Posts Populares

The Voice US – Aquecimento Season 10: Primeiros #4chair de cada Temporada

Olá senhores passageiros. Sintam-se confortáveis e afivelem os cintos. Estamos entrando na jornada de aquecimento para a DÉCIMA TEMPORADA do reality show musical favorito dos Estados Unidos e do povo brasileiro. Sejam bem-vindos.

5987e870-9e81-0132-44f3-0ebc4eccb42f

Faaaaaaaaala amigos e amigas do Panela de Séries! Em menos de 1 mês teremos a estréia da décima temporada de The Voice US e por isso nada melhor do que nos prepararmos pra mais um punhado de gente talentosa morrendo na praia antes da final HAHAHAHA. Se você quiser, basta clicar AQUI e AQUI para conferir os últimos aquecimentos que fizemos.

Este ano, decidi mudar o sistema de aquecimento. Vou trazer algumas curiosidades pra vocês sobre as 9 temporadas passadas. Além disso, tenho a adição de Luana à equipe do aquecimento. Ela vai colaborar comigo nos comentários e nas estatísticas.

adam_levine_the_voice_gif

Sem mais lenga lenga, este primeiro aquecimento vai abordar um assunto polêmico (e não é mamilos!): #4chairs. Quantas vezes vimos um candidato pífio virando 4 cadeiras, enquanto aquele candidato foda e amado mal consegue 1? Não é fácil essa vida de espectador. Para informação geral, em 9 temporadas, 71 candidatos conseguiram com que todos os coaches virassem suas cadeiras. É muita gente né! A última temporada foi recordista de #4chairs, com 14 candidatos alcançando o feito. Por outro lado, a primeira e a terceira temporada foram as que apresentaram os menores índices de #4chairs, com 2 e 5, respectivamente. As temporadas com Xtina na bancada aparentam ser as mais rigorosas, com os menores números de #4chairs, enquanto as temporadas com Gwen são as que apresentam os maiores números.

xstatic

Se vocês não lembram, vamos recordar o primeiro #4chairs de cada temporada. E pra isso, Luaninha estará aqui comentando as performances.

.

Season 1 – Jeff Jenkins – Team Adam – “Bless The Broken Road” by Rascal Flatts

E o primeiro #4chairs da história do programa não poderia deixar de ser country. Com uma música bem emocional, Jeff teve que ser persistente e entregar seus melhores vocais para conquistar Blake (olha nosso tio country se fazendo de difícil!). Achei a escolha musical bem padrão, apostando nas notas altas e nas transições da música. Jeff colocou a emoção na ponta do microfone e conseguiu cativar o público e Adam Levine, fazendo parte do #TeamAdam até os Playoffs da temporada. No entanto, por se tratar de uma voz bem comum no meio country (e por estar no #TeamAdam), Jeff acabou não vingando no programa.

Luana: Depois de 9 temporadas de The Voice, reassistir essa Blind pode te fazer pensar “ah nossa, que comum”, mas eu lembro bem assistindo isso na época e para o nível do programa até ali foi realmente algo superior e que mereceu as 4 cadeiras. Engraçado pensar que o primeiro country 4 chairs escolheu o Adam, lol.

.

Season 2 – Jesse Campbell – Team Xtina – “A Song For You” by Donny Hathaway

Jesse é aquela diva que temos dentro de todos nós. HAHAHAHA Falando sério, Jesse fez o estilo “Diva Masculina”, apostando nos agudos e notas mais altas para conquistar os coaches. E ele conseguiu. O excesso de confiança, no entanto, o traiu. Da metade para o final da música, Jesse acabou se perdendo e soltou uns agudos desproporcionais e desnecessários, chegando a soar fora do tom em alguns momentos. No entanto, o brilho de sua performance fica por conta da entrega e da emoção que ele passou cantando. Jesse foi para o #TeamXtina e foi eliminado no Top4 do #TeamDivas.

Luana: Jesse era, sem dúvidas, um dos melhores participantes da Season 2 e até hoje tento entender aquele absurdo da Christina o eliminando nos lives shows e acabando com qualquer mínima chance que ela poderia ter de vencer o programa, mas enfim… Jesse sempre foi um vocalista muito refinado e fez por merecer as 4 cadeiras viradas em sua Blind Audition, desde a escolha da música, a abordagem utilizada, a dinâmica e modulações de sua voz, tudo encaixou perfeitamente e o resultado não poderia ser outro!

.

Season 3 – Bryan Keith – Team Adam – “It Will Rain” by Bruno Mars

Atestando o posto de rei dos #4chairs, mais um membro do #TeamAdam dá as caras. Se os dois candidatos anteriores apostaram nos agudos e vozes limpas, Bryan soltou o gogó com sua voz rouca e entregou uma roupagem diferente para o clássico emocional de Bruno Mars. Particularmente, apesar de ver algumas falhas que sempre estão presentes nas Blinds, gostei muito da atuação de Bryan com essa música. Ele evitou exageros e entregou uma performance bonita e gostosa de ouvir. Vale lembrar que Bryan atingiu o Top10 daquela temporada, e foi eliminado na semana em que Melanie Martinez arrasou com “Seven Nation Army” e Cassadee Pope com “Over You”.

Luana: Acredito que o que surpreendeu os coaches aqui foi o alcance de Bryan apesar de seu timbre áspero. Geralmente cantores com timbres similares tendem a permanecer em regiões mais baixas de sua voz, porque ao arriscar notas mais altas a voz pode falhar e “quebrar”. A escolha da música casou perfeitamente com sua voz também e dali já podiamos perceber que Bryan tinha futuro no programa.

.

Season 4 – The Morgan Twins – Team Blake – “Fallin’” by Alicia Keys

Muito antes de Andi & Alex abrilhantarem nossos corações, duas gêmeas loiras haviam aparecido no programa. The Morgan Twins (nome brega da porra) trouxeram uma harmonia incrível para o programa, num sucesso de Alicia Keys, e rapidamente conquistaram Blake e Usher. Os agudos e a complementação das vozes ainda fizeram Adam e Shakira virarem, para abrilhantar ainda mais a performance. As loirinhas, no #TeamBlake, acabaram sendo sugadas pelo country e foram eliminadas logo nas Battles. Uma pena, visto o potencial que as duas tinham e o estrago que podiam ter feito em outra equipe.

Luana: Essa música, as harmonias, só amor ♥ Tudo foi super bem executado pelas irmãs, que entregaram uma Blind Audition beirando a perfeição. Pode não ter sido a melhor audição da temporada, mas pelo menos para mim, foi uma das mais legais e está entre as minhas perferidas da Season 4.

.

Season 5 – Matthew Schuler – Team Xtina – “Cough Syrup” by Young the Giant

Quem odeia Matthew pode sair da sala agora, porque a babação de ovo vai começar! HAHAHAHA Minha gente, não tem o que reclamar dessa Blind. Matthew começou a capella e já fez os 4 coaches virarem. Tinha sido o candidato #4chairs mais rápido da história até então (ele foi superado nas temporadas seguintes). Matthew teve carisma, inteligência e sagacidade, e entregou uma apresentação sem exageros, com muita qualidade vocal, que fez nossos coaches implorarem por ele. Ele acabou escolhendo o #TeamXtina, mas se cagou todos nos lives e foi eliminado no Top6, aquele em que Tessanne Chin brilhou com “Redemption Song”.

Luana: Matthew é um dos meus artistas preferidos da história desse programa, sem exageros! Essa Blind Audition ainda me encanta e só nos mostra como a Season 5 foi a melhor do começo ao fim. Matthew tem total controle de sua voz e soube bem como usá-la, com certeza ele estabeleceu seu título de favorito em menos de 30 segundos de apresentação e teve a virada das 4 cadeiras mais rápida da história (embora, parece que depois alguém tirou esse título dele, só não lembro mais quem foi).

.

Season 6 – Christina Grimmie – Team Adam – “Wrecking Ball” by Miley Cyrus

A garota dos olhos de Adam; Uma das promessas da sexta temporada; Uma parte de #Brimmie. Chame como quiser. Esta é Christina Grimmie, que chegou chegando na Season 6, no sucesso estourado de “Wrecking Ball”. Muitos dizem que essa é a sua melhor participação no programa, e que ela não apresentou nada no mesmo nível durante a temporada. Mas também né… Vamos combinar: que performance boa! Ela acertou nos melismas, nos agudos e nas transições. Se jogou (literalmente), até conseguir com que todos os coaches virassem. No #TeamAdam, embora Grimmie decepcionasse em algumas semanas, abocanhou o terceiro lugar numa temporada fraquíssima. Ao menos temos essa Blind para nos deliciarmos.

Luana: Christina foi minha preferida da temporada do começo ao fim, entre turbulências e momentos legais, haha. Nessa apresentação específica o que eu mais gosto é a explosão do final, onde Christina mostra toda a potência da sua voz sem medo e deixa sua marquinha no programa para sempre. Foi um ótimo começo para a Season 6, pena ter sido só uma ilusão, haha.

.

Season 7 – Luke Wade – Team Pharrell – “That’s How Strong My Love Is” by O. V. Wright

E na temporada de estréia de Gwen e Pharrell, tivemos o segundo conquistando o primeiro #4chairs da temporada. Mergulhado até o pescoço no Soul, Luke trouxe sua voz diferenciada e super potente para o palco do The Voice. Não demorou muito para que ele conquistasse todos os 4 coaches e, claro, o público. Luke escolheu muito bem a música e entregou uma performance cheia de personalidade. Ele escapou dos exageros e com sua rouquidão foi capaz de entregar algo que arrepia até hoje. Com um coach como Pharrell, Luke acabou sendo eliminado no Top8 da temporada, em uma disputa no Instante Save contra DaNica Shirey, Ryan Sill e Chris Jamison, este último levando a melhor.

Luana: Ah, Luke! Lembro bem o quanto sofri nessa audição pelo fato do Luke ter escolhido LOGO o Pharrell, o boneco de cera. Pra mim, foi uma das melhores Blind Audition da temporada (se não A melhor) e me deixou bem animada para o resto da competição e já me garantiu um favorito, logo assim de cara.

.

Season 8 – Sarah Potenza – Team Blake – “Stay With Me” by Faces

Se elogiei a simplicidade da performance de Luke, aqui só posso criticar como a apresentação de Sarah foi pesada. Pesada no sentido de ela trazer muita coisa e entregar uma performance bem descartável, pra mim. Teve rouquidão, teve ela ajoelhada, teve grito, teve caras e bocas… Enfim, pareceu um carnaval de horrores. Particularmente, apesar de a songchoice ter sido ótima e o gingado rock de Sarah ser algo a se respeitar, achei que ela deu foi sorte de ter 4 cadeiras viradas. Para minha felicidade, Sarah foi eliminada por escolha de Blake nos Playoffs da temporada, juntamente com Brooke Adee se cagando inteira cantando “Love Me Like You Do”.

Luana: Aqui começa a decadência de 4 chairs. Todos antes de Sarah eu consigo enxergar o porquê de virarem as 4 cadeiras, mas sinceramente? Assisto e reassisto essa audição e não compreendo como isso foi suficiente para chamar a atenção dos 4 mentores (principalmente Xtina que não tende a curtir rockers). Mas enfim né, embora a apresentação não tenha sido isso tudo, teve momentos legais como quando a Sarah mostra um pouco mais de seu timbre mais áspero e o fim onde ela solta uma nota bem legal.

.

Season 9 – Mark Hood – Team Pharrell – “Use Me” by Bill Withers

Marcando a temporada com o maior número de #4chairs, já temos um erro logo na primeira. Assim como Sarah, Mark pecou pelo exagero. Encheu a música de melismas, de caras e bocas e de runs desnecessários. Apesar do estilo Soul e R&B que me apetece, Mark não conseguiu passar uma boa impressão e conseguiu 4 cadeiras viradas com muita sorte. Felizmente ele foi eliminado logo no Top12, em disputa com Korin Bukowski no Instant Save.

Luana: Uma pergunta: por quê? Eu gostaria muito que alguém me explicasse COMO isso mereceu as 4 cadeiras. Mas vamos tentar, a audição não foi um desastre (nem de longe), só não merecia ser 4 chairs mesmo. Mark mostrou todo o seu “soul” e sua energia irreverente, o que cativou os mentores e a platéia parecia estar bem entretida também. Por sorte a Season 9 teve coisas (vocalmente) melhores a oferecer mais pra frente, ufa.

E por hoje é o que temos! Vale lembrar que na última semana foram anunciados os advisors das Battles, que serão: Gwen Stefani, ajudando seu amado Blake Shelton; Tori Kelly, colaborando com Adam; P. Diddy, em uma ótima parceria com Pharrell; e Patti Labelle, desfilando talento com Xtina. A première do programa está prevista para o dia 29 de fevereiro, e ainda vamos esquentar mais até lá. Fiquem ligados!

Você pode conferir tudo sobre The Voice com o nosso parceiro Sub Voice, clicando AQUI.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Gerson

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries