Após o triste choque que tivemos semana passada, The 100 entra em um breve descanso com um episódio que aclama ainda mais os conflitos internos envolvendo Arkadia. Não é novidade que o povo do céu se encontra extremamente perdido seguindo as diretrizes de Pike e de alguns de seus seguidores da Farm Station. Bellamy e Monty são dois que estão se destacando no quesito retardo mental e fazendo de tudo para defender uma causa que nunca foi deles só por envolver pessoas próximas. Sabemos que o seriado pressiona a tecla que envolve tomar ações para proteger seu “povo”, entretanto, se formos analisar todas as decisões daqueles que protagonizam a série, vemos que todos defendem um ideal próprio ou agem para proteger alguém que ama independentemente de estar fazendo o melhor para o seu povo ou não. Talvez Clarke seja uma das únicas personagens que durante todo o desenrolar da série tomou decisões visando o bem de todos do seu povo, mesmo sendo julgada e condenada por eles o tempo todo. Partindo da mesma base de análise, percebemos claramente que Bellamy e o resto dos jovens sempre agiram de acordo com a maré, ou fizeram coisas por interesse próprio e os resultados nunca eram bons. Será que as coisas vão tornar a se repetir?

12520496_984204948329082_979346598_n

Como vimos no episódio anterior, o espirito de Heda era nada mais nada menos do que a segunda inteligência Artificial biologicamente integrada com fatores humanos. Infelizmente, o episódio focou-se mais no desenrolar do conflito Kane e o Chanceler e nada foi mostrado sobre os frutos da morte de Lexa para história. As atitudes um tanto quanto ditatoriais de Pike em rejeitar a união com os Grounders e além disso, declarar guerra aos 12 clãs mostram o quanto um discurso errôneo em defesa de uma causa falsa pode modificar princípios e iludir alguns personagens, algo que tem incomodado bastante os fãs. As mudanças drásticas de Bellamy e as atitudes que tanto ele quanto Monty tomaram durante o episódio revoltam qualquer um que acompanha a trajetória deles no seriado. Mas como toda guerra e conflitos de ideal, Arckadia se vê diante a uma crise com uma batalha iminente e a falta de suprimentos graças ao bloqueio imposto por Polis. Ou seja, Pike precisaria tomar medidas urgentes para driblar essa situação da forma como ele acha mais certo: atacando. Kane, Miller e Nate espiam a comissão e arquitetam um plano para entregar o atual chanceler e evitar a guerra.

Mas é claro que não foi tão simples né, até porque Pike tem Bellamy como comparsa e esse foi um dos que impediu o plano de dar certo. Marcus vai atrás de Sinclar para ajuda-los, em que o mesmo seria preso e confundiria os guardas enquanto Marcus prendia Pike e o levava para fora de Arckadia. Infelizmente, o plano foi contido antes que Kane conseguisse cruzar os portões. Mas então chegamos ao desfecho, Kane foi declarado traidor e sua punição foi decidida como equivalente ao que se fazia na arca: Pena de morte. E só então Bellamy acordou e entendeu a gravidade do que estava fazendo e que isso não era nem perto de ser a coisa certa para seu povo. Matar uns aos outros nunca seria a melhor solução, não é mesmo? E por falar em acordar, nem tudo são flores e Raven está percebendo isso e pulando fora dos mundos das drogas criado por A.L.I.E e comercializado por Jaha, O insuportável. Ao tentar resgatar as cápsulas confiscadas por Abby, a mecânica após ser questionada de Finn por Jesper, percebeu que sua memória foi alterada e parou de ter sentimentos e lembranças tanto das coisas boas quanto das ruins. Ela já não lembrava mais do seu grande amor e por falar nisso, alguém sabe do par de Raven da segunda temporada? Fica o questionamento e que venha o fim desse curto hiatos logo. Até a próxima Review pessoal!

Carlos Alberto
Carlos Alberto

Estudante de Engenharia, amante de música, viciado em séries e programas de TV! Fã de carteirinha de The 100, Flash, Game of Thrones e etc, se arrisca escrevendo reviews de suas séries favoritas!
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: