Posts Populares

The Sinner – S02E04 – Part IV

E a coisa conseguiu ficar mais confusa ainda.

Vindo de uma boa sequência de episódios com revelações que iniciaram a solucionar o crime cometido por Julian, The Sinner deu uma parada nesse quarto episódio, vindo com uma toada um pouco mais lenta, mas com três pontos chaves que discutiremos aqui na review. Mesmo não sendo um dos episódios mais animados que já vimos, eu senti que passou super rápido, talvez pela trama estar finalmente me prendendo e me deixando mais curioso com tudo que ainda pode vir à tona. Mas vamos ao que interessa.

Vocês lembram que o último episódio terminou com o suicídio do médico, e os investigadores descobrindo que ele fazia parte da seita de Mosswood né? Então, depois de uma rápida pesquisa, descobriram que ele havia sido indiciado uma vez há 15 anos atrás por um erro médico, mas que não deu em nada. Quem entrou com o processo foi Carmen Bell, que está internada em um hospital psiquiátrico. Eu to chegando na conclusão que todo mundo nessa série é louco.

Enfim, foram encontrar com a Carmen para descobrir o que houve. A mulher disse que procurou ele para fazer um aborto e ele tirou o ÚTERO DELA. Gente, eu fiquei muito chocado, e mais chocado ainda que não deu em nada. Ela assinou uns papéis lá que dizia concordar com isso sem ler, a coitada. Mas enfim, Novack aproveitando da situação, mostrou a foto da sua amiga para saber se ela tinha visto a moça em Mosswood. Carmen então disse para eles procurarem no lago roxo, que o Iluminado gostava de ser rodeado por coisas bonitas. Quando eles perguntaram quem era o Iluminado ela disse que ele havia colocado ovos no cérebro dela, e surtou quando viu uma foto que eles encontraram em um dos livros do médico.

Nesse ponto os detetives se separam: Ambrose vai se encontrar com Vera, enquanto Novack continua na investigação. Vamos acompanhar as tramas separadamente.

Ambrose volta a Mosswood para se encontrar com Vera, e escuta uma fita de Bess em algum tipo de transe, onde ele descobre que a mulher era estéril e na verdade queria sequestrar Julian. Ou era isso que Vera quer que todos pensem. O detetive pede para ver uma dessas sessões, mas ela diz serem privadas, então ele pede que ela faça com ele. A partir daqui eu não consigo distinguir o que é realidade e o que não é. O fato é que ela o levou para perto daquela pedra gigante, e depois “saiu” na floresta. Ambrose ficou perdido por horas, até chegar em uma casa e encontrar novamente com Vera.

A mulher começa a interroga-lo, como se pudesse sentir seus sentimentos, como ódio, raiva, e o que deu a entender foi que ele desmaiou, ou dormiu. E quando acordou estava no quarto de hotel em que Julian havia matado o casal. Agora o que diabos aconteceu nesse meio tempo eu não faço a menor ideia. O interessante é que a série está se aprofundando no passado de Ambrose, mostrando incêndio, a mãe dele no hospital psiquiátrico, a policia chegando após o incêndio. Em algum momento isso vai se conectar.

Vamos então para Novack, que teve mais uma parte do seu passado relembrada. Depois de chaparem em uma noite aleatória, ela e o pai foram procurar a Marin que havia ido embora a pé. Acontece que Heather tava muito bêbada, e foi seu pai que tentou convencer Marin a voltar pra casa com eles, e ela mostrou uma tatuagem que tinha feito na colônia. Novack e seu pai relembram dessa tatuagem, que na verdade simboliza um labirinto, e após algumas pesquisas no dr. Google, a detetive descobre que esse símbolo surgiu em um livro de Lionel Jeffries.

Lá vai ela então fazer o papel de detetive e ir atrás da editora. O que acabou descobrindo foi que eles imprimiram só uma remessa, pois ele teve problemas com a justiça. Por coincidência um exemplar havia não havia sido entregue, e Novack foi até o Canadá, onde era o endereço de entrega ver se descobria algo. Tratava-se de um pequeno galpão, com pertences que pareciam deixados para trás, e o mais importante: estava no nome de Julian Walker. Ela encontrou uma fita que mostrava um homem sangrando, e de repente ele fica mega agressivo e começa a bater em outro cara, e várias pessoas que estava assistindo não fizeram simplesmente nada. Parecia uma espécie de ritual, ou de transe, e todos já estavam acostumados com aquilo.

Apesar desses acontecimentos importantes, o episódio não trouxe muitos avanços positivos no caso, só mais peças soltas para serem juntadas adiante. Eu realmente to com medo de ter algum final clichê, pois até o momento tudo tá sendo descoberto e não consigo imaginar quantos podres aquela comunidade ainda possa esconder. Enfim, por enquanto é isso, e espero vocês no review do próximo episódio. Até mais!

gostou da matéria? deixe um comentário!

João Pedro

Canceriano de 20 anos localizado no Mato Grosso. Fã de divas pop, porém viciado em muitas bandinhas indies também. Assisto séries e filmes em horário integral, e estudo Direito nas horas vagas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries