Posts Populares

The Good Doctor – S03E02 – Debts

Até onde devemos ajudar com nossos privilégios?

Assédio sexual é definido no Art. 216 do Código Penal como o ato de “Constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente de sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função”. Milhares de séries já abordaram esse assunto, mas The Good Doctor inovou e mostrou um outro lado, o de quem intervém.

O nosso herói do episódio resolveu interromper um assédio e por isso tem seu rosto desfigurado pelo agressor. Durante sua cirurgia, Marcus diz que sua atitude foi idiota e que ele só iria interferir se fosse sua filha ou esposa. Infelizmente milhares de homens pensam igual, se não é com alguém que eles conhecem, tampam os olhos e seguem adiante.

A cada 3 minutos, uma mulher sofre assédio no Brasil e nessa semana nós tivemos dois casos parecidos para ser discutidos, um homem entra no vagão feminino e após as mulheres implorarem para ele sair, ele permanece imóvel. Apenas quando um segurança HOMEM se aproxima, ele resolve sair e mais uma vez temos homens respeitando somente homens. Outro caso foi durante o reality show A Fazenda, Hariany foi vítima de assédio e invés do cara ser imediatamente expulso, ela teve que conviver com ele por mais 2 dias. Aqui fora os comentários nas redes sociais eram “foi só selinho”, “agora não pode nem dar carinho”. Não, não pode! Ela não queria ser beijada e nunca deu permissão, mesmo assim o Phelipe se achou no direito de ter sua vontade saciada em cima da dela. Nós homens devemos SEMPRE interferir em um assédio.

O outro caso do episódio serviu como pano de fundo para aprofundar a relação entre Lim e Mendelez, esse casal pra mim é indiferente. Eles meio que aconteceram do nada e vem tentando dar certo, foi legal ter um aprofundamento em como eles devem se portar agora que um é chefe do outro. Diferente deles, temos Morgan e Park se tornando um provável casal aos poucos, eu acho ambos um porre, mas toda essa ideia de gato e rato tem me agradado.

E por último, nós temos um aprofundamento da relação entre Shaun e Carly. Eu entendo um pouco do assunto, então eu posso dizer que a série tem acertado com maestria a realidade de um autista em ser relacionar, é difícil, mas não impossível, só precisa ter paciência e entender os limites um do outro, coisa que a Carly fez muito bem, além de expor para ele tudo que ela estava sentindo. Vejo muito futuro nessa relação.

O próximo episódio será inteiramente focado na Clair, tem até o nome dela como o do episódio, quem mais está ansioso?

gostou da matéria? deixe um comentário!

Ives Gonçalves

Um carioca estudante de direito querendo se formar, viciado em x factor´s do mundo e que ama uma praia

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries