Posts Populares

RuPaul’s Drag Race – S10E08 – The Unauthorized Rusical

Hello races, eu tenho que dizer duas coisas: Eu vim aqui para brigar e The Vixen não fez NADA de errado. 

Talvez, só talvez, eu tenha começado a review com um tema bastante polêmico, mas preciso dizer que não vou falar da The Vixen agora, porém sim, eu não concordo com a maioria das opiniões sobre essa queen e vou explicar um pouco sobre isso. Eu sou Andy e estou aqui para fazer os comentários mais importantes sobre esse episódio de RuPaul’s Drag Race.

Vamos por partes, o episódio começou com as garotas voltando do ultimo lipsync, vencido pela The Vixen e que mandou nossa querida Monique Heart embora. Eu ainda não superei essa eliminação e não vou superar nem tão cedo #JusticeForMonique #MoniqueWinner #MoniqueOnAllStars4

A partir daí já vimos que a Vixen estava com o fogo no rabo corpo, mas eu tenho que concordar que foi horrível ela ter culpado a Eureka por aquele fiasco no Snatch Game. As queens continuaram brincando entre si e o episódio partiu para o dia seguinte, no shemail a winner que venho aprendendo a gosta a.k.a Shad, apareceu vestida de Cher, já indicando que o desafio da semana seria algo relacionado a lenda do pop.

O mini challenge da semana foi um dos melhores da temporada e o qual acredito que deveria voltar nas próximas seasons, as queens deveriam dizer algo a RuPaul que a fizesse querer da um tapa na cara da queen, obviamente o tapa era cinematográfico. Em que a pessoa realmente não bate na cara da outra, só finge galera, e foi exatamente o que NÃO aconteceu com a Asia hahaha. Eu concordo que ela foi uma das melhores no mini desafio, junto com Miz Cracker e Monet.

Com isso a Asia soltou uma piada fenomenal de que agora o nome do programa seria “Asia O’Hara Drag Race” EU JÁ QUEROOO ESSE HINOO!!!

Em seguida a Mama Ru anunciou o desafio principal, um musical não autorizado em homenagem a Cher, no qual cada queen ficaria com uma fase da Cher e deveriam cantar ao vivo durante a performance. O que eu não entendi foi a RuPaul escolhendo a era para cada queen, quando o justo seria a Asia decidir, já que foi ela quem venceu o mini challenge. E sem chocar ninguém Eureka pegou a Cher mais icônica e The Vixen e Asia as mais imemoráveis, sabe, apenas coincidência.

A distribuição de eras ficou assim:

Kameron – Sixties Era

Monét e Vixen – Seventy’s, cada uma com um momento diferente. 

Aquaria – Disco Cher

Asia O’Hara –  Movie Star Cher

Eureka – Rock Star Cher

Miz Cracker – Comeback Cher

As queens então começaram a treinar suas Cher’s interiores, e como disse a Cracker, a work room estava parecendo um sanatório, aquilo foi hilário. A Aquaria era a melhor de todas!!! Então a Ru veio conversar com as queens, dar dicas sobre o desafio, fazer aquele papel de mãe que ela ama fazer e agora sim vamos começar nossa tour sobre o furacão The Vixen e trabalhar nossas mentes e corações para compreender essa fierce queen e assim darmos mais amor pra ela, é o que ela precisa.

A Mama Ru tocou no ponto certo quando foi falar com a Vixen, realmente agindo como uma mãe que nota os defeitos da filha e quer ajuda-la a melhorar. Quando ela disse que a maior briga na vida da Vixen, é a dela com ela mesma. Esse é o ponto e que vamos explorar mais um pouco a frente, mas fiquem com isso na cabeça.

As queens foram ensaiar a coreografia com o Todrick Hall, que não parecia estar nem um pouco afim de estar ali, eu só consegui pensar “Mama Ru, porque não chamasse a Alyssa de novo?” . Foi nesse momento que percebemos que o desafio principal poderia sair uma grande bomba, afinal nenhuma queen estava indo bem.

Entretanto, uma queen específica decidiu que poderia não cantar no ensaio, ela mesma, Eureka, obviamente esse comportamento irritou a The Vixen e as duas tiveram um atrito bem na cara do Todrick. Mas a Eureka justificou seu problema com o canto, contando o trauma que sofreu na infância por seu pai obriga-la a cantar, enfim, uma história que eu fiquei sem entender muito bem, mas que ficou parecendo mais uma das inúmeras desculpas dela. Nem umas lagrimas teve pra incrementar a fic gente, 4/10.

Enquanto as meninas se preparavam para o desafio principal, pudemos conhecer um pouco mais da história da Miz Cracker, sobre como sua família era extremamente pobre e por isso eles não tinham acesso a cultura pop, na verdade quando eles tinham acesso a comida era muito. Fiquei chocada com a imagem da mãe da Cracker e a beleza dela.

Miz ainda contou sobre como muitas vezes ele e a irmã iam a escola apenas com a lancheira, mas sem comida, pois a mãe deles queria que eles se sentissem como todos os outros e isso me fez pensar como o capitalismo faz as pessoas sentirem vergonha das necessidades/desigualdades criadas pelo próprio sistema. É importante pensar sobre isso galera, não devemos naturalizar algumas realidades, todo mundo tem o direito de ter acesso a elementos básicos da vida.

Ainda nesse bloco uma conversa muito importante e que me chamou bastante atenção foi colocada na mesa. Antes de falarmos sobre isso eu preciso que vocês tentem se despir de todos os “pré-conceitos” criados até aqui. Essa dialogo não foi importante apenas para o reality show, mas para uma sociedade estruturalmente racista e como ela afeta a sanidade de pessoas negras. Existe um homem por trás da The Vixen, um ser humano e que não é o único com o problema que ele está. Isso não é vitimismo! Isso é resultado de um sistema racista. Não tente jogar a culpa dessa violência na vítima!

Preciso que vocês sintam esse dialogo, que ele sirva para reflexão de vocês. Vamos lá:

Asia para Vixen – “Talvez inconscientemente você fica com raiva porque a Eureka é uma representação de muita coisa que você não gosta na comunidade.”

Asia para produção – “Acho que a Vixen sofre do que chamamos em Texas de “Síndrome da Mulher Negra Raivosa”. Toda vez na vida da The Vixen que ela precisou ficar quieta por alguém que teve mais privilégio que ela, toda essa raiva ficou presa, e agora está indo direto para Eureka. A vixen está lidando de um jeito errado? Sim. Eu entendo os motivos da The Vixen? Absolutamente.

Asia para The Vixen – “O que acontecer entre vocês, quero ter certeza que seja especificamente por causa da Eureka e não por algo maior que nós, que não temos controle. NINGUÉM TIRA SEUS SENTIMENTOS OU DIZEM QUE NÃO SÃO VÁLIDOS, mas tenha certeza do motivo que está com raiva e onde sua raiva está.”

Eu adoraria que o que a Asia disse sobre ninguém estar dizendo que os sentimentos da The Vixen não são válidos fosse verdade. Mas infelizmente é isso que eu vejo em maioria entre os fãs do Drag Race, as pessoas inferiorizando ou apagando os sentimentos da The Vixen, como se eles não fossem válidos e não tivessem motivos, enquanto os sentimentos de queens brancas são extremamente valorizados e compreendidos. Esse é um dos motivos da raiva da The Vixen, se vocês não gostam das atitudes dela, saibam que essas atitudes são fruto da relação social de pessoas com pessoas negras.

The Vixen para Asia – “Mas em uma competição, quando alguém está deslizando por ela, é muito estressante.

Quando a Vixen fala em estar “deslizando pela competição” é uma crítica aos privilégios que Eureka vem tendo, coisas que se você assistir superficialmente o drag race, não nota, mas se assistir analisando como as coisas acontecem e os motivos de acontecerem, é fácil perceber, alguns exemplos serão expostos nessa review mais a frente, mas por enquanto fiquem com as declarações da Monique Heart sobre o que aconteceu no Snatch Game.

Monique expõe comportamento de Eureka na S10 de Drag Race

Continuando:

Asia para The Vixen  – “Estou com você. Mas ficar com raiva dela vai ajudar a The Vixen como? E força não precisa ser vocalizada. As únicas pessoas que precisam saber que você é forte são você e os jurados lá fora”.

Asia para Produção – Eu vejo a dor no rosto da The Vixen e fico arrepiada de conversar sobre isso porque É UMA SITUAÇÃO DIFÍCIL E PROBLEMÁTICA. THE VIXEN AINDA É AQUELA CRIANÇA QUE LUTA PARA PROVAR QUE PRECISA SER OUVIDA E AMADA. 

Asia chegou no ponto certo e deu uma aula de sororidade entre negros, quando muita gente que ama falar sobre isso, só acha que é preciso para pessoas brancas. Essa é a ferida da The Vixen, ela não sente que é amada e ouvida, por isso ela grita, por isso ela tem atitudes infantis e ainda assim as pessoas não conseguem entender o que ela está querendo dizer, só conseguem ver a imagem da pessoa negra raivosa ali. Eu não estou aqui para fazer ninguém gostar da The Vixen, mas eu preciso que vocês entendem o que ela está passando se ainda existe o mínimo de empatia e compaixão pelo próximo aí. Porém, se esses sentimentos só aparecem quando se trata de pessoas brancas, é com dor no coração que digo, você precisa trabalhar isso, pois isso tem nome e não é uma coisa boa. Portanto eu peço, vamos dar amor a The Vixen e se você não consegue fazer isso, esqueça dela, afinal, já diria a Alyssa “Get a group, get a life and GET OVER IT”. Vixen é uma pessoa que já recebeu muito ódio do mundo, ela não precisa de mais ódio, se ela receber mais ódio tem muitas chances reais e cruas dela desenvolver sérios problemas mentais que podem levar a danos irreversíveis e até mesmo o suicídio. Não continue contribuindo para isso.

E assim começou o desafio da semana, a Mama Ru entrou na runaway linda como sempre, fazendo piada com os jurados e explicando o que iria acontecer. Os jurados da semana foram: Michele Visage, como de costume, Carson Kressley, que também já se tornou recorrente e os convidados especiais, Andrew Ranells, do cast de Girls e The New Normal e Billy Eichner, do cast de American Horror Story: Cult (Uma das melhores seasons, inclusive).

E foi nesse momento que a Mama Ru fez uma piada com a Michele que me fez dar um grito de risada. #PaneNoHolograma

Então pessoal, como temos apenas 7 queens no episódio, vou comentar o desempenho delas no main challenge e os looks na runaway de todas juntinhos e depois faço um comentário geral sobre desafio e looks, lembrando que o tema da runaway foi algo parecido com looks trabalhados com glitter:

Kameron Michaels 

Ficou com a Cher dos anos sessenta, icônica, enquanto ainda estava com o Sony e sua parte conta justamente esses momentos da carreira da cantora. A voz que a Kameron fez da Cher ficou boa, o look estava no lindo e certinho, ela segurou bem o desafio. Porém foi bastante mais do mesmo que vemos da queen na competição e não senti algo realmente relevante e forte.

O look da Runaway estava lindíssimo, muito bem trabalhado e os detalhes davam todo um diferencial para a roupa. A espécie de capa feita por ela deu uma característica bastante futurista e a peruca foi muito bem escolhida, o glitter saindo da raiz do cabelo deu um diferencial enorme.

Monét X Change 

Sem duvida nenhuma a melhor no desafio principal, mesmo com a voz mais grave conseguiu interpretar a Cher de forma única e completamente memorável, seu verso na música foi excelente e hilário, a parte sobre apropriação cultural me fez gargalhar de rir, nunca pensei que colocariam isso no musical. Ela ficou com um dos momentos mais icônicos da Cher, em uma de suas fases nos anos 70. Monét brilhou muito nesse desafio, o look Cher não estava favorecendo o corpo dela, mas eu amei btw.

Já a runaway teve uma ótima ideia, que foi extremamente mal executada, na minha opinião foi o pior look do episódio, mas não foi um filme de horror como já vimos outras queens fazerem na história do programa. É um fato que a Monét precisa trabalhar mais seus looks, é o único ponto em que ela peca como drag queen. Toda a personalidade que falta na Kameron está presente na Monét. É uma pena que muita gente não veja isso. Ainda sobre o look eu acho que ela poderia usar o mesmo look, porém com uma calda no meio da cintura e talvez alguma peruca preta, bem cacheada e volumosa, talvez assim melhorasse bastante o look.

The Vixen

O look Cher da The Vixen não era bonito, mas era a proposta da era que a RuPaul deu para ela, falando nessa era, é uma das mais imemoráveis da carreira e aconteceu também nos anos setenta. A voz da Vixen estava péssima por não lembrar nada da Cher, sobre os movimentos eu achei muito injusto a culpa ter caído sobre ela quando a coreografia foi idealizada pelo Todrick, os quais ela executou muito bem. Mas de fato não tinha NADA de Cher, era a Vixen performando.

O look da runaway foi sem duvidas o melhor look dela no programa. O vestido estava certo e super bem acabado, o cabelo bem escolhido, os detalhes bem colocados, a ideia de colocar glitter pelo corpo também foi ótima.

Aquaria

Agora eu vou falar umas verdades, quer você queira ou não! A Aquaria foi péssima nesse desafio, não tinha nada de Cher, a voz tava cagada, errou a coreografia, que já não estava muito boa. única coisa interessante foi o look, mas isso é devido a era que ela pegou, a “Disco Cher”, que a RuPaul deu a ela sabendo que seria a que talvez ela se saísse melhor e ainda assim a bicha foi péssima. Único momento bom foi no final da performance, como aconteceu com a The Vixen.

Sobre a runaway, preciso enaltecer muito esse look, acredito que um dos mais FODAS incríveis em todas as temporadas de RuPaul’s Drag Race. O conceito é impecável, o acabamento muito bem feito, todos os detalhes bem colocados. Gente, pra quem não entendeu, o look remete ao cristianismo e os olhos tapados significam a alienação das pessoas a religião. Palmas para Aquaria! O melhor look da runaway e um dos melhores em todas as seasons do drag race.

Asia O’Hara

Asia foi um fiasco né gente, forçou a voz da Cher e saiu a própria caçambinha de lixo, o look também estava horrível e a make pior ainda, mas acredito que não tenho muito como a gente julga-la por isso, afinal era o desafio e sim ela pegou a pior era da Cher para ser feita, a era que praticamente ninguém conhece, acho que só os fãs, a Movie Star Cher. A bicha foi okzinha na coreografia, mas esqueceu uma parte da música, que mico gente!! Ainda assim conseguiu mostrar mais Cher que a Vixen e a Aquaria.

Seu look da runaway foi sem dúvida um dos melhores dela e um dos melhores da temporada. É interessante pensar sobre essa drag, é uma queen que vem surpreendendo muito com relação a looks e personalidade, trazendo muita originalidade, carisma, nervos e talento. O conceito do look em trazer essa vibe Magico de Oz, palhaço e glitter deu muito certo. Um dos melhores looks do episódio.

Eureka

Eureka foi a definição completa de filler nesse episódio, não foi boa, nem ruim, esquecível. Deve ter baixado a Kameron nela. No desafio principal começou péssima e melhorou bastante no decorrer, talvez tenha sido pela fic trauma que sofreu na infância. Mas os jurados tiveram que forçar muito na hora de elogiar ela, ela passou metade da performance morta, teve a “sorte” de pegar a era mais icônica da Cher, quando você pensa em Cher, você pensa no look da Rock Star Cher. Ela tinha material para vencer o ep e não chegou nem perto da melhor. Além de que é muito fácil você ir bem estando com vantagem. Os jurados enalteceram muito a coreografia dela, mas eu não acho que esse mérito tenha sido muito dela, afinal foram ideias do Todrick e ainda assim ela só executou bem perto do final.

O look estava lindo, cheio de detalhes e com um conceito legal. Mas sinceramente eu senti um pouco de mais do mesmo, o cabelo parecia com outros que ela já tinha usado, assim como o look. Por isso não consegui gostar tanto. Realmente mereceu muito o save.

Miz Cracker 

Cracker pegou minha era favorita da Cher, o Comeback Cher, sabe a fase cheia de autotune e do hit Believe. Você acredita na vida após o amor? Não posso opinar, mas posso opinar que a Miz foi impecável como Cher, vários movimentos característicos da lenda do pop, a voz no lugar certo, o look bem característico, a coreografia super bem feita, até a maquiagem estava lembrando muito a Cher. E aquela balela de que não estavam entendendo o que ela cantava foi um mico, afinal o autotune em excesso causa justamente isso, pareceu desculpa para não enaltecerem ela. O que não me choca, Cracker vem sendo injustiçada nesse reality faz tempo. Claro que o fato dela ser naturalmente engraçada ajudou bastante.

O look da runaway foi um dos melhores junto com Asia e Aquaria, dos detalhes do vestido, ao conceito, maquiagem e a forma que ela o vendeu. O único defeito pra mim foi a parte de trás, estava meio troncha e isso me incomodou um pouco. É uma pena os jurados não notarem o quão a Miz Cracker é maravilhosa e merece reconhecimento, assim como aconteceu com a Monique.

O desafio principal foi claramente uma tentativa da RuPaul em mostrar cultura para as gays novinhas que não se importam com a história da música pop e um dos maiores ícones desse movimento, a Cher. Justo, eu mesmo aprendi bastante sobre a inventora do pop. Mas sobre o desempenho das queens eu acredito que poderia ter sido bem melhor, na minha opinião apenas duas estavam num bom nível para a competição: Miz Cracker e Monét. Todas as outras foram péssimas ou medianas.

Depois da crítica dos jurados, o resultado ficou assim:

Kameron Michaels – Winner 

Eureka – Save

Miz Cracker – Save 

Monét – Save 

Aquaria – Save 

The Vixen – Bottom 

Asia O’Hara – Bottom 

Eu concordo ? Não! Aquaria foi ridiculamente pior que The Vixen e Asia teve mais Cher que Aquaria e Vixen, então meu bottom seria formado de qualquer forma pela Aquaria e alguma das outras queens. Talvez Vixen por ter cometido os mesmos erros que Aquaria em não passar nada da Cher, apesar da Asia ter sido péssima, então entre Asia e Vixen eu não sei quem decidir, mas sem dúvida Aquaria estaria no meu bottom. Mas não fiquei surpreso com ambas lá, ficou bem claro a intenção da RuPaul em colocar as duas no bottom desde a escolha das eras para cada queen. Talvez a Aquaria tenha sido salva pelo look, mas talvez a RuPaul saiba que ela seria massacrada se caísse no bottom com Vixen ou Asia e está clara a intenção de levar a Aquaria para a final por ser a queen com mais hipe de fãs na temporada. E ainda assim as outras meninas também tiveram ótimos looks.

Já sobre a Winner, pensando num conjunto completo, look e challenge, a Kameron foi uma das melhores, mas ainda assim eu daria o win para a Monét, ninguém foi tão bem quanto ela, até mesmo a Cracker. Eu realmente não concordei com nada que foi feito nesse episódio.

Asia e The Vixen se enfrentaram no lipsync for your life e ambas arrasaram, Vixen mesmo um pouco mais morta que nos outros lipsyncs, arrasou, não tem como negar que ela é uma ótima performer. Mas Asia foi realmente melhor e acredito que ela tem bem mais a contribuir para a competição.

The Vixen foi eliminada e isso me deixa aliviado de certa forma, é muito ruim ler certos comentários sobre a Vixen, ela foi uma grande competidora, mostrou sua verdade e não será esquecida facilmente. Colocou assuntos muito importantes em pauta, que mesmo que algumas pessoas não queiram entender, ficaram bem claros para outras.

Enquanto isso no Untucked…

Foi um episódio mediano, com alguns pontos relevantes, mas a parte que se destacou foi realmente o discurso da Vixen. As queens começaram se questionando quem estaria no bottom e quem seria a winner e pelas críticas viram que tinha grandes chances da Kameron ser a winner, mas ela ficou com cara de merda o tempo todo e disse que não comemoraria antes de vencer, eu concordo com ela, ainda não tinham motivos para comemorar e tudo poderia acontecer. O que me incomodou na Kameron é que ela estava muito grossa com as outras queens e isso me fez pensar que se fosse qualquer queen negra, maioria do público do drag race cairia em cima.

O episódio partiu para Kameron e Eureka conversando sobre a competição, Eureka disse que achava que a Asia era a maior competição dela no programa, mas mudou de opinião e acredita que agora é a Kameron, ok. Next. Já a Kameron disse que tinha medo que as pessoas achassem que ela é rude ou falsa, sinceramente eu preferia achar que ela é isso porque meu problema com a Kameron é justamente eu não sentir nada dela, como se ela fosse apenas looks, não me nem empatia nenhuma, emoção nenhuma, é triste isso numa drag queen. Quando sua estadia no programa é pior ainda, não existe storyline nenhum para ela, e sim, num programa como RuPaul’s Drag Race isso é bastante importante. Eu sei que ela tem muitos fãs, mas o motivo que vejo pra isso é bem simples, as pessoas amam enaltecer padrãozinho, a Kameron é isso, com uns lookzinhos bonzinhos, personalidade just ok, ta pronta a formula para agradar o público.

Enquanto isso as outras meninas conversavam e Miz Cracker tentou explicar a Aquaria o quão o ego dela é gigante, como ela não é humilde e a forma que isso atinge as outras queens na competição, porém de uma forma educada e apaziguadora, mas a Aquaria provou ser de fato burro e não entendeu nada do que tava acontecendo. Esse momento foi hilário na verdade, tanto com a Miz tentando dialogar com ela, como com a Aquaria falando com o nada porque não conseguia enxergar e as outras meninas reagindo a ela.

Ainda nesse momento a Vixen declarou que passou a gostar mais da Aquaria com o decorrer da competição pois as meninas não a compreendiam, assim como acontece com ela. Mas preciso relembrar que só uma recebe back lash na web, né?!

E por fim The Vixen foi eliminada, dando o melhor discurso de eliminação feito até agora nessa temporada, na minha opinião. Obviamente que eu redigi ele aqui para que possamos refletir sobre a estadia dessa queen no reality e nossas atitudes com pessoas negras:

“Eu realmente apreciei muitas coisas. É horrível para mim que muitos dos meus grandes momentos foram momentos de raiva. Eu vim aqui para me apresentar e para mostrar como sou boa sendo drag, não para mostrar como sou boa de briga. Essa não é a parte divertida. A coisa mais difícil na hora de ir embora é que eu sei que existe alguém por aí como eu com um passado parecido e coisas do tipo que vai achar que não conseguirá ir longe porque eu não consegui. E isso realmente me deixa triste porque vocês conseguem. Então eu não quero que as garotas lá fora desistam só porque eu não ganhei a coroa porque vocês conseguem fazer isso, só precisam tentar. Quando eu penso em todas que foram exemplos para mim, que já estiveram aqui e me ajudaram a chegar aqui vendo até onde elas chegaram ou sabendo o que podiam fazer, fez-me sentir que eu podia fazer o mesmo. Eu queria ir bem para a próxima pessoa. E espero que as pessoas, especialmente as drags de Chicago, as drags negras de Chicago de South Side, não desistirem ou não acharem que precisam ser outra pessoa para se encaixar ou se destacar. Eu levei um bom tempo para aceitar que sou boa o bastante. Se você não está aqui para ganhar, você está aqui para crescer e aprendi algumas coisas sobre mim mesma. Com certeza aprendi de onde vem minha raiva e de onde não é bem minha atitude, mas de onde meu espírito briguento vem, o que acho que tem muito a ver com minha sensação das chances já estarem contra mim, como uma pessoa negra, como gay, como Drag Queen.”

Como negro eu entendo muito do que a Vixen sentiu durante a competição, talvez no lugar dela eu tentasse não ter as mesmas atitudes por saber da repercussão ruim que isso traria para mim e por saber como as pessoas costumam não se importar com os sentimentos de pessoas negras. Mas eu consigo entender completamente as razões dela, são justas, reais e muitas vezes cegam e dão raiva, afinal se existe muita injustiça no mundo, para pessoas negras isso é ainda mais forte.

Eu realmente espero que as pessoas saiam de suas bolhas e consigam ver a The Vixen através dessa figura raivosa, ela precisa ser amada e ouvida. E para meus irmãos e irmãs pretes, lembrem:

“Você não pode ganhar, se não tentar”

Se você chegou até aqui, obrigado pela companhia e desculpe pela grande review, mas isso aqui foi basicamente como uma sessão de terapia, um desabafo.

Um beijão e até a próxima. Lembrem de comentar, estou sempre aberto a opiniões e louco para saber o que vocês acham. <3

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Andy

20 anos, pernambucano da peste, estudante de Radio, TV e Internet da UFPB. Sagitariano com asc e vênus em aquario, lua em câncer! Signo importa sim! Amante e consumidor massivo de cultura pop, além de problematizadora. Amém Rihanna, amém Katy Perry! Bjxxx de luxx

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries