Posts Populares

Grey’s Anatomy – S15E16 – Blood and Water

”The light in the blood”

O episódio começa com Meredith tendo um sonho com sua mãe, Ellis. Nesse sonho, Mer ”recebe” de sua mãe uma mensagem, que a leva a uma nova pesquisa no hospital sem muitos detalhes. Enquanto isso, Nico e Levi têm uma D.R pois Levi supostamente não quer apresentar o namorado pra sua mãe, e Maggie é entrevistada no hospital por uma rádio que a questiona sobre como é ser uma cirurgiã prodígio. Não podemos esquecer também que, no episódio anterior, tivemos a bomba de que o pai do DeLucca estava em Seattle, então já viu, né? É dedo no c@ e gritaria.

Primeiramente, o relacionamento de Meredith e DeLucca até então está indo muito bem. E cheguei a pensar que a chegada do pai seria o começo pro término do casal, mas no decorrer do episódio descobrimos que ele estava em Seattle com o intuito de ter sua pesquisa médica financiada pelo Grey-Sloan. E, diga-se de passagem, é uma pesquisa e tanto e eu mesmo ficaria chocado se ouvisse aquilo de alguém. Já pensou fazer uma gestação FORA DA BARRIGA DE UMA MULHER? Isso é insano, como o próprio chegou a comentar, é a chance de diminuir o máximo de mortes prematuras possíveis. Porém, apesar de incrível, a pesquisa está nas mãos de um médico não muito confiável, que já fez besteira outras vezes e pode fazer de novo, e isso pode render muita treta na série.

Além disso, Owen e Amelia decidem, ou tentaram decidir, como ficaria o compartilhamento da guarda do pequeno Leo. No fim, Amelia decide abrir mão da guarda do menino porque, novamente, o Owen FEZ MERDA DE NOVO! Não é possível que esse cara não tem o mínimo de senso. Falar pra uma mulher que teve que segurar o filho morto nos braços e que já sofreu demais que ela não sabe amar nem ser amada é o CÚMULO. Falta senso nesse homem, falta coragem, falta tudo. Ele não mede as palavras e a magoa de uma forma que, olha, até eu sinto daqui assistindo. Um homem birrento, chato que não sabe lidar com nada a não ser o próprio umbigo dele. Vocês me desculpem, caso gostem dele, mas eu não poderia deixar de mostrar minha indignação e minha raiva. Pra mim, Owen ta fazendo hora extra na série, Teddy já conseguiu um boy novo e agora Amelia precisa de alguém, ou nem isso, só largando de vez desse cara ta ÓTIMO. Ninguém merece isso não.

Deixando de lado o momento hate, assim como Grey’s faz a gente passar raiva como ninguém, também consegue nos deixar de coração beem quentinho. O caso do senhor que cuspiu uma parte do pulmão foi incrível. Levi tendo a oportunidade de se enxergar no paciente, vê-lo com uma família formada junto com seu marido e sua filha, foi muito legal e emocionante. Dava pra ver pelo olhar do personagem que ele queria aquilo pra ele também, e no fim quando ele se declara pro Nico foi a coisa mais fofa. Os dois merecem ser felizes e a série tá de parabéns por mais um casal bem desenvolvido na série.

Por fim, rolou o maior climão entre Maggie e Richard. Durante a entrevista no podcast de uma rádio, Maggie soltou a fofoca e todos da comunidade da médica agora sabem que tanto Ellis quanto Richard tiveram um caso. Claro que Richard ficou puto, né? Mas Maggie rainha pisou e foi sensata. Ela pode ter errado, sim, mas de qualquer forma é a vida dela e ela tem o direito de compartilhar, mesmo que sem querer HAHAHA. No fim tudo ficou bem pros dois, e acho linda a relação que ambos vem construindo. Não é como se ela fosse obrigada a considerá-lo pai logo de cara, ou ele forçando uma relação que não existe. Os dois estão construindo uma relação fraternal mútua e singela, aos poucos, e eu particularmente gosto cada vez mais da Maggie (com certeza muita gente vai me julgar).

Bom, episódio bem morno mas bem gostosinho de assistir. Adorei os casos médicos e, novamente, a série trouxe um assunto bem importante. Talvez tenha passado despercebido pra alguns, mas neste episódio pudemos ver que não importa sua relação sanguínea com a pessoa, isso vai mudar absolutamente nada o que você sente por ela. Achei lindo como Ella não se preocupava em saber quem era seu pai biológico, porque de fato não importa. Os dois a amam, os dois a criaram e ambos são seus pais. Mais uma vez a série mostra sua importância e prova porque é tão incrível.

No mais, obrigado por ler a review e até a próxima!

 

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Erik Lacerda

Paulista, 17 anos, não bebo mas rola um cantinho do vale de vez em quando (ou é cantina? não sei). Amo comentar sobre tudo o que assisto porém nenhum amigo meu tem paciência pra me ouvir falando besteira sobre GOT, Grey's e How I met Your mother, por isso estou aqui.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries