Posts Populares

Panelaço: Decepções de 2020

Misturando séries e filmes, fizemos uma lista com as maiores decepções de 2020!

2020 vem sendo um ano bastante complicado. A pandemia afetou a vida de todo mundo, com maior ou menor intensidade, então chegar em dezembro já é uma grande vitória. O mundo do cinema, e das séries, também foi bastante afetado pelo Covid, já que muitos lançamentos não aconteceram e muitas séries sofreram atrasos.

Passado isso, a meta dessa coluna é comentar quais dos lançamentos do ano foram uma decepção; importante ressaltar aqui que pra ser decepção é importante que houvesse alguma expectativa prévia, então Cats – o fracasso do ano – não entra nessa lista, já que ninguém esperava alguma coisa do filme.

1- Space Force

Já vamos começar com o elefante na sala. “Dos criadores de The Office” é uma frase que carrega um peso absurdo. Pra muitos, a série é a melhor comédia de todos os tempos e a simples existência dessa discussão já mostra tudo que ela é. Aí, quando a Netflix anunciou que Steve Carell, John Malkovich e Lisa Kudrow iam fazer parte do elenco, as expectativas foram mais lá pro espaço. Mas quando saíram os episódios, a decepção veio. Além de criticar Donald Trump (o que, veja bem, é algo que todo mundo deveria fazer), a série não acrescenta nada, as atuações não são muito boas e fica a impressão de que os criadores de The Office não acharam o caminho do sucesso anterior.

2 – Cursed: a Lenda do Lago


Falar de Merlin e da Távola Redonda e de todas as várias histórias que rodeiam esse universo é algo sempre interessante. Nem sempre é válido, mas as ideias quase sempre são muito boas. Em Cursed, temos uma ótima ideia, de mudar o foco do protagonismo de uma história repleta de homens, de recontar essa história tão famosa. E os bons atores estão lá. Tem o Gustaf Skarsgard, a filha do Tony Stark Katherine Langford. Mas a trama se perde na complexidade que a própria história tenta criar. Toda hora um personagem novo é adicionado, e quando tu pensa que ele vai ter alguma importância pra história, nada acontece. Além disso, a série é recheada de deus ex-machina, aquela coisa na história que surge do nada pra resolver um problema. Talvez seja um problema da própria Netflix, de fazer uma série já pensando na próxima temporada e fazendo a primeira ser uma espécie de grande primeiro episódio, talvez a série só seja ruim, só vai saber quem tiver coragem de ver a segunda temporada.

3 – Dolittle


Com o elenco que esse filme tem, o mínimo era ter feito algum sucesso. Primeiro papel do Robert Downey Jr. depois do final de Vingadores: Ultimato, o filme não acerta em quase nada do que se propõe. Fica evidente que a ideia do estúdio foi fazer um novo Piratas do Caribe sem o Johnny Depp, mas faltou combinar com os diretores, já que o primeiro foi substituído e o novo fez um papel tão ruim quanto. Sabe quando um filme exagera e acaba virando comédia pelos motivos errados? É isso que a gente tem aqui.

4 – Artemis Fowl: O Mundo Secreto

Eu adoro os livros do Eoin Colfer, e a série Artemis Fowl não foge disso. A premissa é bem interessante, e há tempos se falava de uma adaptação pro cinema. Esse filme tá sendo gravado desde 2018 e essa demora toda no lançamento, potencializada pela pandemia, não davam sinais de algo bom. E de fato, não teve nada bom nesse filme. É um filme absurdamente curto (94 minutos), que não aprofunda os personagens o suficiente, que não aprofunda a história o suficiente para que a gente tenha qualquer vontade de querer ir atrás da obra original. O elenco conta com nomes bastante conhecidos, como Colin Farrell, Josh Gad e Judi Dench, mas o roteiro é tão ruim que nem as atuações e narrações (no caso do Josh) salvam.

5 – Tenet


Esse é difícil pra mim. Sou fã de carteirinha do Christopher Nolan e gosto de tudo que ele já fez. Então, quando saiu o trailer de Tenet, eu já fiquei muito empolgado e ansioso pra ver o filme. Mas aí, veio o coronavírus e atrapalhou o plano de todo mundo, inclusive os do Nolan e o do estúdio, que ficaram insistindo pra lançar o filme nos cinemas, mesmo sem um público pra assisti-lo. Eu pensei aqui com meus botões: se ele queria tanto lançar o filme, é por algum motivo; talvez fosse um filme digno de ver no cinema seja pela imagem ou pela trilha sonora, talvez ele e o estúdio não confiassem no lançamento por streaming. Porém, independente disso tudo, o filme é ruim.
Todas aquelas coisas que fazem a gente gostar do Nolan tão lá, dá pra fazer um checklist até: uma história complicadíssima de entender de primeira; uma fotografia excelente; efeitos especiais práticos e que parecem ser reais; Michael Caine; diálogos propositalmente incompletos e uma trilha sonora da qual você nunca vai esquecer (nesse caso não por um motivo positivo, mas enfim). Porém, essas mesmas coisas não são suficientes pra fazer um filme coeso. O protagonista do filme, cujo nome é literalmente Protagonista, não é alguém com quem a gente consegue sentir qualquer tipo de empatia, já que não há nenhum desenvolvimento emocional dele – e de quase nenhum personagem, inclusive.

Se a ideia do Nolan era fazer um 007 com um roteiro um pouco mais complexo, ele acertou em cheio. Porém, se a ideia era qualquer coisa além disso, a falha foi catastrófica.

E aí, o que acharam da lista? Sentiram falta de algum filme ou de alguma série? Tirariam algum pra colocar Mulan? Estamos ansiosos pra saber as opiniões de vocês!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Rafael

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries