Posts Populares

The Voice US – S08E12 – The Knockouts, Part 3

Está no ar a última noite dos Knockauts dessa temporada de TVUS. Daqui pra frente, o público vira o grande responsável pelo sucesso ou fracasso dos candidatos, e os spoilers acabam!

Noite marcada por apresentações regulares, com poucas surpresas. Foco principalmente no Team Xtina que ainda tinha 3 vagas ociosas. Vamos começar? Comentários imparciais de Luana hoje. Eu sou parcial e vou dar minha opinião mesmo! HAHAHAHHAA

Tonya Boyd-Cannon – “I Wish” by Stevie Wonder vs. Barry Minniefield “What You Won’t Do For Love” by Bobby Caldwell

O primeiro confronto do Team Adam da noite trouxe uma batalha de gente fofa. Como não amar Tonya e Barry? Queridos e com uma grande voz. Apostaria em Tonya mais pelo histórico do programa, pois dificilmente vemos candidatos muito velhos indo longe. Não conhecia as song choices, então minha avaliação aqui vai ser mais imparcial.

Tonya sempre impecável nos vocais, o que já esperava. A questão que me incomodou aqui foi a performance no palco. Achei ela muito parada, o que atrapalhou. A conexão com a música e as notas foram ótimas, tornando ela parte necessária do Top 20. Podia ter feito melhor, considerando sua batalha e sua Blind. Nada que não possa ser resolvido a tempo.

Luana – Não posso criticar nada vocalmente, até porque ela não deixa margem pra isso, acho a técnica vocal da Tonya ótima. Porém achei que faltou algo aqui. Senti saudade da sassy Tonya das Battles cantando “PYT”, pra ser sincera. Ainda gosto muito dela, mas realmente senti que faltou um “que” a mais aqui.

Barry é um cantor engraçado e divertido de assistir. No entanto, as apresentações dele me cansam um pouco. Os vocais são ótimos, a presença de palco é boa, mas parece que o prazo de validade venceu. Como se o trem de Barry já tivesse passado.

Luana – Por alguma razão louca e fora do comum, eu incrivelmente gosto do Barry. Talvez seja parte do #TeamAdam feeling que me acompanha season after season. Mas o fato é que Barry me diverte e me faz sorrir. Gostei dessa outra dimensão da voz do Barry que foi apresentada aqui, mas sei que não seria uma boa escolha avançá-lo para os Playoffs, sendo que ele não tem o appeal necessário, infelizmente.

Observando o geral das performances, qualquer escolha não seria errada. Ambos são bons e carismáticos, com pouco potencial de ir longe na competição. Adam fez o básico e manteve a tradição do programa, barrando candidatos mais velhos dos programas ao vivo. Tonya seguiu para o Top 20 e Barry foi pra casa.

Brooke Adee “Eletric Feel” by MGMT vs. Kelsie May “Tim McGraw” by Taylor Swift

O primeiro Knockout do Team Blake da noite envolveu duas gracinhas, com potencial de xodó de Blake na temporada. A escolha de Brooke rapidamente me remeteu a Preston Pohl, da 5ª temporada, que trabalhou a música de uma maneira muito boa. Kelsie, no entanto, fez o básico e foi de Taylor Swift, se afundando na lama da bad song choice. Sem observar as músicas, diria que Kelsie seria a provável escolha de Blake. Porém, a escolha de Kelsie não foi boa. A baixinha poderia ter optado por uma escolha mais inteligente pra conquistar Blake, o que não aconteceu.

Brooke se superou. Eu já achava sua Blind um momento ótimo dela no programa, mas achei “Electric Feel” uma ótima apresentação. Ela trouxe vocais seguros e uma apresentação gostosa de se ver. Comparações são inevitáveis, e nesse quesito ela fica atrás de Preston. Mas considerando a sua oponente, foi uma performance digna de Top 20.

Luana – Uma das minhas artistas preferidas da temporada! Brooke fez tudo certo, mostrou magistralmente as dinâmicas e nuances de sua voz, foi capaz de imprimir sua personalidade na melodia e tudo mais. Mas… É difícil escutar alguém cantar “Electric Feel” e não comparar à versão ESTELAR do Preston, né? Confesso que tentei bastante, mas não consegui gostar 100% da apresentação, não por culpa da Brooke, no entanto. Culpa do Preston! Haha.

Ao contrário de Brooke, Kelsie trouxe uma insegurança visível para o palco. O jeito que ela se mexia e cantava expôs suas fraquezas, e diante de uma adversária como Brooke, foi difícil se superar. Triste, pois considerava Kelsie uma boa revelação para o country do programa, melhor que Danielle Bradberry, por exemplo.

Luana – Não sei se consigo apontar algo positivo aqui. Primeiramente, a escolha da música foi péssima, e com todo o respeito, bem burra. A música não dava liberdade vocal NENHUMA a Kelsie, não destacava suas qualidades vocais e apenas a restringia a ser monótona e chata. Enfim, a pior apresentação da noite, infelizmente.

Um bom confronto, mas com uma Kelsie bem irregular, enquanto Brooke tem uma segurança sem igual nas suas ações. Pensando em manter a cota indie de sua equipe, Blake avançou Brooke e fechou seu time para os Playoffs. Escolha acertada, uma vez que Kelsie foi muito irregular e ainda não possui a maturidade suficiente para se conhecer e fazer escolhas inteligentes. Foi pra casa sem steal.

India Carney “Big White Room” by Jessie J vs. Joe Tolo “One of Us” by Joan Osborne

Esse pareamento de Xtina me deu pena de Joe. Na verdade, dei risada depois que descobri o que Joe cantaria. Saudades Sarah Simmons! India apelou para o lado emocional, que sua voz traz muito bem, e escolheu uma música de Jessie J. Aqui, considerando as escolhas musicais e o histórico, India disparava na frente. Restava a Joe tentar surpreender.

India continua sambante, continua destruindo, continua rainha dessa porra toda. Apesar de ainda considerar sua Blind seu melhor momento até agora, essa performance foi incrível e pisou em Joe de forma avassaladora. Não tem jeito Brasil, India é vaga carimbada no Top 12 da competição!

Luana – Tecnicamente perfeita, acho que é impossível da India decepcionar nesse quesito. Confesso que estou um pouco over India, mas não posso negar a qualidade da moça. Vocais potentes, postura confiante, diva né? Pois é, a front runner do #TeamXtina, a única do time que coloco minha mão no fogo para dizer com toda a certeza: Está no top 12.

Comparações são impossíveis quando temos ótimas performances na história do programa. Joe trouxe uma versão diferente, que não diria ruim. O problema são mesmo as comparações. Aqui destaco a nota que ele conseguiu segurar. Mandou bem, e aposto que teria steal de Pharrell, se fosse possível.

Luana – “One Of Us”, a gente pensa logo na Sarah Simmons e naquela blind audition alucinante né? Pois gente, imagina agora minha decepção e vergonha assistindo essa versão tosca do Joe? Amiguinho, você está indo contra a concorrente mais forte do #TeamXtina e ainda faz essa merda a si próprio? Não filhão, não.

Não teve jeito. Apesar de Joe trazer uma apresentação regular, sem grandes erros, não teve jeito. India mais uma vez foi muito bem e não deu brecha para ser derrubada. Xtina vê em India sua melhor chance de vencer, e por isso levou a moça para o Top 20. Joe vai embora com gostinho de que foi longe demais.

Lowell Oakley “My Girl” by The Temptations vs. Jacob Rummell “Life of the Party” by Shawn Mendes

Pareamento óbvio de Pharrell, Lowell veio como franco favorito. Um dos poucos erros das Battles, o steal Jacob veio como underdog para surpreender e garantir uma vaga no Top 20. Temi por Lowell, uma vez que Pharrell tem costume de fazer escolhas inusitadas, podendo comprometer nessa etapa. Assim como Kelsie, Jacob errou na escolha da música. Poderia ter feito algo tipo Michael Jackson ou Jackson 5, que combinaria mais com ele.

Lowell mostrou que pode segurar os forninhos. Não achei a melhor performance dele, mas ele mostrou que tem capacidade de seguir bem na competição. Os vocais e a presença de palco estavam ótimos, o que me fez gostar de assistir sua apresentação outras vezes. Presença mais que necessária nos Playoffs.

Luana – O Lowell no palco se transforma né, gente? Adoro a presença de palco dele, ele sabe como entreter a plateia e se divertir na apresentação. Confesso que achei a escolha da música bem brega e batida, mas é bom ver o Lowell se soltando e nos mostrados todas as “faces” de sua voz.

Ao contrário de Lowell, me esforcei pra ver só uma vez a apresentação de Jacob. Os problemas de sua voz não me deixam engolir o que ele faz no palco. Além disso, essa vibe menino inocente, todo feliz, me irrita muito.

Luana – Confesso que nem prestei tanta atenção ao Jacob. Não sei muito o que dizer, hahaha. Bem, pelo o que escutei Jacob tem uma boa voz, diferente, timbre bem único. Porém, precisa de mais experiência, é uma voz bem imatura ainda.

Não da gente. Mesmo sem vê-los cantar, já escolheria Lowell. A voz de Jacob me irrita de uma maneira sem igual. Parece que ele não tem maturidade vocal, e fica naquele grunhido durante suas apresentações. Pelo bem da nação, Pharrell escolheu Lowell para representa-lo no Top 20, nos livrando de mais uma vez ouvirmos Jacob grunhir.

Rob Taylor “Love and Happiness” by Al Green vs. Treeva Gibson “Chasing Pavements” by Adele

O último Knockout de Xtina botou de frente a possível mini diva contra o cantor pop-eclético que é capaz de fazer algumas coisas. Rob é outro candidato que não gosto. Acho ele limitado e com uma voz chata. No entanto, o candidato é inteligente e soube se favorecer da escolha musical. Não posso dizer o mesmo de Treeva, que tentou usar o Adele card em momento errado.

Acho o exagero de Rob a pior parte de tudo. Ele se supera na questão de performance de palco e algumas notas, mas a repetição de falsetes e melismas me incomoda muito. Achei uma das melhores apresentações dele, mas mesmo assim não me cativou.

Luana – Tive que dar meu braço a torcer. Eu sou uma das pessoas que ODEIA o Rob. Como fã do Maroon 5, fiquei envergonhadíssima com aquela batalha de “Animals”, e daí meu ódio extremo ao Rob. Mas, eu vou ter que dizer: Que apresentação! Super consistente, não teve UMA nota errada se quer, soube escolher os momentos certos e mostrou um controle vocal INCRÍVEL. A melhor apresentação do Rob, de fato.

Treeva errou. E errou feio. Adele vem derrubando artistas desde sempre, e agora não foi diferente. Acredito que uma escolha mais indie ou pop seria ideal para Treeva. No fim, uma performance inconstante, que não merecia lugar o Top 20.

Luana – Acho que o maior pecado da Treeva foi a escolha da música. Gente, Adele é legal e tudo mais, mas é Adele né? Não é só chegar e cantar, pra ser capaz de reproduzir uma música dela é preciso bem mais que vocais medíocres. Não digo que Treeva foi mal, porque não foi, porém não gostei da escolha da música e faltou algo na interpretação, sinceramente

Treeva não aproveitou o bom momento de sua Battle e foi por água a baixo. Rob, mais uma vez, foi inteligente e se sobressaiu, conseguindo facilmente sua vaga no Top 20. Xtina o escolheu, e mandou Treeva pra casa mais cedo. Uma pena.

Joshua Davis “Arms of a Woman” by Amos Lee vs. Lexi Davila “Anything Could Happen” by Ellie Goulding

Para encerrar a noite, Adam colocou um steal preferido contra uma candidata mediana. Já parecia que Joshua tinha a faca e o queijo na mão e poderia levar fácil vaga para o Top 20. No entanto, a escolha musical de Lexi me fez observá-la de maneira diferente, dando a oportunidade de ser surpreendido.

Assim como Rob, Joshua não me cativa. É um cantor maduro, com bons vocais, mas parece que tá morrendo em cima do palco. Não acho seu estilo muito legal, então sou suspeito pra falar. No fim, uma apresentação correta, mas não via ele indo dignamente para o Top 20.

Luana – Primeiramente, onde é que a gente encontra um marido desses? Hahaha. Música linda e ainda por cima dedicada à esposa? Ah, por favor, como não amar?! Achei uma performance bastante sólida, com a precisão vocal de sempre do Joshua. Mas, se eu tivesse que “criticar” algo, eu diria que tá na hora dele largar o violão e tentar algo diferente, mostrar um outro lado, seria bastante interessante se isso acontecesse na próxima fase.

Lexi se superou. Foi considerada a mosca morta desse Knockout e fez uma apresentação perfeita. Quando vi que ela cantaria a mesma música que Jessie Pits cantou na temporada passada, já imaginava um cover. No entanto, em nenhum momento da apresentação consegui ver semelhanças com Jessie, o que acho muito bom, uma vez que ela fez a música do jeito dela.

Luana – Como sempre, o melhor vem no final. Lexi me surpreendeu como ninguém. Teve controle sob a emoção e não deixou de forma alguma o nervosismo afetar a precisão de seus vocais. Melhor apresentação da noite? Com certeza. E leva também o troféu revelação da rodada, haha.

No confronto, achei Lexi superior a Joshua. Joshua me parece o cantor que faz sempre mais do mesmo, e dificilmente sairá disso. Se passar dos Playoffs, espero que Adam arrisque com ele, pois se não será sempre um tédio. Enquanto isso, Lexi conseguiu um steal de Xtina e está no Top 20 dessa temporada. Dificilmente terá chance no Dream Team Xtina.

Avaliando os Knockouts, achei coerente grande parte das equipes. Felizmente, Pharrell errou menos e conseguiu levar fortes candidatos para os Playoffs. Diferentemente das Battles, não gostei muito dos steals dessa etapa do programa. Acredito que apenas Blake e Xtina fizeram valer o recurso, apertando seus botões com justiça para Hannah e Lexi. Sobre Nate Ruess, acho que os produtores poderiam ter usado esse dinheiro pra me contratar que eu daria conselhos melhores. Por exemplo, pra Joe contra India, já ia dizer: “Filhao, nem sobe que você vai ser humilhado!” AHAHAHAHAHAHHAHA Ainda sinto falta de Taylor Swift e seu trabalho artístico, envolvendo voz, presença de palco e conexão com a música.

Após essa etapa, os times ficaram assim:

Team Blake – Sarah Potenza, Meghan Linsey, Brooke Adee, Corey White e Hannah Kirby (S). Um dos melhores e mais variados times, Blake vai para os Playoffs com a difícil missão de ter só três desses no Top 12. Já estou sofrendo por antecipação. Acredito que devem formar o Top 3: Sarah Potenza, Meghan Linsey e Corey White. Brooke e Hannah correm por fora e podem ter chance, de acordo com sua presença no iTunes.

Team Pharrell – Mia Z, Sawyer Fredericks, Caitlin Caporale, Lowell Oakley e Koryn Hawthorne (S). Um bom plantel que pode garantir vida longa a Pharrell no programa. Acredito que a única carta fora do baralho seja Koryn. A terceira vaga me parece estar entre Caitlin e Lowell, onde já torço por Caitlin seguindo. (Apesar que ideal seria ver os dois dentro e Sawyer fora).

Team Xtina – Kimberly Nichole, Sonic, India Carney, Rob Taylor e Lexi Davila (S). Uma equipe com grandes artistas, mas também muito parecidos. Esse é o Team Xtina. Enquanto temos Rob, India e Kimberly no mesmo nicho musical, Sonic e Lexi tem a chance de se destacar e mostrar que devem estar no Top 12. Acredito num time completamente feminino, e sem a presença de Lexi.

Team Adam – Nathan Hermida, Deanna Johnson, Tonya Boyd-Cannon, Joshua Davis e Brian Johnson (S). De longe a pior equipe do momento. Não que os candidatos não sejam bons, mas comparando com as outras equipes, vejo o Team Adam mais atrás. Acredito que o Top 3 do cantor seja formado por Nathan, Deanna e Joshua, me fazendo sofrer por perder Tonya.

Muito obrigado por nos acompanhar e a partir de semana que vem teremos os programas ao vivo.

Não deixe de conferir o blog do Grupo Sub Voice, nosso mega parceiro, que disponibiliza as legendas AQUI e as músicas versão iTunes AQUI.

Comentários são bem-vindos!

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries