03 de setembro de 2016
Justiça – S01E07 – Capítulo 07

Aonde será que Justiça quer nos levar?

Esse foi meu questionamento durante todo o episódio dessa última quinta (31/08). Eu mesma, Andy Mello, estou de volta juntamente com a miga paneleira Clarice para comentar com vocês sobre o rumo da história de Rose, que após ser vítima de racismo foi presa e pagou uma pena de 7 anos, a mesma de todos os protagonistas, mesmo aquele que assassinou a namorada a tiros e friamente.

Como sabemos o enredo de Rose acabou com ela propondo a sua amiga Débora, que foi dolorosamente estuprada pelo pintor tarado e por isso ficou praticamente estéril, que elas juntas fossem atrás de justiça (ou Revenge? Beijo Emily Thorne!) e claramente Débora topando. Obviamente o episódio de hoje deveria trazer as consequências dessa decisão para a vida das duas e quanto a isso ele foi excelente, então como eu adoro fazer vamos destrinchar o episódio e depois a gente faz umas problematizações, ou até mesmo no meio porque eu sou nervosa!

Inicialmente vemos Débora ainda deitada, demonstrando claramente que está exausta e sem vontade de levantar pois tem uma interrogação gigante na cabeça. Ela conta a Marcelo que Rose diz que dá pra encontrar o estuprador, mas ele sendo machista e idiota já afirma que Rose é ex presidiária e não deve saber de muita coisa. Ela afirma que quer justiça, Marcelo afirma que tem vontade de matar o cara mas a vontade de ficar com ela é maior. E ainda num grande momento de insensibilidade diz que acredita ainda que ela irá engravidar, caso contrário adotam um bebê. Melhore, migo. Débora ainda diz que sabe que o marido está certo, mas que as vezes o “certo” não resolve nada.

Captura de tela 2016-09-02 23.55.43

Rose decide ir até o túmulo da sua mãe no cemitério da Várzea, na verdade nem túmulo nossa querida Zelita teve o direito de ter, foi um caixote mesmo. Eu amei como Justiça apontou esse aspecto que representa tanta desigualdade social que temos nesse país, Zelita é mais uma de milhares de negros que não tem condições  de ter um túmulo como o de outras pessoas. É aí que vemos aquela Rose doce e delicada novamente, ela que parecia tão rígida desde que saiu da prisão, agora chora copiosamente dentro do cemitério, numa das cenas mais tristes que já vi na série, nem conseguir rezar a Ave Maria ela consegue, cai na frente do túmulo dizendo “Mainha, eu tenho tanta vergonha” e pensem comigo manes, se para uma presidiária que cometeu de fato um crime já é humilhante a reintegração na sociedade, imagine para uma que não o cometeu e ainda foi vítima de racismo, qualquer negro sabe o quanto os padrões de beleza europeus os empurram para baixo, fazendo muitos não se sentirem bonitos e não terem orgulho de quem são, imagina para uma mulher negra e agora ex presidiária. Aah, com a morte de Zelita o número de negros reduz para, é… Rose! É incrível como a hipocrisia sempre come no centro dentro da rede globo, mesmo numa crítica tão bem construída como foi a abordada com a história de Rose ainda falta representatividade, de que adianta criticarmos o racismo e em um elenco só ter uma atriz negra? A crítica não é diminuída por isso, mas falta mais credibilidade na obra por completo, entendem ?!

Captura de tela 2016-09-02 23.36.07

O episódio segue com Rose e Débora indo a praia. Rose toda radiante entrando no mar, tomando sol com a amiga, até que recebem côco de presente do Celso. Rose decide procurar Celso outro dia, seguem reto na hora de ir embora mas ele as para no meio do caminho e oferece um emprego a ela, que toda arredia questiona se ele está brincando com ela ou não. Celso diz que ela é mulher de atitude, agradece que ela não o entregou a polícia. Rose diz que não quer se envolver com drogas, e se ele ainda fizer esse serviço, não quer o emprego e é aí que ele mente pois diz que no cardápio dele agora só tem coisa legalizada. kkkkkk A gente finge que acredita! 🙂

Ele desafia Rose sobre fazer ou não boas caipirinhas, ela entra no balcão pra provar o quanto é boa e se choca ao ver a foto do anúncio de sua prisão guardada até hoje dentro do quiosque. Se olha no espelho, se frustra por algum motivo e decide ir embora. Ninguém entendeu nada. Débora chama um taxi pra levá-las embora e Rose despista, dizendo que precisa assinar uns papeis da liberação do presídio e manda a amiga ir embora pra casa, mesmo quando ela insiste em fazer companhia a Rose.

Captura de tela 2016-09-02 23.50.16

E é aí que veio a parte intrigante de Rose. Ela vai até um beco que mais se parece uma crackolandia , pega uma foto de um casal e chega um cara fumando crack chamado Rômulo. A cena já segue de volta para o presídio, onde ela conversa com uma moça que ainda tem mais 12 anos de pena e um bebê no colo, a Jéssica. Logo notamos que o cara em questão é o pai e a criança só pode ficar com a mãe no presídio até completar 6 meses, depois disso tem que ir pra alguém da família, ou senão acaba em algum orfanato. Que barra! 🙁 Rose como forma de agradecimento por algo que ocorreu no presídio no passado se oferece pra ajudar a amiga Eunice, e acaba pegando a criança pra levá-la até a tia Domênica na praia. O mais tenso disso tudo é que ela resolve colocar cocaína na fralda da pequena pra que a irmã venda e use esse dinheiro pra não faltar nada pra sobrinha. Rose fica receosa, mas Eunice afirma que o pessoal da revista tá no esquema.

Captura de tela 2016-09-03 00.31.52

Pausa para os comerciais! Vamos admirar esse patrimônio de Recife: o Cinema São Luiz que está aí às margens do Rio Capibaribe desde 1952! #PaneleirosTambémSãoCultura hahaha

Captura de tela 2016-09-03 00.47.29

Débora e Marcelo saem pra jantar com um casal de amigos, porém Débora não interage em momento algum, apenas os 3 conversam entre si. Ela segue pensativa e questiona o amigo Guilherme sobre o que ele faria se sua esposa Angela fosse estuprada. O clima da mesa pesa, os amigos não entendem o questionamento, Débora segue firme e refaz a pergunta querendo saber o que ele faria se um cara batesse em sua mulher, a estuprasse e a polícia nunca encontrasse o cara. Guilherme então responde que bateria no cara, deixando a esposa agradecida por ver seu marido a defendendo e ainda o chama de “meu herói”. Débora então conta aos amigos que foi estuprada há 1 ano e que Marcelo quer que ela esqueça a história. Ela conta que a polícia nunca encontrou o cara mas que ela tem uma amiga que pode ajudá-la a encontrar o cara. Marcelo segue sendo idiota e afirma aos amigos que é contra mesmo.

Captura de tela 2016-09-03 01.02.07

Rose decide esconder Jéssica para que ninguém a veja quando chegar ao apartamento. Débora e Marcelo estão na sala assistindo TV depois desse belíssimo jantar que tiveram. Rose diz que vai deitar e acaba passando despercebida por eles. Ao chegar no quarto, a criança começa a chorar por estar com fome e Rose liga o rádio pra abafar o choro do bebê.

Quando Débora vai se deitar, puxa assuntos com Marcelo que está monossilábico. Eles tem a maior DR, pois Marcelo acusa Débora de usar os amigos pra mostrar o quanto a ideia de “esquecer o estupro” é idiota, mas ela afirma que quer se vingar, pois é humana. Marcelo solta a frase mais absurda que já falou desde o começo da série e fiquei absurdamente enojada.

Tragédias acontecem. (Marcelo, o machista)

Eu no lugar de Débora teria ido embora, o deixado ali com seu machismo idiota… mas ela segue ali ainda e só responde um “tá bom” super irônico. Ele ainda conta sobre a morte do seu irmão, deixando claro que nunca contou a ela o verdadeiro motivo, disse que aos 7 anos eles sempre brincavam escondido com a arma que era do seu pai, e que um dia a arma estava carregada e ele disparou 2 tiros contra o irmão. Marcelo conta que veio superar essa história recentemente, diz que felicidade é uma escolha e que ninguém tem o direito de tirá-la de ninguém. Em meio as lágrimas, eles se abraçam e ficam bem.

Jéssica começa a chorar enquanto Rose trocava sua fralda, despertando Débora e Marcelo que vão ver o que está acontecendo. Débora pergunta se é filha de Rose, ela nega e explica que é filha de uma amiga que salvou sua vida lá no presídio, conta que a criança ficará apenas essa noite lá pois Rose irá entregá-la pra sua tia no dia seguinte, já que seu pai é crackeiro. Marcelo segue sendo um babada e não gosta da ideia fazendo cara feia pra tudo que Rose diz. hahahaha

Captura de tela 2016-09-03 01.24.08

No dia seguinte, Rose e Débora levam Jessica até Domênica na praia, deu pra notar que é próximo a barrada do Celso. Rose com seu lado protetora já percebe que a tia não tem condições de cuidar da sobrinha, mas Débora segue com seu lado mais racional e afirma que Domênica é a tia e que Rose não tem o que fazer nesse caso. A tia toda chapada pede pelo “bebê premiado” e pergunta pelas “paradas” que seria a cocaína escondida na fralda.

Na sequência mostram a cena que foi exibida no capítulo de 2ª feira, quando Rose e Débora vão até a faculdade. Mostram as meninas entre Theo e Vanessa lá na cantina e ainda comentam como homem demora mais pra amadurecer do que as mulheres. Só ouvi verdades! hahaha Rose conta sobre o lual para o reitor da faculdade, comenta que foi presa e que por isso não pode fazer a matrícula da faculdade. Ela ainda comenta que se os policiais passassem meia hora antes, ela ainda teria 17 anos e só ficaria uns meses no reformatório, mas como ela foi detida após a meia noite, já tinha 18 anos e acabou sendo presa e condenada como traficante. Débora ainda cita novamente o racismo dos policiais que estavam junto a Douglas, que mandaram todos os brancos do lual embora e deixaram apenas os negros para a revista. Infelizmente, Heitor não tem o que fazer pra dar a vaga de volta a Rose, mas diz que ela tem potencial. Rose fica frustrada pois não estuda há 7 anos e diz que essa coisa de ficar presa e sair direto pra faculdade é coisa de cinema.

As garotas estão descendo as escadas, indo embora da faculdade quando ocorre o linchamento de Theo após a tentativa de suicídio de Vanessa. Theo sobe as escadas as pressas, a polícia logo chega pra evitar maior confusão e é aí que vemos o “reencontro” de Rose e Douglas. Ela claramente o reconhece e foge com medo de ele a reconhecer.

Captura de tela 2016-09-03 01.45.23

Quando chegam em casa, Marcelo está no computador putinho porque Débora chegou atrasada para o jantar e ela segue no modo falante pois ainda estar surpresa pela coincidência de 7 anos depois Rose ficar cara a cara com o policial que a prendeu. Marcelo segue dando gelo na esposa afirmando que é a profissão dele, Débora então conta que elas ficaram 2 horas presas numa sala de aula até a confusão acabar e pede que o marido não fique chateado pois não tiveram culpa. Ela ainda pede que ele se coloque no lugar de Rose e é aí que Marcelo explode dizendo que se ele se colocasse no lugar de Rose jamais iria perdoar Débora por não ter voltado pra ajudar a amiga no lual. Ainda joga o veneno de que talvez a Rose nem queira ajudar nesse lance de procurar o estuprador, deixando no ar que Rose quer se vingar de Débora. Lógico que Rose se defende e diz que Débora é sua irmã, que ela não poderia voltar porque também tinha droga e acabaria presa como ela, chama Marcelo de covarde pois qualquer marido no lugar dele iria querer se vingar. Vrá! hahaha

Captura de tela 2016-09-03 01.55.57

Rose acaba indo ao quisque de Celso, diz que topa trabalhar com ele, deixando-o feliz. Eles acabam se beijando, Kellen fica ligando e ele diz que ela é apenas sua sócia e não sua mulher, e então eles seguem para o quiosque e super se pegam ali dentro! Pode shippar? hahaha

No dia seguinte, Marcelo ao acordar nota que Débora não está ali. Vai até o quarto de Rose que está com a porta entreaberta e encontra sua mulher dormindo na beliche. Ninguém mandou fazer o idiota, né migo! hahaha Como ele já percebeu que a situação tá tensa pro lado dele, resolve chamar a mãe de Débora para que ela converse com a filha e a faça esquecer da ideia de procurar o estuprador. Débora cede e promete pra mãe que vai esquecer essa história.

Feliz por saber que Débora desistiu de tudo, Marcelo a leva para um passeio surpresa e acaba na creche onde eles se conheceram e diz que é a hora para que eles adotem uma criança.

Rose começa a trabalhar pra Celso, que desconversa ao ser questionada sobre a foto que ele guardava dela. Ela afirma que a foto está muito antiga e que depois tira outra. Achei fofo. hahahaha Kellen chega pra falar com Celso e observa que tem garota nova no quiosque. Celso diz que é uma amiga dele, deixando Kellen curiosa pra saber mais sobre ela, mas pra marcar território tasca o maior beijão no bofe.

A cena mais engraçada do episódio vem agora! Kellen segue observando Rose trabalhando e a chama pra conversar. A loira pergunta se Rose sabe quem é ela, que responde que ela é a sócia de Celso, porém Kellen a corrige dizendo que ela é sócia nos negócios e na cama, que estão juntos a mais de 1 ano e que Celso não vive sem ela. Rose se mostra super forte e madura e na maior ironia diz que o recado está dado e se ela quer dizer mais alguma coisa. Kellen, ainda intrigada, pergunta onde ela estava esse tempo todo e Rose diz que estava presa pois matou uma pessoa.

Kellen ainda ironiza dizendo que ela é perigosa, mas baixa a guarda, pergunta o nome de Rose e finalmente se apresenta. Mas fica bem claro que Kellen ainda está intrigada com Rose. Medo de perder Celso, talvez? hahaha

Captura de tela 2016-09-03 02.14.39

Celso volta para o quiosque a noite levando flores e bombons, Rose o esperava ali dentro e ele pede desculpas por Kellen. Ela diz que tem mais o que fazer do que se preocupar com Kellen… e eles se pegam novamente. hahahaha

Captura de tela 2016-09-03 02.23.45

No dia seguinte, Rose e Débora tomam café da manhã, Marcelo já saiu pra trabalhar… Débora lendo o jornal se surpreende ao ver uma reportagem sobre um estupro que aconteceu no mesmo beco onde ela foi estuprada 1 ano antes. Rose pergunta se Débora acha que é o mesmo cara, ela não responde, mas nem precisa…

As garotas seguem até o hospital e Débora entra pra conversar com a garota, fazendo perguntas sobre o porte físico do cara que a estuprou pra saber se é o mesmo ou não. O mais angustiante foi quando ela perguntou se o cara pedia que ela mostrasse que estava gostando. Meu coração se partiu em vários pedacinhos nessa hora! 🙁 🙁

Captura de tela 2016-09-03 02.30.39

De lá, elas seguem ao quiosque de Celso onde um cara está fazendo o retrato falado do estuprador. Débora me emocionou diversas vezes, quando foi perguntado sobre os lábios do estuprador ela disse que eram “horríveis” e pude sentir a agonia dela.

Captura de tela 2016-09-03 02.31.29

Enfim, com o retrato em mãos o episódio segue para um cara que estava lavando vidros de um prédio e pudemos ver que é o estuprador em questão (que 7 anos atrás era o pintor da casa de Elisa). Ele segue fazendo seu trabalho porém se distrai quando uma moça no prédio ao lado está nua. Fiquei completamente enojada com a cara de tarado que ele fazia ao olhar pra moça.

Captura de tela 2016-09-03 02.34.48

E com o estômago embrulhado por causa dessa cena final eu me despeço! Achei esse episódio inferior ao primeiro episódio de Rose, porém cenas bem emocionantes aconteceram aqui.

Semana que vem tem mais! E tem também o retorno de Andy! hahahah

Clarice Calil
Clarice Calil

Engenheira de Computação, apaixonada por The Voice, tanto é que virou legender e dona do Grupo Sub Voice! No Panela de Séries comentará sobre o The Voice e fará as coberturas das premiações. E também cuidará da administração do site, afinal backstage é com ela mesma.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: