Posts Populares

Lucifer –  Recap 2ª Temporada

Os conflitos familiares tomam uma proporção bem maior quando a família em questão é a do diabo.

Muitas coisas aconteceram ao longo dessa temporada, mas o enredo principal com certeza foi a aparição da deusa de toda criação, a mãe de Lucifer e Amenadiel. No primeiro episódio, descobrimos que ela fugiu do inferno, para onde tinha sido mandada, e foi para a Terra à procura de seus filhos, principalmente Lucifer. Durantes todos os 18 episódios, foi interessante ver os diversos lados dela, que não era só ruim. Por mais que possa parecer devido ao tema da série, aqui não existe maniqueísmo nenhum. “Lucifer” mostra que todos têm lados ruins e egoístas, mas também que podem ser amorosos e se importar verdadeiramente com alguém.

A mãe de Lucifer – no corpo de Charlotte Richards, uma advogada de sucesso – veio com o papo de que só queria se juntar a todos os seus filhos novamente, mas tinha muito mais por trás disso. A deusa da criação queria mesmo achar a espada flamejante (espada de Azrael, o anjo da morte) e, com ela, voltar para o céu. No entanto, Lucifer, que tinha ficado encarregado de punir sua mãe, não tinha os mesmos planos. Ele queria o objeto celestial para levá-la até seu pai e largá-la lá com ele para os dois se entenderem… ou não, na verdade.

Durante a temporada, conhecemos também mais um irmão do personagem principal, Uriel, que desceu à Terra para cobrar de Lucifer a promessa que ele fez ao pai no último episódio da primeira temporada: ele levaria a mãe de volta ao inferno se Deus evitasse que Chloe se machucasse naquele momento. Para impedir que Uriel sumisse com a existência da mãe, já que ele tinha a espada de Azrael, e causasse a morte de Chloe, Lucifer acaba brigando com o irmão e nisso, o mata com a espada. O dono da Lux passa algum tempo depois se lamentando e se martirizando por isso.

Um dos melhores episódios da temporada foi “A Good Day To Die” (S02E13), que mostra o desenrolar do anterior em que Chloe foi envenenada por um cientista criminoso. Com menos de 24h restantes para salvar a detetive e sem muita opção, Lucifer decide tomar uma decisão arriscada: ele vai morrer para ir até o inferno conseguir a fórmula do antídoto do veneno que foi injetado em Chloe. Esse episódio foi muito bom e vale aqui ser mencionado, pois mostrou um trabalho em equipe de todos os personagens, que eles se importam uns com os outros e que o dono da Lux está disposto a tudo para proteger Chloe. Além disso, as cenas no inferno foram bem pesadas e entendemos um pouco mais do que os personagens vinham falando sobre o lugar.  

Desde o início até o último episódio, a mãe de Lucifer e Amenadiel queria manipular os filhos, apesar de verdadeiramente se importar com eles. Lá pelo meio da temporada, quando Lucifer e Chloe começam a se entender e até se beijam, o que levou os fãs de Deckerstar à loucura, descobrimos que a detetive foi colocada na Terra pelo pai de Lucifer que mandou Amenadiel para abençoar um casal que não conseguia ter filhos. Eles eram os pais de Chloe. Tendo descoberto isso, a deusa de toda a criação conta para o filho com o objetivo de que ele se vire contra o pai, o que ela consegue já que ele fica com raiva e se sente manipulado. No entanto, o parceiro de Decker também fica com raiva da mãe e acaba terminado o que mal tinha começado com a detetive.

Além do pano de fundo da temporada, alguns outros enredos e fatos são importantes e valem ser ressaltados. Entendemos mais sobre a morte do pai de Chloe; Ella começa a trabalhar na delegacia como a nova cientista forense; Amenadiel perde suas asas e seus poderes; Linda descobre a verdadeira face de Lucifer. Como vocês podem ver, foram muitos acontecimentos durante a temporada, que foi bem agitada e com poucos episódios que poderiam ser descartados.

A 2ª Temporada chegou ao fim com um saldo muito positivo e com episódios, em sua maioria, que foram importantes para o andamento da série e da narrativa.

O que vocês acharam dessa temporada? Até a próxima review!

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Luiza Pinheiro

Carioca da gema e jornalista de corpo e alma. A primeira série que viu mesmo, aquela que a deixou viciada, foi One Tree Hill. Depois disso nunca mais parou e engatou uma depois da outra. Também ligada em cinema, não perde uma cerimônia do Oscar.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries