Posts Populares

Grey’s Anatomy – S15E13 – I Walk The Line

Nunca pensem que se livraram da pessoa que vocês odiavam no ensino médio, ela pode se tornar sua paciente um dia.


A série nos trouxe novamente um ponto muito relevante e que deve ser motivo de pauta em discussões: o porte de arma. Neste episódio, acompanhamos o caso de um menino que foi baleado enquanto fazia uma apresentação musical junto com seu grupo, incluindo seu pai. De fato essa é uma discussão muito presente nos Estados Unidos. Mas, nos últimos tempos, devido a mudanças na política, tem sido um motivo de discussão no nosso país também e deve continuar sendo um assunto discutido. E eu queria muito que todos pudessem assistir um episódio como esse de Grey’s Anatomy, viu? E não é por clubismo ou fanatismo não… é pra levar o tapa na cara que essa série sempre dá na gente com tanta sensatez.

E não foi a primeira vez que a série abordou este tema. Em episódios anteriores, não lembro qual, a série mostrou o caso de um menino, negro, que foi baleado ao ser vítima de racismo tentando entrar na sua própria casa. Mesmo racismo não sendo presente no caso em questão, neste episódio, a série continua se mostrando a fim de discutir assuntos pertinentes como esse e só prova o quanto ela é importante nos dias atuais e está longe de ser apenas um romance médico.

Além disso, Maggie enfrentou um dilema difícil. Ela lidou com uma paciente bastante marcante na vida dela, uma colega da faculdade de medicina que sempre a esnobou, fez bulliyng e a criticou. Haja paciência, né? Tem que ter muito sangue frio e profissionalismo pra não desistir do caso e deixar a pessoa lá na mão. Já pensou, você ser responsável pela vida de uma pessoa que você odeia? Eu não acho que teria emocional pra isso. Tanto que Maggie cogitou não tratá-la, mas decidiu por fazer o que era certo e tudo deu certo no final. Aliás, que mulher, né?

Também acompanhamos o caso de uma senhora super simpática e aparentemente bem feliz com a vida e adepta ao poliamor, pelo menos era o que nós, Teddy e Tom achávamos. A paciente Lucy, acompanhada de seu marido e de seu melhor amigo nos proporcionou um momento super descontraído ao fazer a gente pensar que ela namorava os dois, mas na verdade não era nada do que pensávamos. Confesso que achei super tendência e apoiava muito. HAHA

Mas a bomba do episódio ficou por conta da aparição dos pais de Betty, ou melhor, Britney. Foi um choque tanto pra Amelia quanto pro Owen, que agora deverá lutar pela guarda de Leo porque os avós irão recorrer para ficar com o garoto. E, olha, que raiva que me deu do Owen. Como sempre ele jogando a culpa de tudo que acontece de ”ruim” com ele nas namoradas que ele tem. Muito sem noção ele culpar Amelia pelos avós decidirem cuidar do Leo só porque ela abriu o jogo com eles a respeito de ser uma ex dependente de drogas, ela só estava tentar ajudar Betty e também tentando ganhar a confiança dos pais dela. Eles iriam querer a guarda da criança a qualquer custo, foi super desnecessário. Mas o que esperar de bom da renca de macho escroto que tem nessa série, né? Nenhuma surpresa.

No fim, tudo correu bem pros pacientes e dessa vez não choramos assistindo Grey’s Anatomy. Mas se vai ficar tudo bem pros nossos médicos do Grey-Sloan, ainda eu já não sei. Resta esperar o que vai dar nesse rolo todo com o Leo, e também como vai ser esse relacionamento da Meredith com o DeLucca, que ficou de canto nesse episódio. Por fim, espero que tenham gostado da review e até a próxima!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Erik Lacerda

Paulista, 17 anos, não bebo mas rola um cantinho do vale de vez em quando (ou é cantina? não sei). Amo comentar sobre tudo o que assisto porém nenhum amigo meu tem paciência pra me ouvir falando besteira sobre GOT, Grey's e How I met Your mother, por isso estou aqui.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries