Por que reuniões de família são sempre emocionais?

“Family That Drags Together” é uma roda-gigante emocional. Os episódios de makeover sempre são muito divertidos, mas um influxo de drama familiar deixa o episódio muito mais pesado que os passados. Trazer as familiares das competidoras remanescentes para makeovers é uma decisão inspirada de RuPaul, mas o timing não funciona muito bem para Alyssa e Detox, que ainda estão mornas pelas mortes de seus pais. A dor é especialmente maior para Alyssa, que vê sua irmã, Tabatha, pela primeira vez desde o funeral de sua mãe um ano atrás, quase no mesmo dia.

captura-de-tela-2016-10-16-00-33-34

Houve muitos momentos chorosos na história de 7 anos do Drag Race, mas poucos doeram tanto quanto a primeira conversa de Alyssa e Tabatha no sofá. Eu não sei o quanto isso foi editado pelos produtores que quiseram criar momentos poderosos, mas isso realmente não importa. O momento de emoção quando Alyssa e Tabatha se encontram é de partir o coração, e você consegue sentir a tensão entre elas quando elas primeiramente se sentam e como isso se dissipa quando elas se reconectam. As falas da entrevista com Alyssa revelam que ela se jogou de cabeça no trabalho após a morte da sua mãe, afastando-se do restante da família como uma via de escape. É, então, a situação perfeita para que ela se reconecte com seu lar.

Alyssa e sua nova irmã drag Ava Edwards pipocam a passarela no aniversário de morte de sua mãe, então naturalmente sua performance é dedicada À memória dela. Todas as queens têm que performar coreografias de vogue com suas parentes, e isso pode não ser tão fácil quando você se fixa no falecimento de sua mãe. Não tem como evitar a tristeza desse dia, e enquanto Alyssa é capaz de facilmente entrar no personagem e colocar um rosto selvagem, pode-se dizer que Tabatha está tendo mais dificuldade de entrar no espírito da coisa. Por outro lado, ela é uma das vogueadoras mais fortes entre as candidatas. E eu não a culpo por isso. Ela carrega muita carga emocional junto com aquela peruca gigante que Alyssa colocou na sua cabeça, e pode não estar se divertindo tanto quanto as outras parentes, porém tentando seu melhor para estar lá por seu irmão.

captura-de-tela-2016-10-16-00-44-44

A morte do pai de Detox não é tão recente assim (lembrem que ele ficou doente logo antes de Detox entrar no Drag Race pela primeira vez), mas o aniversário passou recentemente, então também é algo pesado na mente de D. e Heather. Enquanto Alyssa e Tabatha têm uma relação mais relaxada, Detox e Heather são melhores amigas. Heather fez Detox morar com ela durante um tempo particularmente difícil no passado da queen, e Heather também é a advogada de Detox. As duas conversam um pouco sobre pai, sua dificuldade de aceitar o estilo de vida de Detox e o quanto a queen é agradecida por ele ter voltado atrás em algumas coisas antes de morrer, até mesmo indo a um show da drag. É um assunto sensível para Detox, mas a emoção não está no mesmo nível de intensidade da de Alyssa, que está realmente going throooough essa semana.

Detox termina no top esta semana, junto com Katya, a única queen restante que não é da season 5. O vogue de Katya com sua mãe, Pat (a.k.a. Svetlana Borisnova) é realmente delicioso de se ver, mas é sua passarela que realmente encanta os jurados. Com Katya como uma Anna Karenina soviética dos anos 70 e Svetlana como sua babushka confusa, as duas criam personagens memoráveis com uma relação claramente divertida, e Pat merece reconhecimento especial por cair de cabeça no personagem.

captura-de-tela-2016-10-16-00-36-56

Roxxxy termina no bottom porque é sua posição padrão, mas ela também teve um grande desafio em maquiar sua avó Sonia. Roxxxy não está nos dando nada de novo na competição, e também não há ambição nos looks que ela coloca nela mesma e em “Raquel Andrews”. Eu peguei a referência das calças para o vídeo de Vogue, de Madonna, mas isso parece muito fácil de se construir. Elas não estão mal vestidas nem maquiadas, e estão até confiantes na passarela, mas Roxxxy precisa mirar mais alto se quiser ficar no top.

Não há desculpas para Pamela, mãe de Alaska, usar chinelos na passarela durante o vogue, e sua roupa é apenas uma camiseta de Alaska com qualquer coisa enrolada na cintura. Alaska não coloca muito esforço no seu próprio look, e enquanto o corte com a cabeça de cavalo é legal, não faz as escolhas de look mais aceitáveis. As roupas da passarela também não são muito melhores, e enquanto Alaska e Hawaii parecem boas juntas, os chapéus e boás não mostram a imaginação que os jurados sabem que Alaska possui.

captura-de-tela-2016-10-16-00-59-35

Alaska ficando no bottom é um grande twist, e ela não parece encarar isso com serenidade. Nas deliberações, ela nem mesmo parece ser quem é. Ela faz piada com sua mãe dizendo que ela ainda chora para conseguir o que quer, e isso é basicamente o que acontece no backstage quando ela diz o quanto quer chegar à final. Ela está no ponto de realmente querer comprar seu lugar na competição, e isso não parece muito legal. Sua esperteza transformada em desespero mostra um lado muito diferente de Alaska do que temos visto durante toda esta competição, e francamente é humilhante ver Alaska se revelando fraca depois de um passo fora do tablado. Entendo que as emoções são realmente altas neste ponto da competição, mas Alaska as segura pauperrimamente.

foto-de-robson-1

captura-de-tela-2016-10-16-00-40-10

Katya, mais uma vez, perde o lipsync, uma vez que a bunda de Detox a ofusca. A revelação da bunda realmente enlouquece os jurados, e essa energia dá a Detox o boost que ela precisa para vencer. Eu não quero acreditar que a eliminação da semana passada foi influenciada pela dinâmica do Roledex, mas é óbvio que a amizade de Detox com Roxxxy é o que a deixa salva DE NOVO enquanto Alyssa é eliminada. Detox também tem uma amizade muito forte com Alaska, mas, para ser sincero, ela merece ficar conforme seu desempenho durante a season. Roxxxy não tem o mesmo desempenho, e é desapontador vê-la sendo arrastada por todo o caminho até a final uma vez que foi recordista de bottoms de todos os tempos do RuPaul’s Drag Race.

foto-de-robson-2

Katya está contra o RoLaskaTox na final, e enquanto Alaska permanece a frontrunner do babado, eu realmente sou #TeamKatya depois desse episódio. O RoLaskaTox é como uma batalha interna no fim desse jogo de drag, e quero ver Katya emergir vitoriosa! Ela não teve nenhuma oportunidade de mandar alguém pra casa, mas fez a escolha justa toda vez que teve que pegar um batom, como escolher eliminar Roxxxy em vez de Tatianna na semana anterior. A apresentação prematura de Katya na season 7 foi um dos grandes upsets na história do Drag Race, e eu amaria vê-la ricocheteando essa coroa de All Stars!

captura-de-tela-2016-10-16-00-44-02

Robson Abrantes
Robson Abrantes

Estudante de engenharia na semana, escritor wannabe nas horas vagas e sonhador integralmente. Nem de exatas nem de humanas, renascentista. Morando em Campina Grande. Reinventando-se desde 92. Inconformista. Cinéfilo. Cosmopolitan. Shitalker. Teve seu 1º contato com o mundo das séries nas madrugadas do SBT, e ainda segue agarrado a esse vício.
Deixe-nos um comentário!
  • Bruno

    Quando eu vi esse episódio eu fiquei enfurecido. Passado um tempo continuo indignado. A cara que Rupaul fez me define. Se fosse ela mudava as regras na hora (igual muda quando decide do jeito que quer se será um bottom 2 ou 3) e eliminava a Roxxxy por insistência em ser tão menos que as outras. Hahaha
    Se fosse bottom 2, seria Alaska e Roxxxy. Alyssa foi melhor que as duas. Alyssa rainha. #TeamKatya

%d blogueiros gostam disto: