Posts Populares

The Voice Of Holland – S09E12 – The Knockouts 01

Anouk rainha, Ali B nadinha!

Finalmente chegamos a fase que mais amo nas franquias do The Voice, o momento onde os acts se apresentam pela primeira vez em solo após as dicas de seus respectivos coaches. Costuma ser justamente nessa fase que meus favoritos realmente são definidos, porque nos Knockouts a gente consegue ver a evolução de cada act, desde a sua audição, o único medo dessa fase é a decisão do coach, porque se nas Battles os coaches já vacilaram nas suas decisões, aqui não está nada livre de erro, a única diferença é que o erro aqui é fatal, já que é a fase decisiva para formação final dos times.

No primeiro episódio de Knockouts, os teams Anouk e Ali B se apresentaram, sendo que Anouk tinha 8 acts e Ali B tinha 9 acts, ambos times concorrendo por apenas 3 vagas para os lives, no caso as cadeiras. Os Knockouts na Holanda funciona como o Chair Challenge da franquia X Factor, onde cada candidato se apresenta e pode ou não ganhar uma vaga, no caso a cadeira, porém até a última performance, a vaga pode ser substituída à qualquer momento.

A review de hoje contarei com a presença dos comentaristas Lindomar, meu amigo índie panelerio, além da nossa também paneleira Luana. Let’s go!


Team Anouk

Irene Dings – “My Immortal” by Evanescence

Michel: Nossa, como eu amo essas escolhas de músicas no TVOH, indo de música mais antigas como esse hino gótico, até as canções mais atuais e menos “hitadas, uma diversidade que amo. Eu sou apaixonado por Irene, apesar de sua pouca idade, apenas 16 anos, ela já tem uma voz tão madura e uma forma muito madura também de se comportar no palco. A escolha da música eu achei muito acertada, os vocais estavam impecáveis como sempre, a única coisa que reclamaria é que achei muito curtinha, fiquei naquela vontade de ouvir mais, numa performance mais longa ela conseguiria soltar mais dos seus vocais, mas no geral eu acabei gostando muito.

Lindomar: O início foi PERFEITO, Irene tem uma voz limpa, linda e consegue atingir todas as notas que se propõe. Entretanto com o passar do tempo sinto que ela ficou em uma zona ali e não conseguiu crescer com a performance como a música exige, parecia que ela não tava sentindo o peso da letra. Ela deu conta do recado, fez uma performance sólida mas ficou longe das performances anteriores dela, faltou sal e faltou emoção.

Luana: Olha, eu até gosto da Irene e lembro que em sua batalha, eu achei que ela pisou na adversária sem dó. E apesar de entender que tem muito potencial com ela, achei a performance um pouco morna demais para uma fase tão brutal. Como foi a primeira apresentação do time, não posso dizer com certeza se foi suficiente ou não para garanti-la na próxima fase, isso vai depender muito do que os acts a seguir venham a apresentar. Foi uma apresentação sólida, mas vamos ver.

Irene ganhou a cadeira 1.

Mannus ter Avest – “Be Alright” by Dean Lewis

Michel: Acho o Mannus uma fofura, tem muito carisma e tem uma voz muito linda, eu já tinha gostado muito dele em sua audição, mas aqui ele conseguiu se superar e fazer uma performance que conseguiu fazer eu gostar ainda mais dele. Gente, o timbre dele é muito lindo, essa música eu não conhecia, mas é tão linda e combinou perfeitamente com sua voz. Sério, o Mannus arrasou, fiquei extremamente cativado por essa performance, o que mais amei foi como ele conduziu a música de uma forma mais suave, mas sem soar em nenhum momento linear, a emissão nos finais das notas estava perfeita, AMEI!

Lindomar: Essa música do Dean Lewis é lindíssima demais gente! Vou dizer que achei o Mannus bem fofinho! Ele tem uma voz tão doce e pura e conseguiu se entregar até que de forma convincente, mas ao mesmo tempo a música conseguiu mostrar o quão tecnicamente limitado ele ainda é, foi uma boa performance com nuances interessantes mas acredito que não será suficiente.

Luana: Mais uma apresentação na média, mas olha… Eu achei Mannus mais cativante que a Irene. Novamente, MUITO potencial e ele teve momentos muito bons vocalmente, onde conseguiu mostrar uma “textura” muito terna e calorosa da voz. E isso deixou a apresentação toda bem gostosinha de ser acompanhada. Foi uma escolha safe, mas me pareceu funcionar para o tipo de artista e vocalista que o Mannus é. Eu curti.

Mannus ganhou a cadeira 2.

Mikki van Wijk – “Lief Zoals Je Bent” by Maan

Michel: Outra favorita minha nessa competição é a fadinha Mikki, o melhor é que cada performance dela tem se tornado minha favorita, fortes expectativas com ela. A Mikki é uma artista com um timbre mais suave, porém já mostrou que tem uma boa extensão vocal e hoje provou que é bastante comercial e pop, cantando uma música da maravilhosa Maan. Amei a escolha da música, mostrou uma outra vertende da Mikki, a voz dela é lindíssima e mesmo com a música mais agitada e em holandês, achei que se encaixou muito bem no seu estilo mais índie, me surpreendeu muito que ela conseguiu arrasar com uma música que eu nunca pensaria na voz dela, me surpreendeu demais <3.

Lindomar: Gente eu entendi foi porra nenhuma mas senti que ela era a Camila Cabello da Holanda! A música inclusive é da participante mais famosa do The Voice of Holland: Mann. Pela vibe da performance diria que a Mikki deu conta do recado nesse reggae-pop dutch e conseguiu mostrar até um certo rasgadinho de leve que existe em sua voz só achei bem parado e acredito que para ela ir longe no show precisara cantar músicas que permitam a ela crescer durante a performance que não foi o caso hoje.

Luana: Entendi alguma coisa? Definitivamente não, hahaha. Mas até agora, foi a performance que eu mais gostei e acho que foi também a qual a artista conseguiu mostrar mais vocalmente. O ritmo da música é bem gostosinho, mas Mikki conseguiu ir além disso e mostrou bastante domínio em todos os aspectos da apresentação.

Mikki ganhou a cadeira 3.

Sanne Veltman – “Valerie” by Mark Ronson ft. Amy Winehouse

Michel: Poxa, cadê a minha Sanne com um timbre lindo e intimista que me ganhou em sua audição? A Sanne enfrentou a maior barra nas sua battle, então sabíamos que a pressão dela aqui era muito maior de qualquer outro ali. Sanne diferente das outros novinhos que se apresentaram anteriormente, ainda é muito imatura vocalmente e falta definir seu estilo musical, ainda acho que sua vibe é muito no índie mais acústico, cantar algo da Birdy ficaria lindo em seu timbre. Bem, ela até que tentou se soltar no palco, se mostrou mais confortável, porém sentir muita falta da artista mais intimista que ele mostrou na sua audição.

Lindomar: Gente que performance mais uooooooo! Sanne é muito jovem ainda e tem muito a aprender e fiquei feliz que ao menos ela se entregou e sorriu, conseguiu brincar com a música que estava cantando e foi eliminada de forma feliz se posso dizer assim, não sei se Anouk foi grossa com a garota mas paciência neh.

Luana: Ah gente, gostei não. Sanne tem uma voz até legal, mas eu não curti o que ela fez com a música, ficou “baunilha” demais. Além disso, ai que agonia essa dancinha parada no lugar durante a performance todinha, hahahahaha. O time da Anouk é bem jovem, e de todos os que passaram até agora, acho que Sanne foi a mais fraquinha. Eu não daria cadeira pra ela não, viu.

Sanne Eliminada.

Jelle Glasbergen – “Make It Rain” by Ed Sheeran

Michel: Jelle sério que você vai apresentar isso depois daquela sua battle maravilhosa? Já começou errado porque essa música já foi cantada nessa temporada por Menno, que aliás arrasou, sendo assim fica difícil não comparar sua performance, achei que faltou mais agressividade nessa apresentação, na verdade não foi algo ruim, mas para mim soou algo sem graça, totalmente esquecível. Infelizmente a escolha da música acabou não ajudando muito, uma vez que sua limitação vocal ficou mais evidente, particularmente para mim.

Lindomar: Gente cade aquele Team Anouk que tava destruindo nas Battles? Até agora tá bem abaixo do esperado. Jelle tem uma voz lindíssima e me surpreendeu antes (senão to doida) mas hoje ele acordou com preguiça de viver porque para cantar Make It Rain se precisa de energia meu amigo, precisa de vontade e ele fez uma versão tão sem vida que só posso dizer que foi uma péssima escolha musical para ele.

Luana: Ué?! Oxe gente, eu fiquei esperando o momento de explosão da apresentação (por causa da música, claro), e acabou que nunca veio! Acho que Jelle errou feio na escolha da música. Ele tem um timbre bem bonito, mas “fraco” demais pra sustentar o ápice da canção. Tanto é que ele não conseguiu entregar tudo que a música pedia. Performance bem aquém do esperado, sem cadeira para ele da minha parte.

Jelle ganhou a cadeira 2/ Mannus eliminado.

Jackie Lou – “Proud Mary” by Ike & Tina Turner

Michel: Nossa o que botaram na água da Jackie? Ela estava lá toda saltitante e entregou uma performance de puro entretenimento e vocais consistentes. Gostei muito da performance em geral, o figurino muito bem escolhido para a apresentação, tudo muito bem pensado. Apesar de ter curtido bastante sua performance em termos vocais e presença de palco, a sua performance não me cativou o suficiente para querê-la nos lives, acho a Jackie ótima, porém a performance aqui ficou faltando algo para mim, talvez arriscar mais nos vocais ou uma mudança de arranjo poderia cair muito bem também.

Lindomar: Aaaah Jackie arrasou nas battles e chegou como a novidade do #TeamAnouk! Eu tava bem ansioso para ver o que ia sair daqui e quando vi a song choice esperava um verdadeiro espetáculo. Jackie mostrou energia, empolgação e se jogou na song mas ao mesmo tempo a alta velocidade e o excesso de passos de dança prejudicaram o andamento da coisa toda e seus vocais em alguns momentos fugiam das notas devido a dificuldade de manter a respiração, cantar e dançar, enfim acabou sendo uma performance complicada.

Luana: Sem dúvidas, foi a performance mais energética e dinâmica até aqui! Eu não lembro nem da blind, nem da batalha da Jackie, mas acho que esse nocaute foi bem satisfatório. A música foi super batida e ela nem fez nada de tão diferente, mas pelo menos conseguiu criar uma atmosfera legal e que nenhum dos outros 5 foram capazes anteriormente. Não sei os planos da Anouk, mas baseado unicamente nessa rodada, Jackie merecia uma cadeira sim.

Jackie eliminada.

Cleo Vlogman – “Strong” by London Grammar

Michel: Nossa eu amo essa música, mas não é nada ideal para a Cleo que tem uma voz mais pop, acho que essa música pede vocais mais forte e uma interpretação mais intimista, senti muita falta dos falsetes e da sensação de algo mais índie que a música original passa. Vocalmente eu não tenho muito o que reclamar dela, os vocais estavam na medida e ela até se atreveu arriscando algumas notas mais aguda, porém a performance em si não me cativou em nada.

Lindomar: EU AMOOOO LONDON GRAMMAR DEMAIS! Tá na minha listinha de shows que quero assistir enquanto estiver vivo. Cleo pegou uma das músicas mais lindas dele e tentou fazer a sua versão e sinceramente senti que ela não conseguiu empolgar como deveria, os nuances e as partes mais baixas da songs são lindas e ela não conseguiu construir essa identidade e em certo momento ela jogou alguns gritos que fogem totalmente da proposta, enfim, ela fez uma performance bem meia boca desse HINO o que é uma pena.

Luana: Assim, eu lembro da batalha da Cleo e também lembro de pensar que ela perdeu feio para o rapaz, hahaha. Mas hoje, unicamente hoje, ela conseguiu entregar a melhor performance do time e seria estúpido e injusto não dar a cadeira pra ela. Ela encontrou uma música que encaixou super bem no timbre dela, e a execução foi simplesmente perfeita. Acho que foi uma bela maneira de se superar.

Cleo eliminada.

Navarone – “Chandelier” by Sia

Michel: Velho, olha esses vocais desse cara? Nossa, me arrepia cada nota aguda dele alcançada, tem um arranhado tão natural em sua voz, além dessa banda maravilhosa acompanhando. A escolha da música me surpreendeu bastante, mas apesar de ser uma música bastante cantada em realities, acredito que eles foram tão originais na versão que fizeram, que isso nem me incomodou. Eu amei a performance inteira, o vocalista é incrível, seus vocais são poderosos e aqui mostrou um controle vocal que até então não tínhamos presenciado. Arrasaram muito!

Lindomar: Quando essa banda entrou no palco eu tenho certeza que quem tava nas cadeiras ficou com o cu apertadíssimo porque sabiam que alguém ia rodar. Navarone vem sendo uma das grandes surpresas dessa edição! O rasgado forte do vocalista é simplesmente SENSACIONAL e eles sempre conseguem fazer performances destruidoras. O pobre do Jelle sabia que ia rodar neh gente só ver a cara dele. Navarone simplesmente conseguiu colocar um sorriso na boca da Anouk gente e isso é um choque! Adorei a versão de Chandelier e espero que eles se confirmem como um dos favoritos ao título.

Luana: E matou o resto do time. Eu discordo bastante das pessoas sentadas nas cadeiras nesse momento, mas me confortava desde do início saber que a Navarone já teria uma cadeira garantida, pelo simples fato deles estarem anos luz na frente dos adversários. E embora a performance não tenha sido tão “uau” quanto as anteriores deles, foi suficientemente boa para massacrar todo mundo que veio antes e PRINCIPALMENTE as bundinhas que atualmente estão sentadas nessas cadeiras. É isto.

Navarrone ganhou a cadeira 2/ Jelle eliminado.


RESULTADOS

Realmente essa temporada serei #teamAnouk total, hahaha, tem como não amar esse trio acima? Anouk claramente tinha seu top 3 pronto antes mesmo das performances, claramente esses três num saldo geral, tiveram o melhor desempenho até o momento. Avaliando só as performances dessa rodada, achei que realmente a Mikki e o Navarrone foram os meus favoritos e fizeram performances consistentes, já a Irene achei que foi um pouco atrás dos dois, o Mannus aqui se saiu um pouco melhor que ela, porém nada a reclamar desse top 3 maravilhosa, apenas agradecer pela sensatez da Anouk.



Team Ali B

Hard2Get – “Shape Of You / Energie” by Ed Sheeran / Ronnie Flex ft. Frenna

Michel: Olha, inicialmente achava eles muito subestimado, não vi nenhuma graça em sua audição, porém aqui e nas Battles achei que eles mandaram muito bem, amei medley que fizeram, ficou muito legal e as duas música se harmonizaram muito bem, aliás eu mesmo não suporto mais ouvir “Shape Of You“, mas aqui até que curti ter ouvido com essas adições na música. No geral uma performance decente, mas nada demais também, porém o melhor deles até aqui, na minha opinião.

Lindomar: Das 3 bandas que ainda estão na competição posso dizer com certeza que essa é a mais fraca! Eu acho que a voz do vocalista principal é tão chata minha gente que não consigo AMAR, mas a voz do baterista EU TO APAIXONADO! Deixem esse homem cantar. Acho que a ideia do medley foi péssima porque na segunda song a voz do vocalista ficou bem menos enjoativa e a performance da banda convenceu muito mais do que me Shape Of You.

Luana: Mas gente, é a própria sensação pop da Holanda, hahaha. Quando eles começaram com “Shape of You” eu não tava curtindo muito não. Mas quando eles entraram na outra música: SUCESSO. Acho que o mashup ficou bem legal, mas um tanto desnecessário, porque os bons momentos da performance foram todos em “Energie” (que eu nem conheço, mas já amo). Olha, as bandas estão salvando essa edição do programa, viu. É óbvio que Hard2Get vai manter a cadeira até o fim da rodada, falo com tranquilidade.

Hard2Get ganhou a cadeira 1.

Debrah Jade – “Clown” by Emeli Sandé

Michel: Nossa essa música é um hino, tem o pacote perfeito de oferecer bons momentos vocais e com uma carga emocional forte, uma música super acertada para um momento como os Knockouts, que precisam cativar o seu coach. Debrah tem tido uma trajetória bem apagada nessa temporada, talvez no time do Ali B, ela seja para mim a que menos eu goste, porém preciso dizer que ela fez uma performance brilhante, a música valorizou muito sua voz, explorando seus vocais por completo, os graves e agudos, gostei muito também que ela soube balancear muito bem os momentos de suavidade e de mais agressividade, mandou muito bem!

Lindomar: Emeli Sandé minha DEUSA! <3 <3 <3 Debrah até então tinha feito um total de ZERO performances decentes e a gente se perguntava porque ela ainda estava aqui (a resposta era o Ali B claramente) mas ela surpreendeu hoje. Ela se atentou as linhas básicas da música e entregou vocais sólidos e até conseguiu transmitir alguma emoção, eu fiquei bem surpreso com o resultado final, ela evoluiu muitoo.

Luana: Que hino de songchoice! Eu adorei tudo que a Debra fez, embora tenha achado a performance exaustiva (e olha que mal teve 2min), haha. Acho que tirando Navarone (ou talvez até contando com eles também), foram os melhores vocais do dia. Se por ter entregado algo tão sólido Debra mereceu cadeiras, e o bom gosto musical é só a cereja no topo, haha.

Debrah ganhou a cadeira 2.

Niels Hereijgers – “Counting Stars” by OneRepublic

Michel: Poxa Niels, você precisava vacilar justamente nos Knouckouts? Até gosto da música, porém não acho que seja a música certa para realities, por conta que limita o cantor vocalmente, apesar de não ter aquele apelo emocional que costuma dar certo nessas fases. Vocalmente ele foi até correto, porém por ser uma música mais animadinha, sentir falta do timbre dele soando mais intimista, assim como os falsetes, de longe a pior performance dele no programa, mas por outro lado passa longe de ser a pior dessa rodada, na verdade foi até boa, mas ficou devendo muito para o padrão dele.

Lindomar: Cruzes que coisa mais morta foi essa minha gente! Counting Stars exige força de vontade de viver e o Niels faltou em muito nessa aula fazendo uma performance com zero personalidade, gostei de quase nada do que vi. Nem os falsetes ele conseguiu fazer de forma decente, foi bem fraco e já merecia nem sentar na cadeira neh mores.

Luana: Mixed feelings aqui, gente. Eu lembro que gostei muito do Niels na batalha e o timbre dele é incrível. O começo da performance foi super convincente, daí um pouco ali no meio parecia que ele tinha perdido o fio da meada e a performance estava desandando, no fim ele recuperou e finalizou numa nota bem bonita. Eu acho que Niels tem um super potencial com as músicas corretas pro timbre dele, mas hoje foi bem instável.

Niels sentou na cadeira 3.

Béla Becht – “Time After Time” by Cyndi Lauper

Michel: Outra acertada escolha musical, amo esse hino <3. Amo o timbre do Béla, tem uma voz que ao mesmo tempo é muito bem imposta, mas com uma suavidade e de certa forma até elegância, associado muito bem com seu estilo de se portar no palco. Eu gostei muito de sua performance, os vocais como sempre estavam impecáveis, eu senti falta de apenas um momento de destaque, podia ter arriscado umas notas mais poderosas ou até mesmo uns falsetes para fugir da linearidade da música, mas tirando isso, tenho nada a reclamar.

Lindomar: Eu só me lembro daquela batalha linda cantando Kiss From a Rose onde o Béla mandou ver e quando vi a song choice fiquei com as expectativas nas alturas. Béla começou meio nervoso no meu ponto de vista, mas foi se encontrando com o tempo, ele conseguiu construir uma boa performance e bater de longe as pessoas que cantaram no mesmo time que ele anteriormente, entretanto aquela conexão dele com as songs que predominou nas performances anteriores ficou faltando aqui.

Luana: Uma palavra: chato. Gostaria de finalizar meu comentário aqui, porque foi isso que foi mesmo e nem tem muita coisa além para falar, mas né. Béla nunca entregou nada muito marcante na competição, mas hoje foi o cúmulo. Eu sei que a música não deixa muito espaço para desenvolvimento, mas isso cai na conta dele também, pois poderia ter ido com algo melhor. Enfim gente, sem cadeira e é isso.

Béla sentou na cadeira 3/ Niels eliminado.

Zoë Livay – “Verleden Tijd” by Frenna ft. Lil Kleine

Michel: Essa garota é espetacular, já provou que manda muito bem com as baladinhas românticas, aqui nos Knockouts vem nos surpreender mandando um rap, tem como não amar? Acho Zöe muito artista, seja por seu visual, seus vocais ou sua forma de se portar no palco, acho ela uma artista já pronta. Amei sua performance aqui, uma de minhas favoritas, uma pena que ela não segue na competição, tudo porque o Ali B ofereceu um contrato para ela, porém para isso teria que deixar a competição, o que ela acabou aceitado, uma pena para gente que perde esse talento aqui. A proposta do Ali B foi ridícula, a visibilidade que ela poderia ter no programa seria muito bom para sua carreira, uma pena, mas espero que possa fazer muito sucesso, porque merece.

Lindomar: Zoe cantou uma das songs do Lil Kleine e mandou ver com suas raízes afro no palco, mandou bem tanto no pop como no rap e fez de longe a performance mais interessante do #TeamAliB. Aparentemente AliB estava louquíssima e decidiu eliminar a garota da forma mais INJUSTA possível, parece que ele ofereceu um contrato no lugar da cadeira MAS GENTE essa menina merecia uns 3 contratos e a cadeira que coisa mais escrotaaa!

Luana: Ah pronto. Me disseram aqui que o Ali B ofereceu uma cadeira ou um contrato pra Zoe e ela foi com o contrato. Assim, que bom pra ela, eu acho?! Mas que péssimo pra mim. Zoe foi a melhor da equipe, juntamente com a banda. E além disso, ela vinha sendo minha preferida desde as blinds, eu sempre ficava animada para ver as performances dela. Enfim, mais uma vez ela foi super interessante e contemporânea, é uma pena que não vamos continuar a vê-la na competição, viu. Que saco. P.S.: PUTA MERDA, BICHO. O ALI B DEU UMA CADEIRA PRO BÉLA, MAS QUE?????!

Zöe eliminada.

Sarah-Jane – “Say Something” by A Great Big World ft. Christina Aguilera

Michel: A Sarah-Jane tem subido muito no meu conceito, ainda na sua audição eu critiquei seu descontrole vocal, porém tenho visto muita melhora aí, amei sua performance de hoje, sua voz apesar de muito aguda, achei que soou lindamente aqui. Em muitos momentos sua voz me recordou a Amber Riley, a música me surpreendeu muito, uma vez que jamais pensaria nessa música para ela, mas se encaixou muito bem na sua voz, aliás já podia investir nessa linha e fugir do óbvio. Até aqui, Sarah-Jane foi para mim a melhor do seu time sem dúvidas, arrasou nos vocais, teve muito emoção e fez por merecer o claro favoritismo do seu coach.

Lindomar: Olha posso dizer que já vi versões melhores dessa song em realities mas para essa noite aqui foi como se Celine Dion entrasse no palco e diversos iniciantes na carreira ficassem observando. Sarah conseguiu nessa noite algo que poucos conseguiram até aqui uma conexão com a música, mostrar vulnerabilidade e impactar com sua voz, juntando os três elementos só posso dizer que seria muito injusto essa mulher fora do programa só não precisava ter tirado a vaga do meu Béla. Estou feliz e estou triste.

Luana: Eu DETESTO o timbre dessa mulher. Inclusive, muito me surpreendeu descobrir que ela ainda está aqui, meu Deus. Assim, merece mais a cadeira que o Bela, sem sombra de dúvidas, mas e pra aguentar esse timbre mais uma semana? Oh gente. Eu claramente já tenho uma opinião formada sobre a Sarah-Jane, e não vai mudar, infelizmente.

Sarah-Jane ganha a cadeira 3/ Béla eliminado.

Owen Playfair – “Treasure” by Bruno Mars

Michel: Esse episódio de Knockouts se resume à “escolhas de músicas”, no caso dele foi erradíssima. Músicas mais animadas, não são muito ideais para momentos assim de tudo ou nada, porque fica faltando o quesito emoção, não só isso, mas vocalmente a música também não é muito desafiadora a ponto de surpreender, o que acaba tornando uma performance bem chatinha. Em resumo, vocalmente bem qualquer coisa, aliás achei que foi até engolido pela banda em alguns momentos, merecidamente não ganhou uma cadeira.

Lindomar: A POC pegou algo super dançante e retro e tentou convencer que merecia uma cadeira mas só posso dizer que a performance foi bem apenas ok, ficou longe de conseguiu impactar e em diversos momentos ficou parecendo um Karaoke. Owen precisava de uma música que lhe permitisse explorar mais seus vocais e menos os passos de dança.

Luana: Ai que performance meia boca. Eu fiquei esperando um falsete no final pra compensar a falta de identidade, mas nem isso. Talvez eu esteja sendo muito crítica, mas essas performances tão faltando alma demais, gente. Owen é um ótimo cantor e parece ter boa ideia do que quer fazer, mas ele precisa encontrar algo que o diferencie do resto e isso não tá rolando até agora.

Owen eliminado.

Menno Aben – “All My Friends” by The Revivalists

Michel: Menno é sem dúvidas um dos melhores participantes dessa temporada, o cara tem vocais super precisos, sua afinação nunca deixa a desejar e suas performances são sempre muito dinâmicas. Eu não conhecia muito a música, porém acabei gostando muito, foi uma performance bastante dinâmica, a parte meio rap ficou muito bem feita, foi o tipo de performance que não apelou para o emocional, porém surpreendeu nos vocais e que me cativou bastante. Arrasou! PS: Choque que ele tem apenas 18 anos.

Lindomar: Precisei ver esse vídeo umas três vezes para começar a gostar dele e entender porque muita gente gosta do Menno. Comecei a entender que ele tem um certo pacote completo para ser um bom artista, ele tem voz, tem beleza, conseguiria passear entre diferentes ritmos e comparando com seus adversários de equipe principalmente os homens posso dizer que ele é o melhor preparado.

Luana: Olha, eu fiquei surpresa. Considerando que Sarah-Jane tem uma cadeira, entregá-la para o Menno não seria idiotice. Eu achei a música tão “pouca bosta”, mas ele conseguiu tirar tanto dela. Foi uma performance super dinâmica e bem elaborada, Menno conseguiu encaixar a voz em momentos muito legais e chamou toda a atenção para o mais importante: sua star quality. Valeu cadeira, mas só se for a da Sarah-Jane, rs.

Menno ganhou a cadeira 1/ Hard2Get eliminado.

Evelien van Buren – “Hero” by Mariah Carey

Michel: Acho a Evelien de um carisma enorme, muita fofura para uma pessoa só. Olha, preciso dizer que acho essa música chatíssima, porém apesar de não ter curtido sua escolha de música, sua performance foi muito boa, quando considerando os aspectos vocais, que foram muito bem executados. Queria muito que ela tivesse ido para os lives, uma pena, até porque ela parece ser bastante esforçada e mostrou certa evolução nesse curto espaço de tempo, mas ao menos sai muito bem com uma linda performance e fico na torcida de vê-la numa temporada seguinte.

Lindomar: PRIMEIRAMENTE o Ali B poderia ter tido um ótimo time com Menno, Evelien e Sarah (e isso sem falar da fada Zoe que ele dispensou daquela forma) e ele cagou tudo. Me digam gente como a performance da Debra pode ter sido melhor que essa? Impossível, Impossível e Impossível foi uma das maiores injustiças ever dessa temporada. Evelien conseguiu emocionar, mandar ver nos vocais e arrasou demais, encerrou a noite com chave de ouro antes do coach dela cagar tudo.

Luana: MEU DEUS DO CÉU, BICHO. ANTES DE COMENTAR A EVELIEN, O ALI B TEM DOENÇA? EU TÔ VENDO AQUI QUE ELE TIROU O HARD2GET E DEIXOU A SARAH-JANE LÁ, MEU FILHO????? Meu Deus. Mas enfim, Evelien… Vi aqui que ela tem 17 anos e realmente pra idade ela parece ser bem madura. Eu gostei da performance, mas foi super similar à Debra, e quando em comparação, Debra conseguiu entregar muito mais. E como o senhor da genialidade aí já tem 2 cantores bem parecidas, não seria muito inteligente manter a Evelien.

Evelien eliminada.


RESULTADOS

Olha, no início fiquei muito puto com esse top 3, porém vindo do Ali B, preciso pensar que poderia ser ainda pior. Acho a presença da Debrah totalmente desnecessária nos lives, eu levaria facilmente a Evelien, Zöe ou Niels no lugar dela, mas choices né? O meu top 3 do sonho seria o Menno, Niels e Zöe, mas Ali B resolveu cagar tudo e tirar a menina tão cedo. Bem, ao menos acho que Menno e Sarah-Jane vão representar muito bem nesse time.



Então pessoal, finalizo aqui essa review e pelo desculpas pelo atraso, prometo tentar ser mais ágil nas publicações. Até breve, vamos torcer para que tenhamos um top 3 decente dos teams Waylon e Lil’Kleine.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Michel Araujo

Meio baiano, meio sergipano, já passou dos 20 anos e um sofrido estudante de engenharia, com uma personalidade cheia de atitude e uma leve ousadia. Viciado em séries, realites e músicas, vai me encontrar sempre por aí escrevendo reviews, numa diversidade de gêneros de série e programas de TV.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries