Posts Populares

Segunda Chamada – S01E08 – Episódio Oito

Agressão pode ser física ou psicológica, mas a sua atitude pode mudar isso. Denuncie, ligue 180.

Segunda Chamada é aquela série EXTREMAMENTE NECESSÁRIA e vem provando isso semana pós semana. O episódio oito foi dedicado a dois temas, a discussão da educação sexual e a violência doméstica. O primeiro tema foi abordado de forma leve e tranquila, vimos um casinho entre Sílvio e Dalva em um cantinho atrás da cozinha da escola. Após esse fatídico encontro, Eliete chama a atenção de Sílvio para o fato de ele estar usando a escola de motel (bem lembrado Eliete, isso não é lugar neh gente?) e depois Sílvio a questiona sem elas não tem uns golpinhos para ele comprar camisinha que as deles acabaram.

Eliete comenta com ele que ele pode retirar de graça em postos de saúde e depois decide tratar de uma temática transversal na sala de aula, e reserva alguns poucos minutos de sua aula para falar sobre Educação Sexual, sobre a importância de sexo seguro e de como os alunos podem conseguir camisinha masculina e feminina de graça em postos de saúde. Pedro fica incomodado e como um legítimo representante da família tradicional brasileira ele acha que é incorreto que “sexo” seja discutido em uma sala de aula, recorre a Jaci e quando pensei que meu ranço por Jaci ia aumentar, ele me surpreende como o parabéns para Eliete na frente de Pedro. Eu ADOREI, adorei a cara no chão do Pedro e a forma como a situação foi conduzida.

É sempre bom relembramos que o papel da escola vai muito além de ensinar conteúdos disciplinares como Matemática, Química ou Filosofia, o papel da escola está atrelado a formação de cidadãos com ética, com informações educacionais relacionadas a outros campos da vida e a educação sexual é um desses temas. É um tema transversal presente nos parâmetros curriculares nacionais (PCNs) e que deve ser abordado durante as aulas. É um papel que cabe muitas vezes a professora de Ciência no Ensino Fundamental e a professora de Biologia no Ensino Médio e costuma ser focado em prevenção de gravidez e prevenção de DSTs, mas cada vez mais grupos religiosos vem atacando isso e tentando diminuir quando nossa sociedade deveria ir na mão contraria e discutir ainda mais isso.

Antes de discutir a outra temática do episódio, tivemos um pequeno desenvolvimento na trama de Marcelo começa ser desvendada, na data simbólica do aniversário de Marcelo, sua melhor amiga Milena aparece na casa de Lúcia e as duas tem alguns momentos fofos e uma conversa sincera que finalmente tocam o coração da garota, ela sente que Lúcia merece saber o que realmente aconteceu para conseguir dar um desfecho a tudo aquilo.

Nesse meio tempo conhecemos mais de Paulo, o professor que foi agredido por Marcelo no mesmo fatídico dia, descobrimos que ele também é professor de português e trabalha na mesma escola só que no período diurno, é que aparentemente ele é casado e tem um filho. Isso deixou o caso ainda mais curioso, será que Marcelo sonhava que ele fosse abandonar sua família para ficar com ele? O que será que realmente aconteceu para todo esse transtorno na vida de Lúcia e Marcelo vir abaixo? Ficamos curiosos e vamos aguardar os próximos capítulos agora que Milena intimou Paulo a contar a Lúcia a verdade.

O último caso é doloroso, é cruel e é real. É a realidade de muitas mulheres em nosso país e na nossa casa, na nossa vizinha, em nossa família, na família de nossos amigos são casos que acontecem, se repetem e quase sempre não são denunciados. A série já vinha discutindo isso com as constantes agressões sofridas por Sonia e mesmo vimos um momento tocante num episódio anterior quando ela conta a Natasha sobre o que acontece com ela.

Mas a vítima da vez foi Aline quando seu atual namorado aparece na escola, inicialmente de forma carinhosa e depois parte para a agressão. A agressão deixa marcas físicas e muitas vezes deixa marcas ainda piores que são emocionais, que deixam a pessoa refém daquela situação e que muitas vezes levam a mulher a se culpar pela situação ao invés de enxergar o único e verdadeiro culpado e agressor.

Para falar desse tema eu decidi buscar alguns dados e numa busca rápida podemos encontrar notícias de que a cada 4 minutos 1 mulher é agredida no Brasil, que os casos só vem aumentando desde o início do ano e que a maioria dos casos de agressão partem daqueles que as pessoa mais confia: seus esposos, companheiros e namorados.

Essa realidade não é a realidade apenas do BRASIL, é algo que acontece no mundo inteiro e quando assisti o episódio eu não consegui não lembrar do caso da atriz Melissa Benoist que interpreta a personagem Supergirl no seriado Supergirl da CW, deixo aqui um vídeo dela com o relato de como tudo aconteceu e de como as constantes agressões lhe custaram até perda de parte de sua visão.

Os roteiristas foram felizes na abordagem, mostraram Aline como uma mulher corajosa e que com o devido apoio e atitude conseguiu ir a frente e denunciar tudo aquilo que vinha lhe acontecendo e de outra forma mostrou a realidade de muitas outras como Sonia que mais uma vez não conseguiu ir a frente e recuou talvez na esperança de aquilo não vá acontecer mais e bem sabemos que vai acontecer.

Deixo aqui o telefone e a mensagem de que existe um número para denuncia de casos de agressão física ou psicológica e seguimos na esperança de um dia ver todos os macho escroto que agridem mulheres onde merecem, na cadeia.

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

A indie/gótica do @PanelaDeSéries! Paulista, canceriano, 27 anos de dores na coluna, faço Doutorado em Biotecnologia e vivendo pelo mundo. Me chama para beber @ e vamos falar de série, falar de Imagine Dragons e Lana Del Rey, falar de signos, falar de ciência e xingar os fascistas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries