Posts Populares

The Voice US – S14E13 – The Knockouts, Part 2

Mais um dia de KOs!

Estamos de volta, gente! Mais um dia de Knockouts rolando no The Voice, mais um dia que a NBC trancou os vídeos do programa e o Panela de Séries teve que salvar a humanidade <3

No primeiro dia de KOs tivemos muita coisa rolando, cenas icônicas (AGAIN, rs), o uso do SAVE, e STEALS sendo usados. Se você perdeu alguma coisa, clica AQUI e confere. Lembrando que nessa temporada não temos um Key Advisor, mas sim os vencedores de temporadas anteriores do programa. Cassadee Pope veio ajudar o Team Kelly; Jordan Smith veio colaborar com o Team Adam; Chris Blue com o Team Alicia; e Chloe Kohanski em parceria com o Team Blake.

Hoje quem vai comentar comigo é João e Luana. Mais uma vez usaremos as luvinhas, pra ilustrar de qual candidato gostamos mais em cada KO. Usaremos os nomes dos candidatos em cima de cada sticker, pra ficar mais fácil de entender. Os dois comentaristas e este reviewer que vos fala têm o direito a dar uma luva para cada apresentação, como sinal se gostou ou não. Pra ficar mais claro: o candidato que ganhar 3 luvinhas foi super amado por nós; o que ganhar ZERO luvinhas foi odiado. É simples e fica mais claro ao longo da review, então vamos lá.

#TeamKelly

Brynn Cartelli – “Here Comes Goodbye” by Rascal Flatts

Gerson: Que coisa mais maravilhosa isso que eu acabei de ver! Brynn deu uma verdadeira aula pra senhorita Jackie Verna, não é mesmo? Eu, particularmente, não conhecia a música, então tudo foi uma feliz surpresa. A voz da Brynn, ao mesmo tempo que soava frágil, passando totalmente a emoção da música, trazia também uma força, um poder, que só mostrou como essa menina é madura. Não precisou ficar rodando o palco e nem fazendo caras e bocas pra demonstrar expressão corporal e presença de palco. Arrasou muito!

João: Pelo amor de deus, Kelly, não caga com essa menina. A melhora dela da Blind pra Battle, e da Battle para o KO é simplesmente INCRÍVEL. Brynn está meio que se encontrando como cantora ainda, mas já tem uma conexão tão forte com as músicas que canta com 14 anos de idade. Que menina prodígio. As coisas que ela faz com a voz, com essa idade, o vibrato, as firulas, a potência, parece que preenche todo o palco. Eu acho que to apaixonado.

Luana: Olha ela, bem linda barbiezinha. Eu acho a Brynn uma fofa, mas tem algo no vibrato dela que me incomoda bastante, porque ela não sabe controlar muito bem e às vezes soa como se a voz estivesse apenas trêmula, mas não é. Isso é algo que me impede de me jogar no #TeamBrynn de cabeça desde sua audição, e permanece ainda. Mas avaliando para além disso, performance bem linda, né? Ela soube usar bem as dinâmicas de sua voz e criou uma atmosfera bem Kelly Clarkson, o que foi super legal de assistir. Pra mim está claríssimo que juntamente com Kaleb, Brynn virá para levar o #TeamKelly muitíssimo longe, e se ela mantiver o nível… Tenho absolutamente nada contra! Arrasou (e espero que continue arrasando)!

Jamella – “Girl Crush” by Little Big Town

Gerson: Mas gente, tinha alguma coisa MUITO errada aqui. Não sei se Jamella quis arriscar ou mostrar serviço, mas ela fez tudo errado, só por Deus! Senti ela semitonando grande parte da música, soltando umas notas nada a ver, sem conexão nenhuma com a música (que é um hino!). Mas agora olhem a diferença de postura no palco de Brynn e Jamella. Dá pra notar quem realmente está mais preparada e sabe o que está fazendo.

João: Achei a performance bem qualquer coisa, senti que ela estava um pouco limitada, talvez pela songchoice, mas que poderia fazer muito mais do que fez. Mas faça-me um favor né? A menina já me foi colocada ali de cordeira para a Brynn, e pra passar teria que fazer a performance da vida dela, ai vai e me caga na songchoice. To só o selo mentalizando sua eliminação!

Luana: Minha gente, petrificada em terror. O que foi isso?! A colega foi combada 2x, daí finalmente teve sua chance de mostrar serviço e sai isso daí? Socorro! Jamella entrou até “ok” na música, mas não demorou muito pra ela sair do tom e simplesmente não se encontrar mais. No meio da performance ela já tinha subtonado, desafinado, perdido o ritmo da melodia várias vezes… Difícil defender. Uma pena que esse HINO de música tenha sido desperdiçado dessa forma, é tudo que tenho a dizer.

Brynn Cartelli vs. Jamella

VENCEDORA: BRYNN CARTELLI | ELIMINADA: JAMELLA

Olha, só se Kelly fosse louca pra não escolher Brynn nesse embate. A menina mostrou que tem muito talento, que pode entregar performances emocionantes, e disso Kelly entende. Jamella saiu pela porta dos fundos, porque a gente nem viu muito dela. Vida que segue.

#TeamBlake

Jaron Strom – “Grenade” by Bruno Mars

Gerson: MEU DEUS KKKKKKKKKKKKKKK Que desastre foi esse? Não basta ser super basic, sem graça, sem sal, Jaron ainda inventa umas rouquidões de onde não tem. Não entendi foi é nada. Só tô bravo mesmo que ele cagou esse musicão. Não foi bom vocalmente, não teve entrega, parecia uma barata tonta no palco. Já tá liberado pra voltar pro buraco de onde saiu, viu?

João: Gente? Como esse menino chegou até os K.O.s? Que apresentação… Ruim. Faltou potência para cantar essa música, faltou voz, faltou tudo. Preferi até a mesmice do Pryor do que essa performance péssima, foi tipo uma blind daquelas que ninguém vira, sabe? Meu deus, eu to muito passado que isso foi uma tentativa de K.O. KKKKKKK

Luana: Senhor celestial, tantas coisas pra comentar aqui. Primeiramente, alguém avisa esse boy que ter 31 anos e fingir (e forçar a voz pra parecer, aaaaaaa) ter 17 anos não é legal. Segundo, minha gente o que foi ele correndo pra não perder o tempo da música em “but you never give” e desafinando de forma vergonhosa? Eu já dei replay nisso 15x e parece que fica mais engraçado a cada play, lol. Deus me perdoe se eu estiver sendo extra amarga, mas isso foi muito ruim. Se eu tivesse que apontar algo positivo… Pelo menos ele pode chorar na cama que é lugar quente.

Pryor Baird – “Will It Go Round In Circles” by Billy Preston

Gerson: O Pryor das Blinds está de volta, e como vocês bem sabem, eu não curti muito. Então aqui eu não tenho muito o que elogiar. Assim, a música foi super na zona de conforto de Pryor, ele mostrou o que sabe fazer de melhor (inclusive tocar guitarra) e entregou uma apresentação bem enérgica. O talento desse cara é inegável, mas daí eu gostar já é outros 500. Espero que ele saia da zona de conforto em algum momento.

João: A impressão que eu tenho é que o Pryor já mostrou todas as armas na blind e na battle, pois apesar do vozeirão, nada hoje me surpreendeu como surpreendia antes. Continuo achando que ele canta pra caramba, porém ta meio que batendo na mesma tecla, e isso ta me incomodando um pouco. Acho que ele podia vir com algo diferente, mais fora da caixinha, e surpreender mudando o arranjo, mas ficar na mesma sempre não da né kirido.

Luana: Bom, estou oficialmente “done” com o Pryor. Que cabra forçado! Gente, eu tenho uma agonia dele subindo essa laringe que olha… Vejo a hora do sangue sair ali mesmo. E se não bastasse isso, ele ainda tem a péssima mania de terminar TODA NOTA com um gritinho “ah” que deixa tudo extremamente over. E olha, aprendeu direitinho com a advisor Chloe, cantou o KO todinho de olhos fechados, haha. Ai gente, eu nunca curti o Pryor muito, mas hoje foi muito chato e muito over. Foi melhor que o Jaron? Obviamente. Eu gostaria de ver isso novamente? Definitivamente não. Mas por favor, perdoem minha amargura, é que claramente hoje não tá sendo meu dia. Não desistam de mim!

Jaron Strom vs. Pryor Baird

VENCEDOR: PRYOR BAIRD | ELIMINADO: JARON STROM

Outro duelo em que o vencedor estava bem claro. Pryor foi um fenômeno nas Blinds, perdeu o brilho nas Battles, mas parece ter retomado um pouco agora nos KOs. Eliminar ele pra esse sem graça do Jaron, só se Blake fosse muito doido. A única crítica aqui fica pra Pryor dá uma diferenciada, mostrar outra coisa mesmo.

#TeamAlicia

Christiana Danielle – “Elastic Heart” by Sia

Gerson: Eu até gosto de Christiana, viu. Acho o timbre dele muito bacana. Nessa apresentação pareceu que ela fazia lipsync, porque a voz não parecia sair dela. Gostei bastante. Ah, pra mim, dessa vez, a mudança de arranjo funcionou MUITO melhor do que na Blind. Ela conseguiu usar uma música dentro de sua proposta e entregou um trabalho bem bom. Vocalmente, não tenho do que reclamar. Mas acho que aquele vai e vem no palco poderia ter sido evitado, porque tirou o foco da emoção que ela estava passando enquanto cantava. Faz parte.

João: Eu amo simplesmente todos os arranjos que a Chris faz nas musicas que ela canta. Ela suaviza tudo, e é nítido que nem é pela voz, porque ela mostra que consegue atingir algumas notas altas, ela faz pra emocionar mesmo, pra se conectar, pra transmitir as letras. E hoje não foi diferente, apesar a da roupinha brega, a mulher deu mais um show de vocais e emoção. Eu vejo nitidamente a Christiana como uma das artistas mais diferentes que já passou pelo The Voice, e desejo muito que ela vá longe.

Luana: Primeiro eu vou gritar: QUE HINO, AAAAAA! Agora, a realidade: ai gente, eu AMO a Christiana. É a voz feminina mais linda da competição (e a mulher mais linda também, pois #GirlCrush), mas por que parece que toda música que ela pega, ela põe no mesmo arranjo e transforma na mesma coisa?! Tá ficando bem monótono já, infelizmente. E olha que não tô nem pedindo pra ela fazer algo agitado, mas pelo menos mudar a fita… Um arranjo com mais cordas, talvez algo mid-tempo, sei lá… Algo minimamente diferente. Ela continua uma rainha, e pisou demais vocalmente, mas tá precisando URGENTEMENTE mudar a página! Talvez uma mudança de time, realmente, viesse a calhar nesse caso.

Terrence Cunnigham – “Tell Me Something Good” by Rufus & Chaka Khan

Gerson: Será que o Terrence não morreu e grudaram o corpo dele no teclado? Eu estou preocupado, galera. KKKKKKKKKKK Gente, terceira apresentação dele e terceira vez dele nesse teclado. Não dá pra mim não. Música chatinha, apresentação cheia de melismas, zero cativante. Não curti Terrence na Blind, então também não curti agora. Da mesma forma que Pryor, Terrence precisava mostrar mais versatilidade, pois foram três apresentações iguais, e assim a gente não aguenta.

João: Primeiro, tira esse piano do palco porque já deu no saco toda performance com essa merda né? Segundo, tinham musicas melhores pra se cantar nessa fase em Terrence? Que musiquinha chata, não consegui gostar dessa performance unicamente por causa dela. Finalmente ouvimos mais da verdadeira voz do Terrence, sem tantos falsetes. E aquelas notas que ele atingiu ali? Senhor amado, o homem manda bem demais, só precisa acertar na musica na próxima né? Rsrsr

Luana: Gente, que curve ball vem sendo/foi minha jornada com o Terrence, viu. Ele me ludibriou avassaladoramente em sua audição, pois eu achei tudo um hino, de uma criatividade singular e uma visão artística invejável pra qualquer calouro em realities musicais. Daí veio a batalha, vê-lo no piano novamente foi bem desanimador, mas pior ainda foi vê-lo apenas recriar sua audição de forma mais barata e com uma mocinha ao seu lado (que mesmo não sendo uma powerhouse, cantou muito mais que ele). E aqui, veio a realização final. Terrence é unidimensional, limitado e completamente o oposto de criativo ou artista visionário. Pela terceira vez seguida, ele subiu nesse palco e apresentou a MESMA coisa, apenas com uma roupagem diferente. Seu falsete fraco não ganha mais potência em momento algum, pois não é um artifício, é o seu limite. Mas uma coisa não posso criticar: os melismas são muito bonitos. Não tenho mais muitas esperanças com ele, mas espero que, pelo menos, a gente consiga finalmente ver as pernas dele no palco em sua próxima performance #paz.

Christiana Danielle vs. Terrence Cunnigham

VENCEDOR: TERRENCE CUNNIGHAM | SAVE: CHRISTIANA DANIELLE

É minha gente. Decisão difícil. Terrence tem muita técnica, muito talento, mas é totalmente unidimensional. Só sabe fazer o arroz com feijão e tchau. Do outro lado, também temos uma Christiana que segue sempre num mesmo estilo. Eu ficaria com Christiana e mandaria Terrence embora, pois como Justin, ele não vingou na competição. Mas estavamos falando da coach embuste, então ela vai arrastar esse enjoado até não poder mais.

.

Galera, essa foi nossa review de hoje! Espero que tenham gostado dos comentários, que tenham se divertido com nossas opiniões e que tenham aproveitado pra ver os vídeos das apresentações. Antes de encerrar a review, queria reiterar algo:

Nós NÃO somos especialistas em música. Nós somos pessoas comuns, que usam esse espaço pra dar a NOSSA opinião sobre as diversas apresentações. NINGUÉM precisa concordar, mas também não precisa vir aqui esculachar nos comentários, ok?

Um grande beijo pra vocês! Se tudo der certo, volto no Top 12 <3

gostou da matéria? deixe um comentário!

Gerson Elesbão

Um @gerson incomoda muita gente, um @gersonrealoficial incomoda incomoda incomoda muito mais! É DC, é Marvel, é Netflix, é reality. Se a série for boa, chama no probleminha, bebê!

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries