Posts Populares

Panelaço: Os maiores vencedores do Oscar

And the Oscar goes to…

Nesse domingo dia 9, ocorrerá a 92ª edição da premiação mais famosa do mundo, o Oscar! Durante muitos e muitos anos vimos filmes incríveis sendo premiados, outros sendo injustiçados, e aqueles que foram esnobados sem nem mesmo receber uma mísera indicação (Portrait Of a Lady On Fire estou olhando para você). Já houveram erros constrangedores, como a confusão ocorrida ao anunciar La La Land como vencedor de melhor filme, mas também houveram feitos invejáveis, como filmes levando todos os Oscars pelo qual foram indicados. E é sobre eles que iremos falar, os filmes mais premiados da história da premiação.

O Paciente Inglês – The English Patient (Anthony Minghella, 1996), 9 prêmios Oscar

Ambientado na Segunda Guerra Mundial, o filme acompanha um homem desconhecido (interpretado por Ralph Fiennes) que teve queimaduras generalizadas quando o seu avião foi abatido e é conhecido apenas como o paciente inglês acaba por receber os cuidados de uma enfermeira franco-canadense, Hana (Juliette Binoche). O filme levou 9 estatuetas para casa, ou seja, venceu em todas as categorias da qual concorria, dentre elas, melhor filme e melhor diretor.

E O Vento Levou – Gone With The Wild (Victor Fleming, 1939), 10 prêmios Oscar

Um dos clássicos do cinema mundial é Gone With The Wild, mais conhecido aqui no Brasil como “E O Vento Levou”. A trama, que se desenrola no sul dos Estados Unidos, tendo como pano de fundo da Guerra de Secessão e a era da Reconstrução, conta a história de Scarlett O’Hara, filha de um latifundiário da Geórgia, e seu subsequente casamento com Rhett Butler. Os protagonistas são interpretados por Vivien Leigh (Scarlett), Clark Gable (Rhett), Leslie Howard (Ashley) e Olivia de Havilland (Melanie). O filme levou para casa 10 estatuetas, dentre elas a de melhor filme, melhor diretor e melhor atriz para Vivien Leigh, além disso, o filme conta com dois Oscars honorários, tornando esse um grande feito da premiação.

Amor, Sublime Amor – West Side Story (Robert Wise, 1962), 10 prêmios Oscar

Um dos melhores musicais de todos os tempos, West Side Story (Amor, Sublime Amor) foi um marco na premiação levando para cada 10 estatuetas. À semelhança do que acontece na peça Romeu e Julieta de Shakespeare, o filme apresenta Tony, antigo líder da gangue de brancos anglo-saxônicos chamados de Jets, apaixonado por María, irmã do líder da gangue rival, os Sharks, formada por imigrantes porto-riquenhos. O amor do casal protagonista floresce entre o ódio e a briga das duas gangues e seus códigos de honras, tal qual a desavença histórica entre os Capuletto e os Montechio mostrada em Romeu e Julieta. Sendo indicado em 11 categorias, o longa conseguiu angariar os prêmios de melhor filme, melhor direção, melhor roteiro adaptado, além dos vários prêmios técnicos em categorias de figurino e sonoplastia, como melhor trilha sonora.

O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei – Lord Of The Rings: The Return Of The King (Peter Jackson, 2004), 11 prêmios Oscar

E está aqui mais um grande clássico do cinema e do gênero de fantasia épica, temos Senhor dos Anéis, uma trilogia que marcou a fase da vida de várias pessoas das mais variadas idades. Localizada no mundo ficcional na Terra Média, os três filmes seguem o jovem hobbit Frodo Bolseiro em sua missão de destruir o “Um Anel”, assegurando assim também a destruição de seu criador, o Senhor das Trevas Sauron. Para auxiliá-lo em sua tarefa, forma-se uma sociedade, composta por representantes dos humanos, hobbits, elfos e anões, encarregados de sua segurança pelos estranhos caminhos que terá que seguir. No entanto, a sociedade quebra-se e Frodo continua sua jornada sozinho, apenas acompanhado por seu amigo fiel, Samwise Gamgee, e pelo traiçoeiro Gollum, um dos antigos possuidores do “Um Anel”. Ao mesmo tempo, o mago Gandalf e o humano Aragorn, herdeiro exilado do trono de Gondor, unem-se e juntam o Povo Livre da Terra Média em uma guerra, finalmente vitoriosa, contra Sauron. Levando para casa todos os prêmios pelo qual foi indicado, o longa garantiu o Oscar de melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro adaptado, além de vários prêmios técnicos em efeitos especiais e figurino, que são impressionantes.

Ben-Hur (William Wyler, 1960), 11 prêmios Oscar

Mais um dos clássicos do cinema, Ben-Hur é conhecido por diversos feitos, seja por seus inúmeros prêmios, ou por sua duração de 3 horas e 40 minutos (O Irlandês chora) que para a época foi uma surpresa. No ano 26, o rico príncipe Judah Ben-Hur vive em Jerusalém com sua mãe Miriam, sua irmã Tirzah, seu leal escravo Simonides e a filha deste Esther, que é apaixonada por Ben-Hur mas está prometida a outro homem. Seu amigo de infância Messala trabalha como tribuno militar. Messala retorna para Jerusalém depois de vários anos longe como o novo comandante da guarnição romana local. Ele acredita na glória de Roma e seu poder imperial, enquanto Ben-Hur é devoto de sua fé e da liberdade do povo judeu. Indicado em 12 categorias e levando 11 prêmios, o longa garantiu o Oscar de melhor filme, melhor direção e melhor ator para Charlton Heston.

Titanic (James Cameron, 1998), 11 prêmios Oscar

Sendo facilmente um dos longa-metragem mais famosos do mundo, Titanic (1997) foi um fenômeno recordista em tudo o que se propôs. Em 1996, o caçador de tesouros Brock Lovett e sua equipe exploram os destroços do RMS Titanic, à procura de um colar de diamante chamado de Coração do Oceano. Eles recuperam o cofre de Caledon “Cal” Hockley, acreditando que o colar está dentro, porém acabam encontrando apenas um desenho de uma mulher nua usando o colar, datado do dia 14 de abril de 1912, o dia em que o Titanic colidiu com um iceberg. Uma mulher idosa chamada Rose Dawson Calvert, vendo o desenho numa reportagem de TV a respeito da expedição, liga para Lovett e afirma ser a mulher do desenho, viajando junto com sua neta Lizzy até o navio de pesquisa. Ao ser perguntada sobre o diamante, Rose lembra de seu tempo abordo do Titanic, revelando ser Rose DeWitt Bukater, uma passageira de primeira classe que acreditava-se estar morta. Somando um total de 14 indicações (o maior número de indicações da premiação juntamente com La La Land e All About Eve), o filme levou para casa 11 prêmios, dentre eles o Oscar de melhor filme, melhor diretor, melhor canção original (My Hearth Will Go On) e uma chuva de prêmios técnicos de efeitos especiais e sonoros.

Fiquem ligados na nossa cobertura do Oscar 2020, que sairá aqui no site logo após a premiação. Quais são as suas apostas para esse ano? Sera que teremos um novo recordista de prêmios? Deixe nos comentários suas impressões e nos vemos domingo para a cerimônia. Até mais! 😀

Fontes

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Ricardo Souza

Tem gente que diz que sou um amorzinho, eu digo que sou um trouxa. Viciado em maratonar séries e ficar na bad depois de assistir tudo em um dia. Amo muito música indie, quando quiser me chamar pra ouvir Florence já sabe onde procurar. Mineiro do interior que não puxa o 'r' quando fala, mas adora um pão de queijo.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries