Dê o seu melhor ou peça pra sair!

Mais uma fase do programa começando e, particularmente, uma das minhas favoritas. Os Knockouts são uma fase onde 2 artistas se enfrentam, cada um escolhe sua música e o coach escolhe quem avança para os Playoffs. É uma fase interessante, pois conhecemos mais do artista, que caminho ele quer seguir e se ele tem futuro na competição. Aqui não dá pra esquecer Knockouts memoráveis, como Matthew Schuller cantando “Cosmic Love” e Sarah Simmons cantando “Wild Horses”. Claro, nessa etapa também temos as grandes burradas. Como esquecer Holly Henry se cagando com “Creep”? E Andi & Alex botando tudo a perder com “Stupid Boy”? Enfim, esta é uma fase que guarda grandes surpresas.

Nesta temporada, a Key Advisor é Miley Cyrus, que já foi indicada como coach da próxima temporada. Você pode saber tudo clicando AQUI. Pra mim, Miley foi uma grata surpresa ajudando todos nessa fase. Assim como Taylor Swift, pouca gente apostava no trabalho que Miley poderia fazer e ela acabou surpreendendo com bons conselhos e sinceridade acima do que estamos acostumados.

Como nós do Panela de Séries gostamos de inovar e trazer coisas novas, nas reviews dos Knockouts vocês verão luvas de boxe de duas cores diferentes. As luvas vermelhas são destinadas ao candidato que VENCEU o Knockout, ou seja, que foi escolhido pelo coach. As luvas azuis representam os candidatos que PERDERAM seus respectivos Knockouts. Cada comentarista, no caso hoje Clarice e Valber, tem o direito a dar uma luva para cada apresentação, como sinal se gostou ou não. Pra ficar mais claro: o candidato que ganhar 3 luvinhas foi super amado por nós; o que ganhar 0 luvinhas foi odiado. É simples e fica mais claro ao longo da review.

[TEAM BLAKE] Angie Keilhauer – “Take Your Time” by Sam Hunt VS. Paxton Ingram – “Hometown Glory” by Adele

Gerson: Ai gente, tudo errado aqui. Eu AMO essa música. Mas ela tem que ser cantada por alguém com uma voz marcante, uma voz de presença. Um exemplo disso foi Zach Seabaugh, que cantou a mesma música na sua Blind Audition. Ele tem a voz mais grossa e combinou perfeitamente. Além de ter errado na escolha musical, Angie pareceu nervosa e se atrapalhou no ritmo da música. Ela estava completamente deslocada e errou até o agudo que tentou alcançar, desafinando total.

Clarice: Angie pecou pela songchoice. Essa música fica bem (e muito bem, obviamente <3) apenas no Sam Hunt, não ouvi nenhuma apresentação dessa música que eu tenha gostado.

Valber: Gostei muito da apresentação dela, queria ter visto a Battle, que se mostrou mais interessante, mas o KO foi bonito.

Gerson: Vamos por partes aqui. Primeiramente, a escolha de Paxton me surpreendeu muito. O guri já chega de Adele, logo assim? Achei bem ousado. A voz de Paxton me irrita muito. Fato. Apesar do timbre irritante, Paxton foi bem correto nessa apresentação, sem erros graves. Pra mim, ele falhou um pouco na respiração e na conexão com a música, uma vez que cantar Adele requer muita emoção e muita técnica, e pesando só de um lado a conta não sai correta.

Clarice: Sei que Paxton canta bem, não desafina nem nada, apresenta sempre bons vocais, mas ele não me cativa. Não consigo torcer por ele nem me apegar a ele. E hoje, novamente foi bem, ousou indo de Adele card, mas ficou naquilo mesmo.

Valber: Eu tava crente que não ia gostar do KO dele e olha a virada de jogo que ele dá. Foi uma das melhores performances dele até aqui.

Vencedor: Paxton Ingram.

Decisão: Blake exaltou a conexão de Paxton com a música (que não enxerguei) e falou como Angie é obstinada a tentar novos desafios, encaixando-se da maneira que pode no que propõe. A realidade é que a decisão estava fácil pra Blake. Angie se perdeu completamente e entregou algo bem abaixo do que ela pode, enquanto Paxton fez sua melhor apresentação. Paxton é, surpreendentemente, figurinha carimbada de Blake para os Playoffs.

Luvas-KO-2x1

[TEAM ADAM] Owen Danoff – “She’s Always a Woman” by Billy Joel VS. Ryan Quinn – “Drops of Jupiter” by Train

Gerson: Sinceramente? Owen não me chama muita atenção. Ele é regular e afinado, mas não vejo muita graça nas suas performances. Apesar da boa songchoice, Owen não conseguiu apresentar nada de inovador. Na verdade, o que mais notei aqui é que ele é bem limitado, uma vez que sua tentativa de subir o tom quase saiu pela culatra.

Clarice: Owen é tão amorzinhooo!!! Foi tão suave com a música e melodia e conseguir me encantar por completo. Ele é um dos meus favoritos do Team Adam!

Valber: Diferentemente das apresentações de Ryan, seu oponente, deu pra sentir a emoção que Owen passava. Cantou muito bem, foi dinâmico com o público e só me surpreendeu pela escolha da música. Fora isso, amei.

Gerson: Com a voz MEGA genérica que tem, Ryan tem que tentar ao máximo sair de sua zona de conforto e deixar de ser só um rostinho bonito. Aqui vimos que ele errou muito, começando pela songchoice. Foi uma escolha bem tiro no pé, bem batida, e mostrou pouquíssimo da personalidade dele. Além disso, a maneira como ele se portou no palco me incomodou muito, pois parecia que ele não sabia como agir ou o que fazer ali. Também temos a conexão nula de Ryan com o público e com a letra da música. Ryan não interage e não consegue interpretar o que está cantando, afastando-o cada vez mais do público que o acompanha. Por fim, ele errou feio, errou rude, num grito que deu no meio da música. Foi tipo sem pé e nem cabeça. Definitivamente, ele tem muito pra melhorar.

Clarice: Adorei a songchoice do Ryan, ele canta super bem, foi super bem nas high notes, porém falta um TCHAM nele. Ele precisa se conectar com a música, fica com a mesma cara a performance inteirinha, como se estivesse apenas cantando… mas o The Voice é mais que isso, amigo!

Valber: E vamos a mais uma performance do Iceman. Eu nunca vi alguém cantar “Drops of Jupiter” parado. Ok, ele cantou bem, mas cadê presença de palco? Cadê a dinâmica com o público? Por mais que o reality se chame The Voice, não é só da voz que se faz um vencedor. Quando ele souber botar pra fora o sentimento aí pensamos no caso.

Vencedor: Owen Danoff / Steal: Ryan Quinn

Decisão: Adam me representou aqui com seus comentários. Enquanto Ryan tem uma ótima qualidade técnica, Owen tem mais emoção e conexão. Um tem o que falta no outro. Uma escolha difícil, baseada no que Adam achava mais fácil imprimir para cada um deles. Pensando em auxiliar mais a parte técnica, Adam escolheu avançar com Owen e deixou Ryan prontinho para Christina roubar. Mais uma escolha inusitada que reduz a qualidade do Team Adam.

Luvas-KO-2x0

[TEAM PHARRELL] Hannah Huston – “House of the Rising Sun” by The Animals VS. Malik Heard – “Isn’t She Lovely” by Stevie Wonder

Gerson: Depois dos Knockouts péssimos que tivemos até aqui, estava na hora de algo de qualidade. Hannah foi feliz na escolha da música e já mostrou o caminho que quer seguir. Ela acertou nos agudos e nos graves e entregou algo primoroso. As críticas são de cunho EXTREMAMENTE pessoal: os trejeitos com a mão, que me lembraram um maestro mandando em sua orquestra, e os gritos descontrolados na segunda metade da apresentação. Descontrolados no sentido de sair pra todo lado, apesar de ela estar consciente do que está fazendo.

Clarice: Miley fez mágica com a Hannah, porque olhaaa… ela parecia outra pessoa no palco. Vocais impressionantes, uma rouquidão muito bem usada, aquela ousadia que a música exige. Amei demaaaais!! Confesso que aquela mãozinha no ar logo no início da apresentação me irritou por completo, mas ao longo da performance, nem lembrava mais disso! hahahaha

Valber: Hannah veio com uma difícil missão de superar ou ao menos chegar perto de outras versões preferidas pelo público (como Kim da Season 8, Jacquie & Briana da Season 5 e Amy Whitcomb da Season 4, que é a minha favorita). Logo de início eu pensei que seria mais uma versão pra colocar nas listas de enquetes, mas quando ela entrou com a voz rasgada e agressiva aí eu pensei “Opaa, o negócio tá ficando bom, vou prestar atenção!”. E uma coisa que vale ressaltar aqui é que na minha opinião ela não gritou que nem uma louca, ela soube dosar os momentos exatos em que tinha que aumentar ou fazer uma firula. Foi uma ótima performance? Sim! Ficará marcada na história dos KOs? Sim! Foi o melhor Knockout da história? Não, nada supera Kota Wade com Barracuda kkkk.

Gerson: Malik fez o possível, mas não conseguiu superar Hannah. Apesar da boa escolha musical, a sua apresentação foi pobre. Ele pareceu fora do tom em grande parte da música e não conseguiu mostrar toda sua capacidade. Foi uma apresentação ajeitadinha, mas longe de bater Hannah.

Clarice: Minha relação com Malik é semelhante com a do Paxton. Canta bem, porém eu o acho inexpressivo. Malik ainda me passa aquela cara de quem está sempre sofrendo. hahahaha E não achei que a música encaixou bem pra ele, ele pode muito mais que isso.

Valber: Certeza que ele precisa cantar? …OK. Foi lá cantar só para cumprir o protocolo, teve uma Blind maneirinha, o ápice nas Battles e depois um KO tão sem sal, sem graça, que vi e nem me fez ter uma reação.

Vencedor: Hannah Huston

Decisão: Pharrell soube detalhar de maneira correta os pontos fortes de cada um nessa fase. Enquanto Hannah mostrou ao público sua conexão forte com a música, Malik mostrou energia e empolgação em sua apresentação. Infelizmente para Malik, Pharrell fez o certo e avançou com Hannah, que já tomou o posto de front-runner dessa equipe.

Luvas-KO-3x1

[TEAM BLAKE] Katie Basden – “Gypsy” by Fleetwood Mac VS. Lacy Mandigo – “Zombie” by The Cranberries

Gerson: Mas gente! Que mágica foi essa? Katie não só me surpreendeu como me fez cair de amores por ela. Eu não conhecia a música, mas achei que encaixou perfeitamente pro seu timbre. Aliás, Katie tem um timbre extremamente limpo e forte. Ela conseguiu realizar as partes graves da música com maestria e soube o momento exato de encaixar os agudos. Ao contrário de Ryan (pra quem ela perdeu nas Battles), Katie mostrou uma conectividade sem igual com a música. Cada palavra que ela entoava parecia vir com uma carga de emoção sem igual. Foi incrível!

Clarice: Katie, sua linda, que música linda! E que performance incrível, com vocais super bem feitos e com emoção no ponto certo. Adoro Katie desde as Blinds e seu crescimento é algo notável. Minha country preferida! hahahaha

Valber: Assim que vi “Gypsy” pensei que fosse de Shakira kkkk. Foi bem melhor que sua adversária e se mostrou muito mais na música e tem futuro no Team Blake.

Gerson: Essa música é ótima, não é? Pois odiei o arranjo que Lacy escolheu para essa apresentação. Lacy tem uma voz marcante e tem que se valer disso. Esse é seu trunfo. Apesar da apresentação ter sido melhor que o estúdio, a voz de Lacy parece muito imatura. Pra mim, ela é um talento a ser lapidado, e tem que ser feito urgentemente. Vocalmente falando, ela não errou nada, mas aqueles “ou ou ou” e “ei ei ei” no final me irritaram de uma forma…

Clarice: Lacy, se tu não deres certo como cantora, pode procurar um centro espírita pra trabalhar esses dons mediúnicos de sonho, viu! Primeiro sonha que seria Team Xtina e agora que teria steal pro Team Pharrell. Melhore, mulher! hahaha Agora, quedê a Lacy que cantou de igual pra igual com a Alisan? Porque a de hoje achei bem uó. Lacy tem um timbre diferente e essa música não se encaixou com a voz dela, deixando tudo estranho.

Valber: “Zombie” é uma música bem difícil. Não curti muito na voz dela, esperava muito mais, principalmente pelo que ela foi capaz de fazer contra Alisan nas Battles.

Vencedor: Katie Basden / Steal: Lacy Mandigo

Decisão: Blake foi bem sincero e conciso nos elogios aqui. Ele falou o que estava sentindo sobre as apresentações e decidiu avançar simplesmente com quem cantou melhor. Nesse caso, sem dúvidas, Katie se saiu vitoriosa. No entanto, Lacy conseguiu dois steals, de Pharrell e Adam. O que essa menina tem hein? Dessa forma, ela é a mais nova integrante do Team Pharrell.

Luvas-KO-3x1

[TEAM XTINA] Alisan Porter – “River” by Joni Mitchell VS. Daniel Passino – “Ain’t Too Proud to Beg” by The Temptations

Gerson: A dona da temporada chegou mostrando que pode mais! Mais uma música que eu não conhecia, mas que encaixou perfeitamente. Conhecemos Alisan pelo seu poder vocal, os agudos e as notas altíssimas que ela pode alcançar. Nessa música ela mostrou (na maior parte da música) que pode fazer uma apresentação de alto nível sem precisar recorrer a estes artifícios. O seu controle vocal e sua conexão com a letra foram os pontos altos da apresentação, enquanto aquele grito deslocado bem no meio da performance foi o que deixou a desejar. No mais, Alisan foi perfeita novamente.

Clarice: Alisan é outra que veio com uma música que eu não conhecia, mas que amei completamente. Adoro Alisan desde Blinds, sempre gostei esse povo louco nos high notes hahaha E ela se controlou hoje durante a apresentação, fazendo apenas nos momentos certos, deixando tudo mais harmonioso. Vai longe!

Valber: É óbvio que Alisan ia usar o que tinha de melhor que eram as notas altas, uma pena que ficaram bem estridentes.

Gerson: Meu Deus! Daniel foi impecável. Esperei a apresentação toda por um deslize que justificasse sua eliminação prematura, mas não encontrei nada. Ele acertou em tudo: desde a escolha musical até sua presença de palco. Daniel foi preciso nas inflexões, nos agudos e nos falsetes, entregando uma apresentação no mesmo nível de Alisan, que já havia sido perfeita. Infelizmente, a decisão aqui já havia sido tomada antes de qualquer um deles pisar no palco.

Clarice: Daniel arrasou no palco, na medida do possível, afinal ir contra Alisan é entrar já lutando por um steal! hahaha Ele cantou super bem, vocais incríveis, até dançou no palco. Gostei bastante.

Valber: Só de ver esse pareamento já vi que era cordeirinho e foi, então nem vou falar muito dele. Me surpreendeu pela escolha da música.

Vencedor: Alisan Porter

Decisão: A briga aqui era feia: uma futura finalista e campeã do programa contra um queridinho cheio de talento. Christina elogiou ambos e falou de suas qualidades. No entanto, ela está louca pra ganhar e vai com quem tem maiores possibilidades. Dessa forma, Alisan é a vencedora do Knockout. Daniel bem que merecia um steal, mas nessa altura do campeonato (das gravações), todos já haviam sido usados.

Luvas-KO-3x2

[TEAM PHARRELL] Emily Keener – “Big Yellow Taxi” by Joni Mitchell VS. Shalyah Fearing – “A Broken Wing” by Martina McBride

Gerson: Que música mais a cara de Emily né minha gente? Apesar do estúdio terrível, Emily entregou uma boa apresentação ao vivo. Achei os vocais consistentes e leves, como a música pedia. Emily mostrou um lado diferente, com o violão, e vimos o que ela é capaz de fazer. Gostaria de ter sentido um pouco mais de conexão com a letra e menos preocupação com o violão, mas foi uma apresentação gostosinha de assistir.

Clarice: Não, Emily! Nãoooo!!! Que música horrível foi essa! Começou bem, quando tava apenas voz e violão, depois quando a banda se juntou a ela, foi ficando tudo tão estranho. Pra piorar, aquele final que não sei nem descrever! Affff

Valber: Você quis esse arranjo mesmo mulher?? Eu não sei com qual intenção ela fez isso, eu to bem indeciso quanto a isso.

Gerson: PARA TUDO! Como que essa menina de 15 anos sai de “Lady Marmalade” e vai parar no country? E mais: como que ela arrasa assim no country? Shalyah entregou facilmente a melhor apresentação da noite. Os vocais foram perfeitos, conscientes e ainda mostraram uma camada mais profunda das habilidades da mocinha. Mas ela não parou aí: a conexão com a música estava muito forte e, aliada à qualidade vocal apresentada, tornou este um Knockout a ser lembrado no futuro. Shalyah é uma grata surpresa desta etapa do programa.

Clarice: Shalalaia arrasoooou, minha gente!!!! Ela ainda ousou num country, mas o que foram aquelas high notes???? Fiquei boquiaberta! O vozeirão dela é algo impressionante, uma das melhores apresentações do programa até agora. Uau!!!

Valber: Tem como não amar essa garota minha gente? Ela simplesmente pisou na Emily. Uma cantora com só 15 anos já mostrar o que quer desse jeito não é pra qualquer um não. Destaque para nota final estilo Xtina.

Vencedor: Emily Keener / Steal: Shalyah Fearing

Decisão: Pharrell elogiou ambas as garotas, focando principalmente na idade de ambas. Por serem muito novas, ele se surpreendeu com tanta maturidade. Infelizmente, Pharrell não fica feliz sem fazer cagada em cada etapa do programa. Aqui ele saiu do óbvio e escolheu Emily. Apesar de achar que ela foi bem, Shalyah fez um show no palco. Ainda bem que Adam foi consciente e decidiu roubar nossa musa de 15 anos.

Luvas-KO-2x3

EQUIPES:

TEAM ADAM:

Owen Danoff e Shalyah Fearing (S).

TEAM BLAKE:

Paxton Ingram e Katie Basden.

TEAM PHARRELL:

Hannah Huston, Emily Keener e Lacy Mandigo (S).

TEAM XTINA:

Alisan Porter e Ryan Quinn (S).

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Uma noite que começou devagar, mas avançou com grandes apresentações. Apesar do destaque de Alisan e Shalyah, Katie e Hannah também puxaram os holofotes pra si. As decisões foram em grande parte coerentes (Alô Pharrell!) e os steals também. Amanhã temos a continuação dos Knockouts e novas surpresas estão por vir. Falta pouco para entrarmos nas rodadas ao vivo!

Se vocês quiserem assistir os episódios legendados ou baixar alguma das músicas que tocou no programa, basta acessar a página do nosso parceiro Grupo SubVoice, clicando AQUI.

Gerson Elesbão
Gerson Elesbão

Nem tão complicado demais, mas nem tão simples assim: quebra-galho, colunista e seriador. Dificilmente atualiza o Banco de Séries, mas adora gongar as séries amadas pelo público. @gersonelesbao
Deixe-nos um comentário!
  • Pingback: Panela de Séries » Arquivo » The Voice US – S10E11 – The Knockouts, Part 2()

  • Loren

    Aprecio o trabalho de vocês, mas que tal deixar o Lindomar, Luana e Dam fazendo as reviews? O formato deles era mais agradável e eles traziam comentários técnicos com uma dose certa de humor que foi o que me fez começar a ler as reviews daqui em primeiro lugar. Apenas minha opinião.

    • Clarice Calil

      Obrigada pelo seu comentário, Loren! Mas o site é de todos nós e sim, Lindomar e Gerson seguem revezando o reality pois ele é bem exaustivo até pra quem faz reviews dele, visto que eles também tem outras séries e compromissos pessoais. Quanto aos comentaristas, também revezamos entre nós pois a equipe é grande! Mas de qualquer forma, obrigada pelo seu comentário e continue conosco! 😉

  • Socorro, o que foi essa apresentação da Shalyah? Lacrou MUITO! Emily não chegou nem perto e não mereceu levar essa. O bom de ela ter ido pro team Adam é que ele é esperto e conhece muito bem o público, sabe do que as pessoas gostam. O team Xtina ficou forte demais, apesar de o Ryan pecar nessa parte da emoção e conexão com a música. Acredito/espero que ele melhore nesse quesito com a Xtina. Gostei muito da apresentação da Alisan, achei a songchoice ótima pra ela – até porque ela tem essa pegada mais vintage, anos 60, 70 – no entanto acredito que aquelas notas altas não eram necessárias. Lacy já esgotou sua cota de sorte no programa né!? Acredito que ela não vá longe. Não consigo gostar do Paxton, ele é um bom cantor, MAS, não gosto. Katie e Hannah foram as melhores em seus respectivos nocautes e mereceram avançar. Essa versão de House of the rising sun foi imortalizada pela Kimberly na S8 e antes disso na S5, por Jacquie e Briana. Vai ser difícil alguém conseguir superar. Adoro as rewiers do blog, sempre acompanho mas só hoje resolvi comentar. Hauehauehw. Parabéns a toda equipe!!!!

  • David

    Quando vi que o Adam tinha eliminado o Ryan eu pensei ” WHAT A FUCK ADAM SEU LOCO?????”. Ele era, chalarmente, a única chance do Adam de vencer, mas depois de assistir as apresentações, até que minha raiva se dissipou. Ryan se cagou inteiro com essa apresentação. Até Matt McAndrew na season 7 foi melhor, e olha que a apresentação dele foi combada e a gente só ouviu ele cantando uns 10 segundos! Fiquei triste porque agora Christina esta com a faca e o queijo na mão. Alisson e Ryan são os favoritos da temporada. Vi um comentário em algum lugar que achei curioso: “Se Christina não ganhar esse ano ela tem que desistir, porque nem se a Adele entrasse no time dela ela levava”. Quanto ao mais:
    Time Christina > Time Pharrell > Time Blake > Time Adam.

%d blogueiros gostam disto: