Posts Populares

Segunda Chamada – S01E02 – Episódio Dois

“Do mesmo jeito que escrevo Mãe com M maiúsculo, eu escrevo Professor com P maiúsculo”

Segunda Chamada estreiou aclamada, o novo drama da Globo conseguiu retratar boa parte da realidade da escola pública da periferia brasileira. Quando eu ouvi falar sobre a série eu já fiquei muito curioso para saber o que viria, eu sempre estudei em escola pública da periferia e acabei concluindo minha graduação em Licenciatura em Química, então logo faço parte dessa trupe de profissionais que da o seu melhor todos os dias para tentar mudar a realidade do nosso país pela via que ele deveria mudar. Atualmente não estou lecionando porque estou me dedicando a concluir meu Doutorado, mas essa série ao mesmo tempo que me relembra algumas coisas que eu vi durante meu tempo na escola ou meu tempo fazendo estágio, me traz um sentimento ótimo de ver que existem SIM, ótimos profissionais e bem intencionados que tentam mudar a realidade ao seu redor.

O primeiro episódio nos introduziu os professores que formam o núcleo principal da série: Lúcia (Débora Bloch), Eliete (Thalita Carauta), Jaci (Paulo Gorgulho), Sônia (Hermilia Guedes) e Marco André (Silvio Guindane) e mostrou um pouco da rotina escolar envolvendo cada um deles e os alunos, vocês podem conferir nosso review do primeiro episódio aqui.

Situações típicas como professores fazendo turnos em diferentes escolas para complementar renda, vendendno bugigangas entre eles, sendo formado em um campo e tendo que dar aulas de outros por falta de professores, até mesmo reclamando sobre a falta de espaço na mesa dos professores ou questões mais simples como conseguir o respeito da sala de aula são abordadas de forma muito inteligente pelo roteiro ágil da série. Entre os pontos abordados nesse segundo episódio, tivemos um aprofundamento maior na história de Natasha que sempre carrega com si uma navalha para proteção.

Eliete acaba percebendo durante sua aula e confisca de Natasha a navalha gerando uma pequena discussão entre elas, no final Eliete percebe que Natasha preciso daquilo para sobreviver nas ruas, mas ao mesmo tempo não pode permitir que um aluno porte uma arma em sala de aula. Um conflito bem interessante, porque fiquei pensando como eu agiria sendo o professor de Natasha naquela situação e acho que na medida do possível, Eliete fez o correto em pegar o objeto e prometer devolver no final do dia.

O problema ocorreu quando um dos alunos mais velhos começa a desenvolver uma certa paixão pela professora Sonia que já sofre o suficiente com aquele encosto de marido, o cara começa de forma sútil a dar presentes a ela e querer algo mais, ela tenta afastar e acaba sendo atacada por ele. Um retrato cruel do que acontece todos os dias com professores, isso quando a agressão não é uma carteira sendo arremessada ou coisa pior. Sonia acaba sendo salva por Marco André que escuta seus gritos e usa a navalha para salvar ela, no final do episódio Marco da uma carona a Sonia e acho que um pequeno clima começou a rolar ali, espero mesmo que Sonia consiga deixar o encosto de marido para trás e consiga um pouquinho de felicidade em sua vida.

A outra linha do episódio envolveu a maravilhosa Lúcia e Jaci. Conhecemos por flashback um pouco da história anterior de Lúcia que envolveu a perda do seu filho aparentemente, mas o que isso tem relação com sua prática profissional ainda não sabemos. Lúcia acabou não conseguindo entregar a filha de Solange na delegacia e começa a procurar pela garota na favela e acaba descobrindo que sua casa pegou fogo, mais tarde o pai da garota aparece e descobrimos que ele é um embuste assassino de aluguel. Lúcia até tenta proteger a criança, mas Jaci acaba salvando ela, é uma situação bem desesperadora se analisarmos de forma mais fria e a ação de Lúcia em toda história acabou sendo errada, por mais que tenhamos coração e vejamos os alunos como filhos, é importante separar o profissional do pessoal nessas situações e já ficou meio que claro que Lúcia sempre teve problemas com isso.

Deborah Bloch foi uma escolha PERFEITA!

Segunda Chamada mexe em feridas que precisam ser tocadas, é uma série EXTREMAMENTE NECESSÁRIA e assim como Sob Pressão que retrata muito a realidade do hospital público e do sistema de saúde gratuito, Segunda Chamada traz um elenco maravilhoso e faz justiça a essas pessoas que mereciam mais reconhecimento, melhores condições de trabalho e melhor remuneração. Outros pontos positivos, são aqueles depoimentos no final do episódio e também a trilha sonora da série, a música de Belchior simplesmente foi perfeita.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

A indie/gótica do @PanelaDeSéries! Paulista, canceriano, 27 anos de dores na coluna, faço Doutorado em Biotecnologia e vivendo pelo mundo. Me chama para beber @ e vamos falar de série, falar de Imagine Dragons e Lana Del Rey, falar de signos, falar de ciência e xingar os fascistas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries