Posts Populares

The Flash – S04E11 – The Elongated Knight Rises

O Barry tá preso, e agora, o que a gente faz? Joga no Ralph que não tem problema.

O Barry tá lá na cadeia, vendo um princípio de rebelião acontecendo enquanto ele não pode fazer muita coisa, já que né, seria meio descarado demais, e podia até tocar um hello darkness my old friend ao fundo, porque é bem assim que ele tá se sentindo. Ver os guardas sofrendo na mão dos presos quase faz com que ele use os poderes, mas é só quando jogam umas bombas de fumaça no pavilhão que ele resolve agir. Estranhamente, os guardas acham a coisa mais normal do mundo os presos estarem em um mundo descendo o laço neles e um segundo depois estarem nas celas, bem calmos. Mas né, as coisas funcionam de um jeito diferente em Central City.

E logo em seguida a gente se depara com o ainda-sem-nome herói que se estica impedindo um ladrão estranhamente bem intencionado no que tange ao meio ambiente de explodir todo um quarteirão. Meio imprudente? Bastante. Mas funciona? Até que sim.

Sabe-se que o querido Ralph Dibny não tem o maior dos tatos sociais, mas nesse começo de episódio ele parece tá muito pior do que sempre é. O Barry tá preso e a maior preocupação dele é com o nome que ele vai ter nessa fase de combate ao crime da vida. Mas mesmo assim, o egoísmo dele não parece ser por mal, não parece ser por uma causa tão ruim assim.

Daí a gente vai conhecer a rotina do segundo membro da família Allen a estar preso naquela cela em Iron Heights. Por algum motivo estranho, toda vez que eu vejo essas cenas de prisão eu penso em Shawshank’s Redemption, mas essa até que não tem tanto a ver. O Barry tá lá, querendo se distanciar de todo mundo, não se meter em confusão, mas isso não é exatamente possível. Logo de cara um cara vem falar com ele, um tal de Axel Walker, que no passado, junto com seu pai Luke Skywalker, digo, Trickster, sequestraram o pai do Barry. Ele tá ali comendo um pudim, reclama do gosto, mas segue comendo. E depois de sermos apresentados ao Graúdo, um cara cujo nome é totalmente auto explicativo, o Barry resolve deixar o Axel com o seus pudins quando tromba em um cara, cai no chão e suja o sapato de um dos detentos, um que aparenta não ser nada amigável. Os asseclas dele se unem ao redor do Corredor Escarlate e quando parece que vai dar uma ruim tremenda, o diretor da cadeia e uns guardas aparecem, salvando o dia. E não bastasse isso, ainda tem visita pra ele.

É muito fofa essa relação entre eles, que tá até mais legal do que era antes, mas como a gente não tá aqui por causa desse casal, bora continuar. Ainda na prisão, o Axel começa a se sentir mal e é levado pra enfermaria. Chegando lá, uma suspeita enfermeira começa a atender ele, só que ela droga o guarda que levou ele até lá e se revela como a mãe do Axel, Zoey Clark, ou Vigarista. Nos velhos tempos, ela atuava com o pai dele e fazia essas coisas que vilões com certos problemas mentais costumam fazer. E agora ela resgatou o filho, porque queria fugir e ter uma vida de boas com ele, em outro lugar. Só que o guri quer o pai dele de volta, e o único jeito de chamar a atenção do pai é reassumindo o manto do Trickster mais uma vez.

 

Aí, lá na cadeia, aquele pessoal que tentou atacar o Barry tentou de novo, mas foram impedidos pelo Graúdo no último momento, que também foi jurado de morte agora. A nada mole vida na prisão. E qual o motivo do cara ter salvo o Barry? Quando o Henry Allen tava preso, ele salvou a vida do grandão fazendo uma operação quando não havia nenhum outro médico disponível. E por isso, ele devia uma pra família. E tá pago.

Aí no dia seguinte o Axel resolve atacar a cidade com umas bombas, só pra chamar a atenção do novo herói de Central City. O Ralph vai pra lá, cheio de moral e de confiança, afinal de contas ele se considera invulnerável contra tudo, e quando o Axel joga um ácido no joelho dele e o herói começa a se contorcer de dor, é preciso que o Cisco vá resgatar ele antes que dê alguma merda. (Inclusive, podiam já ter prendido o cara ali mesmo, né?)

E aí começa o lance do episódio. Até minutos atrás, o Ralph acreditava que nada podia ferir ele, até porque foi isso que contaram pra ele. O choque de saber que podia ser ferido, sentir dor, deixou ele paralisado e com a ideia de não voltar a fazer isso, nunca mais. Enquanto ninguém se machucava, no caso ele, tava tudo ok. Agora, tudo mudou.

A partir desse momento, tudo acontece bem rápido. A mãe do Axel já tinha largado de mão os remédios e a personalidade psicótica, inclusive sendo responsável por fazer o ácido (ela tem graduações suficientes pra trabalhar no Star Labs), então os dois resolvem sequestrar umas pessoas e ameaçam matar elas caso o Homem-Esticador não apareça lá. E o Ralph se nega a ir. Mesmo com um traje novo, ele se nega. É perigoso demais, é arriscado demais e ele não quer morrer. E ninguém pode obrigar ele a fazer algo que ele não quer, então o resto da equipe começa a se organizar pra ir salvar os reféns e impedir os vilões.

Mas num acesso de algo que a gente vai chamar de desespero, o Ralph vai visitar o Barry, dizendo o que tá acontecendo e falando pra ele ir salvar o dia, como o bom o herói que é. Mas o Flash não vai aparecer, o Flash não pode aparecer, e quem vai ter que salvar o dia hoje é o Ralph. O Barry dá um daqueles discursos motivacionais que só ele é capaz de dar (pro bem e pro mal) e convence o esticador que essa coisa toda de herói é um choque de realidade que mostra o quão mortais as pessoas são e tudo o mais. E não é que funciona?

Mas logo após, o Barry acaba sendo herói. Como prometido, o pessoal da prisão vai atrás do Graúdo, emboscando ele em um canto e começando a espancar o cara. O Barry, de passagem, vê o que tá acontecendo e resolve salvar o cara, já que não é exatamente do perfil dele ver as coisas e não fazer nada pra tentar evitar. Então começa uma luta divertida de assistir, já que é interessante ver a forma como o Barry vai fazer pra usar os poderes lá dentro, onde ele pode ser visto ou filmado por qualquer um. Mas tudo que ele faz é desviar e fazer com que os caras se batam, o que não tem nenhuma possibilidade de fazer alguém descobrir a identidade secreta dele.

Na base secreta dos vilões, o Vibro e a Nevasca vão resgatar as pessoas, mas de uma forma bastante idiota são aprisionados pelos Trickster e pela Vigarista, que já estavam prontos com algemas que cancelavam os poderes meta-humanos. Ou seja, o Harry tinha que descobrir um jeito de neutralizar o ácido a tempo de que ninguém morresse, mas ele não tava conseguindo. E quando tudo parece perdido, aparece o nosso herói, de uniforme novo e tudo o mais. E, naturalmente, ele salva todo mundo, porque não tem muito o que uns palhaços consigam fazer contra um cara com esse nível de poderes. Ah, e o ácido? Tudo deu certo, o Harry deu um jeito no último segundo.

No fim das contas, o Ralph tem finalmente um nome de herói: Homem-Elástico, ou o Elongated Man, que a gente conhecia. E o melhor de tudo é a forma como o nome surge, Aí, naquela cena tradicional cena pós créditos, o Cisco e o Ralph tão na cafeteria, pedindo cafés, e percebem que nenhum dos dois tem grana pra pagar. Aí, surge, do nada, aquela guria que tava trabalhando como garçonete na festa de casamento que deu errado do Barry e da Iris. Ela fala muito rápido, fala umas coisas que não fazem muito sentido, mas dá a grana que eles precisam e vai sentar na mesa dela. E ela tá desenhando umas coisas estranhas, bem parecidas com aquelas que a Barry desenhou logo após sair da Força da Aceleração. HÁ TEORIAS PELA INTERNET que dizem que essa guria pode ser uma das filhas do Barry que voltou no tempo por algum motivo, e que também é velocista, a propósito. Mas vamos acompanhar as cenas dos próximos capítulos pra ver quem é e o que essa moça tá fazendo tão próxima do Team Flash.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Rafael Augusto

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries