Posts Populares

Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. – S06E04 – Code Yellow

E não é que o Deke se deu tri bem na vida humana?

Esse episódio serviu pra responder uma coisa que ninguém, absolutamente ninguém, tinha se perguntado: O que acontece como Deke depois de ficar vivo no passado? A resposta, apesar de tomar conta de boa parte do episódio, é bem simples: ele pegou tudo aquilo que viveu no futuro, no espaço, com e sem a S.H.I.E.L.D., e começou a fazer jogos de realidade aumentada usando essas histórias, esses conceitos e, até mesmo, esses personagens. E, com isso, ele ficou rico, muito rico, montando uma empresa que parece ser muito grande em apenas um ano.

Numa história que foi meio que jogada pra cima da gente e não tivemos muita escolha a não ser aceitar, o romance da Ioiô com o Keller, ele resolve que é uma boa ideia contar pro Mack o que tá rolando. Num misto de “eu já sei” com “não quero saber mais”, a situação é meio que jogada de lado quando a equipe começa a tentar juntar os pontos do que o Sarge e o grupo dele tão querendo fazer na Terra com aquele show de luzes. Ao longo do episódio, a gente vai descobrindo que, ao que tudo indica, por mais estranho que pareça, ele não é o vilão da história, mas sim alguém que não se importa em fazer tudo pra derrotar o vilão. Mas enfim, pontos coloridos.

O sinal que o Sarge jogou pro céu serve pra localizar pessoas que não deveriam estar aqui, de qualquer forma. Geralmente, ele usa isso pra procurar o que ele tá caçando, que são uns parasitas em forma de pássaro que podem explodir (num visual muito parecido com aquele de Aniquilação – que é um ótimo filme que vocês certamente não viram) e causar muito problema aqui. Só que, numa trama que se aproxima da saga espacial dessa temporada, de pessoas que não estão onde pertencem, o Deke é um homem fora do seu tempo. E o localizador do Sarge aponta isso, então, depois de matar um cara que tava indo na direção das Linhas de Ley, ele e seu time trabalhado no couro vão atrás do “viajante do tempo”.

Visto que ninguém na S.H.I.E.L.D. é (muito) burro, eles obviamente tão de olho no que Deke, visto que ele tá usando tecnologia da agência pra fazer seus brinquedos. Então, quando o Sarge invade, um agente infiltrado resgate o Deke e chama o reforço da May e do Diretor Mack. Cenas de batalhas acontecem, cenas de perseguição acontecem, a May bate em quem passa na frente dela, o Mack bate em quem passa na frente dele, coisas de sempre. Mas, pra derrotar aquele cara absurdamente grande que tem todo o porte de vilão musculoso e burro porém é o inteligente da equipe, é o jogo do Deke que faz o serviço. Porém, como nem tudo são flores, o Sarge consegue capturar a May.

Mas, o parasita. O cara morto foi levado pra base da S.H.I.E.L.D. pra estudar o que aconteceu e porque o corpo ficou daquele jeito. Porém, ao tirar a faca do pássaro estranho, ele ganha vida e sai voando pela base até, depois de uma perseguição meio meh, entrar na boca do Keller e começar de novo o processo. Tentam criar uma carga emocional nessa parte final, mas não me pareceu que rolou. É um casal meio meh, na verdade. Então, as coisas não dão nada certo e quando o Keller/parasita tá prestes a explodir e acabar com a base toda, é a Ioiô que precisa matar ele, pra impedir o pior.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Rafael Augusto

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries