Bem-aventurados aqueles que amam The Voice.

Não é mesmo? Tem que ter coragem e muito fôlego pra acompanhar o programa. Ainda mais quando temos participantes combados, como vimos nessa noite. Não está sendo fácil…

christina-emotional

Uma noite com talentos regulares, alguns destaques e outros que nem deveriam estar ali. Mais uma vez eu quero ressaltar a sintonia e química da bancada. Xtina voltou muito bem, Pharrell deixou de ser cuzão, Shevine perdeu foco e Blake ganhou protagonismo próprio. Eu estou amando.

Depois de algumas discussões, debates e críticas dos leitores, decidimos criar um sistema de qualidade das Blinds. Os comentaristas e eu, que vos escrevo, agora diremos se viraríamos ou não nossa cadeira pros candidatos. Vamos simplesmente brincar de coaches. Querem brincar também? Então entendam o sistema:

Untitled 1

Sem mais delongas, Dam e Clarice continuam comigo e entregam comentários ótimos!

Joe Vivona – “Dreaming with a Broken Heart” by John Mayer

Joe é o neto que todo vó queria ter. Ele é esforçado e ajuda nos negócios da família, mas quer mesmo ser cantor. Antes de mais nada, achei que a songchoice super combinou com sua voz. Além disso, a voz dele me lembrou alguns tipos de vinhos, que mesmo depois de engolirmos, ainda deixa um resquício no paladar. Da mesma forma, mesmo depois de ele terminar o verso, a voz dele ecoa na nossa cabeça. Ele mostrou um bom alcance e emoção na medida. Gostei muito e achei que ele merecia as 4 cadeiras. Joe, pra nossa infelicidade, escolheu ser #TEAMPHARRELL, e já estou com medo de seu futuro na competição.

Clarice: Nossaaaa…. Programa já começou com nível bom. Adorei o Joe com essa voz meio rouca, esse timbre mega diferente. Muito gostosinho de se ouvir.

Dam: Te falar? amei o Joe. Que voz tocante minha gente, ele conseguiu me tocar a ponto de me fazer fechar os olhos e me imaginar na praia com um boy magia que me ama e me trata como uma Deusa. Claro que ele não foi perfeito e precisa melhorar alguns pontos mas sem dúvidas é um ótimo cantor.

Chairs-SimChairs-SimChairs-Sim

Shalyah Fearing – “What Is Love” by V. Bozeman

Com 15 aninhos e uma simpatia enorme, Shalyah vem da Florida e tem uma grande família. Ela tenta ajudar em casa, mas quer mesmo seguir seu sonho de se tornar cantora. Quando vi que ela ia cantar a trilha sonora de Empire, já quis morrer! Que escolha boa! Ela me chocou com sua voz, sinceramente. Não esperava uma voz tão profunda vindo de alguém tão nova. Claro, Shalyah tem alguns problemas, principalmente na dicção. Mas acredito que a atitude e a entrega dela não deixaram Xtina se arrepender de ter sido a única a virar. #TEAMXTINA.

Clarice: Para tudoooo que Shaly tem só 15 anos com esse baita vozeirão???? Mulheeeeer do céu… quanto poder! Já é a nova pupila da Xtina com toda certeza e vai longe. Só estou indignada que ninguém mais virou.

Dam: O que dizer dessa menina? Ela arrasou minha gente, que voz é essa? Para uma menina de 15 anos ela está mais que perfeita, ela conseguiu transmitir todo o misto de emoções que a música pede. Simplismente amei, e sem contar que ela tem uma vibe tão Toni Braxton, espero que a Xtina dê alguma música da Toni para ela lacrar as inimigas.

Chairs-SimChairs-Super SimChairs-Sim

Adam Wakefield – “Tennessee Whiskey” by David Allan Coe

Vindo de Nashville, com o estilo que ele tinha, já esperava ver Adam cantando country e integrando o Team Blake. Quando ele começou, já adorei que sua voz aparentava ser mais madura do que parecia. No entando, como bom fã de música country, achei a voz dele um pouco comum pro segmento. Odiei as partes gritadas, mas Blake e Adam amaram e viraram pra ele. Adam fez o óbvio e virou #TEAMBLAKE.

Clarice: Duas temporadas se passaram e ainda lembro de Meghan cantando essa música! hahahaha Adam tem essa rouquidão e deu outra cara pra música. Até que gostei do que ele apresentou, ainda mais porque não curti o estúdio e já fui pra apresentação dele esperando MUITOS GRITOS.

Dam: Adam é aquele tipo de Candidato que você sabe que tem passagem garantida para os Playoffs. E não é para menos, o boy foi muito bem na song e tem uma voz de arrepiar os pelinhos.

Chairs-NaoChair-TalvezChair-Talvez

Caroline Burns – “So Far Away” by Carole King

Outra com 15 anos, Caroline voltou da nona temporada para tentar uma nova chance. Fofíssima, ela trabalhou sua voz e trouxe algo novo e diferente para tentar novamente. Logo no início da apresentação, senti uns problemas de respiração, muito provavelmente causados pelo nervosismo. Ela colocou a emoção acima de qualquer coisa e entregou uma apresentação agradável, mas longe de perfeita. Carol não titubeou e escolheu ser #TEAMADAM.

Clarice: Carol é tão fofinhaaaa… em alguns momentos me lembra Cassadee fisicamente. hahaha E a voz? Tão angelical, suave e forte nos momentos que precisa ser forte. Adorei que foi com o Adam.

Dam: Gente, o que foi essa bomba loira de fofura com glitter e arco-íris? Antes dela começar a cantar, eu já estava pronto para gongar ela de tudo que é maneira, mas ai quando essa menina abriu a boca, eu simplesmente me desmanchei e quis comer algodão doce.

Chairs-SimChairs-SimChairs-Super Sim

Natalie Clark – “All Right Now” by Free

Natalie vem da Escócia e tem um estilo bem diferente. Ela parecia nervosa desde o começo. Senti um pouco de falta de confiança nos vocais, evidenciado pela forma que ela segurava o microfone. Natalie começou bem, mas quando a música exigiu, ela acabou desapontando. O resultado é que ela foi #ELIMINADA.

Chairs-Nao

Emily Keener – “Goodbye Yellow Brick Road” by Elton John

Emily tem 16 anos e vem de Ohio. Ela tem um estilo bem diferente das menininhas de 16 anos e escolheu uma música para evidenciar isso em sua apresentação. Eu adorei o estilo dela e como ela soube colocar sua voz nos momentos certos. Começou muito bem, alcançou algumas notas com precisão, mas pecou em outras (o nervosismo né). No geral, Emily se entregou e mostrou vocais maduros, inclusive alcançando uma high note ótima no final. Depois de todos tentarem, Emily decidiu tornar-se #TEAMPHARRELL. Chorei sangue.

Clarice: Adoro pessoas com vozes diferentes e cá está Emily pra me fazer gostar. Que alcance incrível, timbre diferente… foi uma performance mega angelical. Gostei bastante.

Dam: Abre as portas do Paraíso que eu quero sair. Que voz meu Deus, estou completamente, totalmente, perdidamente apaixonado por ela, já consegui imaginar várias músicas nessa voz linda dela. Espero não perder minha garota tão cedo na competição 🙁

Chairs-Super Sim Chairs-Super Sim Chairs-Super Sim

Laith Al-Saadi – “The Letter” by The Box Tops

Com 38 anos, Laith é um roqueiro com visual clássico: barbão, cabelão e um bom e velho jeans. Escolheu a mesma música que Hannah cantou lá na oitava temporada, e já o amava só por isso. Quando ele começou a cantar, achei a entrega muito boa, apesar de não ser meu estilo. É inegável o talento que ele tem, tanto que atraiu Adam e Blake, levando-o a se tornar #TEAMADAM.

Clarice: Um muçulmano roqueiro! Uau! hahahaha Não é meu estilo favorito, mas não tem como negar que o cara é bom. Tem uma rouquidão na voz sensacional, um artista pronto. E será o casamento perfeito Laith com Adam.

Dam: Bem lá no fundo do meu inconsciente, eu gostei dele, mas, não consigo ver o papai noel da season indo além das Battles.

Chairs-NaoChairs-SimChairs-Nao

Angie Keihauer – “I Hold On” by Dierks Bentley

Originalmente de El Salvador, Angie veio ao The Voice tentando retribuir tudo que ele fez para ela. Seu estilo e sua habilidade vocal me fizeram me apaixonar por ela em questão de segundos. Achei a songchoice super legal e como mostrou uma crescente pra sua voz. Ela começou mais básica e depois entregou umas notas bem interessantes. Foi entretenimento puro, que fez 3 coaches virarem suas cadeiras. Sua família inteira subiu ao palco e a mocinha acabou escolhendo ser parte do #TEAMBLAKE.

Clarice: Adorei Angie!! Mesmo sendo countryzinha, gosto desse estilo country com uma pegada no pop, sei la… hahahaha E é uma pena que poucos ousam e fazem igual Shelbinha e escolhem outra pessoa além do Blake!

Dam: Nossa que timbre lindo ela tem, não é mesmo? Quando ela chegou no refrão eu amei como a voz dela soa confortável nas notas e a identidade que ela imprime na música. Em alguns momentos ela me lembrou a Ellie Golding, mas continuo amando ela Hahahaha.

Chairs-Super SimChairs-SimChairs-Sim

Lacy Mandigo – “Son of a Preacher Man” by Dusty Springfield, Jonathan Bach – “Born This Way” by Lady GaGa, Katherine Ho – “Wildest Dreams” by Taylor Swift

Nos combados da noite estavam dois que eu estava com curiosidade: Katherine e Jonathan. Infelizmente, pelos segundos que vimos, achei os dois candidatos bem genéricos. Katherine decidiu ser #TEAMADAM, enquanto Jonathan virou #TEAMPHARRELL. A mais interessante do combo foi Lacy, que mostrou uma rouquidão bem estilo Aguilera no fim da apresentação. Não à toa, a loirinha tornou-se #TEAMXTINA.

Theron Early – “Amazed” by Lonestar

Theron tem um estilo mais soul e veio tentar preencher essa vaga no programa. Achei a música super adequada para sua voz, mas ele acabou se perdendo no refrão da música. Digamos que faltou algo a mais. Ele podia ter vindo com algo John Legend e ter entregue algo com mais emoção do que fez. #ELIMINADO.

Chairs-Nao

Kata Hay – “Redneck Woman” by Gretchen Wilson

Pra encerrar a noite, uma das artistas mais faladas antes do programa começar. Kata vem de Nashville, mas é de Oklahoma. Ela veio super animada para o palco e mostrou uma super energia. A apresentação foi boa, com muita confiança e vocais super seguros. O mais legal foi ver a animação dela quando Adam, Pharrell e Xtina viraram no fim. Rolou abraço no Adam, beijo na bochecha de Pharrell e selinho em Xtina. Que Blind, meu povo. Kata não resistiu aos lábios da loirinha e virou #TEAMXTINA.

Clarice: Uau! Adoro essas cantoras com vozeirão e presença de palco! Elas sempre apresentam uma segurança enorme e gente, melhor momento do programa. Ela pulando no colo do Adam, agarrando Pharrell e Xtina… e depois dando selinho na Xtina! Família Tradicional Americana chora de tristeza nesse exato momento… e nós? Nós morremos de rir junto com Xtina do Pharrell hahahaha

Dam: Gente eu sei que vocês não me conhecem pessoalmente, mas saibam que Kata é a minha representação perfeita, só que ela é menos feminina, óbvio. Quando essa criatura se jogou no Adam com aquela cara de tarada, me veio lágrimas nos olhos porque era aquilo que eu faria heart emoticon sobre a Blind, eu simplesmente adorei. Amei a atitude, a voz rasgada e óbvio a presença de palco. Só tenho elogios a fazer a minha alma gêmea

Chairs-Super SimChairs-SimChairs-Super Sim

Uma noite pra ninguém botar defeito. Claro que, como em todo programa, existem altos e baixos. No entanto, não podemos deixar de citar a animação do programa. Parece que o retorno de Xtina traz sempre um gás a mais, uma vontade a mais de ganhar. E dessa vez não temos nenhum Sawyer pra estragar isso (pelo menos por enquanto).

Não deixem de comentar e dar suas opiniões aqui na review. Ah, e não deixem de checar as músicas e as legendas liberadas com carinho pelo Grupo SubVoice.

Bom resto de semana e deixo vocês na mão do Lindomar semana que vem.

Gerson Elesbão
Gerson Elesbão

Nem tão complicado demais, mas nem tão simples assim: quebra-galho, colunista e seriador. Dificilmente atualiza o Banco de Séries, mas adora gongar as séries amadas pelo público. @gersonelesbao
Deixe-nos um comentário!
  • Almir

    Curti o sistema de avaliação.

    Gostei bastante de Shalyah e Emily neste episódio. De momento Alisan, Mike e Emily são os meus favoritos e acredito que nenhum saia antes dos playoffs.

    O segundo episódio não deveria ter somente 1 hora de duração? Aumentaram o tempo dos episódios?

  • Paulo Adriano

    O que seria de mim sem vocês pra contarem o programa que não assisti?
    Bem, não gostei do cata da primeira música, acho que tava nervoso demais. E essa temporada já vão com três músicas repetidas da passada…
    Agora, como só Xtina virou pra Shalyah? Não entendo esses técnicos…
    Pelo visto tudo contribui para a vitória de Xtina na season dez. Que permaneça assim…

%d blogueiros gostam disto: