Posts Populares

The Flash – S05E17 – Time Bomb

Se os problemas do presente já explodem na nossa cara, imagina aqueles que vêm do futuro

No futuro, o Thawne largou a Nora de mão. Todos os planos dele de resolver a situação deram certo e até uma outra Cicada, vinda do futuro, surgiu. A ideia genial dele é que ele conte tudo pro pai, mas dá pra ver no rosto dela que isso é algo que ela realmente não quer fazer.

Enquanto isso, no presente, o Cicada original tá sendo cuidado pela sobrinha vinda do futuro. E a Grace tem umas ideias mais revoltadas sobre a vida, o universo e tudo o mais, já que ela quer seguir a missão que o tio não segue mais: matar todos os metas. Eu nunca vou entender esse pessoal meta-humano que quer acabar com todos os meta-humanos, mas não faz nada contra si. E, sabendo do envolvimento da Dra. Ambres com o Orlin, o Joe e o Barry (mais a Cecile de fundo com os poderes de leitura mental e a Nora só porque sim) vão no hospital fazer perguntas sobre ela pra outros funcionários.

Aí surge o principal plot do episódio: o Sherloque decifra o livro da Nora. E em um primeiro momento, ele não consegue achar nada de interessante, apesar de saber que ela escreve em colaboração com outra pessoa. Mas aparece algo novo: o Starchives, que é basicamente onde colocam todas as coisas que têm alguma relação com o Flash (mais ou menos como o Warehouse 13 – nada mais saudável como colocar referências à séries que já acabaram e só deixaram saudade). E essa descoberta acontece porque alguém roubou algo: mais precisamente a máquina de viagem do tempo do Thawne. Porém, não é exatamente um roubo, já que ela tá no lugar onde sempre esteve, mas apareceu outra, que é basicamente a mesma, só que de outro tempo.

Ignorando esse namoro do Cisco que provavelmente vai ter algum peso no futuro mas que no momento parece ser um grande filler, a Grace do futuro tá atrás da meta-humana que causou a morte dos pais dela no passado. Depois de muita investigação e cenas de quase morte e dramas familiares, descobre-se que tudo não passou de um acidente, de uma pessoa que nem tinha noção dos poderes que tinha e que só queria manter a família segura. Mas vai dizer isso pra nova Cicada, que só quer matar e matar. Só que, na verdade, tudo que ela sente foi colocado na cabeça dela por causa das ações e pensamentos do Orlin, revoltado com os meta-humanos e sentindo só raiva de todos eles. O Barry, não o Flash, conseguiu trazer ele de volta, mas a Grace do passado não foi exposta a esse novo tio. Principalmente porque ela mata ele, na real.

E daí vem o ponto final, o ponto mais interessante dessa série em algum tempo. O Sherloque descobre, de verdade, sobre a Nora. Todas as ações dela, desde o crossover, foram completamente pensadas, mas não por ela, por outra pessoa. Alguém que tinha a teoria de que o futuro é maleável e que fez a Nora e todo mundo de fantoches. A gente já sabia, mas ver a cara de todo mundo enquanto ele conta que o Flash Reverso tá por trás de tudo é uma sensação muito boa. Péssima pra Nora, que acaba o episódio presa numa cela.

P.S.: Vai ser estranho dizer isso, mas o Grant Gustin tá saindo um ótimo Flash e, principalmente, um ótimo Barry Allen.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Rafael Augusto

Um hiperativo que não sabe viver sem ler, escrever, ouvir música, ver séries e filmes, geralmente tudo ao mesmo tempo. Fã de ficção científica, suspense, Stephen King e histórias em quadrinhos.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries