Posts Populares

The Voice of Holland – S10E13 – The Knockouts 02

Knockouts finalizados, times prontos!

Eu amo demais os Knockouts, porque acho que aqui é o momento crucial onde o artista realmente mostra o seu melhor e todo potencial que tem a oferecer no programa. É justamente dessa fase que surgem minha performances diferentes, uma vez que cada act entrega ali no palco de uma forma não vista até aqui, além de ser depois de todo preparo que é feito durante o reality.

As expectativas para o team Anouk eram altíssimas e posso adiantar que fizeram por merecer, uma vez que arrasaram demais e tornaram difícil até para nós telespectadores definir os melhores em apenas 3 vagas. Uma surpresa grata também foi o team Ali B, fizeram ótimas apresentações e muitos até ganharam mais de minha torcida nessa fase. Comentários iniciais feitos, esse episódio contarei com a presença dos amigos e parceiros de review, Tati e Lindomar.

Team Anouk

Celine van Veldhoven – “Lost On You” by L.P.

Michel: E começamos muito bem os Knockouts, porque eu simplesmente amo essa música. A Celine fez uma boa execução com a música, mostrou atitude no que a música pedia e vocalmente soube muito bem transitar entre as notas mais graves e agudas, sem perder a afinação ou o fôlego. Eu curti bastante sua performance, desde a audição gosto bastante dela, porém acho que nesse time ela acaba ficando um pouco apagada com tanta gente incrível. Resumindo, foi uma ótima performance, mas acredito que não o suficiente para surpreender e garantir seu lugar nos lives.

Tati: Eu amo demais essa música e achei que ela escolheu bem para o estilo dela, mas tenho minhas dúvidas se foi uma boa escolha para uma fase tão delicada e competitiva. Eu gostei da performance, ela mandou muito bem nos vocais e o timbre dela ficou bellissimo nas notas. Mas não foi uma performance que me prendeu muito.

Lindomar: Celine que eliminou minha Vivecka em uma batalha icônica e chegou botando banca abrindo a noite do time mais forte de toda essa competição acabou não rendendo na sua saga por uma vaga nos lives. Eu achei a song choice ousada por mostrar um lado diferente dela e buscar um equilibrio entre as Celines das Audições e das Battles e isso ela fez, mas senti que ficou meio country-rock e não sei se deu o brilho que ela precisaria para competir com as outras gúrias do time dela.

Celine sentou na cadeira 1.

Sophia Kruithof – “Million Years Ago” by Adele

Michel: Sophia é uma interprete incrível, ela tem o total domínio da sua voz mais delicada e inteligentemente sempre opta em músicas mais vulneráveis e com melodias mais acústicas, de forma onde o que brilhará sempre será sua voz e toda emoção transmitida em cada verso que canta. Eu amei a escolha, tenho amor por essa música desde quando Pleur cantou no TVOH, foi uma performance linda e que ela soube explorar muito bem todas as qualidades vocais, como seus precisos falsetes e sem cair no exagero. Perfeita, sem defeitos <3<3<3.

Tati: Meu Deus, eu amo a voz dessa menina num nível que eu nem sei explicar! Siimplesmente maravilhosa! A voz dela me traz uma paz imensa e não diferente nesse k.o, que foi simples, sem muitos exageros, mas foi na medida certa pra ganhar meu coração. Sophia é maravilhosa e merece muito continuar arrasando na competição!

Lindomar: Simplesmente perfeita, Sophia tem o talento da Adele dentro de si, não é possível minha gente, a garota chega como quem não quer nada e mata a pau, vocalmente, com emoção e vulnerabilidade, uma técnica incrível e um timbre lindo e com songs choices fora da caixinha, eu AMEI e AMEI e aponto Soph como uma das minhas favoritas nessa season.

Sophia sentou na cadeira 2.

Ziggy Krassenberg – “Before I Go” by Guy Sebastian

Michel: Preciso muito parabenizar o Ziggy, porque ele tem tido uma crescente considerável desde sua audição, demonstrando desde lá um melhor controle vocal e uma afinação sempre muito precisa, com o tipo de voz mais aguda e rouca que ele tem, manter o controle e não soar irritante se torna uma tarefa muito mais difícil. Apesar de conhecer o Guy, não conhecia a música em si, mas achei uma escolha muito inteligente, a música tem uma batida inicial muito interessante no qual ele mostrou mais do seu grave e foi crescendo aos poucos, de uma forma que naturalmente ele foi soltando mais sua voz ao longo da apresentação, finalizando a performance com um belíssimo melisma e uma nota mais alongada, arrasou demais.

Tati: Ziggy melhorou demais, né? Eu já tinha achado sua audição muito boa, mas ele só foi crescento e aqui ele simplesmente arrasou! A vozd ele tem um rasgado que eu amo e ele se conecta muito ao que ele canta. Uma pena mesmo ele estar em um time tão competivo kkkk caberia muito bem em outros times haha!

Lindomar: Ziggy se eliminou na song choice neh mores? Escolheu uma song da radição australiana Guy Sebastian kkk.. coments sobre a song choice sendo deixado de lado vimos uma performance vocal sólida do roqueiro e uma certa juventude e ousadia sendo explorada no palco, mas senti que Ziggy me impressionou mais nas batalhas do que aqui, acho que uma música com mais rouquidão cairia melhor, mas aquela nota final sozinha matou todo Team Ali B (tirando Daphne cristal kk).

Ziggy sentou na cadeira 3.

Sanne Huisman – “Strong” by London Grammar

Michel: Sanne é uma das grandes vocalistas dessa temporada, com uma voz poderosa e um alcance que a permite ter um repertório bem versátil. Depois de sua audição e battle com apresentações onde ela explorou mais de seu alcance vocal, nesse knockout optou por uma performance mais intimista e focada mais mais na conexão da música do que com a técnica vocal. Achei uma excelente escolha, à primeira vista é uma música que me causou estranheza ser cantada por ela, mas que acabei amando bastante, soube muito bem dosar sua voz de forma que tudo soasse mais intimista, além disso foi legal vê-la também tocando um instrumento.

Tati: Sanne é perfeita, né minha gente? Maravilhosa apenas! Eu amei a escolha da música e combinou demais com a voz dela. Cada nota alta eu me arrepiava, pois a voz dela estava líndissima nesse tom. A cada fase, ela demonstra que é uma das cantoras mais bem prepradas dessa edição. Maravilhosa, apenas.

Lindomar: Entenda Sanne para mim você é perfeita, minha fav desde as audições e eu continuo apenas me apaixonando e apaixonando pela sua voz, pela sua interpretação e pela forma como ela se porta no palco, eu achei que ela soube escolher a música de uma forma formidável e conseguiu transbordar emoção e poder, você é STRONG fada e vai ir longeee.

Sanne sentou na cadeira 1 e eliminou a Celine.

Noa Jansen – “Whataya Want From Me” by Adam Lambert

Michel: Eu adoro a Noa, porém já imaginava que seria muito difícil para ela se manter nesse time de monstros, porém achei que essa performance foi muito abaixo do que ela já tinha apresentado até essa fase. Foi uma escolha bastante ousada e equivocada também, uma vez que essa música pede uma atitude na voz que ela não soube, ao menos para mim, dar conta do recado. Não é que ela tenha feito algo ruim ou mesmo desafinado, mas achei que o refrão pedia muito mais, meio que senti ela apagadinha justamente no momento crucial da música. Fiquei até imaginando que essa música seria perfeita mesmo para o Ziggy, que possui essa voz mais forte e roquidão que dá aquele toque mais agressivo quando necessário na música.

Tati: Eu adoro Noa, mas meu Deus do céu, o que fizeram com ela? Está certo que a música é ruim pra ela, mas ela também falhou em algumas partes da música estava claramente desconfortável. Só no finalzinho que ela até melhorou, mas aí já era tarde demais. Uma pena, pois ela é ótima!

Lindomar: Bichinhaaaa, Noa comecou tão bem mas ai perdeu a linha da música e ficou nervosa e depois disso ela sabia que a eliminação viria, mas se portou da forma mais profissional possível e seguiu da melhor forma que pode e concluiu com humildade e uma boa entrega vocal sua performance.

Noah foi eliminada.

Fleur Raateland – “Creep” by Radiohead

Michel: FLEUR, ANTES DE TUDO VOCÊ É PERFEITA, ENTENDA ISSO <3. O que eu mais amo nela é que tem seu estilo muito bem definido, algo mais puxado para o rock e inspirado na Alanis Morissette. Eu acho genial quando um artista escolhe uma música tão frequente em realities e ainda assim consegue nos empolgar e chamar nossa atenção. Foi sensacional a forma que ela foi desenvolvendo a música, começando de uma forma mais delicada e suave, demonstrando algo mais vulnerável na sua interpretação, para depois vir com tudo e sua performance ganhar um toque mais forte e agressiva em sua interpretação, perfeito gente. Amei demais <3.

Tati: ESSA EDIÇÃO TEM MULHER MARAVILHOSA DEMAIS, VIU? Eu estava exausta de Creep, mas eu amei essa versão, por motivos óbvios! Olha que performance linda, minha gente! Uma construção maravilhosa, com um viés rocker e cheio de sentimento. Putz, perfeita demais e meu coração dói em saber que posso perder essa jóia.

Lindomar: Um anjoo aclamado, eu sei que Anouk queria uma diversidade em sua equipe mas Fleur foi tão perfeita, tão poderosa e impiedosa, a extensão das notas, a emoção, a entrega e o início no piano simplesmente perfeito, Anouk seu erro foi levar o CJ para frente, porque Fleur merecia demais uma das suas 3 cadeiras.

Fleur sentou na cadeira 3 e eliminou Ziggy.

Zorah Lagerwerf – “What About Us” by P!nk

Michel: Minha fadinha Zorah, fiquei feliz por te ver em mais uma rodada, porém já estava triste demais em saber que provavelmente não existiria espaço para ir além disso nesse time, uma pena. Sobre a performance, eu gostei, porém como no caso da Noa, acredito que essa tenha sido abaixo das outras duas. Ela foi correta vocalmente, apesar de uns leves deslizes nas partes mais altas, fez uma apresentação muito boa, porém preciso dizer que ficou um pouco abaixo do que já foi apresentado hoje, em especial das meninas que ocupavam a cadeira no momento.

Tati: Por favor, não cantem essa música nesse programa, nunca dá certo. Zorah até fez o que pode, porque a menina é talentosa demais, né? Mas em um time tão forte, ela precisava vir com uma música melhor. Mais uma que foi embora e que eu adorava kkkk!

Lindomar: Eu to surpreso porque Zorah conseguiu fazer essa música render em uma performance e isso foi devido a emoção que ela trouxe em sua interpretação, teve vulnerabilidade, entrega e aquela sensação de desespero do What About Us devido a tudo isso que citei, eu GOSTEI MUITO da performance da Zorah e com certeza se existissem 4 cadeiras ali levaria ela, Fleur, Sanne e Sophie ao próximo round.

Zorah foi eliminada.

C.J. – “Don’t Let Me Be Misunderstood” by Nina Simone

Michel: Eu já estava pronto para reclamar e falar muito mal dessa performance, uma vez que nunca gostei do CJ e de quebra tirou a vaga da minha Fleur, porém eu seria muito louco caso falassem mal dessa performance. Em contrapartida de todo exagero que ele carregou em suas performances anteriores, dessa vez ele surgiu no palco de uma forma mais controlada e emocional, mostrando realmente sua experiência no palco e toda sua técnica vocal. Por mim, continuaria levando meu trio de fadas para os lives, porém entendo a posição da Anouk levando três artistas bem distintos entre si e com o CJ brigando por um público mais velho, uma vez que os lives contam mais com participantes bem mais jovens do habitual.

Tati: Eu não estava nem aí pra CJ e pronta pra xingar Anouk pela escolha, mas eu entendo muito, viu? CJ, assim como Fluer, fez uma performance muito boa. Ele entregou uma versão cheia de interpretação e emoção, construindo uma narrativa digna de um número. Sendo assim, escolher entre ele e Fluer seria algo totalmente estratégico e eu entendo a estratégia da Anouk perfeitamente, afinal, Fluer e Sanne poderiam muito bem ocupar uma área parecida.

Lindomar: Interpretação, vulnerabilidade, emoção e uma song choice fora da caixinha, foram essas as armas que o interessante C.J. precisou para roubar uma vaga no time mais forte da competição e conseguir brilhar, eu simplesmente AMEI a delicadeza e a forma como ele delineou tudo isso aqui, foi simples e foi marcante, menos e mais e nisso aqui ele me surpreendeu e acho que em grande parte Anouk resolveu avançar com ele por Sanne/Fleur dividirem de certa forma o mesmo nicho, mas enfim isso deve ter sido uma decisão dolorosa.

C.J. sentou na cadeira 3 e eliminou Fleur.

 

Team Ali B

Brugklasbeatz – “Don’t Phunk With My Heart” by The Black Eyed Peas

Michel: Uau, me lembrou muito o filme “Pitch Perfect“, haha. Olha, vocalmente essas meninas arrasam demais, tem ótimas harmonias e todas são excelentes solistas, apesar de não curtir tanto trios, é uma banda que tem me agradado bastante desde o início do programa. Depois da vitória da O’G3NE em 2014 e Navarrone chegando tão longe em banda na temporada passada, a proposta de apostar nas meninas parecia ser bem interessante. Sendo assim, adorei a performance, apesar que pela música que tinha na mão, queria vê-las menos presas à coreografia e mais soltas e divertidas no palco, de resto foi tudo muito bem feito.

Tati: Quando vi que essa banda cantaria essa música, eu já esperava algo ruim, mas fui surpreendida, viu? Foi divertido e, acima de tudo, uma ótima performance vocal, com harmonias perfeitas. Eu curto muito essa banda, apesar de ser contra bandas nesse tipo de show. Considerando as opções de Ali B, eu acho que eu daria uma chance pra elas.

Lindomar: Esse trio vem surpreendendo e mostrou mais uma vez que pode pegar algo upbeat e transformar em algo adequado para sua estranhisse apesar de fazer tudo ficar brega no final kkkk. As meninas tem harmonias, sincronias e vocais poderosos e impressionam com isso, mas creio que uma música mais parada e emocional teria sido uma melhor escolha para que talvez elas chegassem aos lives.

Brugklasbeatz sentou na cadeira 1.

Fatima Zohra – “Dance Monkey” by Tones And I

Michel: Minha Fatinha voltou <3<3. Depois da battle que foi bem apagadinha, ela foi muito esperta escolhendo uma música onde explora o melhor de sua voz, com o seu timbre bem característico e apesar de parecendo com o timbre da cantora original, consegui enxergar muitas particularidades em sua performance que a tornou uma versão original. Adorei a ousadia na escolha da música, estava super a vontade no palco, passei muita confiança durante toda a performance e arrasou nas transições de voz de peito e cabeça.

Tati: A voz da Fatima é tão peculiar, que às vezes me irrita hahahaha. Mas, por mais contraditório que isso pareça, isso é bom, pois acho Fatima totalmente única e isso é um diferencial frente aos outros candidatos. A voz dela nessa performance estava perfeita e ela mandou muito bem na presença de palco! Um arraso!

Lindomar: Eu não suporto a voz da vocalista original desse hit kkk, mas eu preciso confessar que ao ouvir essa música na voz da Fátima, acabou que me conquistou, me senti entretido, como se fosse algo magnético e eu preciso prestar atenção. Fátima vem se mostrando um verdadeiro camaleão e vem se transformando e fazendo grande performances na competição.

Fatima sentou na cadeira 2.

Ayoub Maach – “Halo” by Beyonce

Michel: Eu adoro o Ayoub desde os kids, mas preciso dizer que estou me cansando de toda essa babação de ovo com ele, até porque ao menos para mim eu não achei que realmente ele tenha sido o destaque em alguma fase do programa, talvez a battle para mim tenha sido uma das melhores, mas muito por conta do seu dueto com Kes que arrasaram juntos. Vocalmente é inconstestável que ele é sempre muito preciso na afinação e sempre mantendo o controle, percebe-se que ele tem muita técnica vocal, porém ficou devendo muito na emoção, além disso achei que acabou não me ganhando tanto por conta da música tão batida e a falta de um arranjo diferente. Enfim, foi uma ótima performance, mas nessa fase não me ganhou tanto.

Tati: Tô ficando com preguiça desse boy. Que ele é o melhor boy da competição, eu nem discuto. Mas estou achando ele linear demais e essa performance é um exemplo disso. Nada demais foi entregue, sabe? Se quiser fazer jus ao hype recebido, ele precisa fazer muito mais que isso.

Lindomar: Eu não sou Aybub fã, o seu timbre não me agrada tanto assim e acho que apesar da sua técnica ser perfeita ele acaba pecando numa certa vulnerabilidade e na presença de palco. Agora tirando por essa performance aqui de hoje, senti que faltou entrega emocional mesmo e até vocal, senti que ele poderia se arriscar mais e preferiu ficar no save, enfim, ainda bem que ele já tinha a vaga dele garantidade desde as audições neh.

Ayoub sentou na cadeira 3.

Dasilvian Bruce – “U Remind Me” by Usher

Michel: Ai que batidinha mais gostosa, adorei a escolha. Dasilvian é um ótimo cantor, arrasa demais no R&B, porém acredito que diante dos seus demais concorrentes ele está em desvantagem, pois vejo os demais muito mais definidos artisticamente e mais popular com o público. Novamente, foi uma boa performance, sem nenhum erro que comprometesse sua apresentação em si, mas não foi o sucificiente para tirar a impressão que tinha que ele era o elo mais fraco no team Ali B.

Tati: Eu nem lembrava do Dasi e foi bom revê-lo, pois eu adorei a performance. Essa música do Usher é maravilhosa e combinou demais com Dasi. É a praia dele, né? Super desenvolto e trouxe uma vibe live ao palco! Amei.

Lindomar: Olha eu adorei a vibe despojada que o Dasilvian trouxe, explorando um lado mais soft de sua voz e abusando de falsetes e de passos de dança simples, ele trouxe sensualidade e mostrou gingado, eu curti bastante mas faltou impacto convenhamos, os Knockouts pedem impacto e isso faltou aqui devido a song choice

Dasilvian foi eliminado.

Daphne van Ditshuizen – “Gravity” by Sara Bareilles

Michel: QUE PERFEIÇÃO FOI ESSA? Eu tenho amado Daphne desde sua audição, mas preciso dizer que a cada rodada ela vem subindo no meu ranking de favoritos, chegando a fazer parte do meu top 3 juntamente com Sophia e Emma, do jeito que vai capaz de eu me render logo e tornar minha favorita geral. Me doeu muito sua saída do team Anouk e achava que suas chances eram poucas no team Ali B, mas depois dessa performance ficou muito difícil para ele não seguir com esse cristal. Eu sou apaixonado nessa música e estou viciado nesse timbre, combinação perfeita para o meu spotfy e youtube que volta e meia está ouvindo/assistindo essa apresentação lindíssima que ao meu ver foi a melhor dessa fase toda <3<3.

Tati: Daphne está se tornando uma das minhas artistas preferidas e essa é a razão: ELA É MARAVILHOSA! Que coisa linda foi isso, gente? Voz linda, num tom perfeito e com uma sensibilidade incontestável. A nota alongada foi tuuuuudo pra mim! Sério, essa menina precisa ir longe, pois é talentosa demais!

Lindomar: Fadinhaaaaa que saiu de coadjuvante no #TeamAnouk para dona do #TeamAliB e ela precisou apenas de uma performance que pode ser mais marcante e poderosa que todo o Team Ali B junto. Daphne escolheu uma música cheia de vulnerabilidade e de momentos vocais levemente complexos como os nuances em algumas notas e o grave que ela precisa atingir após o refrão e ela se entregou total nessa misão e cumpriu, apenas PERFEITA e dona desse team Ali B.

Daphne sentou na cadeira 1 e eliminou Brugklasbeatz.

Corleone – “Reünie” by Snelle

Michel: Que tiro no pé essa escolha de música, uma vez que ele chamou bastante atenção na rodada passada por conta de sua atitude no palco e sua habilidade no rap, aqui achei tudo muito apagadinho, cantou demais e fez rap de menos, e vamos combinar que cantar não é muito o melhor dele. Talvez a escolha dele era optar em uma performance que mostrasse um outro lado dele e sinceramente já dava como certa a sua ida para os lives, mas pela primeira vez o Ali B me surpreendeu e foi sensato, eliminando-o diretamente.

Tati: Que coisa mais chata e linear, gente! Ele poderia ter escolhido algo mais dinâmico, né? Numa fase dessas não pode errar, não! Embora dava pra ver que ele estava se divertindo, pelo menos eu achei tudo bem chatinho.

Lindomar: Corleone me surpreedeu nas Batalhas com sua participação dinâmica na batalha do Rap, entretanto hoje tivemos que ver ele segurar a marimba sozinha e creio que o seu brilho se perdeu. Eu até achei que ele escolheu a música corretamente, era algo que não soava agressivo e exigia um controle vocal incrível e ele fez isso, mas senti que o brilho que ele trouxe para si na rodada anterior simplesmente desapereceu aqui.

Corleone foi eliminado.

Ravenna-Jade Caupain – “If I Were A Boy” by Beyonce

Michel: Me sinto um pouco decepcionado com Ravenna, sendo ela um dos grandes destaques das blind auditions, depois disso nenhuma de suas performances me agradaram muito. Cantar uma música assim tão batida já é um risco, então cantar no mesmo dia que seu coleguinha canta algo da Bey foi um tiro no pé total. Achei pela primeira vez ela realmente estava muito nervosa, pouco conectada na música e com alguns deslizes vocais. Não foi nenhum desastre, mas pela sua audição sei que ela pode muito mais que isso.

Tati: Ai, gente, que triste! Eu gosto de Ravenna, mas eu vi que já não daria muito certo logo no começo, ali na primeira nota. Ela já começou falhando! Foi uma performance muito mais do mesmo e ela poderia fazer mais que isso, sabe? Infelizmente, fiquei decepcionada.

Lindomar: Mais um cristal lapidado que renderia muito mais em uma temporada com menos talento, Ravenna tem uma voz linda, poderosa mas ainda peca na emoção, não senti uma vulnerabilidade/entrega emocional, mas ainda assim tecnicamente ela matou a pau.

Ravenna foi eliminada.

Sophie Mol – “Higher Love” by Kygo ft. Whitney Houston

Michel: Dentre todos do team Ali B, Sophie era a candidata que não enxergava indo além dessa fase, não por ela ser ruim, porém acho que por conta das outras meninas terem se destacado mais e meio que ofuscado sua presença ali no time. Sua apresentação foi ótima, escolhendo uma música não tão conhecida e todo momento em sua performance se manteve muito segura e aparentando está curtindo muito está ali. Por gosto pessoal, foi minha performance favorita no programa, mas assim, competir com as feras que já estavam sentadas nesse momento seria uma tarefa quase que impossível, né?

Tati: Que performance gostosinha de se assistir, eu queria muito uma versão em estúdio, pois a música combinou demais com a voz dela, viu? Mas sou obrigada a concordar que a performance não teve impacto nenhum para esse tipo de fase, ainda mais que ela teria que substituir Fatima ou Daphne.

Lindomar: Se na última semana cantaram Mercy e soou tão básiquinho foi aqui que vimos o erro de Sophie, a song choice! A música é legalzinha para balada mas não para uma fase decisiva, percebam que em alguns trechos ela enfiou um grave com grito onde não existiam e isso foi necessário para ela criar momentos na música, entretanto faltaram mais desses momentos e o grande erro foi devido a song choice.

Sophie foi eliminada.

***CONSIDERAÇÕES FINAIS***

Ahhhh, como assim o Ali B conseguiu ser sensato? Sendo bem honesto com vocês, entre os coaches, a escolha que realmente eu teria feito da mesma forma sem contestar seria a do Ali, me surpreendeu muito o fato dele levar um steal para os lives e não levar o rap, foi uma decisão bem arriscada e que eu amei, até porque Daphne simplesmente foi incrível nessa rodada. Sobre as decisões da Anouk, Sanne e Sophia perfeitas, já o CJ é um contraponto do time, um ótimo candidato e com um estilo musical mais diferenciados dos demais concorrentes, não tem minha torcida, mas reconheço suas qualidades vocais.

Os times para os lives ficaram da seguinte forma:

#teamAliB: Ayoub Maach, Daphne van Disthuizen e Fátima Zohra;

#TeamAnouk: C.J., Sanne Hiusman e Sophia Kruithof;

#TeamLilKleine: Danilo Kuiters, April Darby e Kes;

#TeamWaylon: Emma Boertine, Robin Buijs e Stef Classens.

Então é isso, top 12 formado e que venham os lives <3. Até a próxima!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Michel Araujo

Meio baiano, meio sergipano, já passou dos 20 anos e um sofrido estudante de engenharia, com uma personalidade cheia de atitude e uma leve ousadia. Viciado em séries, realites e músicas, vai me encontrar sempre por aí escrevendo reviews, numa diversidade de gêneros de série e programas de TV.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries