Posts Populares

Supergirl – S04E06 – Call to Action

O fascismo fica cada vez maior.

Essa temporada de SuperGirl caiu muito bem no momento que o Brasil está passando, pois está tratando de um fascismo na “realidade” da série, onde os terráqueos estão contra a minoria alienígena por se sentir ameaçada, pregando um discurso de ódio, se mobilizando para atacar essa minoria e dentre outras coisas, onde tem até um lema, que pode lembrar algo “Terra acima de Tudo”, o que pode ser chocante, por coincidir com a realidade.

O Manchester conseguiu impedir um ataque dos “filhos da liberdade” contra um casal de alienígenas, o que é chocante, porque nem todos os alienígenas são superpoderosos, mas mesmo assim eles se sentem ameaçados, só que Manchester contra três era pouco e a SuperGirl interviu nisso, só que isso não foi bem visto pela sua nova chefe, já que isso não era função dela, nem muito menos ficar investigando essa seita, fazendo com que ela e a Alex investigassem sozinhas, com a pequena ajuda secreta do Brainy. A Lena está trabalhando de forma secreta, realizando testes secretos com o Raramel e possivelmente ligado a câncer, o que as vezes me faz pensar que ela tem essa terrível doença e ao mesmo tempo tendo que lidar com mil coisas.

Dentre as mil coisas que ela tem que lidar, uma é com o James, que acabou encontrando o Ben para entrevistar alguns líderes dos “filhos da liberdade”, o que preocupou ela bastante, porque poderia ser uma encurralada para matar ele, bem estilo queima de arquivo, ela teve que ser até mesmo energética com ele, só que ele ficou com a teimosia dele, não ouvindo nem a Kara, por falar em Kara, sempre achei muito estranho aquela colega de trabalho dela, a Nia, porque ela tem um destaque muito grande na série e isso dela não está dormindo bem, pode ser um sinal que ela seja alguém dos fascistas.

O James não ouviu ninguém e foi se encontrar com esses agentes da libertação, só que para sua surpresa, ele não iria entrevistar nenhum dos grandes, mas sim ver a rotina de um dos babacas racistas, deixando ele ficando até chocado com alguns dos palavreados xenofóbicos. Cada um trabalhando em uma frente diferente, o J’oon por exemplo chamou o Manchester para passar ação de graças com ele, mas o trabalho dele era tentar descobrir o chefão desse movimento, mas tudo a base da tortura, já que ele quer descobrir quem matou Fiona. Já a Kara tomou a frente para ir ao debate, onde ela simplesmente destruiu com seu argumento, porque o do Bem foi horrível, não tinha nada a ver com nada, bem típico desse povo fascista, que não sabe falar e acaba jogando para a plateia.

No dia de ação de Graças tudo estava correndo muito bem até começar os assuntos sobre os alienígenas, que gerou um pequeno debate e vimos que a Lena tem um plano ousado, mas secreto de transformar humanos em superpoderosos usando o Raramel, mas isso ficou tão sem segundo plano por causa da descoberta de um ataque secreto que os “filhos da liberdade” iriam fazer no pôr do sol da noite de ação de graças, tudo de forma secreta e orquestrada, pois usavam alta tecnologia para demarcar a casa, então todos tomaram um rumo para agir de uma forma de impedir as coisas de acontecerem.

Meu Deus, durante esses ataques tivemos de tudo, o James indo atrás do agente que ele conversou, mas nem muito mostrou, tivemos o Manchester atacando esse povo e matando, por vingança a sua amada, teve a melhor luta de todas que foi do Brainy usando a física e cálculos a seu favor, mas a mais louca de todas foi a que uma garota alienígena trouxe um dragão para defender a sua família, o bicho ficou louco atacando geral, mas felizmente a SuperGirl conseguiu defender, mas isso trouxe uma bronca da sua chefe, que pediu para controlarem, mas felizmente foi reconsiderado e elas voltaram a investigação dos “filhos da liberdade”.

No final do episódio tivemos ainda elas falando da Nia e suas mentiras, o que me irritou bastante, porque nem chegaram a se tocar e precisamos saber dessa mulher de qualquer forma, mas o discurso do J’oon sobre a história se repetir cai como uma luva novamente na nossa história real. O James no fim do episódio caiu em uma emboscada em encontrar o chefe dessa seita secreta, indo sem nem saber onde como, apenas por puro capricho, além da Lena finalmente iniciar o processo usando o Raramel, com pessoas humanas para se protegerem de alienígenas.

Como podemos ver as coisas em SuperGirl estão caminhando para tempos sombrios, com uma rivalidade muito grande entre os humanos e alienígenas, já que o discurso de ódio está cada vez maior na série (qualquer fato com a realidade é coincidência), onde ainda acho que a Lena fará uma grande burrice na série, para fortalecer a raça humana.

Então é isso, um forte beijo e até mais.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Phelipe

Um cara Fitness, gosta de esportes e um escorpiano nato, apaixonado pela vida. Um "nerd" que curte balada e um baladeiro que curte coisas "nerds", porque a vida é muito curta para se apegar em coisas pequenas, logo pode observar que sou uma pessoa muito eclética em todos os sentidos da vida.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries