Posts Populares

The Voice UK – S07E04 – Blind Auditions 4

Quem diria que o 4º episódio seria o melhor até agora, em?

Com os 3 primeiros episódios, ao meu ver, apresentando um nível bem fraco de candidatos, é de se esperar que pelo menos alguém nos empolgue para assistir essa temporada, e espero muito que essa pessoa apareça nesse quarto episódio.

Até agora o Team Tom é o que mais me agrada, apesar de eu não achar nada sensacional. Os outros times não enchem meus olhos, mas veremos se esse panorama muda no episódio de hoje.

De positivo, fica o entrosamento da bancada, que até agora está arrasando no entrertenimento com o público e entre si mesmo.

Mas sem mais delongas, vamos às performances!

[ELIMINADO] H Boss – “Don’t Mind” by Kent Jones

Lucas: ele fez o que pôde. Infelizmente ele não apresentou vocais que surpreendesse, mas se entregou bastante, soou cool e se mostrou muito esforçado. O problema é que o coaches não estão vendo elementos como presença de palco etc. Acho que eu também não viraria. Essa audição pelo menos evidenciou o quão ridícula é essa palhaçada de quando nenhum coach apertar o botão, as cadeiras não se virarem.

Nicolas: Então, a performance foi bem divertida de se assistir, mas só assistindo mesmo, pois vocalmente não foi boa. Achei uma péssima escolha para uma blind audition. Ele é um ótimo performer, mas não teve vocais consistentes, o que dificulta que os coaches o escolham.

Tati: Gente, que coisa esquisita que eu senti nessa blind! Mas não esquisita totalmente pro mal, mas um misto de boas e más impressões. Eu achei H Boss mega performático, talvez ele poderia se dar bem em um programa como o X-Factor, mas a verdade é que, para um programa como o The Voice, ele precisava mostrar mais da voz e, nesse quesito, ele deixou muito a desejar! Pra que dançar em uma blind se não se sabe se os jurados estarão assistindo todo o número (e foi isso que aconteceu, aliás)? Enfim, deu dó, mas também não viraria.

[TEAM OLLY] Kirby Frost – “Ciao Adios” by Anne-Marie

Lucas: eu diria que ela tem potencial. Tiveram alguns erros, principalmente no começo, mas os acertos e a originalidade na escolha musical fez com que os coaches se interessasem em virar para ela. Por outro lado, não é uma música fácil de cantar e acabou evidenciando a falta de controle vocal da moça, deixando a performance instável. Como eu disse, ela tem potencial, sendo uma das artistas mais interessantes que vi na temporada.

Nicolas: Menina super estilosa e com uma ótima escolha musical. Adorei o timbre dela. Ela tem bastante domínio de palco e acho que pode nos render ótimas performances ainda, principalmente por ter um estilo que está em alta hoje em dia. Ela foi evoluindo vocalmente durante toda a performance e arrasou muito no final.

Tati:  Que vibe mais latina, amo/sou! Gente, eu amei a vibe da Kirby, mas tanto que eu vou até meio que ignorar os problemas vocais que ela apresentou durante a apresentação (principalmente, na parte que os coaches viraram). Mas são coisas que acho que podem ser trabalhadas. Eu gostei bastante da voz também, tirando as pequenas desafinadas. Como Tom disse, ela tem um controle que pode ser muito bem usado ao favor dela. Gostei meeixxmo!

 

[TEAM WILL] Loaded Sista – “Black Widow” by Iggy Azalea feat Rita Ora 

Lucas: Uau!! Quanta força nessa performance. A voz da ruiva é boa, potente e dá conta de cantar muitas coisas. Porém, me impressionei muito quando a morena entrou na performance, com a parte falada muito bem executada e mostrando potencial nos seus vocais. O bacana é que elas são diferentes demais uma das outras, mas as vejo como dupla facilmente

Nicolas: Inicialmente eu achei essa dupla nada harmônica visualmente, mas quando elas subiram no palco, mudei todo meu pensamento sobre elas. Ambas tem muita atitude e demonstram isso tanto na presença de palco. quanto nos vocais. A escolha musical foi muito inteligente, pois teve tempo para ambas mostrarem o melhor de si com seus solos, e por mais que as harmonias não tenham sido tão exploradas, o pouco que teve eu já gostei.

Tati: Quando eu olhei para as duas eu pensei: nossa, outra dupla nada a ver! Mas, eu terminei a audição amando e as enxergando totalmente como uma dupla. A proposta delas é um pouco diferente do que a gente costuma ver duplas fazendo por aí: poucas harmonias, mas, ao meu ver, elas se completam legal. Adorei a energia e a Keisha manda bem no rap! Acho que Will pode fazer um bom trabalho com elas.

 

[TEAM WILL] Anna Willison Host – “Never Forget You” by Noisettes 

Lucas: Uma das melhores blinds da temporada. Ela mandou muito bem na execução da música do começo ao fim ds performance, mostrando confiança e singularidade. Ela possui uma voz que dá pra explorar bastante e isso me anima muito.

Nicolas: – Não a achei tão solta no palco e nem confiante. O timbre dela é bonito, e ela manda bem nos falsetes. Não sei se foi por conta do nervosismo, mas achei o vocal dela um pouco “fraco” em algumas partes. Ela pode vir a surpreender ao longo do programa se conseguir se soltar um pouco mais.

Tati: Estou com um humor ótimo hoje, pois eu tô gostando de todo mundo, minha gente! Eu amei a voz da Anna! Tem algo áspero que me agrada tanto e quando ela passa para os agudos, a voz dela fica muito legal também. Tirando isso, deu pra perceber que ela não é muito boa no palco e na conexão com a música, mas isso pode ser trabalhado. Eu tô chocada que Will está pegando meus teens todos. Socorro!

[TEAM TOM] Eliza Gutteridge – Wild Horses by Birdy

Lucas: Essa audição evidenciou demais a imaturidade vocal da Eliza, com erros visíveis por falta de conhecimento da própria voz. Porém, ela claramente tem uma voz diferente, que se trabalhada pode arrasar muito. Além disso, ela é super carismática, linda e tem algo que me faz ficar ansioso pra próxima performance dela. Achei de verdade que é uma garota diferenciada dentre os demais candidatos da temporada.

Nicolas: Eliza tem um grave muito bonito, mas achei ela bem limitada vocalmente, pois não deu conta das partes mais altas da música. Ela faz bem o estilo indie, mas acho que a escolha musical não ajudou ela a fazer uma performance mais surpreendente.

Tati: Que timbre estranho da Eliza! Não sei se é forçado, mas me incomodou em certos momentos e me fez que eu não gostasse muito dessa blind. Mas, no geral, eu vi alguns nuances interessantes e o saldo final foi positivo. Ela tem um bom controle e mostrou algumas qualidades que podem ser exploradas, se ela conseguir avançar na competição. Fico feliz que o vovô deu uma chance pra ela.

[ELIMINADO] Zak Archer – “Handbags & Gladrags” by Rod Stewart

Lucas: eu me estresso de verdade com esses coaches ignorando vozes boas, interessantes e trabalháveis enquanto o cara de Amazing Grace, dentre outros, está no programa. No mais, o menino tem uma voz super diferenciada, gostosa de se ouvir e que certeza faria muito sucesso entre o público. Eu viraria com certeza.

Nicolas: No vt mostrou ele cantando Hallelujah, então eu esperava algo nesse estilo, mas ele acabou vindo com uma música de rock bem chatinha. Gosto muito de vozes roucas, mas em alguns momentos ele parecia estar forçando muito pra voz sair, e achei ele um pouco perdido da metade pro final da performance.

Tati: Não é sempre que os coaches acertam em não dar uma chance para os no-chairs, mas, nesse caso, eu concordei plenamente. Zak ainda não está pronto, apresentou falhas vocais, desafinou algumas vezes e ainda escolheu uma música que não o ajudou muito! Talvez, daqui a algum tempinho, ele consiga voltar e se apresentar melhor.

[ELIMINADO] Jordan James – “Don’t Go” by Yazoo

Lucas: Talvez se ele se preocupasse mais na execução da sua performance vocal e menos em forçar a barra com dramaticidade na apresentação, teria virado alguma cadeira. Ele tentou fazer coisas demais e acabou apresentando vocais muito repetitivos e saturados, além dos erros visíveis. Uma voz no mínimo interessante e muito melhor do que muitas que alguns coaches já viraram, mas entendi o motivo de não terem apertado o botão.

Nicolas: Não conhecia a música, mas amei conhecer com uma performance dessas. Jordan interpretou muito bem a letra da música, e por mais que ela seja linear, ele conseguiu mostrar um pouco de tudo do seu vocal, com alguns problemas de execução, mas creio que pelo nervosismo. Temos aqui o injustiçado do episódio.

Tati:  Se fosse julgar só pelas caretas, eu também não viraria, não! 100or era cada careta de dor de barriga que eu ficava dó do bichinho. Mas, tirando isso, eu gostei da entrega à música e a voz dele me soou bastante agradável em todos os momentos. Não é um candidato que eu levaria longe, mas considerando o nível de alguns que conseguiram uma cadeira, eu achei uma injustiça até certo ponto.

[TEAM OLLY] Holly Eon – “Sorry Not Sorry” by Demi Lovatollis

Lucas: Fraquíssima. Que sofrimento ter de ouvir esse refrão, com ela tentando alcançar as notas e não conseguindo, soando estridente, tentando fazer coisas que sua voz limitada não permite… Foi uma performance cheia de erros numa música difícil de se cantar. Não curti.

Nicolas: Gosto bastante dessa música, mas acho ela bem complicada de cantar. No início pensei que Holly se sairia bem por ter um timbre mais agudo, mas isso não aconteceu. Faltou um pouco pra ela conseguir alcançar as notas, e na melhor nota da música ela fez algo bem estranho. Além disso, achei que faltou bastante atitude na performance, e essa música pede isso.

Tati: Will me representa: virou só pela hino que é Sorry Not Sorry! Mas pela carinha dele, acho que ele desviraria ahahaha! Holly não é ruim, mas deixou claro que é um pouco limitada e não conseguiu alcançar nenhuma das notas altas que se propôs a fazer. Enfim, achei tão básica e sem energia que eu não viraria, não.

[TEAM JHUD] Gayatri Nair – “Powerful” by Major Lazer feat Ellie Goulding & Tarrus Riley

Lucas: Que linda!! Estou apaixonado por essa blind da Gayatri. Ela mandou muito bem, pois possui um bom conhecimento da sua voz e por isso soube explorar tanto seus vocais nessa música. Com uma voz limpa, conseguiu imprimir emoção no que cantava, além de parecer uma menina super humilde e madura no que faz.

Nicolas: Omg, eu acompanho essa garota no youtube e não sabia que ela estaria no programa. Já tenho minha torcida. Ela tem ótimos covers no youtube e inicialmente achei que essa música podia limitar ela, mas ela me surpreendeu bastante. Gayatri tem um timbre maravilhoso e único, amei os vocais dela nessa performance. Gosto muito do estilo musical que ela segue e ela foi de longe minha preferida do episódio.

Tati: Quatro programas de blinds para aparecer alguém pra eu falar assim: minha favorita! Gente, eu amei a voz da Gayatri! Um timbre que não tem nada excepcional, mas o conjunto é tão bem executado, fica perceptível que ela conhece muito bem o potencial da sua voz e sabe o que fazer com ela, tanto que escolheu uma música que a permitisse transitar por agudos e graves de uma forma inteligente!

Considerações finais 

O episódio de hoje me surpreendeu de tal forma que sei nem explicar direito. Tiverem umas 4 audições que pisaram na maioria das blinds dos outros dias e a maioria das performances hoje foram interessantíssimas com artistas que realmente mostram qualidade.

Além disso, quero destacar essas escolhas musicais bem diferentes do que estamos acostumados a ver em reality. Isso contribui muito para a gente não ficar saturado com esses programas e para achar artistas mais singulares, que tenham mais chances de entregar coisas que não estamos habituados a ver no programa.

O destaque pra mim fica com Anna e Gayatri, que além de se mostrarem bem autênticas, fizeram boas audições, bem executadas do início ao fim. Eliza, Kirby e Loaded Sista entram no grupo que, apesar das falhas, podem render muita coisa na competição, pois têm muito potencial (principalmente a Eliza).

Quanto aos times, acho que todos saíram ganhando muito nesse episódio, sendo que JHud conseguiu pegar a melhor candidata da noite. agora os times ficaram:

#TeamWill (6): Donel Mangena,  Kade Smith, Tai, Mark Asari, Anna Willison Host e Loaded Sista.

#TeamJHud (5): Jake Benson, Jason Nicholson-Porter, Belle Voci, Ant & Ox e Gayatri Nair.

#TeamTom (6): Chloe Jones, Jade Williams, Lucy Milburn, Ruti Olajugbagbe, Simon Davies e Eliza Gutteridge.

#TeamOlly (7): Lauren Bannon, RYT, Ivy Paige, Jamie Grey, Chris James, Holly Eon e Kirby Frost.

De negativo fica o mistério do porquê de alguns coaches virarem para artistas ruins e medianos e não virarem para candidatos bons, com potencial e que podem render bastante, os deixando até de fora do programa.

Pois então, esse foi o quarto episódio da sétima temporada do The Voice UK, nos trazendo boas aquisições vocais, apresentando artistas singulares e nos animando para continuar acompanhando o reality.

E vocês, o que acharam? Não esqueça de deixar seu comentário para opinar, concordar, discordar… E claro, continue com a gente!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lucas Prata

Capixaba, basqueteiro, Coldplayer e apaixonado por séries e filmes. Gosta tanto de escrever que tem um bloco de notas no celular só pra isso. As vezes é meio doido, mas quem não é, né?!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries