Posts Populares

The Voice US – S15E21 – Live Top 10 Performances

THIS IS THE VOICE!

Chegamos ao top 10, agora faltam apenas mais duas semanas para a grande final, semana que vem temos o famoso massacre, mas para chegar até ele, temos que resolver essas pendências aqui. Semana passada foi incrível, Kennedy e Kymberli arrasaram, até cheguei a ficar animada para hoje, mas quando vi as músicas, a animação caiu 99,9%. Sério, muitas escolhas equivocadas, vocês vão ver e talvez concordem comigo.

Para comentar essa semana temos o nosso paneleiro cientista, que voltou de viagem por esses dias e já está aqui trabalhando: o Lindo, e o Victor, que está tanto com a gente, que é quase um paneleiro honorário. Fiquem com esses gifs que mostram duas das únicas razões de eu ainda assistir esse programa.

[TEAM JHUD] Kennedy Holmes – “Me Too” by Meghan Trainor

Avalie a performance:

Thais: AMEI A KENNEDY! Achei a performance muito divertida, muito dentro do que a Kennedy deveria ser, afinal ela é uma adolescente, deveria ser livre e ser mais espontânea no programa. A música, por mais que muitos não tenham gostado, deu a oportunidade da Kennedy mostrar um lado totalmente diferente, ela dominou o palco todinho, dançou, se jogou, isso sem perder o tempo da música e nem prejudicar a respiração, pelo menos não que eu tenha percebido. Kennedy mostrou o que é ter treze anos e de divertir no palco. E isso, gente, é o mais importante. Veio de uma performance emocionalmente carregada, para algo leve, divertido e dançante, e foi bem nas duas. PISA MENOS EM MIM, LINDA.

Lindo:Versatilidade é o que você quer @? Kennedy se jogou no pop dançante e simplesmente LACROU, mandou nota alta, exalou jovialidade, mostrou potencial vocal e mandou um moonlight ainda e se divertiu como nunca. No início achei a song uma verdadeira bomba para ela mas agora vejo como Jennifer arrasou em optar por essa música e como isso mostrou uma outra faceta ainda escondida de Kennedy. Deusa que merece vencer!

Victor:SOCORRO, MEU JESUS DE NAZARÉ!!!!!! O QUE FOI ISSO?! Quem diria… Tô CHOCADÉRRIMO. Com o terror que foi esse Top 10, ela conseguiu sair de óbvio e entregar não somente uma boa performance vocal, mas uma presença de palco excepcional. Quando vi essa songchoice torci o nariz imediatamente, achei que ela não ia ter fôlego, mas ela segurou a marimba SUPER bem. Quero ver o que ela vai fazer nas próximas…

[TEAM ADAM ] Reagan Strange – “Cry” by Faith Hill

Avalie a performance:

Thais: Sigo muito feliz vendo o desenvolvimento da Reagan. Se compararmos a performance dessa noite, com a sua blind, nem parece a mesma pessoa. Por mais que ainda haja problemas, por mais que a voz ainda seja um pouco tremida, não tem como negar que ela tenha evoluído. Podem falar que ela sorri enquanto canta qualquer coisa, mas isso pra mim é o de menos. Gosto de ver o artista crescendo, se desenvolvendo e isso eu posso ver nela. Adam sempre se esforça muito quando gosta de um act e a gente consegue ver o quanto ele gosta da Reagan, então todo esse carinho está se transformando em trabalho e já podemos ver os frutos.

Lindo: Reagan vem em uma trajetória de crescimento até aqui onde seu principal ponto fraco foi a conexão com as músicas que vinha cantando. Com esse HINO de song ela tinha um grande desafio para vencer, acredito que no saldo final ela fez um bom trabalho, no início pareceu que ela jogou tudo sobre o timbro mais rouco e não tão afinado que ela tem, mas do meio pro fim incluindo aquele notão ela fez um trabalho decente. Resultado final foi bom mas a música era muito maior que ela.

Victor: Meu Deus, que horror, me deu uma dor no coração, gostei dela no Top 13, mas as duas apresentações, incluindo essa, eu detestei. Acho que ela não tá pronta, n a essa altura da competição, e ainda, essa música é grande demais pra voz dela, n acho que ela alcançou o total potencial ATÉ AGORA, e confesso, ela fez umas caras na apresentação que me fizeram sofrer pela garganta dela. Acho tbm q essa garota é muito overrated, em comparação a outros na competição. Simplesmente, tudo o que tenho a dizer sobre ESTA performance é: “Foi sofrível”. MUITO. Não vai pro bottom pq assim como Christina Grimmie na S6 e a própria Cassadee Pope (que eu gosto bastante, confesso), tem uma fanbase enorme (e eu n entendo o pq disso olhando os outros acts, MAS…)

Pausa nas performances, para o Blake divulgar seu novo single: “Turnin’ Me On”, estou tão feliz que isso tenha sido no meu dia de review.

 

[TEAM KELLY] Sarah Grace – “Amazing Grace” by John Newton

Avalie a performance:

Thais: Estou confusa, porque eu estou ouvindo, ao mesmo tempo, Amazing Grace e House of The Rising Sun. Então, não sei se mudar uma música tão icônica foi a melhor ideia, viu. Descaraterizou completamente a música e não sei se funcionou. Vocalmente, pra mim, foi a melhor performance da Sarah, mas eu realmente fiquei incomodada com a mudança na música. Teria sido muito melhor se tivesse cantando House of The Rising Sun mesmo, porque essa “Amazing House of The Rising Grace” não rolou comigo. Ps. Adorei o trompete, como tocou e depois voltou cantando, a respiração no lugar e sem demonstrar falta de ar. HINO!

Lindo: Deusa do Soul e finalmente com uma música boa nos lives! Sarah realmente veio para quebrar tudo e se afastar do perigo que poderia e levar ao bottom e acho que ela conseguiu dar conta com esse hino de songchoice. Sarah fugiu do usual fugindo da primeira nota usando aquele trompete nessa roupagem mais atual de Amazing Grace, eu senti a melodia da música muito parecida com o arranjo que o The Voice costuma usar em “House of the Rising Sun” e dando espaço para ela mostrar outras facetas de sua voz. Eu simplesmente AMEI e estou apaixonado por essa garota ainda mais. Go Sarah!

Victor: Uau. Interessante para dizer o mínimo. No início fiquei um pouco confuso com esse arranjo mesclando as duas músicas, mas ela ironicamente, se deu super bem. Ainda acho que ela deveria ter apresentado The House of The Rising Sun, mas, né? É aquele ditado: Vamo fazê o quê?. Mesmo assim, achei bem interessante, bem bacana. Agora é esperar pra ver o que ela vai trazer semana que vem se ficar, se vai inovar novamente e o que vai rolar…

[TEAM KELLY] Kymberli Joye – “Ocean (Where Feet May Fail)” by Hillsong United

Avalie a performance:

Thais: Será que devo dizer “Amém, irmã?” Olha, não é porque funcionou uma vez, que você deve insistir na mesma coisa, semana após semana, viu? Não que Kymberli tenha sido ruim, mas hoje já não teve o mesmo impacto que na semana passada, a música não ajudou, não teve aquele momento que a vez crescer, como Break Every Chain, pelo contrário, essa música a segurou bastante, tirou a maior parte do seu brilho e o que é mais marcante em suas performances: suas notas altas. Não sei se foi estratégia para mostrar um lado mais controlado, mas depois do BOOM que foi a performance da semana passada, pra mim hoje foi como um passo atrás, infelizmente.

Lindo: Mais um acerto perfeito para Kymberli. Tão vendo como ela pode arrasar e não precisar estragar HINOS no berro (to falando daquela performance cantando Imagine Dragons mesmo). Kymberli veio mais contida no início e se segurando, adicionando camadas e mais camadas para criar uma certa tensão e foi crescendo, crescendo e colocando intensidade, eu só senti sua voz um pouco quebrada no início mas o final compensou tudo com ela lavando a alma de todos e simplesmente destruindo tudo. UM HINO de performance gospel da nossa Mercedes do The Voice.

Victor: Me perdoem mas… CARALHO!!!! PQP!!!! Salve Kimberli <3<3<3<3. Pra começar, eu AMO essa música, e nem Gospel eu escuto praticamente. Mas essa mulher é um touro, um monstro vocal. Engole praticamente todo mundo, pra não dizer todos, sem parecer fazer esforço nenhum. Ela PRECISA IR PRA FINAL. Um vozeirão desses bicho. Me lembra Queen Kyla Jade na season passada, mas isso n incomoda n. Desde que ela não escolha músicas datadas e, se acontecer, deixar a marca dela, é de menos. (Como essa mulher não tem mais torcida q a Reagan??) (#sorrynotsorry)

[TEAM BLAKE] Chris Kroeze – “Callin’ Baton Rouge” by Garth Brooks

Avalie a performance:

Thais: Chris é o melhor do Team Blake e isso não é segredo pra ninguém, só que hoje foi realmente difícil pra mim, porque hoje ele foi MUITO country e nós não nos damos bem. Mais 30 segundos de performance e iria surgir um chapéu em minha cabeça, um par de botas em meus pés e um cinto com uma fivela enorme na minha cintura. Mas né, é a vida. A voz levemente anasalada e fina do Chris combinou com a música e com o arranjo, mas quero ele cantando mais Let It Be e menos cowboy theme.

Lindo: Uma das boas surpresas do #TeamBlake e posso dizer que Chris me surpreendeu nessa rodada o melhor momento foi o dueto de instrumentos com a moça do violino que me surpreendeu MUITOO! O resto foi bem Chevel neh gente sejamos sinceros, bem sem sal, sem vida, com uma música bem linear e que parecia ter sido feita para uma dança de roda dos escoceses tomando Whisky em Outlander. Mas sendo sincero, ele deu conta do ritmo acelerado da música e fez um bom trabalho vocal.

Victor: Não sou muito fã dessa música, e acho que ele tem que tomar cuidado, MUITO cuidado, pra não ficar datado. Eu tenho torcido muito pro Chris, gosto muito dele e sei que ele tem um vozeirão, mas não gostei muito dessa música n. Parece pequena pra ele, e pra uma competição, não serve. Achei basiquinho, mas bom. Não chega a ser a pior performance desse Top 10, mas com certeza foi a mais fraca dele.  Não foi ruim, apesar disso, me decepcionei um pouco. Aliás, (me pergunto o que seria ele cantando um country mais clássico ou quem sabe um folk ou até um gospel…).  (PS: Ranço do Blake por essa songchoice)

[TEAM BLAKE] Dave Fenley – “When You Say Nothing at All” by Ronan Keating

Avalie a performance:

Thais: Dave precisa renascer na competição, porque ele morreu lá no knockout e nunca mais vimos de novo aquele act ou performances naquele nível. A voz sempre está com problemas, seja tremida, a respiração atrapalhando ou dão uma música muito nada a ver. Mas hoje ele recebeu uma música muito boa e mesmo assim não rolou. Os mesmos problemas apareceram e ainda teve o bônus da falta de emoção, o que é um crime numa música dessas. Mas né, ele deve ter passe livre mais uma vez, pelo simples fato de ser “Team Blake”.

Lindo: Eu amo tanto essa música e simplesmente ver ela sendo entregue ao Dave porque ele já passou da hora de ir para casa a tempos. Entretanto os recorrentes problemas vocais nas suas performances nos lives voltaram aqui de novo e fizeram ele ter um rendimento pífio, teve algumas notas semi-tonadas, falta conexão com a música e falta vontade, VONTADE amigos parece que o homem ta ali cantando como se tivesse indo dormir, falta energia, um brilho no olhar eu to exausta desse homem na competição!

Victor:NOVAMENTE, ele segue no mesmo caminho sem fim das baladas boring que não me passam nada, além de dar sono. A performance foi boa, gosto da songchoice, mas a essa altura da competição é osso ter q aturar isso. N sei n, acho q tem chances REAIS de Bottom hj…

 

[TEAM ADAM ] DeAndre Nico – “Thats What I Like” by Bruno Mars

Avalie a performance:

Thais: Olha, eu amo o DeAndre, mas odiei essa escolha de música, Adam mandou bem mal nessa. Porque esse não é o estilo do DeAndre e como coach, já deveria ter percebido isso. Ainda mais que ele acabou de vir do bottom, então deveria escolher algo que fosse bem dentro da zona de conforto do rapaz, assim ele poderia arrasar e tentar arrumar alguma chance de se manter no programa. Mas essa música acelerada, que o Bruno performa muito bem, porque tem todo um trabalho de dança e tal, não combinou e não ficou legal. Eu tô bem triste, porque sei que ele estará no bottom amanhã de novo. É até meio poético, ele começou com Bruno Mars e tá terminando também. Poético e triste. Mas se alguém me perguntar o que eu achei, vou gritar: “QUE HINOOOOO” e ninguém precisa saber a verdade.

Lindo: Ai que deliciaaaaaaa meu DeAndre com esse HINOOO de Bruno Mars, mas a pergunta é: cadê Versace on the Floor? DeAndre encarou talvez seu maior desafio técnico no show e acho que ele entregou um trabalho sólido, mas com falhas. O pior aqui foi o ritmo acelerado da música que em alguns momentos o colocou em armadilhas que atrapalharam sua respiração, além disso o ritmo da música não favoreceu muito o timbre de DeAndre que parecia um pouco quebrado em outros trechos. Eu to bem triste que provável que meu menino vá pro bottom de novo.

Victor: Fui tombado. Eu aqui achando que ele ia arrebentar a boca do balão, e na verdade ele teve vários problemas de respiração durante a música. É uma música tecnicamente difícil, que engana, se parece que é fácil cantá-la, mas tem que ter um ótimo domínio da respiração, o que não aconteceu. Não foi uma performance ruim, mas infelizmente, APESAR de eu ter TENTADO gostar, não curti como eu achei que curtiria. O cara é fantástico, já apresentou coisas incríveis, mas pela segunda semana seguida eu não consigo vê-lo da mesma maneira (PS: Ranço do Adam por essa apresentação).

[TEAM KELLY] Chevel Shepherd – “You’re Lookin’ at Country” by Loretta Lynn

Avalie a performance:

Thais: Minha Nossa Senhora da Bicicletinha, estou pagando meus pecados essa noite, viu? Chevel veio vestida de Barbie Country, com direiro a blusa de franjas e tudo. Mandou um “iolei” louco no meio da música e foi tudo muito ruim. Acho incrível como essa menina segue no programa com performances desastrosas e nem sequer corre risco de ser eliminada. Sério, é muito ruim. Não evoluiu nada da blind até hoje, continua crua, fraca e sem sal. Meu Deus, minha gente, esse não é o meu mundo.

Lindo: Que coisa mais cafona e boring minha gente, to aqui me matando nessa madrugada me mantendo acordado e vem esse country raiz que é pior que o especial de natal do Roberto Carlos QUE MORTE. Chevel fez o básico mais uma vez, uma música bem parada e sem variações nas notas básicas o que permitiu a ela “dominar” a song, ela fez um trabalho chato, sem sal, caótico e que com certeza vai garantir ela nas semifinais.

Victor: Ô coisa boa. Gosto de country assim :D. Aliás, ela lembra bastante a Dolly Parton (se ela cantar Jolene, 9 To 5 ou Coat of Many Colors, eu vou ter um treco.). Fada subestimada maravilhosa <3. Fiquei encantado, ela é fofa e as performances são super fofas e nos convidam a querer mais e ficar vidrado, não querendo perder um segundo. E ela tem só 16 anos, e já é tão boa. Com essas apresentações deste Top 10, se a coisa continuar assim, ela pode surpreender… (ALGUÉM PRECISA CONTRATAR ELA URGENTEMENTE!!!!!)

[TEAM BLAKE] Kirk Jay – “Tomorrow” by Chris Young

Avalie a performance:

Thais: É um fato: eu odeio o timbre do Kirk, não há a mínima chance de eu gostar de qualquer performance dele, porque não rola, não consigo. A música é belíssima, ele vai chamar muita atenção para si hoje, arrasar na votação, voltar a competir de frente com a Kennedy, mas pra mim, vai continuar ruim como sempre foi. Eu me recuso a tentar fingir que foi bom. Há limites e esse é o meu.

Lindo: Kirk pegou uma das melhores músicas do country e no meio de tantas songchoices apelativas (você pode me ouvir Kelly?) ele veio com espaço para se destacar e foi isso que ele fez. Kirk trouxe vocais sólidos, conexão com a música e até a entrada das backings em poucos trechos casou perfeitamente com esse momento, vou ter que admitir que a POC exibida mandou bem.

Victor: Uau. Meu Deus, eu AMO essa música. E a voz dele ficou tão linda nela. Me deu uma paz interior tão grande que eu ficaria horas ouvindo. Não gosto muito de country no The Voice, mas adoro esse estilo. E o que é mais interessante é ele ser country sem ter uma voz country. Ele pode cantar praticamente qualquer coisa que quiser. Espero que o apreciem como eu apreciei.

 

[TEAM JHUD] Makenzie Thomas – “Because You Loved Me” by Celine Dion

Avalie a performance:

Thais: Eu fico chocada como a Makenzie consegue cantar TODAS as músicas de divas que eu amo, gente. Nós somos almas gêmeas de verdade. Sobre a performance, acho que nos lives, essa foi a melhor, onde ela se mostrou mais segura, mais confiante e com mais certeza do que estava fazendo. Por mais que fosse uma música de diva, bem breguinha (amo música brega), as mudanças que a JHud fez no arranjo durante os ensaios foram primordiais e isso mostra a importância de um coach que está em sintonia com os seus acts. JHud está incrível nessa temporada, amo essa mulher. E a Makenzie, dona do meu coração, segue firma na competição semana após semana e acredito que essa performance foi mais do que o suficiente para lhe assegurar um lugar no top 8. MARAVILHOSA!

Lindo: Queria tanto Mackenzie fugindo das baladas românticas gigantes mas precisamos admitir que essa jovem SIMPLESMENTE DESTRÓI VOCALMENTE TUDO em todas rodadas desde o início da competição. Mackenzie encanta, exala confiança, vocais, conexão e prova que pode ser uma verdadeira Adele em pleno 2018. VAI DEUSA E DESTRÓI TUDO!

Victor: Primeiramente, SALVE CÉLINE DION, e SALVE ESSA GAROTA!!!! Eu me impressiono com a evolução dela da season passada pra agora, e o resultado é essa maravilha. Esses vocais foram no ponto certo, ela não passou do ponto em nada (ouviu, Reagan?) e NOSSA, QUE ORGULHO, GENTE!!! Amei MUITO <3<3<3<3<3<3. Não disfarço por um segundo minha torcida imensa pela Makenzie, sobre a songchoice, deu certo pra hoje, analisando as performances, eu diria que foi a melhor do Top 10, foi meio datado? Sim, mas essa garota é tão boa que consegue arrancar reações como a da J-HUD e da Kelly. Mais uma vez, Salve Queen Makenzie!!! (N TEM ALGUM JEITO DE PASSAR ELA DIRETO PRA FINAL N??)

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O que o episódio de semana passada foi legal, esse foi sofrido de assistir. Tivemos pouquíssimas performances boas, só consigo destacar os nomes de sempre: Kennedy, Kymberli e Makenzie, com Sarah se juntando a elas, mesmo com a sua versão estranha de Amazing Grace, ela foi excelente vocalmente. O bottom deve acabar sobrando para o Team Adam todo + Dave, mas Adam nem deve parecer chocado, porque, bem, o time dele procurou por isso essa semana. Votem aí na sua performance favorita da noite e nos vemos amanhã.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Thais Pereira

Feminista, leonina com ascendente em gêmeos e lua em virgem, viciada em memes, em Friends e problematizar na internet. Formada em História da Arte, mas consciente que nunca vai trabalhar com isso na vida. Normalmente eu escrevo e falo mais do que deveria. Eu mesma, Thais Mello.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries • Hosted by flaunt.nu