Posts Populares

Panelaço: Melhores séries de 2019

E as melhores séries de 2020 foram…

Esse ano seguiu a tendência que estamos tendo nos últimos anos e está cada vez mais nos apresentando mais séries e mesmo com uma quantidade espetacular, o nível está subindo, mesmo com muitas bombas, acho que da para destacar bastantes séries, mas como quisemos fazer algo limitado, acabei chegando ao consenso nessas séries, que talvez sejam até polemicas, mas que não deixem de todas serem excelentes.

 

The Boys

Uma das maiores surpresas de 2019 com certeza foi “The Boys” e definitivamente é uma das melhores séries atuais do gênero. Aliás, o que torna ela tão boa é justamente o fato dela fugir muito de outras séries de heróis que já estamos acostumados. A série é baseada em uma HQ de mesmo nome e conta a história de Hughes, um rapaz normal que se envolve com os poderosos “The Seven”, nada mais nada menos do que os heróis mais poderosos e mais famosos, depois de um deles matar acidentalmente – será mesmo? sua namorada. Diante disso, a série aborda uma história centrada em heróis, mas muito mais realista do que outras produções do tipo. Sempre há o questionamento de como o mundo seria se existissem heróis de verdade com superpoderes e tudo mais, e aqui a gente tem uma perspectiva muito próxima do que seria isso na vida real: pessoas egocêntricas que geralmente só se importam com poder e mais poder. Enfim, a série é do Amazon Prime e já está renovada para uma segunda temporada, vale a pena demais a maratona e espero que seu próximo ano seja tão bom quanto o primeiro!

Por Erik Larceda

 

Sex Education

Uma das grandes surpresas para qualquer seriador é Sex Education, primeiro que poderia ser uma série adolescente como qualquer outra, porém foi muito além disso, saiu totalmente do estereótipo já cansado de explorar em série dos adolescentes e nos trouce uma roupagem mais abrangente e séria, sem perder a alma de adolescente em todos os personagens, nos mostrando um pouco além do sexo. A série não tem uma função de ensinar nos sobre sexo propriamente dito, mas sim uma forma genérica de dizer que cada indivíduo é de uma forma, trata sexo de uma forma e tem que se conhecer, além de respeitar o outro que convive. Na série nos é apresentado dois personagens extremamente Maave, nos mostrando uma adolescente bem madura para sua idade e o Eric, que é o tipo de amizade que todo adolescente deveria ter para se tornar uma pessoa melhor, já que ele é fantástico, carismático e um ser iluminado, sendo esses dois ligados ao Otis (protagonista da série), onde tudo se desenrola ao redor dele.

Chernobyl

Quando uma produção se propõe a entregar um trabalho impecável, com uma riqueza de detalhes absurda e de uma qualidade televisiva muito acima da média, o resultado e os frutos desse trabalho só podem ser aplaudidos e exaltados. Chernobyl marcou o ano de 2019 como sendo uma das melhores minisséries do ano, e quiçá da década. A construção narrativa em seu storytelling é impressionante, o trabalho visual, fotográfico e de edição é impecável e digno de produção hollywoodiana. Aliás, as produções televisivas já alcançaram o nível de Hollywood faz tempo né? Tudo que envolveu Chernobyl foi aclamado e criado com muita perfeição. As estratégias de comunicação (estratégias transmídia) para dar ainda mais valor à obra mostram o quão grande foi o investimento nessa produção. Podcasts, making ofs, recursos de arquivo para a construção narrativa, tudo isso engrandece a minissérie fazendo dela um grande espetáculo televisivo. Por retratar um incidente real a obra se atentou em demonstrar de forma fidedigna o ocorrido, o que dá bastante credibilidade para uma narrativa. O uso de diálogos reais e a recriação de cenas através de registros fotográficos foram determinantes para toda a aclamação da crítica e dos estudiosos do audiovisual, sem contar do próprio público. A HBO não está para brincadeira, e é como o próprio slogan diz: It’s not TV, It’s HBO.

Por Ricardo Souza

The Crown

Estávamos há muito tempo na expectativa pela terceira temporada de The Crown, e em 2019 ela veio! Com o passar do tempo e a reformulação do elenco, havia muita tensão sobre como os novos atores seguiriam no trabalho realizado pelos atores anteriores, em especial Claire Foy. A terceira temporada chegou e podemos dizer que Olívia Colman e todo o elenco da temporada não deixou em nada a desejar. Tivemos uma temporada com episódios e atuações marcantes, além de um enredo bem estruturado e escrito. Os detalhes continuaram fazendo a diferença, e aquele gostinho de série histórica ficou cada vez mais evidente, uma vez que os eventos passaram a ser mais recentes. Enfim, dá para citar a fotografia, a caracterização e todos os outros aspectos técnicos dessa grande série. O que não dá é deixar ela de fora da lista das melhores séries do ano!

Por Gerson Elesbão

 

Euphoria

Como vimos aqui, a HBO não está para brincadeira, e Euphoria foi uma das maiores apostas do ano em se tornar uma grande série diante o público. Dito e feito, Euphoria chegou com sua incrível produção, uma trama atual e muito bem composta, além de um elenco incrível, seguido por histórias cativantes, pesadas e genuínas. A obra foge do clichê adolescente mesmo sendo uma série adolescente, ela retrata de forma real e brutal, sem romantização, os mais variados assuntos modernos, como o vício em drogas, relacionamentos abusivos, questões de gênero e sexualidade dentre outros. Tudo isso com uma estética linda e atual, que chama a atenção e se destaca mediante as outras produções. A série é muito rica em detalhes, tudo é feito e retratado com muito cuidado, em que até mesmo as músicas (e a trilha sonora incrível produzida por Labrinth) possuem um significado. Um dos pontos mais interessantes da série em termos de produção é o uso da maquiagem como branding, criando assim uma identidade única. Para cada personagem e para cada situação foi criada makes únicas e exclusivas, o que rapidamente gerou o efeito “make euphoria” mostrando a imponência do show. As músicas seguem o mesmo caminho, e o uso delas como estratégia transmídia colocou rapidamente a obra nos olhos e ouvidos de todos. Por fim, tudo o que a série traz tem uma pegada muito fresh e instigante. Euphoria é impiedosa, mas ao mesmo tempo viciante, e pessoalmente para mim é a série mais completa e complexa do ano, sem contar que por gosto pessoal, ela se tornou a minha série favorita de todos os tempos.

Por Ricardo Souza

Segunda Chamada

A Globo está com uma nova safra de autores que viram na arte uma forma de expressar críticas a sociedade, ao governo e seja lá o que for necessário sobre e segunda chamada nos mostra um retrato muito fiel da educação brasileira, mas não com adolescentes, mas sim com adultos, que muitas vezes não tiveram a oportunidade de estudar, só que depois de velho tem uma esperança de poder mudar de vida através do único modo que vejo um pais evoluindo, que é a educação. A série não é sobre os alunos, mas sim sobre o sistema de educação que é muito desumano com pessoas carentes e pior ainda com carentes adultos, que tem que trabalhar diariamente e ainda estudar, só que além do sistema, a série nos enaltece os heróis de verdade desse país que são professores, nos mostrando um pouco do sofrimento pessoal diário de cada um, só que mesmo assim a noite, todo professor está lá dando sua aula pra tentar mudar a realidade desse país.

Então é isso, que 2020 nos apresente séries mais excelentes e que continue com essa boa crescente em qualidade, mas nos diga quais foram as melhores séries para vocês.

Um beijo a todos, Feliz Natal e um próspero Ano novo.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Phelipe

Um cara Fitness, gosta de esportes e um escorpiano nato, apaixonado pela vida. Um "nerd" que curte balada e um baladeiro que curte coisas "nerds", porque a vida é muito curta para se apegar em coisas pequenas, logo pode observar que sou uma pessoa muito eclética em todos os sentidos da vida.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries