Posts Populares

The Handmaid’s Tale – S02E04 – Other Women

“Fomos abençoadas por um bom tempo”.

Em primeiro lugar estou esperando o dia que os humilhados serão exaltados e que verei a Tia Lídia levar uma SURRA daquelas pra aprender a deixar ser apenas mais um patinho no sistema. Dito isso, depois da #tombotour que foi o último episódio quando June quase escapou, quase conseguiu ir para o Canadá ela acaba sendo encaminhada para o centro vermelho onde Tia Lídia lhe da uma generosa boa-vinda.

E esse retorno de June só me juntar alguns pontos, especialmente aqui na segunda temporada sinto que estamos andando em círculos, durante 4 episódios acompanhamos uma tentativa frustrada de June fugir, vimos ela ancear por liberdade, ter a sutileza de por um momento sorrir assistindo um episódio de Friends e de finalmente por pouquíssimo tempo se sentir livre. Mas essa lufada de esperança acabou e o ciclo de sofrimento, dor, tortura psicológica voltou.

Não sei vocês mas eu começo a me cansar um pouco disso, a série continua brilhante, as atuações dignas de Emmys e mais Emmys, mas simplesmente ver uma obra que será uma tortura psicológica, onde verei mulheres sofrendo, sendo estupradas e onde a lavagem cerebral é aplicada começa a me soar cada vez mais complicado.

Desabafos a parte, o episódio focou em um dos pontos mais doentios que essa sociedade impõe, acompanhamos mais de perto os rituais feitos pelas senhoras quando uma das aias está grávida, vimos o ridículo chá de bebe, senhoras e aias fazem um círculo segurando cordões vermelhos e verdes e começam uma oração pela saúde do bebê. E pensando na posição de June vemos que sua cabeça não anda em dia, ela começa a ficar louca mais do que já era e se refere ao chá de bebê como se fosse dela, ela começa a sentir talvez a mesma ligação que Janine sentiu pelo seu filho, afinal ela sabe que vai entregar a criança em mais alguns meses.

E tudo fica ainda mais doentio mais tarde, após aquele colapso de Serena onde ela intimou Waterford a por June para fora ela acaba desistindo da ideia e vai até o quarto de June, acaricia a barriga dela e fala coisas para o bebê de uma forma como se fosse dela e estivesse dentro dela. É por isso que digo The Handmaid’s Tale se tornou repulsivamente brilhante.

Mas se você como eu sentiu uma raiva de Serena nessas cenas, nada vai superar a cena onde Tia Lidia leva June até aquele muro da cidade onde os corpos das pessoas executadas estão pendurados, e descobrimos o triste fim da família que abrigou June por algumas horas, no final o homem não foi corajoso, ele foi apenas estúpido mesmo. Ele foi executado, sua esposa que em poucas falas criticou as aias por acreditar ser impossível viver como uma foi condenada a viver assim e o filho foi entregue a alguma outra família.

Tudo isso, a falta de esperança e a questão de não ver nenhuma luz em um túnel sem saída fazem com que June se quebre, isso mesmo ela QUEBRA. June desiste e passar a ser apenas Offred, viver como uma aia e em um modo robótico, lembrando muito bem que no episódio 04 da primeira temporada vimos June em seu pior momento e espero mesmo que esse seja o seu pior momento até aqui porque na real, a melhor saída que vejo para June seria a morte nesse momento, mas isso é algo que duvido que a personagem vá fazer em algum momento.

Outra coisa que acredito que ocorreu nessas cenas finais e que faz sentido de certa forma como todos os flashbacks que vimos onde ela volta a se ver nas cenas com a ex-esposa de Luke é que de certa forma ela estragou tudo, ela acabou com tudo. June se vê mais uma vez como a responsável por acabar com uma família e talvez até seu afastamento de Nick na cena final seja um forma de protegê-lo, mas confesso que nesse mundo caótico e sem esperança de The Handmaid’s Tale eu me sinto cada vez mais perdido e sem rumo, impossível prever os próximos passos. Espero só que a série consiga sair do mesmo ponto e que alguma evolução seja vista, afinal a única saída pra essa sociedade louca é uma revolução.

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

A indie/gótica do @PanelaDeSéries! Paulista, canceriano, 27 anos de dores na coluna, faço Doutorado em Biotecnologia e vivendo pelo mundo. Me chama para beber @ e vamos falar de série, falar de Imagine Dragons e Lana Del Rey, falar de signos, falar de ciência e xingar os fascistas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries