Posts Populares

The Voice US – S16E06 – The Blind Auditions, Part 6

O The Voice está vivo, galera!

Último dia de audições, meu povo! Equipes se fechando, competição apertadíssima para os últimos felizardos! Semana que vem tudo muda e as batalhas já fazem sua entrada triunfal. Eu sinceramente estou curtindo a temporada, por isso, acredito que iremos encerrar as audições no lucro, viu!

Hoje eu conto com os comentários de dois bbs maravilhosos: Tatie João! Juntos nós vamos amar e odiar os últimos integrantes das equipes! Sim’bora, gente?!

[#TeamAdam] Celia Babini – “idontwannabeyouanymore” by Billie Eilish

Avalie a performance:

Luana: ICÔNICA PARA CARALHOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO! Anjo sem asas, conte comigo para tudo! Celia já começou totalmente certa quando decidiu mostrar cultura para todos cantando Billie Eilish, nem tinha aberto a boca ainda e eu já tinha adorado. Depois, ela começou a cantar e selou nossa relação para sempre. Que timbre lindo, que moça espetacular! Eu nem precisei me esforçar para estar completamente vendida em segundos, muito foda! Sem nenhuma sombra de dúvidas, uma das minhas audições preferidas da temporada e com larga margem!

João: O ícone já começa na songchoice né mores? Alguém que chega chutando a porta e cantando Billie Eilish ja merece máximo respeito. Mas além disso, Celia ainda tem uma timbre único, uma voz poderosa e um estilo diferenciado que a tornarão única no decorrer da competição. Acho que a escolha pelo Adam foi certa, levando em consideração que ele ja trabalhou com artistas nesse estilo e sabe o que fazer, basta querer né sr. Levine? Aguardo bons frutos dessa união.

Tati: Primeiramente, sou eternamente grata a Celia por ter me apresentado a Billie (sim, eu não conhecia), que música maravilhosa! Ótima escolha para ela ter demonstrado a artista que é. Inclusive, adoraria vê-la cantando essa música em uma performance mais completa. Em segundo lugar, Celia fez uma versão bem particular dessa música. Eu preferi a versão original, é verdade, mas eu adorei essa que foia presentada aqui: teve força e emoção na medida correta. Enfim, Celia é bem promissora e espero que consiga um bom futuro na competição daqui pra frente, pois eu ameeeei a garota.

[#TeamBlake] Cecily Hennigan – “Foolish Games” by Jewel

Avalie a performance:

Luana: Eu não sei se a voz da Cecily é naturalmente tão grave assim, e digo isso porque durante quase toda a performance eu fiquei pensando “nossa, esse tom tá bem desconfortável para ela”. Bom, se não tava, ao menos pareceu demais que ela estava se esforçando para manter a música nos trilhos. Eu gostaria de vê-la com uma canção diferente para poder formar uma opinião concreta. No mais, pela audição em si, eu acho sim que ela mereceu sua chance. Ah, vale dizer que ela conseguiu abrir bem nas partes mais agudas, e isso deixa ainda mais claro todo o potencial da moça.

João: To bem impressionado de ter sido apenas 1-Chair. Achei a voz dela bem potente e diferente, e conseguiu sustentar umas notas bem legais. Não foi nada muito “UAU”, mas foi uma audição bem competente e acho que merecia mais cadeiras. Nao tenho nem ideia do que esperar dessa parceria com o Blake.

Tati: Olha, eu estou BEM confusa aqui, viu? Ao passo que temo um timbre bonito, temos uma artista que parece que não se entendeu perfeitamente e quis mostrar tudo que sabe de uma vez só. Eu gostei da escolha da música, mas não gostei da execução. Achei vocalmente confusa e ela poderia ter seguido uma abordagem mais simples. Porém, eu gostei da voz e acho que se ela conseguir trabalhar bem algumas técnicas, certamente ela conseguirá evoluir. Ela tem potencial.

[#TeamAdam] Kalvin Jarvis – “A Good Night” by John Legend ft. BloodPop

Avalie a performance:

Luana: Ôh gente, os agudos desse moço me lembraram tanto o Sam Smith. A bad news aqui é que eu detesto Sam Smith, LMAO. Kalvin tem uma energia ótima e conseguiu fazer uma música ridícula de ruim funcionar, então parabéns pra ele, né. O timbre não me agrada e o estilo não é o meu preferido, mas talento é talento, então claramente a vaga foi merecida. Ele pode também cobrir uma cota mais pop no #TeamAdam, que acredito que seja o caminho que ele deve seguir. Quem sabe ele não surpreende a gente, né. Vamos ver.

João: Adorei ele, achei descolado, estiloso, tem uma boa presença de palco, e ainda achei lindo hhahahaahah. Mas sobre a blind, é sempre um risco cantar algo dos coaches ne? Se eu cantasse algo de algum deles e a pessoa nao virasse eu ia ficar muito com uma impressão de que falhei, obviamente porque talvez ele quisesse o John de coach, mas vai ter que se contentar com o Adam. Achei a voz dele bem boa na verdade, mandou uns runs legais, mas nada exagerado, e talvez possa surpreender.

Tati: Nossa, impressão de que a voz desse moço é bem parecida com outro participante. Estou há vinte minutos tentando lembrar quem hahaha! Olha, achei energia legal, ele soube preencher o palco e tal, mas é isso. Achei a voz dele estridente na maior parte do tempo e isso me incomodou um pouco. Mas, ao menos, soube escolher uma música corretamente, pois acredito ele tenha conseguido demonstrar o artista que ele é.

[Eliminada] Ava August – “House of The Rising Sun” by The Animals

Avalie a performance:

Luana: Eu gostaria de fazer as palavras do Adam as minhas aqui. Ava tem uma boa voz, mas ela sofreu com as altas doses de drama e tentativas de estilizar tudo. Ela precisa se encontrar quanto artista, mas isso é normal, considerando que ela apenas acabou de completar 13 anos. Claramente, ela pode voltar em outra temporada e ser uma verdadeira possível winner do #TeamKelly.

João: Escolher essa música depois de tantas versões incríveis ja feitas é sempre algo arriscado, e ainda acho que Ava conseguiu fazer algo novo, mas nada excepcional como seria necessário. Por ter 13 anos, a voz e a interpretação dela sao muito boas ate na verdade, mas nao sei se ela está preparada pra competição, talvez devesse esperar mais alguns anos para amadurecer um pouco mais.

Tati: A participante mais jovem? A voz dela me pareceu de alguém mais maduro. Mas, de qualquer forma, deu para ver que ela ainda não sabe usá-la como poderia e isso é normal para alguém da idade dela. Ela pecou pelo excesso, mas acredito que daqui alguns anos (se o programa ainda existir, né? hahaha) ela pode vir bem melhor e ela tem potencial pra isso.

 

[#TeamKelly] David Owens – “I Can’t Make You Love Me” by Bonnie Raitt

Avalie a performance:

Luana: Minha gente????????????? Apesar de não ser meu estilo de cantor preferido, como assim só a Kelly virou pro moço?! Ele conseguiu levar a canção para outro patamar, e sinceramente, isso merecia ter sido melhor reconhecido! Eu senti urgência e vontade na voz dele, e em adição, ele tem um timbre muito bonito! Eu curti, e realmente acho que David acabou sendo subestimado pelos mentores! Kelly, você é minha preferida!

João: Mais R&B. Ai olha, to saturado. Essa temporada reduziu a quantidade de countries, para exagerar nos R&B, eu to realmente exausto. Mas pelo menos ele tem um rasgado legal na voz, e é isto.

Tati: Gente, abri a audição com um pouco de resistência, não vou mentir. Estava preparadíssima para criticar, inclusive. Mas mudei de ideia, viu? Achei a blind do David bem legal, pois ela foi crescente. Começou chatinha, mas foi melhorando e a nota mais alongada foi sucesso. Além do mais, ele mostrou um controle vocal invejável, não saiu gritando a música toda, como alguns acts desse estilo costumam fazer.

[#TeamKelly] Presley Tennant – “Stone Cold” by Demi Lovato

Avalie a performance:

Luana: Minha gente…. Vamos lá. Presley tem uma ótima voz, mas o que faltou de controle aqui não foi brinquedo não. Ela escolheu uma música gigante e se empenhou bastante para tentar acompanhar, mas no fim tudo soou TÃO bagunçado. Eu tive até que abaixar um pouco o volume do meu fone, porque a menininha berrou em pulmões cheios. Claramente é alguém que precisa de conselhos, mas tem muito talento. Fico feliz que ela tenha acabado no #TeamKelly, pois acredito de verdade que a Kelly possa ajudá-la a escolher boas canções, e principalmente a controlar sua voz e guardar os exageros apenas para os momentos certos e não durante todos os momentos.

João: O que essa menina fez com Stone Cold???? Primeiro que ela é super parecida com a Ciera, ambas usaram saia xadrez e ambas cantaram Demi, só faltou o Adam virar pra essa também hahahahahah mas vamos la, achei a voz dela boa, mas ela é intermediária tanto pra pop, quanto pra powerhouse, ela nao se destaca em nenhum e isso pode vir a ser um problema. Sobre a blind, achei que ela tentou inovar demais e acabou bagunçando uma música que ja tinha uma dinâmica muito boa, sem contar em falhas na voz quando ela tinha que esforçar muito. Mas acho que a Kelly pode ajudar nisso, vamos ver o que sai daqui ne.

Tati: Se me pedissem um conselho sobre song choices no The Voice, eu diria: NÃO CANTEM STONE COLD. Quase ninguém manda bem nessa música. Ela é intensa e muda muito rapidamente de um tom pro outro. Não é fácil. A Presley tentou alcançar mais do que pedia e o que tivemos foi isso aí: uma bagunça vocal, com algumas notas não alcançadas. Tendo faltado o que mais importa nessa música: emoção. Talvez tenha sido a escolha, pois voz ela tem, só não soube usar muito bem nessa performance.

[#TeamBlake] Rod Stokes – “To Love Somebody” by Bee Gees

Avalie a performance:

Luana: É isto. O finalista country e arrastado do Blake. Eu gosto muito dessa música, e particularmente prefiro as versões mais suaves e emotivas dela. Rod tem uma voz legal, mas o excesso de “empenho” me incomodou um pouco. Eu consigo imaginar que ela virá a ser bem recebido pelo público do programa, ainda mais estando no #TeamBlake. Acho que já podemos garantir pelo menos uma semi-final para ele, se passar das batalhas, né?

João: Quando ele começou a cantar a primeira pessoa que me veio à cabeça foi o Pryor e o Michael das duas temporadas anteriores, ambos Team Blake, e o que aconteceu? Team Blake again kkkkkkk some things never change. Na verdade, em se tratando de WGWG ele é um dos mais oks que já passaram no programa, não vi muito diferencial não. Voz boa mas nada demais, interpretação fraca, sem presença nem nada. Mas como é Team Blake, ta garantido até o Massacre ao menos.

Tati: Ai, gente! Não aguento mais essa música nesse tipo de programa, honestamente. Sobre Rod, assim que ele abriu a boca eu já percebi que ele tem tudo para ganhar o coração das tias do sofá: cara de família, com violão, timbre interessante e ainda cantou um classicão. Ouso arriscar que ele já tá com um pé na final hahaha. Particularmente, achei um artista competente, mas não muito diferente dos típicos artistas que o Blake conquista toda season. Vamos ver o que ele nos trará daqui pra frente.

[Eliminada] Calista Garcia – “Wishing Well” by Terrence Trent D’Arby

Avalie a performance:

Luana: Eu gostei muito da Calista quando ela entrou na canção, mas acho que ela foi se perdendo cada vez mais ao longo da performance. No fim, acho que ela finalizou num saldo bem positivo. Os maneirismos da voz dela acabaram saturando muito rápido, e nos grandes momentos ela simplesmente não conseguiu atingir as notas que pretendia, pelo menos não da forma correta. É uma pena, mas ela tem muito talento.

João: Não achei ela ruim, mas teve algo nessa audição que não convenceu, que não encaixou. Talvez seja a songchoice. Mas as notas que ela atingiu foram bem boas, e talvez ela merecesse uma cadeira para poder crescer, porque ruim ela não é.

Tati: Não conhecia essa música e adorei! Sobre Calista, estou um pouco confusa, viu? Ela tem um rasgadinho na voz bem legal e com a música correta ela pode arrasar muito. Mas não sei se essa foi a melhor escolha pra ela, pois ela acabou indo muito mal nas partes mais agudas e acho que foi isso que deixou os jurados um pouco desconfortáveis. Apesar do potencial, eu também não viraria.

[#TeamAdam] Andrew Jannakos – “Beautiful Crazy” by Luke Combs

Avalie a performance:

Luana: Olha, eu achei a voz do Andrew MUITO bonita quando ele começou. Mas posso ser sincera? Eu não acho que country seja o gênero que ele deveria estar cantando. Acredito que ele poderia se sair muito melhor optando por um folk, ou até mesmo um southern rock, sabe? Sei que a Kelly disse que ele tem uma voz bem country clássico e ela entende disso muito mais do que eu, mas eu realmente acho que Andrew tem muito a explorar com sua voz ainda. Achei maneiro ele ir com o Adam, pois acho que ele terá mais oportunidades de se conhecer e ousar por lá.

João: Foi só eu falar que tinha pouco country que já enfiaram dois nesse ep, fraquíssimo aliás. Acho que depois de 15 temporadas vendo trocentos countries, precisa ser algo bem diferente para animar a gente, e com certeza o Andrew não é essa pessoa. Ele é afinadinho, tem uma voz legal, mas falta dinâmica, falta potência, falta alcance. Ele é beeem básico, e ainda ta no Team Adam, então já sabemos o destino né?

Tati: Ai, gente. Uma voz country bem padrão, né? Já imagino ele fazendo as mesmas coisas de sempre, cantando as mesmas músicas de sempre e é isso aí. Eu achei essa audição totalmente linear, daquelas que começa de lugar nenhum e termina no meio do nada. Muito morna pro meu gosto. Só por isso, já prevendo Adam o arrastando até onde der, pois é isso que ele gosta de fazer hahaha.

 

[#TeamLegend] Kayslin Victoria – “Feel It Still” by Portugal The Man

Avalie a performance:

Luana: Pisou DEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEMAIS! Gente, essa menina vai dar um trabalho na competição, viu. Ela tinha em mãos uma música completamente nada a ver para a voz dela, e fez funcionar muitíssimo bem! Eu acho que méritos devem ser postos quando merecidos, e Kayslin simplesmente excedeu todas as minhas expectativas. Acho que ela tem um potencial incrível e tem tudo para ir fundo na competição. Tirando a maravilhosa da Celia, essa foi minha audição preferida do episódio sem nenhuma competição.

João: Que musiquinha chata. A voz dela é bem imatura ainda, e bem aguda. Acho que a Kelly seria a pessoa certa pra ajudar, além de poder direcionar ela nas escolhas musicas também, mas como escolheu o John acredito que o flop vem. Ela aparenta ter potencial, mas não mostrou nada muito excitante nessa blind ainda.

Tati: Olha, parabéns pela coragem de escolher essa música, gata. Admirei de verdade. Eu amo demais essa música e imagino que ela seja bem difícil de cantar em um reality. Eu vi uma falha ou outra, mas achei que ela se saiu bem, de verdade. Ao meu ver, foi uma performance bem divertida e bem executada.

[Eliminada] Maddi Fraser – “Get It While You Can” by Janis Joplin

Avalie a performance:

Luana: Maddi claramente deu tudo de si, mas eu não gostei não. Não sei pontuar exatamente para vocês o que foi, mas teve algo que não conseguiu me manter interessada. Eu AMO Janis Joplin e ela se jogou de cabeça na interpretação, mas infelizmente não foi pra mim.

João: KELLY HAVE U LOST YOUR MIND? Gente que menina incrível, que energia maravilhosa, que rasgado de voz foi esse? AAAAAAAAA já começaram as injustiças da temporada. Eu adorei ela, e super merecia uma chance SIM!

Tati: Sabe quando a pessoa tem atitude na voz? É o caso da Maddi. Se eu tivesse só ouvindo, já imaginaria ela fazendo várias caretas hahaha! Eu adorei a energia e a presença de palco da Maddi. Gostei do início da performance, mas achei que ela pecou na parte final. Ficou bem descontrolada ao meu ver e até me assustou hahaha. Além disso, ela me pareceu nervosa em alguns momentos. Enfim, artista de muito potencial, mas eu também não viraria agora.

 

[#TeamKelly] Jackson Marlow – “Troubadour” by George Strait

Avalie a performance:

Luana: Ah pronto, parente do Red. Jackson tem uma voz linda, já massacrou o tio Red. Assim, não tem nada muito diferente dele para os outros country da competição, mas que bom que Kelly finalmente conseguiu seu macho country, né gente. Se ele terá futuro na equipe? Só Deus sabe, até porque a Kelly faz esses pantins pros machos, mas ela se prende mesmo é às meninas, essa é a verdade. É isto, acabou audições.

João: Bem da verdade eu vim aqui assistir já prontíssimo pra atacar o parente do embuste Red da 13ª temporada (quem acompanhou sabe do ódio). Mas já começamos com o cara sendo um gato, e depois que ele ainda canta bem. Vou torcer? Não vou né, continuo não gostando de country, mas devo admitir que a voz dele é boa sim, e a Kelly vai arrastar ele ate onde ela aguentar.

Tati: Outro country com voz padrão no episódio, mas Jackson me mostrou mais capacidade vocal e achei a voz dele interessante. Contudo, achei a performance muito linear, minha gente! Não sei se foi a música ou se ele é assim mesmo, mas achei sem graça. Vamos ver como Kelly vai trabalhar o menino, pois ele tem potenciar para ir longe no programa.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Por fim, temos todos os times completos! Ao meu ver, todos os times acabaram com pelo menos 1 destaque, e o talento da temporada acabou excedendo minhas expectativas, se eu for honesta. Acho que a rodada das batalhas podem render ainda boas surpresas, e se os mentores forem espertos, dá para manter todos os bons acts com bons pareamentos e/ou bons steals!

Ainda acho que é uma pena imensa que o programa tenha abandonado seus episódios de terça até os lives, até porque em questão de audiência, o programa de games da Ellen que substituiu está se saindo bem aquém do The Voice. Terminantemente, acho que foi uma bola fora bem grande da produção e que pode acabar custando um bocado.

Em adição, eles inventaram de extinguir os Nocautes, substituindo pelas “Live Cross Battles”. Ainda não temos muitas informações sobre a nova rodada, mas ao que tudo indica é basicamente uma batalha dos técnicos ao vivo. É uma pena, pois desta forma artistas mais diferentes e menos convencionais e/ou de times que não sejam populares com as tias do sofá como Blake/Kelly acabam saindo em desvantagem. Ótimo grupo de cantores, formato terrível. Infelizmente, é isso. Mas de qualquer forma, os times finalizaram assim:

#TeamAdam: Andrew Jannakos*, Anthony Ortiz, Ciera Dumas, Celia Babini*, Domenic Haynes, Jimmy Mowery, Kalvin Jarvis*, Karly Moreno, LB Crew, Mari, Patrick McAloon, Trey Rose.

No fim das contas, o Adam conseguiu montar uma boa equipe, a cara dele e com boas promessas. A “maior voz” da equipe com certeza é o LB, mas do lado mais “soft” também temos a doce Karly. Domenic é a voz mais “distinta” de todas do time, e Celia é uma jovem que ainda pode render muito (se as tias do sofá permitirem, né) e que detém todo o meu coração.

#TeamBlake: Andrew Sevener, Cartner Horne, Cecily Henningan*, Dalton Dover, Dexter Roberts, Gyth Rigdon, Hannah Kay, Kendra Checketts, Kim Cherry, LiLi Joy, Rod Stokes*, Selkii.

Apesar dos esforços do Blake de tentar montar um time eclético, mais uma vez temos uma equipe FORTEMENTE country, e gostando ou não, isso significa dizer que será um time muito popular com o público do programa. Temos pontos fora da curva como Kim, LiLi e Kendra, mas as maiores apostas que o Blake pode fazer aqui são seus countries, Rod, Dexter, Gyth, em destaque. Hannah acaba sendo a única “country girl” do time e isso pode dá-la certa margem também.

#TeamKelly: Abby Kasch, Alena D’Amico, Beth Griffith-Manley, David Owens*, Jackson Marlow*, Jej Vinson, Karen Galera, Mikaela Astel, Presley Tennant*, Rizzi Myers, Rebecca Howell, The Bundys.

Ao meu ver, essa é a equipe mais forte da temporada, e não só porque gosto da maioria dos cantores, mas principalmente porque sei que quase todos preenchem os requisitos para serem abraçados pelo público do programa. Eu já diria de agora que Mikaela tem o prêmio nas mãos e só resta administrar, e mesmo que ela falhe (o que acho difícil), ainda tem o Jej que até aqui foi o único artista pimpado com aquele papo de “você vai vencer” pelo programa. Além disso, temos a Rizzi que pode render bastante, a Rebecca que é o token country da Kelly da temporada, e o trio que é pioneiro no programa! Se as batalhas dos técnicos funcionarem da forma que conhecemos, essa equipe será imparável.

#TeamLegend: Betsy Ade, Denton Arnell, Jacob Maxwell, Julian King, Kayslin Victoria*, Lisa Ramey, Maelyn Jarmon, Matthew Johnson, Oliv Blue, Savannah Brister, Shawn Sounds, Talon Cardon.

Como esperado, um time fortemente embasado no R&B. No entanto, eu acho que os nomes mais fortes da equipe são exatamente os pontos fora da curva, no caso, Maelyn, e uma aposta minha: Jacob. Julian, Matthew e Shawn são vocalistas incríveis que podem se dar bem com o John também. Kayslin e Savannah são jovens e também podem vir a crescer, caso sejam bem treinadas.

*artistas adquiridos hoje

– – –

Mas enfim gente, é isto! Nossa próxima parada já são as batalhas, e olha, tem muito potencial para coisas loucas! Eu gosto muito da maioria dos acts, então com certeza acabarei perdendo pessoas que gosto, mas faz parte, né?! No mais, votem na nossa e enquete e é isso! Peace out!

P.S.: Provavelmente nos comentários eu devo postar os duelos já confirmados das batalhas. Não quis colocar direto na review em respeito a quem não curte spoilers. Mas fica aqui o alerta, hein.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Luana Medeiros

Imagine só que um dia me foi perguntado quem eu era, e juro, até hoje não sei responder. Mas os fatos são: tenho 21 anos; sou de escorpião; amo meu cachorro e meu gato mais que tudo; estudo Rádio/TV/Internet, ouço Maroon 5; piro no Adam Levine; consigo colocar os pés atrás da cabeça; e - contraditoriamente - por fim, nasci de 7 meses.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries