Posts Populares

#NowPlaying: Pride Month – Trilhas Sonoras de Filmes LGBTQI+

O LGBTQI+ no audiovisual!

Pride Month (ou Mês do Orgulho Gay) aqui no Panela de Séries, então era óbvio que a nossa #NowPlaying também viria temática, certo? Hoje resolve trazer 3 trilhas sonoras de filmes LGBTQI+ que são marcantes na minha opinião. Os 3 filmes que escolhi têm músicas que ajudam a contar a história do filme, mas também em algum momento foram importantes para alguém que conheço.

Sem mais enrolar vocês, vamos começar!

As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower)

Se você nunca assistiu esse filme, está perdendo um filme que facilmente faz você se sentir parte daquele universo. O filme gira em torno de Charlie, que está no tão aterrorizante ensino médio americano, e se vê tendo que enfrentar diversos dramas da adolescência. Ele faz novos amigos, ele descobre mais sobre sexualidade, sobre ser quem você é… É um filme icônico e completo.

A cena mais icônica do filme é a Sam na caminhonete, de braços abertos, enquanto toca David Bowie de fundo. “Heroes” é a música e nesse trecho do filme mostra um pouco da liberdade que Sam sente, de como ela e Patrick são livres pra serem quem querem ser, enquanto Charlie ainda é meio travadão. Confere a cena:

Outra cena marcante é quando Charlie acaba de conhecer Patrick e Sam, e eles estão no baile do colégio quando começa a tocar uma música mais animada, tirando aquela sensação de morte que o baile seguia até então. Patrick e Sam fazem uma grande apresentação, dançando e tudo o mais, o que estimula e encoraja Charlie a participar. Uma cena pra se mexer e se libertar:

Por fim, falando ainda dessa questão de libertação, de se permitir, temos Charlie, que era um garoto supertímido, fazendo parte da peça de Patrick e Sam, “Rocky Horror Picture Show”, seminu e ainda por cima tocando nos peitos de Sam. É engraçado ver como ele está travado no começo, mas como vai se soltando ao longo da peça e se permitindo curtir o momento:

O filme ainda possui muitas outras músicas marcantes, legais de acompanhar. Essas 3 são sem dúvidas as que mais gosto no contexto do filme, e por isso trouxe pra nossa coluna.

Priscilla, a Rainha do Deserto (The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert)

Esse filme é um marco na vida de muita gente. Priscilla correu para que RuPaul pudesse andar hahahaha Pois bem, o filme conta a história de 2 drag queens e 1 transexual que são contratados pra fazer um show numa cidade remota da Austrália. Priscilla, na verdade, é o ônibus que a trupe viaja, e no fim das contas a história reserva muitas surpresas.

Uma das cenas mais icônicas do filme é quando a trupe se apresenta com o hino gay da geração passada, o “I Will Survive”, de modo espetacular. Essa apresentação acontece no meio do deserto, quando eles conhecem um nativo que se junta a eles e se joga na performance. Olha só:

Outra cena icônica é Felicia cantando ópera em cima do ônibus, com o vestidão prata ao vento, e fazendo caras e bocas. Os lipsyncs desse filme são icônicos, e merecem sempre a recordação:

Por fim, a outra música icônica presente no filme que decidi trazer pro nosso #NowPlaying é “Finally”, que foi apresentada por Bernadette, Mitzi e Felicia no fim do filme, como o auge das performances delas. O ponto alto dessa apresentação é, sem dúvidas, os outfits, que fazem toda a diferença pra apresentação das três.

Esse é um filme de 1994, então muitas coisas podem parecer estranhas e diferentes, ainda mais se considerarmos o contexto. Mas, musicalmente, esse filme é um marco, pois consegue trazer grandes canções para dentro do contexto LGBTQI+ que o filme aborda, de maneira divertida, leve, e que ajuda a contar a história.

De Repente, Califórnia (Shelter)

Esse é um filme de 2007, mas que muita gente considera um bom filme com temática LGBTQI+. Totalmente diferente de Priscilla, Shelter traz a história de Zach, um artista urbano de São Francisco, que começa a conviver com o irmão gay de seu amigo, Shaun, e percebe que existe algo a mais entre os dois. Esse é um filme de baixo orçamento, com uma temática um pouco mais voltada pro surfe e padrões heteronormativos, mas que ainda assim nos traz uma playlist legal e que ajuda a contar o filme desse ponto de vista praiano.

Logo quando Zach e Shaun se reencontram, depois de muito tempo, temos “Darkness Descends” dando uma vibe bacana para as cenas de surfe dos dois. É uma música leve, que ajuda a contar aquele momento:

O filme segue e quando Zach e Shaun já estão mais envolvidos, curtindo seu relacionamento secreto, temos “Lie to Me” dando a tônica. Uma música bem preguiça, pra mostrar as cenas dos dois se curtindo, enquanto estão deitados. Uma música boa de escutar enquanto vemos o pôr-do-sol:

A última música do nosso #NowPlaying aparece no filme em um momento que Zach está confuso sobre quem ele é, o que ele quer, com a pressão de sua ex-namorada, de sua irmã e o amor que sente por Shaun. A música fala sobre isso mesmo, sobre estar perdido, sobre saber se existe algo mais do que essa confusão toda…

.

O nosso #NowPlaying especial se encerra aqui. Escolhi 3 filmes de épocas bem diferentes, com temáticas bem diferentes, mas que ainda são muito interessantes e que possuem uma trilha sonora legal. Cada filme tem sua particularidade e aborda os temas da comunidade LGBTQI+ de forma diferente.

Importante frisar que esse mês de junho é apenas pra comunidade ter mais destaque, mas que a luta acontece o ano todo. O Brasil (e o mundo) ainda é um lugar muito preconceituoso, onde pessoas LGBTQI+ precisam se esconder, fugir, lutar por espaço e dignidade a cada dia. É importante que nunca nos deixemos acomodar pelo senso de segurança, pois assim como o racismo e o machismo, a homofobia está enraizada na nossa sociedade. A luta é diária e contínua, e são filmes como esses acima que ajudam a dar mais visibilidade pra comunidade.

Mês que vem nos encontramos aqui no #NowPlaying novamente!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Gerson

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries