeito e Eddie por sua vez fez Augustin se tornar uma pessoa maravilhosa, por isso eu admiro tanto Augustin, ele nunca deixou esses tabus e padrões interferirem na vida dele e com quem ele se relaciona.

04

Após casamento no cartório todos se encontram na balada para comemorar, é lá que Patrick reencontra Richie e nesse momento Patrick faz um belo discurso sobre a importância do casamento para a comunidade LGBT, após o discurso Richie da um tiro no nosso coração quando ele diz a Patrick que não é porque você sente que não precisa de uma coisa, que significa que você não precisa (ou algo perto disso haha) e o Vale Dos Homossexuais vai todo ao chão, o climão entre os dois se instaura e para variar o maior estraga prazer da série Brady aparece. Eu volto a estaca zero, com quem Patrick vai ficar afinal? Só pra constar que continuo #TeamRichie tá gente

E parece que temos o final de Doris, com certeza a personagem mais adorável da série, que começou como a amiga lésbica de Dom e ao decorrer da série foi descobrindo sua bissexualidade e encontrou um amor com um homem, o que acabou tornando sua vida um perfeito clichê heterossexual, o melhor em Doris é ela tirar sarro de tudo isso o tempo todo e seu maior impasse em viver uma vida toda como heteronormativa. Aqui temos uma porta aberta para discussão do tema, o problema da heteronormatividade é apenas por ele ser imposto para todos nós como regra de como viver e quem foge a essa regra é tratado como inferior. Doris sabe muito bem disso e por isso se recusa a viver essa realidade que ela tanto condenou no passado, mas como Patrick diz “Se ela quer ter um bebê, ela deve ter um bebê” É apenas uma palavra que resolve o problema, “querer”, todos nós temos que querer e não sermos obrigados a viver assim!

05

Enquanto Patrick vive mais uma de suas bads no bar ele olha para o lado e Richie está na outra ponta do bar, perto de Brady boring também não muito feliz, quando Patrick decide ir a pista de dança onde estão seus amigos, é aí que aparece pela primeia vez Dom dando um selinho em Jake, ou seja, alguma coisa estava realmente rolando entre eles e pela cara de Doris aquele era o primeiro avanço dos dois em publico hahaha. É nesse momento que Patrick e Richie se olham e a tensão se instaura no ar, claro que meu coração quase saiu pela boca, então a festa é interrompida por um belo discurso de militância LGBT sobre conduzir os novos LGBT’s no mundo real e mostrar a eles o quão lindos e importantes eles são, realmente esse é um papel social de todo LGBT mais maduro, proteger os mais novos que estão chegando a comunidade e de certa forma guia-los no caminho fora do armário. Patrick sobe no palco para dizer suas palavras de padrinho para Augustin e Eddie, ele faz um belíssimo discurso sobre o quão bonito é encontrar alguém e fazer isso dar certo (coisa que ele sempre foi ótimo em fazer dar errado) e Richie fica claramente tocado com aquilo.

Finalmente chega o momento que eu esperava desde que Brady apareceu em Looking, a big fight Patrick VS Brady, tudo que Brady jogou na cara de Paddy é questionável, Paddy é o perfeito gay padrão e isso pode sim prejudicar o movimento LGBT, entretanto como Patrick retrucou não existe uma única forma de ser gay e esse esteriótipo deve ser quebrado, como todos os esteriótipos precisam, né gente?! Mas o “paju” saiu do âmbito político para o pessoal quando Brady joga toda a merd* no ventilador sobre Patrick voltar do nada após ter partido o coração de Richie e agora querer pegar ele de volta (Não que Paddy tenha o feito, mas todo mundo sabe a história de #PaChie né!) e o momento em que Richie fica dividido entre Patrick e Brady foram imagens de dor e sofrimento. Mas não tem como a gente julgar o menino Brady em relação a isso né pessoal! Ele ama o namorado e está tentando proteger seu relacionamento, além de saber de todo o mal que Patrick causou a Richie, sim eu continuo shippando #PaChie mas o que Brady fez precisava ter sido feito e esse é com certeza o clima mais tenso do filme que é logo quebrado pela piada da nossa maravilhosa Doris.

E partimos para uma das cenas mais lindas do filme, todos os casais da série juntinhos ao som de “Hood” do Perfume Genius e Patrick sozinho encostado na parede espelhada quando Richie aparece no reflexo do espelho, nesse momento nosso coração vai a mil! E temos finalmente o tão esperado beijo #PaChie IS FUCKING REAL! Então temos um final para Richie e Patrick? Eu realmente acredito que mudar para o Texas (apesar de ser um lugar conservador) e tentarem algo lá é uma boa opção, pelo menos finalmente eles vão tentar dar certo!

06

Mais uma vez Looking nos presenteia com uma cena final belíssima, acontece que agora é de fato  nossa ultima cena do seriado, nossos protagonistas preferidos se reúnem num bar de nome que expressa minha vida nesse momento “Orphan’s Andy” sim, eu estou órfã dessa série que amei tanto, impossível não ir as lagrimas com Paddy ao lado de Richie e olhando para Dom e Augustin, eu definitivamente vou levar um bom tempo para superar Looking, essa não foi uma série que ensinou a gente, ela abriu ao dialogo e a representatividade, uma pena ter sido tão incompreendida, o fato é que Looking não é uma série para grandes públicos, ela está ali na marginalidade do universo das séries, como a comunidade LGBT está, não é uma série com grandes reviravoltas, é uma série sobre o cotidiano de 3 amigos gays, uma realidade tão pouco tratada nas grandes mídias, ao menos não de forma tão crua como é tratado aqui, episódios que acabam do nada, afinal nossa vida é assim, ela vai fazer falta por ser a única serie que tem como tema central a vida LGBT, por mais que peque em representatividade de etnias, compensa em fotografia, diálogos e um bom roteiro, é uma serie simples mas que cativa a todos que entendem seu pretexto, é uma pena que uma serie tão bonita e importante tenha sido tão facilmente descartada, com certeza foi um enorme ponto a menos para a HBO, fiquei feliz que deram ao menos um desfecho, entretanto Looking ainda tinha muito o que mostrar e esse telefilme apesar de ter encerrado muito bem a série me deixou com um gostinho de quero mais enorme.

08

Assim a gente pode concluir que talvez eu e vocês estamos tão perdidos quanto esses personagens, todos tentando arrumar a bagunça que nos deixaram, a bagunça de nossas vidas, mas continuamos vivendo dia após o outro!

And they’re still looking.

Andy
Andy

18 anos, pernambucano, sagitariano com asc e vênus em aquario, lua em câncer! Gente signo é importantee, sou muito loka dos signos sim e apaixonada por cultura pop, além de claro, problematizadora, não pode faltar. Bjxxx de luxx
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: