Posts Populares

The Voice AU – S08E05 – The Blinds, Part 5

All-Stars: Até que ponte vale o risco de apagar uma trajetória tão bonita?

Quatro episódios se passaram e o equilibrio começa a tomar conta da competição, já posso dizer que cada coach tem pelo menos 1 artista com potencial para chegar a final e cada vez mais os times estão mais equilibrados e com diferentes gêneros dando uma qualidade imensa ao programa. Vamos conferir quem garantiu uma vaguinha nos Knockouts e quem voltou para casa? Nos comentários hoje trago uma dupla de Lucas!

[#TeamGuy] Mitch Paulsen – “Thank U, Next” by Ariana Grande

Avalie a performance:

Lindo: Um baby praticamente com apenas 17 aninhos o Mitch chegou com tudo e cheio de confiança com sua própria versão de “Thank You, Next” da Ariana e ele mandou muito bem. Inicialmente eu apenas fiquei imerso naquele timbre maravilhoso dele e quando chegou o refrão apenas amei mais! Esse tipo de voz levemente rouca combinado com uma versão própria de um hit do pop é uma receita perfeita para virar cadeiras. Entretanto nem tudo foram maravilhas, acabou soando um tico linear demais próximo ao final, mas acredito que isso se deve ao arranjo adotado, Mitch tem muito potencial.

Lucas P: Olha, é uma voz que eu enjoaria fácil fácil. O timbre é diferente, mas como que as performances vão variar? Acho difícil. Uma versão ok dessa música, e que conseguiu virar as quatro cadeiras apenas pelo fator timbre mesmo.

Lucas S: Tava amando, totalmente embarcado, apaixonado. Mas em um momento me vi pensando: poxa, tá ficando chato. Revi e foi tudo monótono. Tudo 1 por 1… Faltou explosão, algo que nos mostrasse o seu diferencial. Mitch se mostrou sagaz, pode vir a render muita coisa, mas falta algo nele. Espero que Guy extraia isso que falta.

[Eliminado] Ben Palumbo – “Der Holle Rache” from Queen of the Night (musical)

Avalie a performance:

Lindo: Vocês conseguiram compreender algo? Porque eu não! Achei a dicção do Ben extremamente complicada e apesar de algumas lindas notas e bons momentos que apareceram em sua audição, nas partes mais faladas ficou difícil de defender e o que foi o gritinho da melody no final? A própria morte minha gente, não tinha como alguém virar para ele.

Lucas P: Eu sinceramente não sei julgar esse tipo de canto. Não sei apontar as pequenas falhas ou se foi exagerado ou na medida. Apenas sei que ele pode cantar e que não virou a cadeira pois o desafio de trabalhar com esse tipo de artista é grande. Eu mesmo não viraria. Não é pra mim.

Lucas S: Que song foi essa, Brasil? Que negócio estranho. Foi tudo muito confuso para Luquinhas. A música não me agrada, o estilo não me agrada, a voz não me agradou… Enfim, vou nem me estender por aqui. Gostei não.

[#TeamGuy] Chriddy Black – “Dancing On My Own” by Robyn (Calum Scott Version)

Avalie a performance:

Lindo: Olha Guy que seleção de macho bonitos e talentosos a senhora tá montada viu? Eu não to nada bem pensando em todo mundo no mesmo trio dos Knockouts (Chriddy vs Mitch vs Jesse). Falando sobre Chriddy que voz é essa minha gente? O mais interessante foi ver o quão conectado e imerso na canção ele estava, os nuances que ele inseriu em alguns momentos foram lindissimos também e a nota final foi executada com maestria. O único ponto foram os vocais meio tremulos em alguns momentos e senti que faltou um pouco de confiança para ele brilhar ainda mais.

Lucas P: É a milésima vez que cantam essa música em reality, mas até que combinou com a voz dele. Vocalmente ele fez nada demais e se segurou no seu timbre, que por sinal é extremamente bonito. A leve rouquidão da sua voz agrada e é o típico boy que pode ir realmente longe.

Lucas S: EIKE GATO! Põe mais um no hall dos sapões da season. Inclusive já tô seguindo nas redes. E neste momento Cla grita: “Volta pro trabalho, Lucas”. Luquinhas respondeu: “Tá, voltei.” A voz do Chr é lindona, agradabilíssima, o timbre delicioso de se ouvir. Pô, esse deve dar trabalho aos outros colegas de time, hein?

[Eliminado] Ellen Reed – “Diamonds” by Rihanna

Avalie a performance:

Lindo: Em sua primeira passagem pelo programa Ellen foi a última artista a cantar e conseguiu a última cadeira no #TeamJessie. Eu penso que sua audição foi perfeita para Jessie que sempre foca mais na técnica e no poder vocal e tal. Ellen chegou a grande final (sinceramente não sei como pois achava bem chatinha suas performances) e ficou em quarto lugar. Ela decide voltar colocando isso em risco, afinal uma rejeição ou eliminação precoce mancharia um poquinho o quarto lugar dela. Ela escolhe uma música batida de reality e não inova em nada, canta a música sem emoção alguma e foca nos vocais (e nem chegaram próximos ao que foi na sua audição na season 5) e assim ela falha. Os jurados não viraram afinal foi uma audição bem genérica, com gritos desnecessários, sem emoção e esse se mostra como o grande risco de ser um all star, acabou sendo bem constragedor para ela e para Delta principalmente que já a conhecia.

Lucas P: Gente, é uma pena que uma finalista de outra temporada não consiga virar nenhuma cadeira, mas Ellen, me ajuda, né?! Pra essa música funcionar, tem que ter alguém do timbre diferenciado a cantando, o que não é o caso da Ellen. Fez uma performance sem vida, sem momentos que impressionasse. Realmente não fez por merecer.

Lucas S: Que dor no meu coraçaum. Poxa, eu amei a primeira estadia da Ellen no programa. A voz dela me agrada demais. Mas, para avançar numa segunda vez é necessário algo novo. Algo que impressione. Algo esse que ela não trouxe. Ela até me pareceu mais dinâmica, mas não deu. Uma pena.

[Eliminado] Sophie Ann – “Fight Song” by Rachael Platten

Avalie a performance:

Lindo: Apenas 15 aninhos e Sophie tem uma voz tão doce e delicada que precisa em primeiro lugar aprender a escolher músicas para sua voz e Fight Song não é uma delas. Faltou uma explosão, faltou um sal e pouco de marimba para isso vingar, acabou que Sophie ficou bem abaixo do esperado e não rolou para ela hoje, acredito que em uma música mais acústica e que não exige notas altas ela fosse ir muito melhor. Amei a mãe dela surtando a audição todaaa e fiquei triste por isso.

Lucas P: Fiquei mais desesperado foi pela mãe do que pela garota. A Sophie infelizmente não tem um vozeirão, sendo que essa música demandava certa força na voz pra versão ficar decente. Foi uma performance bem apagada e nada atrativa.

Lucas S: Sophie tem uma voz linda, clara, com uma elasticidade bacana… mas a escolha foi totalmente errada. Se ela escolhe algo mais suave, que desse para carregar de emoção. Para encarar “Fight Song” tem que ter cacife, ela, por ser muito jovem, demonstrou que não tem. Espero que retorne numa próxima, essa menina mostrou ter potencial.

[#TeamDelta] Erin Cornell – “Welcome to the Earth” by Delta Goodrem

Avalie a performance:

Lindo: OMG Erin chegou cheia de confiança e botou banca cantando um dos hinos de Delta! Ela mandou bem, acertou as notas gigantes, sobre quando subir e soube quando se manter mais baixo, uma audição completa. Erin é amiga de Delta desde que ambas trabalharam juntas no musical Cats, então a parada ficou bem complicada para Kelly.

Lucas P: Arrasou! A música é muito boa e super combinou pra ela. A Erin soube usar os momentos certos pra se destacar, conseguiu subir bem na música e deu tudo certo pra ela, até porque Delta pareceu adorar.

Lucas S: APAIXONADO! Essa é uma das poucas músicas da Delta que eu amo e Erin cantou do jeitinho que tem que ser. A loira passou emoção e foi tudo muito bem executado. Cada nota no lugar. Olha, Erin é praticamente a única da Delta que eu torço e protegerei essa moça até quando puder. Go, my frontrunner do teamdeltinhaaa! hahaha

[#TeamKelly] Henry Olonga – “This Is The Moment” by Anthony Warlow

Avalie a performance:

Lindo: Que história de vida minha gente, se opor a um ditador em seu país natal sendo uma figura pública foi extremamente importante mas com isso um preço veio. Sobre a audição, que vozeirão poderoso, forte e impactante mas que precisa de um pouco de sal, dinâmica e carisma para ir mais longe na competição. Henry se daria bem seguindo uma linha de músicas de musical/opera/poderosas mas que acabam caindo em uma zona monótona. O que achei mais interessante foi ele seguir com Kelly, afinal já vimos George e Delta trabalharem com esse tipo de voz, e Delta principalmente se saiu muito bem, mas com Kelly será algo novo, estou bem interessado.

Lucas P: Então, ele canta bem e super mereceu virar a cadeira, mas pra mim não dá. Não é o tipo de performance que me prende. Inclusive, qual dinâmica que ele dará às suas performances? Será que será sempre nesse mesmo estilo? Se for, já estou preparado para criticar hahaha.

Lucas S: Voz intensa, né? Forte, potente, com magnitude. Henry só não tem muito carisma. Mas voz… possui de sobra. E ele é ainda é dinâmico. Passeia por tanto pelo clássico quanto pelo lírico. O que o torna interessante. Principalmente para abrilhantar o show, nas fases das batalhas então… pode render horrores. Veremos o que Kelly guardará para nós com o homem.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O episódio foi bem morno neh minha gente? Comparando com ontem onde tivemos o melhor episódio das blinds esse ficou bem atrás. Acredito que agora cada vez mais veremos gente que não virou cadeiras e isso acaba deixando as coisas mais monótonas para o telespectador também. Os times ficaram assim…

#TeamDelta: Luke Zancanaro, Daniel Shaw, Natasha Stuart, Zack Fawor, The Koi Boys*, Erin Cornell

No início Delta largou na frente, mas o episódio de ontem pesou um pouco. E nítido que ela tem candidatos populares com o público australiano falando claramente: The Koi Boys. Além deles um embate entre Erin e Natasha já começa a se desenhar por uma das vagas na próxima fase. Entre os meninos temos Daniel e Zack no mesmo nicho, e Daniel é nitidamente melhor e tem muito potencial para ir longe. Luke é a cota de boy magia e apesar de ter uma voz linda não o vejo indo longe aqui.

#TeamGeorge: Diana Rouvas*, Dezi K, Sellma Soul, Madi K*, Lee Harding, Oliver Cuthbert.

Sem adições em sua equipe hoje! Mas nem foi necessário neh minha gente? George continua firme e forte com suas duas all star: Diana Rouvas e Madi K que eu colocaria no TOP 3 entre os artistas mais interessantes do time de All Stars. Agora além das meninas temos o roqueiro Lee que poderia trazer algo diferente e quem sabe ir longe na competição representando nos lives um nicho que geralmente é esquecido. Vamos ficar atentos!

#TeamGuy: Tannah Zancanaro, Chynna Taylor, Lara Dabbagh, Akina Maria, Jesse Teinaki, Chriddy Black, Mitch Paulsen. 

Guy montou o time mais equilibrado até aqui para ser sincero, cheio de dinâmica e de artistas com muito pontecial. O maior destaque segue sendo Chynna que já trabalhou com ele antes, e deve ser um nome certo nos lives. Um embate entre os meninos nos KOs parece bem óbvio e entre Jesse, Chriddy e Mitch, eu sou muito TeamJesse, SIM! Não faça besteiras Guy! Fora isso temos dois opostos que podem brilhar Akina com toda sua experiência e a jovem Lara que é um pequeno diamante que precisa ser lapidado.

#TeamKelly: Zeek Power, Prinnie Stenvens*, Amanuel Visser, Dakota Striplin, Mack Moses, Kristie Mercer, Denzel, Henry Olonga.

Kelly tem 8 dos 12 artistas e apenas 3 nomes me anima aqui: Kristie, Denzel e Zeek. Os três são ótimos e se forem as escolhas de Kelly para ir aos lives até então será uma ótima equipe, mas fugindo disso acho pouco provável que ela repita o sucesso da temporada passada onde levou dois artistas a grande final.

Por hoje é isso gatos e gatas! Comentem abaixo quais os seus favoritos até entãoo!

O link maroto para ver o episódio completo também não foi esquecido: CLIQUE AQUI

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

Amado por 30 milhões de Brasileiros! Paulista, Canceriano, 25 anos, Químico e atualmente faço Doutorado em Biotecnologia e Polímeros. Me achou nerd neh? Sou mesmo! Amo uma boa banda alternativa/indie, fã número 1 de Imagine Dragons e adoro perder um bom final de semana maratonando séries! P.S. Sou bêbado também gente, me chama para uma cerveja e para falar de série!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries