20 de novembro de 2016
Supergirl – S02E06 – Changing

Mudanças, Mudanças e Mudanças…

A introdução de diversos personagens nessa segunda temporada e a ausência de alguns como nossa amada Cat, fizeram com que a Supergirl de certa forma até o momento ficasse como segundo plano, ou melhor dizendo que ela dividisse o protagonismo da série com outros personagens, algo super saudável e que vem pra mim sendo essencial para o desenvolvimento dos outros personagens, principalmente os personagens femininos da série. E Changing trouxe o protagonismo a dois personagens bem distintos, primeiro James Olsen que agora se tornou o Guardião, era óbvio que os produtores tinham que achar algo pra James fazer, achei sensato acabar com as tentativas de romance entre ele e Kara, simplesmente não funciona e colocar ele como Guardião pode ter sido uma boa saída. O outro personagem que se jogou em um turbilhão de emoções literalmente e puxou a marimba para si foi Alex Danvers, vamos conversar mais sobre Alex durante este review.

O plot do episódio envolveu aquele típico caso semanal, dessa vez tudo ficou por conta de um parasita alienígena que estava congelado dentro de um lobo, quando um grupo de pesquisadores encontra aquele lobo com características estranhas resolve investigar e quando um possível hospedeiro entra em contato com o lobo, ele simplesmente passa a ser controlado pelo parasita. Enquanto isso rolava do outro lado do mundo Kara Denvers aceitou o convite de Mon El para beber, e foi uma das cenas mais hilárias e fofas que já vimos. A interação entre Melissa e Chris é tão natural, bonita e simpática, cativa a qualquer um que assista os dois na telinha.

Após estar muito bêbada, Kara fica impossibilitada de ir verificar o caso do parasita, restando a Alex e J’onnz verificar, chegando lá ambos encontram apenas um sobrevivente, um dos cientistas que liderava o projeto de investigações do aquecimento global. Ele retorna e mais tarde descobrimos que o sobrevivente é o hospedeiro do parasita que é capaz de sugar os poderes e a força de quem ele tocar, em uma tentativa de trabalho em grupo de J’onnz, Kara e Alex, tudo acaba indo pior do que eles imaginavam resultando em quase morte dos nossos heróis. Kara consegue se recuperar logo, mas J’onzz precisa de sangue de marciano pra se recuperar, qual alternativa que existe? M’gann acaba relutando e após muita insistência de Alex, ela resolve doar seu sangue. Durante a doação ela pede perdão a J’onzz, sabemos que na verdade M’gann é uma marciana branca, a mesma raça que eliminou toda raça de J’onzz, agora se esse sangue dela terá algum efeito colateral pra ele, vamos ter que aguardar.

subcapa

Paralelo a tudo isso, vimos que a Supergirl quer que Mon El siga um caminho decente se assim podemos dizer, ela não quer que ele use seus poderes pra se dar bem ou pra virar um agiota ou algo do tipo, ela reluta bastante e suas últimas palavras pesam pra ele, durante o momento que Kara e J’onzz estão fora de combate e a cidade sofre um novo ataque resta a Mon El finalmente tentar ser o herói da noite. A batalha com o parasita até que foi boa, com a ajuda do Guardião, os garotos seguraram a marimba até a Supergirl chegar e resolver tudo. No final, um saldo bem positivo, Winn e James seguem escondendo da Supergirl sobre a real identidade do novo herói, e vimos Mon El ter seu primeiro momento como herói. Mas quando as coisas estão boas vem um balde de água fria SEMPRE, e a CADMUS sequestrou Mon El MINHA GENTEE! CHATIADISSIMO, porque ninguém sequestrou o James?

Deixando esses personagens de lado vamos falar agora do que importa nesse episódio: ALEX DANVERS! Changing é uma palavra incrível e com tanto significado que se encaixou bem a este episódio. Sabemos que Alex vem se aceitando atualmente, e acho que produtores, atriz e tudo mais acertaram em cheio de trabalhar essas mudanças desta forma tão sensível e simplista. Quando Alex conta a Kara e de certa forma fica esperando uma retaliação por parte da irmã, com medo de um possível julgamento e isso não ocorre, Kara é como se fosse uma criança, ela não nutre preconceitos e achei lindo demais seu pedido de desculpas para a irmã por nunca ter dado espaço para mesma se abrir ou conversar com ela sobre Alex, tudo ficar em função do segredo de Kara.

tumblr_ogr2eteorx1uc3fxyo5_400

tumblr_ogr2eteorx1uc3fxyo6_400

tumblr_ogr2eteorx1uc3fxyo7_400

tumblr_ogr2eteorx1uc3fxyo8_400

Chyler Leigh teve uma atuação brilhante, a forma como ela vai colocando tudo pra fora pra se jogar em uma paixão e depois a forma como ela sofre por ser uma paixão não correspondida, me fez sofrer com ela. Era bem óbvio que Maggie não corresponderia ela de primeiro, que teria essa resistência, enfim, acredito que existe muito sofrimento a vir pela frente. Acredito também que Lena Luthor terá um interesse amoroso por uma das nossas garotas LGBT (maggie ou Alex) tornando tudo um triangulo amoroso.

O saldo do episódio foi bem positivo e estou bem curioso para saber o que irá ocorrer com Mon El, ele já demonstrou que é oportunista e que gosta de se dar bem, será que o caminho que ele irá seguir sobre influência da Luthor Mother terá volta? Vamos aguardar.

 P.S.1: Acho James Olsen um chuchuu, uma pessoa sem graça, mas que armadura maravilhosa que o Winn fez pra ele!

tumblr_ogylwsxba81uc3fxyo1_540

P.S.2. Estou meio sem tempo de caçar os possíveis easter eggs do episódio mas prometo que na próxima review tento voltar com eles!

Lindomar Albuquerque
Lindomar Albuquerque

Canceriano com ascendente em Sagitário, ou seja UMA ÓTIMA PESSOA! Atualmente um louco que faz Doutorado e que já se formou em Química. Viciado em The Voice, séries e Indie Rock. Gosta de gastar o tempo que não tem para escrever sobre The Voice, The Flash, Bates Motel, Orphan Black, The Vampire Diaries e Westworld.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: