Posts Populares

The 100 – S07E06 – Nakara

“Não existe mais comandante, mas eu comando.”

Na review passada eu havia feito um parágrafo enaltecendo a personagem Indra e a atriz Adina Porter que vocês podem conferir aqui, mas eu preciso reafirmar tudo novamente, pois a dona desse episódio foi ela. A tensão no Santuário vem aumentando cada vez mais, com os roubos das armas e Shaidheda crescendo, Indra se vê pressionada ao ponto de utilizar a Madi novamente. Mesmo estando no comando desde o episódio 4 e sempre ter tido uma posição de poder, ainda sim Indra não conseguia se ver além de uma guerreira e por incrível que pareça, foi preciso Murphy para relembrar do que essa mulher é capaz.

Toda a sequência da ascensão de Indra à líder dos Wonkru foi arrepiante, assim que Madi fugiu, eu esperava que o comandante sombrio finalmente tacaria o terror, mas tivemos um resultado ainda melhor, Indra finalmente se torna líder, reunindo toda a população da Terra novamente. A cena me lembrou muito a da Octávia se tornando comandante, até esperei a fala “Ou você é de Wonkru ou inimigo de Wonkru”, mas tivemos a “Das cinzas nós renascemos”, ver Indra finalmente ter o destaque que merece me faz querer ver ainda mais do Santuário e não vejo a hora do embate dela contra o Shaidheda.

Se tem algo que sempre é bom enaltecer na série é a força feminina e uma das maiores é a Diyoza. Eu sempre amei a personagem, achava ela uma das melhores vilãs e toda a sua humanização ao longo das últimas temporadas foi coesa, mas eu preciso dizer QUE SAUDADES QUE EU ESTAVA DESSA DIYOZA SANGUINÁRIA!!!!!! Essa mulher ela é uma das melhores personagens de The 100 e eu fico muito feliz de minha teoria estar errada e ela não ter se tornado um discípulo de Bardo.

Apesar de achar apressado a forma como foi contada o que aconteceu com a Diyoza, eu entendi que era necessário, pois soaria desgastante e repetitivo ao que aconteceu com a Octávia. As transições de cenas junto a atuação excelente da Ivana Miličevic e a música “Evil” da banda Interpol de fundo conseguiram em 3 minutos de cena dar tom ao episódio e mostrar o quanto a Diyoza estava disposta a defender sua filha.

No episódio passado o Levitt havia conquistado o coração da maioria dos fãs por representar a todos sendo uma cadelinha da Octávia, mas eu preferi não comentar, pois achei muito estranho o fato de por um personagem que é apenas uma pessoa boa nessa série. Com esse episódio, minhas suspeitas aumentaram ainda mais, pois é muito conveniente logo quando eles iam escapar, o Levitt aparecer sozinho e querendo ajudar novamente, mas através dele tivemos a confirmação de mais uma teoria, o planeta Bardo é o novo Mount Weather.

Por algum motivo que ainda não nos foi revelado, o planeta Bardo não pode ser habitado do lado de fora e supostamente com medo disso, Gabriel resolve de uma vez por todas pegar o ódio do fãs para si e entregar ele e suas “amigas”. O personagem sempre foi meio que nada para mim, mas o seu olhar para Levitt me fez crer que a atitude dele possa ser por outro motivo, acredito que ele o reconheceu de algum lugar e sabe que a dica dele pode não ser tão confiável ou Echo está certa e ele só quer estudar mais a anomalia.

A Echo estava exatamente como eu achei que ela estaria, sanguinária! Mas segundo entrevistas dadas pela atriz que a interpreta, a personagem não irá seguir o mesmo caminho de escuridão e matança que a Octávia pós Lincoln, ela irá aprender mais sobre quem ela e quem ela pode ser já que não tem mais a quem seguir, eu já falei várias vezes sobre isso, mas acho muito legal dar destaque a ela nessa última temporada e mostrar que não precisamos seguir ninguém, buscando a independência.

Pelo o nome do episódio ser o nome do planeta, esperava muito mais destaque à ele e possivelmente até um episódio de terror como a promo havia insinuado, mas na verdade tirando a conversa entre Clarke e Raven e o símbolo do segundo amanhecer, o planeta não serviu de nada e eu jurava que haveria uma morte nele, possivelmente da Niylah. A pesar de curta, a conversa foi como se o próprio criador da série quisesse evidenciar para o público que não há pessoas perfeitos, Raven matou 11 pessoas, mas no universo da série, ela teve que fazer o que era necessário e isso não define ela como uma má pessoa e os conselhos da Clarke mostraram o quanto a personagem amadureceu com o passar do tempo, ela se perdoo e entendeu que quando se está em uma posição de poder, não há escolhas fáceis.

Eu vi muita gente confusa em relação, para quem não lembra, na 4 temporada o Primfaya estava próximo e nossos protagonistas tentavam procurando uma maneira de sobreviver e uma delas foi mostrada pelo Jaha. Através dele descobrimos que antes das explosões, havia um culto que acreditava no fim do mundo e era chamado segundo amanhecer, liderado pelo Bill Cadogan. Nesse culto, as pessoas eram divididas em 12 níveis (lembra algo???) e no episódio 3 é muito evidenciado que o Bill havia vendido todas as suas propriedades exceto uma que se encontrava em Polis e lá havia um buker, o mesmo bunker que deu origem aos Wonkru.

Com essas informações é muito provável que a população de Bardo sejam descendentes diretos dos sobreviventes do culto segundo amanhecer, que encontraram a pedra da anomalia no bunker da terra e foram para o outro planeta e para quem não se lembra, foi o próprio Bill que tacou fogo na Becca e talvez em algum momento ele teve contato próximo com alguns dos comandantes e por isso a Maddie tem as visões com anomalia. Essa teoria ganha ainda mais força com o episódio 8 que servirá como piloto do possível spin off mostrando como ficou a terra pós as bombas e muito provavelmente o Bill apareça.

Esse foi mais um episódio excelente dessa e essa ligação com o início me fez ficar ainda mais empolgado com o Spin Off e vocês?

gostou da matéria? deixe um comentário!

Ives Gonçalves

Um carioca estudante de direito querendo se formar, viciado em x factor´s do mundo e que ama uma praia

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries