Posts Populares

The Voice of Holland – S10E06 – The Blind Auditions 06

Sexta semana seguida de Audições e o número de favoritos só segue aumentando

Chegamos ao penúltimo episódio de audições e posso afirmar que está sendo um grande PRAZER acompanhar essa temporada até aqui, artistas de diferences nichos entregando grandes performances, os coaches até então com poucas exceções não vem cometendo grandes injustiças e tenho pelo menos 1 artista em cada time que eu AME (ou quase todos de um time (@anouk)).

Será que vamos conseguir manter o nível? É natural que de uma caída nessa reta final, mas vamos manter as esperanças! Hoje conto com comentários dos meus friends Michel e Tati (que também cobrem esse amado reality <3).

#TeamAliB – Fatima Zohra – “Let It Go” by James Bay

Lindo: FADAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! Eu tava com saudades de ouvir essa obra de arte do James Bay em alguma versão do #TheVoice e Fátima trouxe uma versão tão cheias de melismas e sutileza que apenas eu pude sorrir vendo ela performar essa canção. Ela levou a canção com uma leveza equilibrada com uma certa rouquidão presente em seu timbre que deixou tudo tão especial e único. Ela optou para ir pro #TeamAliB e será que um confronto com Ayoub vai rolar? Se Ali for esperto leva os dois pros lives, mas Ali B não é esperto kkk.

Tati: Meu Deus, na primeira nota eu me arrepiei real! Meu Deus do céu, na primeira nota eu já arrepiei. Voz linda, com uma rouquidão maravilhosa. Realmente Fátima escolheu uma música perfeita em tudo e eu adorei ela e a performance. Minha única ressalva é que eu achei que da metade pra frente a apresentação ficou um pouquinho monótona e o nervosismo atrapalhou um pouquinho. De qualquer forma, ela é um arraso e ansiosa para ver mais dela.

Michel: Começando bem o programa, com esse timbre suave e essa música incrível do menino Bays. Fatima tem uma voz lindíssima e com muitas particularidades, à primeira vista eu esperava ela com um vozeirão, bem diva, mas na primeira nota já me derreti todo com toda essa vibe mais indie que ela transmitiu em sua apresentação, gostei muito também das partes já no fim que sua voz soou mais rouca e com umas texturas bem diferentes. Amei!

 

#TeamAliB – Sophie Mol – “I’m Every Woman” by Chaka Khan

Lindo: I’m Every Woman…. e você sai rodando pelo salãooo, eu simplesmente AMO a energia que essa canção traz e Sophie soube captar isso e se divertir no palco, mesmo sem ser extraordinária ela conseguiu mostrar a que veio, mas senti que ela se apoiou demais nas backings durante toda performance e convenhamos estamos em uma audição onde você deve mostrar sua voz e nisso ela ficou devendo em alguns pontos.

Tati: Aaaaaaaah, eu amo tanto essa música. <3 Eu achei que Sophie mandou bem no começo, mas poderia ter sido melhor, com um inicio mais impactante. Eu achei a voz dela comum, mas ela executa bem as notas. Além disso, os falsetes dela são muito bem feitos. Enfim, uma boa performance, nada uau, mas mareceu demais uma cadeira, pois mandou bem!

Michel: Os candidatos precisam ter noção que cantar Whitney é uma tarefa de enorme complexidade, indo muito além do que apenas afinação. Justamente por isso, fiquei dividido com a apresentação da Sophie, porque achei que ela foi super correta vocalmente, cantou respeitando bem seus limites vocais e mostrou um falsete muito bem executado no início, mas faltou mais atitude, aquela voz que te intima, que tem muita força e personalidade, coisa que com Sophie achei que ficou faltando. Eu viraria para ela porque vocalmente ela é muito interessante, porém a escolha da música achei que não caiu tão bem pra ela.

 

#Eliminado – Wibrant Bronstema – “Onderweg” by Abel

Lindo: Eu não entendi nada mas eu gostei kkk. A voz do Wibrant me agradou demais minha gente, apesar de não ter conseguindo observar nada demais em sua performance, é um tipo de voz que me agrada muitoooo, eu acho que a música limitou ele demais, ele não mostrou um registro mais alto, um grave mais alongado ou até mesmo melismas que tenho certeza que estão presentes em sua voz, enfim, uma pena neh?

Tati: Ai, que música gostosinha, apesar de eu não entender nada kkkkkk. Olha, não achei Wib ruim, só achei ele bem básico, sabe? Talvez ele tenha até mais talento, mas ficou escondido na música que não exige muitos recursos.

Michel: Olha, o cara tem até uma voz bonita, porém essa linearidade na apresentação não o ajudou em nada. Ficou muito tudo na mesma, sem muita dinâmica na música, uma performance totalmente sem destaque. Quando a banda cresceu, ele continuou no mesmo tom o que acabou engolindo-o no restante da apresentação.

 

#TeamLil – Mitch Lodewick – “Shape Of My Heart” by Backstreet Boys

Lindo: Ele não está pronto para a competição, falta técnica vocal para ele e depois que Lil virou para ele sua voz sumia em alguns momento sendo sobreposta pelas backing vocals ou soava como se estivesse atrasava ao ritmo da música, a performance foi extremamente básica e ficou claro que ele só vai entrar no programa porque Lil Kleine é prematura e vira muito rápido pra esse povo.

Tati: Tive vontade de aumentar o volume do computador no início, pois tive a impressão de que era real um problema no meu note, mas na verdade era o bichinho que canta super baixo, né? hahaha Achei a performance uó, bem sem gracinha mesmo. Ele tem uma voz agradável, mas, infelizmente, faltou sal.

Michel: Mitch tem uma voz lindíssima e gostei muito do que ele apresentou, surpreendentemente gostei que ele escolheu uma música que eu não gostava tanto e aqui acabei curtido muito. Destaque para o início com o registro mais baixo, muito lindo aliás e que ele podia aproveitar ainda mais, gostei bastante do falsetinho ali no meio, só o agudo dele que acho que ele precisa trabalhar melhor, porque algumas vez soaram sem força. Fiquei chocado que apenas o Lil virou, porque eu mesmo achei uma ótima apresentação e um act interessante para essa temporada.

 

#TeamAnouk – Jantien Volgers – “Zeg Me Wie Je Ziet” by Trijtntje Oosterhuis

Lindo: Uma diva powerhouse cantando em Dutch, será que alguém vai conseguir parar Jantien? Ela tem tudo para ir longe, mas escolheu o caminho mais tortuoso possível, o #TeamAnouk que é uma seleção de alto nível. Voltando ao foco, eu amei a entrega, o controle vocal, as notas altas, os graves e a forma visceral que ela se jogou para cantar essa canção, gostei muito do que vi.

Tati: Outra música nessa lingua estranha que eu AMEEEEEI! Vou até procurar a letra depois hahaha. Inclusive, escolha ótima para a Jantinha. Para o estilo dela, uma música crescente assim super combina. Achei que ela soube conduzir a música de uma forma legal e ela é super controlada! Adorei!

Michel: No momento que você gosta do que escuta e não entende uma letra sequer que foi cantada, é uma prova que a música é boa e que o interprete fez um ótimo trabalho e a Jantien soube muito bem conduzir toda sua apresentação, começando de uma forma mais grave e contida e nos surpreendendo com essa oitavada na sua voz e até a postura mais contida deu espaço para uma voz mais forte e aberta. Arrasou muito a garota!

 

#TeamWaylon – Rick Lips – “In My Blood” by Shawn Mendes

Lindo: Eu apenas já enjoei dessa música e só isso me fez criar uma certa resistência ao pobre do Rick, no início ele soou extremamente nervoso e sua voz chega a soar tremula no microfone, mas quando chega nas notas mais altas ele mostra seu real talento e um certo controle do poder de seus vocais, as notas altas acabaram destacando ele e acredito que foi por aquele final bem executado que ele conseguiu virar cadeiras, só senti que em nenhum momento ele me soou conectado com a música que estava cantando.

Tati: Gente, o sotaque dele nessa música me incomodou demais kkkkk. Eu achei que era até uma versão em dutch kkkkkk. Eu fiquei dividida. Gostei das partes altas, mas as partes mais baixas da música foram simplesmente sofrível. Ele ainda é muito verdinho, precisa melhorar muuuito para estar num programa desse nível.

Michel: No momento que você gosta do que escuta e não entende uma letra sequer que foi cantada, é uma prova que a música é boa e que o interprete fez um ótimo trabalho e a Jantien soube muito bem conduzir toda sua apresentação, começando de uma forma mais grave e contida e nos surpreendendo com essa oitavada na sua voz e até a postura mais contida deu espaço para uma voz mais forte e aberta. Arrasou muito a garota!

 

#TeamLil – Danilo Kuiters – “Waarom” by André Hazes

Lindo: Estaria “Waroon” para a Holanda assim como “Evidências” está para o Brasil? Me pareceu um super brega romântico daqueles de fazer a pessoa chorar continuamente o dia inteiro. Mas falando sobre a audição em si, Danilo teve competência emocional e gogo para levar a música do início ao fim, mas faltou sal, faltou tempero e faltou algo que justificasse eu virar minha cadeira para ele, ficar gritando varãooo, varãooo e varãooo por quase 2 minutos não me convenceu.

Tati: Meu Deus do céu, que coisa chata hahahah! Sei que o pessoal ama essa música e tudo demais, mais acho super sem graça, sim e dificilmente alguém vai me agradar cantando isso. Por isso, não curti a performance e achei bem linear.

Michel: Diferente do caso da Jantien, fica muito difícil você apreciar uma apresentação quando não se conhece a música e não gosta já da primeira nota. Tentando deixa isso de lado, vocalmente nada em sua voz me chamou muita atenção e não entendi esses dois aí gastando vaga com esse cara, até porque muita gente boa ficou sem.

 

#Eliminada – Britt Timmers – “Always” by Bon Jovi

Lindo: Injustiça da temporadaaaa, Britt roqueira fadaaa que merecia mais. Ela escolheu uma música que impediu que em alguns momentos ela mostrasse uma nota mais longa, mas ela pisou com força em todo o resto e no refrão então a sua voz até angelical se tornava de certa forma, eu não entendi como ninguém não virou para essa fada, não consigo compreender o cogumelo que esses jurados comeram, Britt merecia estar nesse show e digo mais, nos lives.

Tati:Sabe evolução? A gente vê nessa performance da Britt. Começou comunzinha, com uma voz suave, mas foi crescendo de acordo com a letra da música e só foi melhorando! Eu acho a voz da Britt um pouco limitada, mas ela sabe projetar em partes mais altas e isso ficou nítido do refrão em diante. Eu achei que ela mandou muito bem e soube crescer denro da performance. Uma pena não ter tido uma chance.

Michel: Palhaçada né? A Britt tem uma voz lindíssima e fez uma bela performance com esse clássico, merecia muito ao menos uma cadeira virada. Essa música para mim foi imortalizada nos realities depois da Melissa Janssen que tem para mim o melhor cover dessa canção. Analisando de uma forma mais criteriosa, preciso apontar apenas no início da música que algumas pausas na música me incomodaram um pouco, mas no refrão ela pisou sem dó. Uma pena, era uma candidata que tinha muito a oferecer essa temporada

A maior injustiçada da temporada ao menos ganhou um dueto com Waylon, onde ambos cantaram a mesma música que ela já havia performado.

 

#TeamAnouk – Celine van Veldhoven – “Addicted to You” by Avicii

Lindo: OMG, eu simplesmente adorei a escolha e os caminhos que a audição de Celine tomaram, ela tem um timbre forte e levemente rouco, me lembra um pouco a Halsey (de longe) e ela a audição mostrando diferentes texturas de sua voz, dando pinceladas e fazendo melismas e entonações lindissimas, eu gostei muito do que vi mas não acho que ela tenha vida longe no time que ela escolheu.

Tati: Que delicia de voz, viu? Bem, alternativazinha, com um toque mais rouquinho. Ai, eu amo timbres assim, gente! Vejo artista assim, já olho pra minha playlist mais pop/indie e já imagino um tanto de música pra ela. Escolha de música perfeita pra ela, pois deu pra mostrar um pouco dos recursos delas. Quase morri do coração quando vi que não viraria, mas no fim deu certo!

Michel: Preciso confessar o quanto estou amando minhas indies muito bem representada nessa temporada. A Celine tem uma voz bem interessante, escolheu uma música que valorizou bem seu timbre e a permitiu exibir várias facetas de sua voz. A crítica que tenho é que achei que não sei se foi por conta do arranjo, mas em alguns momentos ela cantou muito rápido e faltou até mesmo fôlego ou consistência nas passagens de notas mais altas e baixas. Mas no geral, curti bastante sua performance.

 

#Eliminado – Jonathan Vroege – “Sorry Seems To Be The Hardest Word” by Elton John

Lindo: Essa talvez é minha música e letra favorita do Elton John, ela permite que você faça notas altas e até aborde de forma mais suave o refrão mostrando versatilidade. Jonathan tem uma linda voz, se portou bem no palco e mostrou técnica, mas ficou devendo na entrega, ficou devendo em trazer algo original seu para a canção, senti como se fosse uma ótima versão de karaoke, uma ótima mesmo (ele merecia 1 cadeira pelo menos), mas um pouco mais de entrega, estender algumas notas, deixar outras mais curtas talvez tenham sido os pontos que faltaram para ele obter sucesso.

Tati: Eu amo essa música em um arranjo dramático, fica tudoooo. Talvez seja por isso que não tenha gostado muito da versão do Jonathan. Avaliando o artista em si: voz boa, com alguns recursos legais e eu achei que ele se conecta bem com a música, então ponto muito positivo. Jonathan é interessante. Com a escolha certa poderia render, uma pena não ter passado.

Michel: Sorry Seems To Be The Hardest Word: Ah gente, por que ninguém virou para ele? Achei que foi até uma boa performance e deu para ver o quanto ele estava entregue em sua apresentação. Achei que ele tem uma boa voz, arriscou algumas notas mais agudas, só teve deslize mesmo nos falsetes que saíram bem falhos, mas no resto, gostei bastante.

 

#TeamAnouk – C. J. – “Believe” by Cher

Lindo: Vocês me desculpem mas esse sorriso super white só me lembrou o episódio de Friends que Ross decide fazer um clareamento e seus dentes ficam mais branco que a própria cor branca kkk. C. J. tem apenas 32 anos mas usa um estilo e se porta como alguém mais velho, mesmo no palco podemos ver como ele tem uma certa pose, mas falando de vocais, ele mandou bem, apesar desse arranjo me soar extremamente estranho, aquela nota final dele foi simplesmente sensacional. Eu não acho que ele tenha futuro ainda mais no #TeamAnouk, mas vamos ver.

Tati: Gente, a mesma água sanitária que ele passou na roupa passou nos dentes, né? kkkkkkkkkkkkk Olha, eu amo essa música, mas ele cantando ficou bastante estranho em algumas partes. Parece que ele cadenciou demais alguns versos e o resultado não ficou legal. Fiquei bastante confusa em alguns momentos sobre o que ele estava cantando e algumas partes altas não me agradaram muito, com exceção da parte final, pois ele acertou na nota e acabou convencendo os jurados.

Michel: Olha amo essa música da Cher e amo ainda mais essa versão que ouvi pela primeira vez pela Ella Henderson do TXFUK, mas não gostei nada da versão do C.J. Tiveram muitos exageros e melismas totalmente desnecessários, deu para ver que ele é um ótimo vocalista, mas achei que ele passou zero sentimento nessa performance para mim. Justamente com esse arranjo, foi uma forma da Ella comunicar de uma forma mais intimista o sentimento contido na música, que muitas vezes não percebíamos por conta da pegada mais dance música da versão original da Cher e ele foi totalmente oposto desse clima intimista e senti que ele só usou da música para exibir várias técnicas e extensão vocal, uma pena.

 


CONSIDERAÇÕES FINAIS

O penúltimo episódio pisou um pouquinho no freio em relação a qualidade das audições e a proximidade do fim aumentou as injustiças e a maior de todas até aqui foi Britt não ter tido êxito em sua audição, isso foi um verdadeiro crime. Enfim, Fatima e Jantien foram os grandes destaques da noite, vou comentar brevemente sobre as equipes até aqui destacando meus favoritos (em negrito).

#teamAliB (12): Dasilvian Bruce, Stan van Hoof, Jeremy Garcia, Elroy & Rubenia, Kes, Mitch Crown, Ravenna-Jade Caupain, Dalo, Nelson Braveheart, Nigel Sean, Ayoub Maach, Fatima Sohra e Sophie Mol;

Os grandes destaques aqui são Fatima Sohra e Ayoub Maach, duas audições de impacto e com potencial para levar o título da temporada, mas eu não duvido que um embate entre esses dois possa rolar, seria magnífico e triste ao mesmo tempo. Entre os outros artistas posso destacar a maravilhosa Ravenna-Jade que impactou com aquela versão de “A Change Is Gonna Come” e o jovem Jeremy Garcia que entregou uma ótima versão de “When I Was Your Man”.

#teamAnouk (12): Hiske Bongaarts, Ziggy Krassenberg, Sophia Kruithof, Meike Ubbink, Fleur Raateland, Sanne Huisman, Vivecka, Noa Jansen, Thysa de Bruijn, Jantien Volgers, Celine van Veldhlven e CJ;

Uma verdadeira seleção, o próprio massacre vai rolar aqui kkkk, vou destacar os meus SUPER FAVORITOS aqui porque não tenho outra coisa para fazer nessa equipe, temos uma cantora com uma vibe folk e um timbre tão magnífico que é a Sophia Kruithof, temos a poderosa powerhouse que impactou demais Sanne Huisman, a docura e delicadeza da Vivecka, a juventude e rouquidão da Noa Jansen, a atitude roqueira da Fleur Raateland e por fim a maturidade e capacidade de emocionar da Jantien Volgers. Se preparem meu povo.

#teamLil (12): Anne Wilson, Aymar Torres, Evelyn van den Elsen, Charine Eyny, Lady Shaynah, Esmée Smit, Céline Dib, Marlane, April Darby, Jasmijn Hendriks, Richy Brown, Dion Metselaar, Mitch Lodewick e Danilo Kuiters;

Lil é o coach mais perdidinho ali e talvez o com nomes mais aleatórios até aqui kkk Entretanto ele é totalmente capaz de ter um trio extremamente competitivo nos lives, começando pelo primeiro grande destaque de sua equipe que foi Charine Eyny que com apenas 16 anos entregou uma versão poderosa de “Never Enough” e impactou. Depois April Darby com uma audição cheia de melismas, grave e firulas bem feitas me conquistou e ainda preciso mencionar a juventude da Celine Dib que me surpreendeu e que curiosamente teve apenas a cadeira do Lil sendo virada e o cantor com origem latinas Aymar Torres que foi uma das audições fora da caixinha que mais AMEI.

#teamWaylon (13): Emma Boertien, Daredevils, Maaike de Groot, Robin Buijs, Kirsten Fennis, Lars Koehoor, Hans Hannemann, Marlon Pichel, Pyro, Stef Classen, Julia Schutten, Zorah Lagerwerf e Rick Lips.

Sem grandes adições nesse último episódio, mas ainda assim Waylon tem o segundo time mais forte dessa temporada e o mais forte se formos pensar no sentido de versatilidade.O nome mais forte dessa equipe está na jovem Emma Boertien que foi a primeira audição da temporada e surpreendeu a todos com uma performance impecável no auge dos seus 16 anos. Outra que despontou foi Robin Buijs também no primeiro episódio, além dela destacaria também a Zorah Lagerwerf que brilhou demais e a banda Daredevils que chegou cheia de energia e em uma equipe com duas bandas, definitivamente ao menos nos KOs eles devem chegar.

E vocês pessoal quem são seus favoritos até aqui?

 

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

A indie/gótica do @PanelaDeSéries! Paulista, canceriano, 27 anos de dores na coluna, faço Doutorado em Biotecnologia e vivendo pelo mundo. Me chama para beber @ e vamos falar de série, falar de Imagine Dragons e Lana Del Rey, falar de signos, falar de ciência e xingar os fascistas.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries