Será que essa season aguenta o retorno de mais uma queen da season five?

Depois da eliminação de Ginger, que deveria vir como um bom livramento diante do todo nada apresentado por Minj (tem algum fã dela aí?), no workroom Alyssa explica os motivos de sua decisão, e qual minha surpresa ao ver as gatas caindo em cima dela por não ser Katya a escolhida. Uma decisão que deveria ter sido levado como fácil, óbvia, no brain, gerou discussão entre as participantes, com Phi Phi puxando o bonde das problematizadoras.

Você trocou de lado, não seguiu o combinado e as críticas do júri, ataca a cosplay, mas nós sabemos que sua indignação não é calcada nesses fatores. Como bem lembrado por Alyssa, ela viu que isso poderia afeta-la de alguma forma, e digo mais, já fazendo suposições e sendo malicioso, Phi Phi fez essas acusações para desqualificar suas oponentes lançando mão dos métodos usados em sua season.

Fato é, Phi Phi quer remoldar sua imagem chegar final, e tendo Katya e Alyssa como fortes ameaças a sua permanência, seu jogo de desmerecimento dos oponentes por repetição começou. Fez isso com William quando estava esteve à beira da eliminação (ok, William foi expulso por conta própria, mas o barraco armado por Phi Phi agilizou o processo), desde o episódio passado vem criticando Alyssa por seus exageros, e nesse ampliou a base de ataque com o troca lado e injusta, além de insinuar que Katya não devia estar ali. Para mim isso soa como uma tentativa de jogar as outras na fogueira, justificando sua permanência por meio da falha dos outros, antes deu sair elas têm de ir primeiro. Pode ser só impressão, pode ser que ela faça isso nem perceba e não seja essa intenção, ou vai ver é só a edição mesmo que não ajuda (vide os closes que dão na cara dela quando estão criticando Alyssa), mas é o que tem passado, e para uma pessoa que diz querer que todas amem a Phi Phi essa atitude não ajuda em nada. Velhos hábitos nunca morrem.

Claro, a edição tem fator determinante aqui. Phi Phi já foi no twitter e insta se explicar, e temos de ver seu lado também, mas como aqui estamos julgando pelo que nós é mostrado no programa, onde nada se cria (tudo foi falado pela Phi Phi), só se distorce,  não entrarei em méritos do que é ou não verdadeiro (já sabemos que Roxxy pediu a opinião de Phi Phi sobre seu papel de Vergara, não esta que veio implantar a dúvida), cabe a cada um julgar no que acredita ou não, se compra o que a edição está querendo vender ou não. Estou aqui apenas julgando com o que está nos sendo apresentado.

As acusações a Alyssa não poderiam ser mais infundadas. Salvar Ginger e eliminar Katya seria uma hipocrisia disfarçada sob a desculpa das críticas dos juízes já que Ginger não representa nenhuma ameaça a competição, se não em uma semana sai na outra, já Katya…E tava na hora de quebrar essa desculpinha de eliminar por critério do júri, pois ninguém pode falar de certeza que está fazendo o que Ru faria, só ele sabe o que faria na situação, e se fosse para o júri eliminar as queens, esse poder não teria sido dado ao mesmo e não a elas. Ru ainda decide e influencia quase tudo, mas acho que ele passou essa taba para ver como as queens lidam com suas escolhas e responsabilidades. Umas se saim muito bem e dão o pulo do gato, outras saem um pouco mais arranhada a cada decisão.

Então Phi Phi, não vem com essa de se esconder em decisão do júri quando tem interesse seu no meio, tome seu lado, faz teu nome, vá por você gata, se garante, faça suas escolhas e de a tapa a cara, só ti fortalece, mostra bem mais personalidade e coragem. Como não amar Alyssa salvando Katya e defendendo sua opinião contra uma acusadora Phi Phi. Pode partir para outra meu bem, que por cima dessa você não passa. Foi para Katya, mais acuada e retraída, que não poderia agir de forma melhor, encerrando o perigo e seguindo em frente.

No desafio da semana tivemos uma proposta bem interessante, paródia de filmes clássicos num act das queens (ainda no aguardo dos de costura, que sempre são os que mais rendem). Entre os filmes tivemos como escolha ShowGirls para Phoxxxy, Thelma e Louise para Katya e Detox (se ainda não viram essa maravilha de filme lésbico corre que tem na Netflix) e O que aconteceu com bebê Jane para Alaska e Alyssa. Pena que o roteiro não fez por merecer o talento de nossas queens e o resultado final acabou bem sem graça.

Não consegui soltar muitas risadas e entre os destaques tivemos: Alaska, que poderia interpretar o Batman e ainda ser a escolha ideal e engraçada, tá certo que seu papel ajudou se comparado aos demais, mas não dá para negar que a bicha sabe imprimir personalidade na atuação em tudo que faz, Phi² na mediana, que também foi favorecida pelo papel se comparado ao de Roxyyy (quando percebeu isso trocou logo de papel com a outra) e Katya, que realmente começou mal, mas se achou no meio da performance, não ficando tão desastrosa de sem graça como a de Alyssa, outra que ficou com um papel que não dava para defender, voz baixa, gaguejando, sem muita movimentação, e sabendo que acting não é o forte de Alyssa um bottom já era esperado

Detox também não fez feio, mas foi aquela coisa mediana esquecível, e acabo marcando mais da atuação de Roxxxy exagerada de caras feias, como quem tá sem se aguentar de dor de barriga, mesmo que não por bons motivos.  O desafio mais meh da season até agora, então, por favor RuPaul, sei que hoje em dia drag tem que saber atuar, cantar, fazer aprestações, se portar, mas joga uns desafios de costura para essas meninas, que elas rendem mais no workroom costurando e lavando roupa suja do que interpretando uns roteiros desse. Atenciosamente, me.

A runway foi inspirada no inesquecível giro dois em um look de Violet Chachki na première da sétima temporada. Já tivemos vários looks dois em um no show, e Tyra até num três em um já desfilou, mas aqui decidiram atribuir autoria a Chachki. Aquele giro foi maravilhoso, inigualável, foi inovação dela mesmo, e acho que aí que as gatas deviam ter focado, e não apenas na transformação, looks muito bons, todos na média, e com a exceção de um, nada gag of the year como a inspiração do desafio pedia. Vamos ao ranking,

– Phi Phi: O look rainha eu até gostei, mas o segundo não deu para defender, vestidinho brega, quando ela disse ter concebido o conceito fiquei com pena. Depois vim descobrir que foi inspirado no começo e final da Bella e a Fera, o que fez o look descer melhor, pela referencia e por ver que ela dando um jeito de encaixar seus cosplyas na runway, mas ainda não o suficiente.

captura-de-tela-2016-09-22-12-35-16

– Alyssa: Look bem Alyssa, too much. Já sabemos que esse não é seu forte, sua estética é muito exagerada e pende para o brega as vezes, mas isso que espero de uma drag queen. A ideia foi ótima, amei os flashes, que quase me cegaram, e todo vez que via seu vestido meus olhos eram assassinados com tanta câmera. Transformação boa, mas nada de elegante, não é um vestido usável para outra que não Alyssa.

captura-de-tela-2016-09-22-12-39-25

– Detox: Um look elegante, mas sem concepção maior por trás, acabando meio esquecido entre os demais que marcaram mais, de uma forma ou de outra. A bunda desproporcional de Detox também me incomodou um pouco.

captura-de-tela-2016-09-22-12-36-43

– Roxxy: Look maravilhoso, já quero um para sair na rua. É essa coisa já esperada por Roxxy, seu estilo não é muito aventureiro, as formas, design e silhuetas são quase sempre os mesmos, mas olha, não consigo reclamar, pois a bicha sabe valorizar o corpo e fazer uma runway bafo.

captura-de-tela-2016-09-22-12-35-39

– Katya: Amei a ideia exorcista e sua execução. O conceito transformação foi um dos melhores, bem Sister Mary, sds Asylum. Peca por ficar só nisso, ter menos, vestidinho vermelho básico de crente. Numa season normal teria sido um bom look, mas como veremos bem, no All Star não dá para ser só engraçadinha. Not today Satan.

captura-de-tela-2016-09-22-12-36-21

– Alaska: A bicha veio para ganhar mesmo e se consolida cada vez mais como frontrunner. Até feia consegue ser bonita e ganhar. Fiquei de queixo no chão com a transformação saco de lixo Lil. O forte aqui é a auto referência ao show e a ela própria. As outras devem ter se roído por não terem pensando nisso primeiro, mas é Alaska neah amores. E isso a consagra como forte, o poder de se auto referenciar, mostrando e se reconhecendo importante na história do show, além de trazer de volta uma personagem amada pelos fãs. Agora que cresceu, e apesar de odiar, Lil Poundcake pode desfilar com a benção da moms, que é a única que pode mandar nela.

Para encerrar essa review chamo a linda maravilhosa Nye, para nos contemplar com sua iluminada opinião sobre esse instigante final.

Nos bastidores a gente acompanhou um pouco mais de drama (recomendo trocar o nome para All Stars Drama Edition). Convenhamos que em primeiro lugar #ForaTemer Katya não deveria estar no bottom, segundamente Alyssa realmente foi a pior do dia, terceiramente é só isso que deve ser analisado?

Iriamos à tradicional conversa em particular entre as rainhas do top com as meninas do bottom, porém, Phi² deixou claro que não queria passar pelo constrangimento de ver as meninas pedindo para ficar, ou seja, considerou sua decisão absolutamente inquestionável e imutável. Gata, essa não é a melhor forma de se redimir, hein?

Alaska, por sua vez, resolveu fazer a tradicional média com as meninas e ouví-las. Por um instante realmente achei que ela levaria em conta o que a Alyssa vem defendendo. Seria justo eliminar uma boa queen apenas por um vacilo? Não seria mais coerente analisar a trajetória? Alyssa me soou bastante consistente, porém, sabemos que eliminar as outras duas também poderia tazer grandes consequências. Decisão realmente difícil!

Vamos agora ao lipsync… Eu realmente acredito que a Alaska levou a melhor. Não é qualquer uma que consegue competir com Lil’ Pound Cake, né gatas? Incorporar a personagem foi uma sacada genial do começo ao fim. Nesse critério, acho injusto questionar as vitórias da Alaska. Ela vem sabendo usar sua excentricidade ao seu favor.

Quanto a eliminação, digamos que Alaska perdeu mais uma oportunidade de se livrar da sombra do Rolaskatox. Não que tenha sido injusto eliminar a Alyssa, mas estamos dentro de um jogo e ela vai ser acusada de defender a Roxxxy duas vezes SIM! Adiantou em que a conversinha em particular com as garotas? Nesse aspecto, Phiphi se sobressai por não fazer média e discurso bonito. Alguém realmente acreditou naquele choro dela? Eliminou a pessoa que trabalhou com ela essa semana. GuuuuRL, não entrega a coroa pra outra assim!!! De volta aos bastidores pós eliminação, a edição resolveu nos dar um gostinho de quero mais para o próximo episódio. Na workroom Phiphi justificava por qual motivo também eliminaria Alyssa. Digamos que seu discurso foi BASTANTE agressivo ao falar mal de TODOS os looks da Alyssa e dizer que os jurados a protegiam. Mulher, tu já olhou pro teu look de colar de patos????? Porém, temos que ver que TODAS as meninas estavam concordando com o que ela dizia, então não acho justo colocá-la como a menina má da situação!

Mas, vamos ao que interessa, enquanto PhiPhi se ocupava em detonar Alyssa, eis que as meninas eliminadas surgem no espelho como zumbis querendo sangue e vingança. Isso nos promete AINDA MAIS drama para o próximo episódio e muito bate boca. Como se desenrolará essa vingança? Estão torcendo pelo retorno de qual queen? Eu já sou #TeamAlyssa e #TeamTatianna e vocês?

 

Robson Abrantes
Robson Abrantes

Estudante de engenharia na semana, escritor wannabe nas horas vagas e sonhador integralmente. Nem de exatas nem de humanas, renascentista. Morando em Campina Grande. Reinventando-se desde 92. Inconformista. Cinéfilo. Cosmopolitan. Shitalker. Teve seu 1º contato com o mundo das séries nas madrugadas do SBT, e ainda segue agarrado a esse vício.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: