Posts Populares

The Voice US – Especial – Melhores Momentos de Adam Levine

Paneleiros (menos Gerson) e Adam: Uma História de Amor!

Semanas atrás recebemos a boa/má notícia que Adam Levine deixou o reality após 16 temporadas que a competição vai ao ar. Adam participa do reality desde seu início, mas nós paneleiros fãs dele e do M5 notamos que desde a Season 14 o nosso coach mais lindo do mundo estava mais pra lá que pra cá, e um descanso ou saída do show estava cada vez mais necessário. Enfim, deixando isso de lado o foco desse post é outro, nós aqui do site temos uma história bem especial com Adam no show. 

Basicamente, Adam é a razão de boa parte de nós assistirmos o show desde seu início, fãs de Maroon 5, acompanhamos nosso reizinho na competição e lá pela Season 6/7 a maioria de nós se conheceu. A ideia do site surge na Season 7 (nosso ápice torcendo por #TeamAdam e um de seus candidatos: Matt McAndrew) quando ele recebe uma nota ruim em uma review de outro site que existia naquela época e por queremos um espaço para comentar o reality.

O site virou muito mais que um espaço para comentar The Voice, novas pessoas integram nossa equipe hoje e somos muito mais do aqueles que adoravam Adam e assistiam o show por conta dele. Eu larguei o The Voice de vez após a Season 13 quando meu Noah foi barrado da final e dali pra frente foi ladeira abaixo. Mas enfim, o intuito desse post é lembrar os melhores trabalhos de Adam Levine no #TheVoice! Vamos lá?

Javier Colon, Season 1

Javier foi o primeiro vencedor do The Voice após uma disputa apertadíssima com a Dia Frampton (#TeamBlake) na finale. Sim, o primeiro Adam x Blake da história já aconteceu na 1º temporada do reality e o popstar saiu vitorioso! Javier já tinha a maior pinta de winner desde sua audição, quando apresentou uma versão acústica do clássico “Time After Time” da Cindy Lauper e virou todas as 4 cadeiras, sendo 1 dos 2 únicos “4 chairs turner” da temporada!

Com um ótimo discurso e esbanjando carisma, Adam Levine acabou conseguindo convencer Javier à juntar-se a sua equipe, e bem, foi ali mesmo que ele ficou mais perto do que nunca de ser o primeiro winner coach do The Voice US! Javier e Adam se deram muito bem e tiveram uma das parcerias mais bem sucedidas da história da franquia americana! Quando Javier teve a chance de performar um dueto de “Landslide” com a própria Stevie Nicks, Adam Levine chegou muito próximo das lágrimas, já que Stevie é uma de suas heroínas da música e ver seu pupilo realizar um sonho assim foi bastante emocionante.

Esse primeiro contato com o formato do programa foi bem importante para o Adam, ele esteve tão realmente investido, que ao fim da temporada ele não só gravou uma parceria com o Javier para o seu álbum de estreia (a faixa chama-se “Stand Up”, clique aqui para ouvir) como também convidou Javier para performar com ele no Hollywood Bowl e abrir os shows da turnê mundial do Maroon 5 no ano de 2011/2012!

Texto by Luana

Melanie Martinez & Amanda Brown, Season 3

Muitos dizem que o #TheVoice nunca revelou uma grande estrela de alcance mundial e eu concordo em cheio! Mas lá na Season 3 temos uma garota estranha com um cabelo bicolor e apenas 17 anos, chamada Melanie Martinez. Melanie cantou em sua audição “Toxic” de Britney e teve uma caminhada complicada durante o programa devido a sua falta de autoconfiança e experiência. Em certo momento ele sofreu críticas sem fundamentos de Christina Aguilera e Adam deu um dos maiores cortes que lembro em todas as temporadas, Melanie fez uma ótima performance e Xtina começou a elogiar o cenário, Adam corta e fala que Melanie pensou em tudo, incluindo o cenário e elogia demais nossa garota! <3. Melanie infelizmente deixou a competição no TOP 6, mas dado o alto nível que tivemos na Season 3 foi algo compreensível. 

Ainda na icônica Season 3 tivemos uma outra artista que se destacou com o trabalho realizado por Adam Levine, Amanda Brown. Amanda chegou meio apagada a competição e após sua audição se juntou ao #TeamCeeLo, nas Battles ela brilhou e acabou ganhando um Steal de Adam. Daí pra frente só vimos Amanda se tornar um monstro na competição e ir melhorando, melhorando e aí chegamos aos Playoffs, onde rolou a melhor performance da história do #TheVoice: “Dream On”. 

Dream On foi construída na parceria entre Adam e Amanda, desde as pequenas mudanças no arranjo, a escolha da música e tá aí mais uma prova do excelente coach que Adam foi no programa. 

Amber Carrington, Season 4

Vencer não necessariamente premia o melhor trabalho e falando do #TheVoice isso se torna quase uma regra com poucas exceções. A Season 4 é um claro exemplo disso, Adam tinha uma verdadeira seleção em suas mãos formada por Amber Carrington, Sarah Simmons e Judith Hill e a paixão/euforia do público country do programa acabaram eliminando nossas garotas cedo demais. Entre elas, Amber foi a que foi mais longe, chegou as Semi-Finais e sonhou com a final, entretanto não conseguiu.

Amber é uma cantora country clássica e quando fez sua audição felizmente Blake Shelton já tinha seu time cheio, Amber foi com Adam e nas Batalhas surpreendeu a todos ao bater de frente como uma favorita e vencer. Ela cresceu nos lives, e logo de início fez uma performance babadeira de Skyfall que deixou todos de queixo caído. Sua trajetória foi incrível e nas semi-finais ela cantou “Sad” do Maroon 5, uma ideia genial de Adam que inclusive colocou ela no TOP 10 do Itunes, fazendo o ligar para ela no meio da madrugada para comemorar. Infelizmente, os artistas cantavam duas músicas nas Semis e ela escolheu errada a outra que era decisão única do artista. Amber ficou de fora da grande final, mas nos nossos corações é a vencedora moral daquela temporada. 

 

Tessanne Chin, Season 5

Falar sobre a passagem da Tessanne Chin no The Voice sempre me deixa profundamente feliz, pois ao meu ver ela é uma das melhores vencedoras que esse programa já teve o prazer em coroar! Claro, o foco aqui é a parceria dessa deusa com o Adam Levine, mas Tessanne é aquele tipo de act que independente de time e/ou coach, você não tem nenhuma escolha senão amar, pois cada nuance é simplesmente perfeita e cheia de carisma! Tess chegou cheia de potência e confiança na competição com um cover de “Try” da Pink e conquistou o coração de toda a bancada, e fez mais, com seu sotaque jamaicano derreteu o coração de todos com cada palavra não só cantada, mas também falada! Inclusive, foi essa sua proximidade com a cultura jamaicana e o reggae que criou o primeiro link emocional entre Tessanne e Adam, que sempre se assumiu ser grande fã de Bob Marley e derivados. Essa parceria com toques reggae e cheiro de Jamaica rendeu frutos mais do que maravilhosos como “Underneath It All”, “Many Rivers to Cross”, “Redemption Song” e o próprio dueto da dupla que foi uma versão extremamente inventiva de “Let It Be” dos The Beatles!

Texto by Luana

 

Kat Perkins & Christina Grimmie, Season 6

Essas duas artistas me trazem sentimentos de boas memórias e um pouco de tristeza. Primeiro, vou falar de Kat Perkins que posso dizer que foi uma das poucas artistas do segmento do Rock que foram longe na competição (Juliet Simms e Kat Robichaud foram as outras). Kat Perkins era uma babá que chegou cantando um rock clássico, e acabou ficando famosa na época por vencer o “Instant Save” mais de uma vez e sempre por se entregar mais que 100%. Em sua trajetória Kat e Adam formaram uma dupla inabalável com performances excelentes e uma que fica no hall das melhores performances pela coragem de reinventar um dos hits do momento “Get Lucky”.

A outra artista que também foi longe em seu trabalho com Adam foi Christina Grimmie! Christina infelizmente faleceu vítima de um atentado algum tempo após o programa. Durante sua passagem pelo show Grimmie foi sempre uma das favoritas e emocionou a todos com performances cheia de energia, amor e criatividade. A sua melhor performance que foi uma obra do seu trabalho com seu coach foi sem dúvidas a reinvenção da canção “Hold On We’re Going Home”. 

 

Matt McAndrew & Chris Jamison, Season 7

O que dizer da melhor temporada de Adam Levine como coach e dos meus meninos? <3 Apenas amor e amor! Vamos lá, Season 7 foi bem especial para o pessoal do Panelas por motivos que mencionei lá em cima e aqui acredito que Adam Levine chegou a sua perfeição como coach! Durante as audições logo de cara ele viu algo em Matt McAndrew e seus jeito weirdo, um Harry Potter cheio de tattoos cantando músicas românticas e tocando um violão. Já em Chris Jamison talvez ele viu o artista que mais se assemelha com ele vocalmente e com potência para fazer aqueles falsetes maravilhosos tão característicos de Adam. 

Nessa temporada Adam levou seus 3 finalistas a grande final e mostrou muito de suas habilidades como coach e música, seja alterando arranjos, produzindo canções para os finalistas e até mesmo arrumando o look deles. 

Começando por Matt que recebeu a melhor composição que um finalista do #TheVoice já recebeu em toda sua história, na grande final ele cantou sua original produzida por Adam e que virou seu fã número 1 ali, Wasted Love.

Depois disso, Matt fez parte da turnê do Maroon 5 por um tempo e quase chegou a vir ao Brasil na turnê (choro até hoje por isso). Matt hoje tem sua carreira solo e também é vocalista da banda Slaves.

O outro artista do #TeamAdam com destaque para aparecer nesse post foi Chris Jamison! Chris foi uma evolução que podemos dar todo o crédito a Adam, que o salvou de uma eliminação precoce com a contestação de todos (inclusive a minha) e chegou aos lives, semana a semana esbanjando sexualidade, vocais firmes e um falsete maravilhoso. A performance que escolhi para destacar foi o dueto molhador de calcinhas.. fiquem com ele.

 

Amy Vachal & Jordan Smith, Season 9

Falar da última temporada realmente de gloria do team Adam é uma grata missão. Principalmente, porque aqui figura uma das minhas artistas favoritas de todos os tempos. Aliás, o trio dos lives do team Adam na season 9 é o meu triozinho do amor. Mas pra começar eu vou falar de Amy Vachal. Lembro como se fosse hoje, o dia em que vi aquela mulher linda, com aquele vestido longo, aquele violão e o timbre mais doce do mundo. Sabia que ia ser trouxa por ela. Adam ja estava com o time completo e lamentou demais não contar com aquele anjo em seu time. Mas como o destino queria juntar essa dupla, Adam conseguiu roubar Amy do team Pharrell, depois de ela apresentar a minha performance favorita da fase de KO até hoje e rejeitar Blake pela segunda vez. 

E essa parceria rendeu ótimos momentos. Adam aproveitou a originalidade e a criatividade de sua pupila e juntos criaram versões próprias de grandes hits do pop como Hotline Bling, Bye Bye Bye e a excelente Blank Space. Infelizmente, essa princesa acabou eliminada antes da final, mas pelo menos podemos aproveitar bastante do enorme talento dela no programa. 

Mas o grande nome desse team Adam e também da season 9 atende pelo nome de Jordan Smith. Jordan já chegou nas blinds auditions com uma voz que impressionou os 4 coachs, e o seu rosto só foi revelado para os telespectadores depois que os coachs viraram a cadeira, causando um efeito ainda maior na audiência. Jordan foi conquistado pelo discurso de Adam e se tornou o unicórnio de seu forte time. 

Com performances sempre impactantes no quesito vocal, Jordan batia recordes no iTunes tirando Adele do topo e encaminhando uma vitoria de forma relativamente tranquila. Set Fire To The Rain, Halo, Great Is Thy Faithfulness foram algumas das grandes apresentações de Jordan, mas foi na semifinal, que ele mostrou que era realmente o grande merecedor do prêmio. Com Somebody to Love do Queen, Jordan destruiu, com vocais insanos e uma interpretação fantástica, fazendo uma das performances mais marcantes desse show deixando seu coach orgulhoso e embasbacado, subindo em cima da cadeira. Como esquecer o iconico momento do drop mic? 

Texto by Mari

 

Brendan Fletcher, Season 11

Aaaahhh, Brendan <3! Meu útlimo grande amor de todos #TeamAdam ever! Brendan tinha uma voz rouca maravilhosa que me deixava louco e também deixava Adam! Durante sua trajetória vimos um coach orgulhoso, escolhendo músicas perfeitas para aquele vozeirão e vimos todo o ânimo de Adam a cada performance que se passava. Sua trajetória foi marcada por performances mais emocionais como a maravilhosa “True Colors”, a energética “Whipping Post” ou ainda músicas que mostraram seu lado mais folk/country como “The River”. 

Infelizmente Brendan não chegou a grande final, acabou caindo nas Semi-Finais e me deixou profundamente triste pois meu dueto de Adam e Brendan não se realizou, tive que me contentar com a performance do time! Enfim, vamos conhecer o nosso último destaque?

 

Addison Agen, Season 13

Já havia algumas seasons que Adam não fazia um trabalho tão uau e nem conquistava um artista que despertava em mim um amor quanto o que tive por Matt, Chris, Tess e afins. O início da season 13 me fez acreditar que seria assim, já que ele não tinha conseguido nenhum artista nas audições que olhasse e falasse: nossa, essa pessoa aí vai ser meu xodó. 

Nas batalhas, ele roubou Addison. Até então tudo normal pra mim. Tinha achado a blind dela bem ok e na batalha, apesar de ter amado a performance, achei Karli bem superior.

Mas, felizmente, estava enganada em não botar tanta fé nesse steal, pois, foi a partir dele pudemos ver o último grande trabalho de Adam no The Voice. A sintonia entre ele e Addison foi algo surreal e ele, como coach, teve um peso importante no desenvolvimento desse anjinho durante o programa.

Os ensaios eram sempre proveitosos e dava pra ver o brilho nos olhos dele, pois, além de estar trabalhando com uma garota super talentosa, ele ainda tinha um apreço muito grande por ela. O resultado foi um trabalho muito bem-feito e um Adam animado, como há muito tempo não víamos. Ele, inclusive, fez songchoices ótimas pra ela, principalmente quando entendeu que ela tinha talento e sensibilidade suficientes para cantar Joni Mitchell. 

É esse Adam que sempre me deu alegria por ver The Voice. Em seus grandes momentos, ele foi importante na trajetória de muitos artistas e isso é incontestável. Meu bichinho errou? Muito! E nem faço questão de passar pano e fingir que não aconteceu. 

Mas como esse post é para enaltecê-lo, vou aproveitar o espaço para dizer que tenho muito orgulho dele. Pelo trabalho com Addison, é claro. Mas também pelos steals icônicos em Amanda, Amy e Shalayah. Pelos trabalhos impecáveis com Amber, Kat e Chris. Por ter sabido conduzir tão bem a trajetória de artistas que já chegaram preparados como Tess, Matt, Jordan e Billy. Pelas performances icônicas (que, coincidência ou não, estão entre as melhores do programa) Dream On, Sad, Get Lucky, Somebody To Love, A Case Of You, I Have Nothing, Seven Nation Army, The Blower’s Daughter, Cry Me A River, Hold On, We’re Going Home e tantas outras. E eu sei que 99% é por causa desses artistas, mas, afirmo com segurança que tem um dedinho do Adam em cada uma delas e os ensaios estão aí para provar. Obrigada, mozão. Não vai fazer falta, pois seu tempo no The Voice já tinha acabado, mas você foi muito importante para o programa. <3 

Texto by Tati

E pra finalizar, como não relembrar a fofura que Adam era com Shelby Brown? Ela amava girafas e não bastasse ter levado uma de pelúcia, ele levou uma de verdade kkkkK! Maravilhoso demais!

Depois de tantas memórias maravilhosas eu sei que vocês devem tá exaustas dos nossos elogios ao nosso mozão, mas é isso ai! A próxima temporada do #TheVoice começa dia 23 de Setembro e pela primeira vez sem nosso muso roqueiro que foi substítuido por Gwen Stefani.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Lindomar Albuquerque

Amado por 30 milhões de Brasileiros! Paulista, Canceriano, 25 anos, Químico e atualmente faço Doutorado em Biotecnologia e Polímeros. Me achou nerd neh? Sou mesmo! Amo uma boa banda alternativa/indie, fã número 1 de Imagine Dragons e adoro perder um bom final de semana maratonando séries! P.S. Sou bêbado também gente, me chama para uma cerveja e para falar de série!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries