Posts Populares

Grey’s Anatomy – S17E04 – You’ll Never Walk Alone

007

Como a série está usando o COVID mais como plano de fundo do que assunto principal, o foco está mais em como os personagens que conhecemos estão lidando com isso do que pessoas que contaminaram o vírus e seus familiares como foi em The Good Doctor. O relacionamento da Maggie continua tendo bastante destaque e apesar de ser um dos únicos que gosta da personagem, eu sempre pulo essas cenas do episódio, pois não há relevância alguma até agora, conhecemos o cara em um episódio na temporada passada e ele está tendo mais destaque do que muitos estão lá desde o inicio, mas fico feliz em ver a Maggie em um relacionamento saudável.

Falando em relacionamento saudáveis, não sei se propositalmente, mas a série tem mostrado dois relacionamentos que passam longe desse status. Jo e Jackson nunca deveriam ter existido, os roteiristas devem ter cheirado muito pó quando tiveram essa ideia, usam a desculpa de que a Jo e jackson são amigos e por isso ele ajuda ela, quando se eu não me engano, nunca houve um desenvolvimento dessa amizade, fica bem claro que eles não sabiam onde por Jackson e inventaram essa história. Infelizmente quem vive o relacionamento mais abusivo da série até então é o meu fan favorite Levi, não sei se os roteiristas estão querendo mostrar como começa um relacionamento abusivo ou se só estão sendo irresponsáveis, mas episódio após episódio mostra o quão tóxico é o Nico, ele já deixou claro que não é o tipo de cara que o Levi busca, mas sempre que precisa de sexo vai atrás dele, não o deixando seguir em frente e aos poucos o Glasses vai começar a ignorar tudo que ele espera de um relacionamento para manter o Nico, depois irá aceitar mudar quem ele é para se tornar uma versão que agrade mais seu namorado e quando ele perceber já terá perdido completamente sua essência. Caso você tenha se identificado com qualquer um desses sinais saiba que você sim vale a pena e que não deve se diminuir para encaixar no mundo de alguém.

Agora se há um casal que serve como meta para mim é Amelia e Link, ambos se tornaram pais muito cedo no relacionamento, então estão começando a saber como o outro funciona agora e apesar de gostar muito das cenas mais leves entre o casal, essas também são necessárias, pois é a diferença entre eles que os completam. Enquanto a Amelia tem a necessidade de expor para o mundo o que está sentindo para não surtar, o Link é mais introspectivo e está tudo bem, em um relacionamento não é necessário se pensar igual, mais sim entender e respeitar a necessidade do outro e apenas estar ali, seja o ouvindo reclamar ou ouvindo apenas tocar violão.

A série havia avisado que outra pessoa iria retornar, mas ninguém sabia quem era e parabéns para produção que conseguiu não deixar escapar spoiler algum, pela primeira vez eu vi ao vivo de tamanha curiosidade, fazia tempos que Grey’s não me animava dessa maneira, a maioria dos fãs apostava em Lexie, George ou Ellis. Grey’s Anatomy já teve diversas mortes de personagens marcantes, mas caso você não lembre, a primeira foi a do George O’Malley. Eu passei a cobrir a série apenas na temporada passada e o próprio site passou a cobrir a partir da 11, então nenhum de nós que faz as reviews tivemos a chance de comentar sobre esse personagem tão marcante, o George era a leveza do grupo, enquanto a Meredith era a problemática, a Yang a competitiva, a Izzie a apaixonada e o Alex o problemático, o 007 era o mais atrapalhado e ao mesmo tempo o mais leve de se acompanhar.

Ao longo das 5 temporadas pudemos ver ele reprovar como residente, não desistir, recomeçar de novo, conseguir da segunda vez, tomar a escolha de ir para o exercito e dar a sua vida para a que de uma estranha fosse salva, assim como a Meredith pontuou, essa atitude mudou muita gente, ensinou a muitos a serem mais altruístas, George O’Malley marcou nossas vidas. Toda a conversa entre a Meredith e o George foi linda, vê-los relembrando o passado, rindo do que viveram juntos, o George dizendo que sempre ficou de olho neles, foi tudo muito emocionante, a série acertou em cheio ao trazer de volta seus personagens e espero que essa seja de fato a última temporada, para que ela encerre com chave de ouro.

É um ótimo dia para se salvar vidas:

  • Diferente de grande parte dos fãs, eu gosto bastante do Koracick, pois amo qualquer um que o Owen odeie e inicialmente não havia entendido para aonde a história de ele estar infectado iria, mas olhando o final desse episódio e a promo do próximo ele será o mais novo médico a correr risco de vida e ter seus colegas de trabalho dando o máximo para ajudá-lo.
  • Eu sempre fico feliz com qualquer interação entre a Jo e o Levi, espero que ela seja a pessoa que o ajude a perceber o tipo de relacionamento que ele está, já que ela passou por um ainda pior.
  • Amelia deveria ser a inspiração do Levi, saiu de um relacionamento horrível com o embuste do Owen e agora está vivendo um saudável com o maravilhoso do Link.
  • Todo o plot do Owen nesse episódio foi muito importante e mostra com clareza o quanto a “igualdade” não se encaixa em um mundo tão desigual igual a esse, foi educativo, mas achei um pouco jogado no episódio.
  • Queria muito que os roteiristas dessem um jeito de fazer a Bailey alucinar com o George, ela era mais próxima dele do que qualquer um, tenho certeza que seria um momento muito emocionante.
  • Sei que essa narrativa da Meredith vai enjoar, mas eu só queria que trouxessem a Lexie de volta, não há personagem que eu tenha amado mais nessa série, seria um momento muito especial, pois foi ela que fez a Meredith entender que nem todos de sua família irão abandoná-la.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Ives

Um carioca estudante de engenharia querendo se formar, viciado em realitys shows ao redor do mundo e que ama uma praia

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries