Posts Populares

The Sinner – Recap 1ª Temporada

“Condene o pecado, e não pecador.” Porque as aparências enganam em The Sinner.

Assim como a vida, a mente humana é uma caixinha de surpresas. E se engana quem pensa que as fórmulas antigas de suspense, não cabem nas produções atuais. E de The Sinner veio para comprovar isso.

E além de explodir com sua mente com uma história carregada de drama e suspense, traz Jessica Biel como protagonista e (pasmem) produtora executiva da série. É consagração que se diz né?

É para glorificar de pé. Não é mesmo?

Se bem que sou suspeito para falar, porque Jessica Biel conquistou meu coração no Remake de o Massacre da Serra Elétrica (2005). O qual ela passou total veracidade em sua Final Girl – Inclusive se você não viu, fica minha indicação.

Mas como o assunto aqui é sobre séries, precisamos falar sobre The Sinner que explodiu com a cabeça de todos em seus 8 episódios.

Sendo assim, vamos relembrar os principais pontos de sua primeira temporada.

Algo de Errado Não Está Certo

Como toda história que se preze, tudo na vida de Cora Tannetti (Jessica Biel) é vivido de forma equilibrada. Ela é bem casada, tem um filho e trabalha na empresa do sogro. Inclusive é graças a ela, que o empreendimento da família é organizado.

Mas algo de errado não está certo na vida de Cora. O que parece equilibrado, apresenta leve doses de desconforto. Pode acreditar.

Isso é fica evidente quando vemos seu incômodo nos momentos íntimos com seu marido Mason Tannetti (Christopher Abbott). Existe algo que a incomoda profundamente. Então precisamos ficar ligados nestes detalhes.

Mas é durante a ida na praia com Mason e seu filho que a vida de Cora mudaré totalmente.

E a partir de uma tentativa de afogamento que percebemos que Cora não está nada bem. Mas ao ver um grupo de jovens escutando som alto, ela tem um surto e de forma inesperada assassina o rapaz que estava com sua namorada.

Mas o que aconteceu? O que motivou Cora a sujar suas mãos de Sangue?

Essa é a pergunta que pairou na cabeça de todos. Inclusive na de Cora que não sabe porque cometeu o crime.

E é com a chegada do detetive Harry Ambrose (Bill Pullman), que ele percebe que o inexplicável precisa ser investigado. Até porque, Cora afirma não conhecer a vítima e que diante disso precisava pagar pelo crime que cometeu.

Sendo assim, inicia uma odisseia para montar as peças do quebra-cabeça sobre a “Pecadora” (Tradução de The Sinner)

Nem Tudo É O Que Parece

Mas o que poderia ser algo simples e baseado em evidências superficiais, tornou-se um quebra-cabeça complexo demais.

Porque além dos relatos de Cora não fazerem sentindo, precisou investigar todos aqueles que fizeram parte da vida da acusada. E quanto mais evidências surgiam, mais complexo tornava-se o caso.

Chegou ao ponto do detetive Harry recorrer a sessão de hipnose para poder entender o porquê dos bloqueios mentais de Cora e tentar descobrir se houve algum trauma horrendo – e na realidade houve.

E não apenas um, mas um conjunto de feridas mentais que resultaram tanto no crime, quanto na mente bagunçada de Cora.

E a partir destas revelações que comprovamos do que o ser humano é capaz para justificar seus pecados e manter um segredo. Até mesmo cometer e ocultar um crime.

Culpada ou Inocente?

Confesso que esse foi o pulo do gato da série.

Porque diferente em querer definir uma sentença. The Sinner faz você assumir vários papéis: o de juiz, o de júri, o de investigador e o de familiar. Ou seja, ela te entrega vários ângulos que são essenciais para concluir se Cora é inocente ou culpada.

E há certos momentos que sentimos o desejo de desistir, quando todas as teorias eram jogadas por terra. Porque cada vez que descobria-se a verdade, mais as evidências apontavam que Cora era culpada.

Mas como persistência era o lema do detetive Harry, ele usou de todos os meios que a lei disponibilizava para descobrir a verdade e fazer justiça.

E você? Qual seria sua sentença? Culpada ou Inocente?

Por Que The Sinner?

E depois de analisarmos todas as etapas da série. Ficou claro porque a Netlfix decidiu manter o título original The Sinner – que significa O(A) Pecador(a).

Porque descobrimos que apesar da trama focar em Cora como a pecadora, todos possuem teto de vidro. Sejam eles de forma explícita ou em seu íntimo. E que todos estes pecados são consequências de algum trauma, seja de um relacionamento abusivo na infância ou em outro momento em sua vida.

Diante de tudo isso, The Sinner pode ser considerada um estudo de caso, porque não apenas explode com sua mente com os temas abordados, mas comprova que o pecado não está diretamente ligado ao caráter.

Daí e importante lembrarmos que devemos “condenar o pecado e não pecador”.

E antes de finalizar preciso dizer que não irei revelar o final da trama por aqui, até porque todos precisam assistir esta série e criar suas próprias análises. Então sugiro que você assista!

Agora quero saber de você o que achou da primeira temporada. Me conte nos comentários abaixo e vamos conversar. Porque The Sinner possui um vasto conteúdo para debates.

Vale lembrar que a segunda temporada estreou agora dia 01 de agosto de 2018 no EUA e será focada em outra história.

Até agora não tem previsão de chegar no Brasil pela Netflix. Mas independente disso aqui Panela de Séries iremos fazer a review de todos os episódios. Inclusive estarei em algumas delas. Então vem com a gente e vamos debater.

Até a próxima 😉

Trailer da Primeira Temporada

Teaser da Segunda Temporada

gostou da matéria? deixe um comentário!

Dandy Souza

Um libriano amante de um bom suspense casado com o belo terror psicológico, porque a vida precisa de emoções. Seu lema: "toda obra tem sua moral, então fique atento aos detalhes". Twitter: @dandysouza81

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries