23 de fevereiro de 2016
LOVE – S01E06 – Andy

Participações especiais!

Em uma sequência de ótimos episódios, LOVE mais uma vez brilha e nos presenteia com consistência e boa entrega. Adorei ver que a série ganhou um corpo e forma a essa altura, e se aqui você ainda não ficou fisgado e ligado na série, então ela não deve fazer seu estilo. Eu estou curtindo muito, e apesar de dois fracos episódios, a boa sequência estabelecida está cumprindo seu papel de comédia com aquela dose de romance – e ainda bem que não é romance agua com açúcar, é um romance bem dorky, como a gente ama.

E pra começar, Welcome back confident Gus. Adorei quando ouvi essas palavras sendo direcionada ao protagonista, pois já deixei bem claro muitas vezes que essa faceta do personagem é muito mais interessante para mim do que aquele inseguro e que pensa demais. E não sou só eu quem gosta desse Gus mais espontâneo – as mulheres da série também parece reparar, e alguns flertes aqui e ali sempre fazem bem para a auto estima do protagonista, que também parece mais bem sucedido com seus alunos. O bom humor do personagem é refrescante para a série, ele agora está exalando paixão e distribuindo sorrisos após ser finalmente correspondido por Mickey. E pulando pro Amei la do final do episódio: a dancinha do Gus no carro. SOCORRO!

Love 6.1

Mickey por outro lado, enfrenta problemas com seu chefe após o seu caso mal resolvido para manter seu emprego. Vejo que cada vez estamos mergulhando mais nessa personagem, que a cada episódio parece abrir uma camada de seus problemas e revelar seus anseios e frustrações. Novamente, aqui prefiro essa versão mais balanceada – e humana – de Mickey, que quando confrontada com a realidade nos presenteia com ótimas cenas de drama , sempre com uma dose de comédia. A cena dela ao telefone com o chefe foi forte, mas de certa forma foi uma comédia muito sutil, tendo ela projetando seus problemas como se fosse uma ligação falsa, plantada para dar audiência, quando na verdade ela estava destilando seu passado e suas decisões.

E brincando com a própria história, LOVE mais uma vez traz a questão das mensagens de texto e a espera pela resposta, e novamente personagens ficando chapados e dando um show de comédia. Andy faz sua bela contribuição para a série promovendo ecstasy orgânico para nossa protagonista, e momentos muito divertidos. As cenas deles no metrô foram muito divertidas, passando por diversos estágios de estar chapado – dançar, falar com estranhos, dormir, fazer coisas idiotas, mandar mensagens, e finalmente bater um papo cabeça sobre a vida pessoal. Muitas palmas para Mickey pedindo para resetar o app, em uma analogia sua vida amorosa – finalmente confessando que se sente inferior a Gus por seu passado torto.

LOVE-6.2

Enquanto isso, Gus preso no trabalho e ajudando Heidi a prosperar na carreira também foi muito bom, uma trama que veio em boa hora. Incrível quão mais interessante Gus se torna com o simples gesto, e hilário a cena dele aconselhando a aspirante a grande atriz – e grávida – a ganhar mais espaço no show. Fiquei realmente muito feliz com as coisas entrando no seu eixo, mas espero não ser surpreendido nos próximos episódios por essa combinação de Gus + atriz aleatória.

Mas LOVE acerta seu rumo e a historia de amor já esta bem desenhada nessa altura. A química entre o casal ainda é o ponto de destaque da série, e a ligação entre eles nos faz torcer para que fiquem juntos. Curioso que os dois até agora tiveram muito pouco tempo de tela juntos, foram muito poucas cenas onde os protagonistas interagem fisicamente. Mas com o show de mensagens trocadas por eles, nem precisamos de muito mais, né? E aquele telefonema no final serviu para aquecer nossos corações.

Amei: o primo de Andy. O primo que Andy gosta de beijar. Nas partes privadas. Andy Dick , interpretando… Andy. Ótima participação especial, espero que retorne na segunda temporada com mais alucinógenos.

Os diálogos desse episódio estavam especialmente inspirados, e a direção foi muito competente. Poderia discorrer disso por horas.

Faltou amor: medo do que vem por ai… Um chefe com dor de corno, e uma atriz claramente interessada no nosso protagonista. E cadê Bertie, minha australiana de estimação?

LOVE-6.3

Fernando Zingler
Fernando Zingler

Gaúcho, engenheiro, mestre em Engenharia de Transportes. Ama Zelda, Pokemon e vôlei, e é apaixonado por séries e músicas em geral. No Panela, assim como na vida, fala coisas aleatórias sobre comedias românticas, tipo Modern Family e LOVE, e eventualmente participa da cobertura do The Voice.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: