Posts Populares

Panelaço: Melhores Séries dos Anos 90

Direto do Túnel do Tempo!

Galerinha que viveu sua infância/adolescência nos anos 90, se preparem porque… ESSE MOMENTO É NOSSO! Se tem uma certeza que eu tenho nessa vida é que os anos 90 me prepararam para ser a seriadora que sou hoje em dia. Tempos de ouro do SBT que nos apresentou tantas séries maravilhosas lá de fora ou algumas (poucas) que nem passavam nos canais abertos, mas a gente ia na cara e coragem catar elas pra baixar naquela internet discada que mal conectava pra gente conversar no ICQ ahahahaha. Ai gente, que nostalgia! E vamos seguir na sessão nostalgia e falar aqui de algumas das melhores séries dessa década de 90, que eu realmente amo de paixão. Preparados pra viajar nesse túnel do tempo? Bora lá!

6º lugar – Blossom (5 temporadas – 1990 a 1995)

Antes de ser nossa adorável esquisitinha Amy Farrah Fowler, a atriz Mayim Bialik, interpretou a divertida e sarcástica Blossom. Tenho certeza que muita gente nunca se ligou nisso e agora está no chão com essa informação rs. Eu fui uma daquelas fãs assíduas da série e que acompanhei do início ao fim as aventuras de Blossom. Na verdade, acompanhei as reprises no SBT, porque quando a série foi lançada em 1990 eu era apenas um bebê haha.
Blossom foi uma das séries pioneiras na sua época, pois era um seriado de comédia e foi um dos primeiros a retratar a separação de um casal com a mãe de Blossom, Maddy, largando tudo para ir atrás do seu sonho que era ser cantora e ir morar em Paris, Blossom sonhava em visitar a mãe na cidade-luz. Com a ausência da mãe, o pai de Blossom, Nick, se vira nos 30 para cuidar de Blossom, uma adolescente de 16 anos e de seus 2 irmãos: Joey e Anthony.
A série aborda, principalmente, os conflitos de Blossom diante dessa estrutura familiar, a chegada da adolescência e muito mais. Desde que assisti a última temporada, nunca mais revi a série e fazer esse Panelaço me deu uma vontade louca de rever até porque lembro de pouquíssimos detalhes e lembro o quanto me identificava com algumas coisas e o quanto me divertia com as maluquices de Blossom. A saudade, ela é real…

5º lugar – Buffy, a Caça-Vampiros (7 temporadas – 1997 a 2003)

Texto por Thais Pereira

Antes de todos os filmes de super-heróis tomarem o cinema, Buffy já tinha dominado a TV americana por sete anos, transbordando representatividade e girlpower, antes mesmo que fossem temáticas demandadas pelo público. Mostrando a vida de Buffy Summers, uma menina que quando ainda adolescente descobriu que não era uma garota como outra qualquer e sim uma Caçadora, mulheres escolhidas pelo destino para lutarem contra vampiros, demônios e outras criaturas malignas, a série mescla o clássico enredo de seriados “high school” com toques de terror e suspense. E como toda série precisa de conflitos amorosos, Buffy leva isso a outro nível colocando como interesse amoroso de nossa caçadora, nada mais, nada menos, do um vampiro: Angel, que deveria ser seu objeto de caça e não de amor. E como não se lembrar do icônico episódio musical? Antes de Glee, de The Flash ou Supergirl, Buffy já dedicou um episódio inteiro à música, mostrando que conseguia fazer graça de qualquer coisa, de qualquer maneira e nos momentos mais imprevisíveis.

4º lugar – Três É Demais (8 temporadas – 1987 a 1995)

Texto por Michel Araújo

Full House (Três é demais) é aquela típica série agradável pra uma tarde e pra ver com toda a família. O que mais me cativava nessa série é o fato de ter acompanhando o crescimento das meninas, passando pela sua infância, adolescência e juventude, fazendo com que a série pudesse abordar diversos assuntos, mas sempre com muita leveza. O humor da série é bem típico, até porque o protagonismo infantil não seria cabível um humor mais crítico. Outro ponto legal da série é o protagonismo compartilhado, sinceramente vejo todos os “papais”, meninas e até mesmo Kimmy e Becky dividindo ali o destaque entre si. Aproveitando desse sucesso, a Netflix trouxe de volta o spin-off “Fuller House” cheio de nostalgia e aproveitando-se do carisma dos personagens da série original com a adição de novos e também carismáticos personagens. Sucesso dos anos 90, tão sucesso que ainda hoje tem o seu valor no mundo televisivo e ainda nos tempos de hoje o seu humor simples e familiar consegue conquistar uma boa legião de fãs.

Confira nossas reviews de Fuller House clicando aqui

3º lugar – Um Maluco no Pedaço (6 temporadas – 1990 a 1996)

Texto por Gerson Elesbão

Apesar de ter se popularizado no Brasil no início dos anos 2000, Um Maluco no Pedaço é, na verdade, uma série dos anos 90. Foi a série responsável pelo grande destaque de Will Smith como ator. Além de ser uma série divertida e gostosa de assistir, Um Maluco no Pedaço ainda trazia temas que não se discutiam naquela época, como os conflitos de valores na sociedade racista americana, a questão do abandono parental, e o fato de Will não conseguir se adequar aos costumes que seus tios e primos tinham. Tivemos cenas e personagens icônicos, como a cena que o pai de Will reaparece e é escorraçado pelo Tio Phil, e as maravilhosas dancinhas de Carlton! Eu poderia passar o dia todo aqui falando de Um Maluco no Pedaço, mas graças aos motivos já citados e à maravilhosa dublagem brasileira, que popularizou a série por aqui, ela figura aqui neste Panelaço!

2º lugar – Dawson’s Creek (6 temporadas – 1998 a 2003)

Falar de Dawson’s Creek é até difícil pra mim porque até hoje continua sendo uma das séries favoritas EVER. Foi por causa de Dawson’s Creek que comecei a pegar o gostinho por séries, lembro bem de sentar todo dia que passava a série na Globo e quando perdia um episódio, ficava revoltadíssima. Torcia pelo meu ship favorito (que era Dawson & Joey), chorava com os dramas intensos da série e por muitas vezes até aprendia a me entender vendo situações parecidas acontecerem com as personagens.
Dawson’s Creek abordou diversos temas polêmicos pra época como gravidez na adolescência, homossexualidade e divórcio. A série falou também de temas que assombravam vários adolescentes como primeiro beijo, a primeira vez, a escolha profissional e o tão temido vestibular.
Eu sei que ri muito e chorei muito vendo cada episódio dessa série maravilhosa e me envolvendo com a história de Dawson, Joey, Pacey, Jen, Andie e muitos outros que passaram pela série. Por essas e outras, Dawson’s não só merece estar nesse Panelaço como merece também o vice-campeonato.

1º lugar – Friends (10 temporadas – 1994 a 2004)

Restava dúvida a alguém de que a melhor série de todos os tempos marcaria presença nesse Panelaço e seria a campeã? Quando falamos de séries dos anos 90, é quase um movimento automático lembrarmos de Friends, que até hoje é a queridinha e favorita de muitos por aí (como eu). A série teve 10 temporadas e durante todo esse tempo de exibição, atingiu números que muitas séries atuais ainda não conseguiram alcançar. Uma série de comédia que tinha romance, drama e até um leve suspense em seus episódios e que, hoje em dia, é muito questionada a forma como abordava diversos assuntos e é “acusada” de ser em alguns momentos machista, racista e homofóbica. Mas, devemos lembrar que o cenário da época é completamente diferente do que vivemos hoje em dia e que para a época, até questionou muitas coisas como, por exemplo, mostrar uma das primeiras vezes na TV americana um casamento lésbico.
Friends é inesquecível e épica em diversos aspectos e tá pra nascer série que seja tão completa e maravilhosa quanto ela.

Menção Honrosa: Sai de Baixo (8 temporadas – 1996 a 2002)

Texto por Rafael Augusto

Sai de Baixo foi certamente um dos pontos altos do humor brasileiro. Todo domingo eu esperava o Fantástico terminar e ficava lá rindo de piadas que eu não entendia direito, de personagens que eram engraçados sem fazer absolutamente nada. A ideia da série era bem simples: viviam em um apartamento Caco Antibes, Magda, Cassandra e Vavá, além da empregada Edileuza e o porteiro e faz tudo Ribamar, e eles buscavam formas de conseguir dinheiro pra sair dali (no caso do Caco, da Magda e da Cassandra retomar o dinheiro que tinham em outras épocas). Mas, a partir dessa premissa bastante simples, aconteciam muitas aventuras. O Caco tava sempre criando algum trambique pra ganhar em cima de alguém, a Magda tava sempre fazendo alguma coisa que fazia todo o teatro gritar “Cala a Boca, Magda”. E o Vavá, pobre Vavá, tava sempre inventando alguma empresa pra ter dinheiro o suficiente pra tirar os encostos da vida dele. Mas a gente não pode esquecer do Ribamar, que era o personagem mais engraçado da série toda. Vendo a série hoje, a gente sente que o humor tá batido, que não envelheceu bem. As piadas eram machistas, homofóbicas, racistas e preconceituosas, é importante ressaltar isso. De certa forma, é difícil ver qualquer episódio hoje sem pensar no mundo que a gente vive hoje, mas caso tu consiga esse distanciamento, é um dos pontos altos do humor no Brasil.

—— // ——

Espero que tenham gostado do Panelaço, que foi muito gostoso pra mim de fazer e reviver todas essas séries que foram tão importantes em momentos da minha infância e adolescência. Vocês concordam com o nosso ranking? Dessas séries apresentadas, qual a preferida de vocês? Qual vocês acham que faltou? Comentem aí 😉

 

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Caroline Azevedo

Seriadora de carteirinha. Shipper de plantão. Friendsmaníaca. Viciada em música. Feminista. Meu sonho é ser uma Sense8 e me dividir em várias partes para conhecer esse mundão afora, tudo ao mesmo tempo, agora.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries