Posts Populares

The Voice US – S18E09 – The Knockouts Premiere

A alienação não pode parar!

E eis que cá estamos nós em mais uma semana de TVUS, nos entupindo de reality shows para ver se escapamos um pouquinho da realidade sufocante que todos nós estamos sendo submetidos, né? Enquanto nossa quarentena não tem previsão de acabar, vamos de Nocautes!

E bem, os live shows estão se aproximando e vocês devem estar se perguntando como será a dinâmica do programa em meio ao isolamento social, né? Bom, ainda não temos nada confirmado. Mas de acordo com uma postagem num fórum americano sobre o The Voice, um membro alega que a Joanna Serenko deixou escapar numa live em seu Instagram, que os live shows não seriam adiados, ao invés disso, os participantes gravariam suas performances em casa mesmo, recebendo os equipamentos necessários para tal da própria produção do programa.

Se realmente será assim ou não, não podemos confirmar. Mas fica aí uma possibilidade, né. E enfim, hoje eu trago comigo a rainha do panelas, Clarice, e o ex-estagiário, Erik para comentar as apresentações, ok?

Mais uma vez usaremos as luvinhas, pra ilustrar de qual candidato gostamos mais em cada KO. Usaremos os nomes dos candidatos em cima de cada sticker, pra ficar mais fácil de entender. Os dois comentaristas e este reviewer que vos fala têm o direito a dar uma luva para cada apresentação, como sinal se gostou ou não. Pra ficar mais claro: o candidato que ganhar 3 luvinhas foi super amado por nós; o que ganhar ZERO luvinhas foi odiado. É simples e fica mais claro ao longo da review, então vamos lá!

KO #1: Team Blake
Joei Fulco vs Levi Watkins

Joei Fulco – “When Will I Be Loved” by Linda Ronstadt

Avalie a performance:

Luana: Olha, alguma coisa na voz da Joei aqui me lembrou muto a voz da Miley Cyrus, principalmente nos agudos. Acho que pode ter sido a ríspidez que ela impõe em certas notas, agregado à potência vocal natural que ela tem. Achei uma performance super correta e bem sólida, mesmo. Não consigo enxergar um futuro muito longo no programa para a Joei, mas nunca se sabe, ainda mais quando se trata de uma country-ish no #TeamBlake, né.

Clarice: Colocando Joei ao lado do Levi é como misturar água e óleo pois a presença de palco evidencia quão diferentes eles são! Joei conseguiu mostrar que domina a presença de palco logo nas primeiras notas, pois se mostrou super segura e ainda foi bem consistente na voz. Se arriscou até em algumas notas mais altas e melismas. Não que Joei seja a minha favorita, mas ela vem surpreendendo.

Erik: E vamos de massacre né, gente? É ate um pouco injusto colocar essa mulher contra Levi, porque não teve comparações. Joei veio aqui como uma força da natureza, arrasou em todos os aspectos, pisou na performance e nos vocais, não existe escolha mais óbvia do que seguir com ela.

Levi Watkins – “I Ain’t Living Long Like This” by Waylon Jennings

Avalie a performance:

Luana: Meia boca, né gente? Não foi uma performance desastrosa, de forma alguma. Na verdade, foi até bem correta. Mas se avaliarmos tudo que Levi mostrou até aqui, ele nunca conseguiu sair do básico. A gente podeaté passar a mão na cabeça pela idade, mas assim… Não é The Voice Kids, né. Foi legal, mas muito básico, muito mesmo!

Clarice: Levi sempre me surpreende por essa voz bem grave mesmo sendo jovem, ele parece um espírito de adulto num corpo de adolescente. Até com a guitarra ele fica desproporcional de tão pititico que ele é! hahaha Achei a performance performance correta vocalmente, ele tem uma voz bem consistente e soube segurar a marimba ali sozinho no palco, mas ainda bem longe de algo que consiga prender minha atenção e me cativar.

Erik: Esse menino teve um hype extremamente desnecessário entre as tias do sofá, ganhou a batalha só porque o adversário era péssimo. Levi escolheu uma música muito bacana e divertida pro seu KO, o que acabou disfarçando seu enorme despreparo e em alguns momentos eu até gostei. Levi está muito cru pra competição ainda, não gostei muito não.

Joei vs. Levi

VENCEDORA: JOEI | ELIMINADO: LEVI

Resultado super coerente. A Joei está muito mais preparada para as próximas fases do que o Levi, que é ainda BEM verde. Blake foi bem consciente na hora de optar por experiência ao potência cru do garoto de 14 anos. Eu super concordei com a decisão, faria a mesma coisa.

 

KO #2: Team Kelly
CammWess vs Megan Danielle

CammWess – “Say Something” by A Great Big World feat Christina Aguilera

Avalie a performance:

Luana: Que performance linda! Eu achei a batalha do Cam bem confusa e achei super injusto o steal nele. Mas fiquei bem feliz que ele conseguiu provar de forma magistral que mereceu demais essa chance! Vocalmente a performance foi muito boa, mas acho que o principal aqui foi o empenho emocional que ele conseguiu depositar em sua performance. Foi lindo!

Clarice: Eu aaaaaaaaamo essa música!! Camm fez uma apresentação mega emocional e mesmo começando um pouco inseguro, foi crescendo e ganhando confiança. O que foram aqueles melismas, gente? Eu fiquei totalmente conectada à essa apresentação! Ícone demais!

Erik: Eu tô EXTREMAMENTE passado. To passada chocada. Eu não esperava que ele viria com esse pisão não, gente, de verdade. Eu até gostei de sua audição, mas teve muitos exageros e sua batalha foi sem sal e sem açúcar. Mas aqui foi tudo perfeito, essa música é linda e é pra ser cantada como se fosse um desabafo a alguém, e Camm conseguiu trazer todo o impacto da canção sem exagero algum e com muito controle. Foi uma performance muito bonita, mesmo.

Megan Danielle – “Piece by Piece” by Kelly Clarkson

Avalie a performance:

Luana: Oh meu Deus do céu, essa música é absolutamente um nocaute de lágrimas. Recentemente, eu perdi meu pai que foi absolutamente TUDO que um pai poderia ser, e de alguma forma, ouvir essa música agora me deixou com uma sensação esquisita. Eu não sei qual a relação da Megan com a canção, mas ela conseguiu entrar um trabalho muito lindo. E foi muito corajosa de cantar essa música bem ali na frente da Kelly. A Megan só vem crescendo fase após fase, acho que ela tem grandes chances de ir bem longe no #TeamKelly, quem sabe até vencer, já que a Kelly manda muito bem com suas artistas adolescentes (ainda mais se tiverem tendências country).

Clarice: Lembro da Kelly falando sobre covers dessa música, já que ela tem todo um significado por trás. A música é linda, exige uma apresentação a altura para não ficar algo frio e insensível. Megan fez um trabalho belíssimo, adorei os rosnados que ela soltava ao longo da música e ainda mais a nota alta que ela atingiu no clímax da música. KO perfeito onde não há escolha errada!

Erik: E vamos de surpresa de novo. Amada??? eu achava que ela já tinha tido seu momento nas batalhas mas ela mostrou aqui que não, que tem muito ainda a oferecer. Essa música tem um peso enorme pra Kelly e é muito corajoso cantar na sua frente, mas ela fez um ÓTIMO trabalho. A música caiu como uma luva pra sua voz e a interpretação foi tudo. Achei que faltou um tico só de emoção a mais, mas eu gostei mesmo assim.

CammWess vs. Megan

VENCEDORA: MEGAN | STEAL: CAMMWESS (#TeamLegend)

Kelly fez o que eu faria, sinceramente. Por mais que Cam tenha sido INCRÍVEL, ela tem um cristal em ascensão na Megan, seria burrice largá-la agora, em plena trajetória ao pico. Fico feliz pelo steal do John no Camwess, afinal, ele começou nesse time e pode muito bem provar seu valor por lá, mais uma vez.

KO #3: Team Legend
Darious Lyles vs Mike Jerel

Darious Lyles – “Me and Mrs Jones” by Billy Paul

Avalie a performance:

Luana: Darious é um puta vocalista, né gente? Possivelmente, um dos melhores e mais experientes da temporada, ao lado da Toneisha. Essa performance foi toda ótima, como esperado, né. Ele é bem a cara do #TeamLegend, e apesar de achar que essa foi a performance mais “fraca”dele, achei essencial ele optar por mostrar esse lado mais jazzy do R&B que ele representa.

Clarice: O talento do Darious é algo inegável, foi super gostosinho assistir ele cantando e caminhando lentamente no palco, se conectando à plateia, mas não sei se é a música ideal pra um KO onde você precisa colocar suas melhores cartas na mesa! As partes altas da música favoreceram ele, principalmente o final todo no falsete, mas até chegar nesse clímax, ele foi apenas okay.

Erik: Amigo, você não precisou se esforçar nem um pouco pra pisar no outro carinha, viu? Matou com bondade, saiba disso. Eu achei uma apresentação muito gostosa e divertida, ele claramente aproveitou e muito seu momento. Vocalmente achei bem massa, não teve momentos de incômodo e senti que estava super confortável. Eu gostei bastante.

Mike Jerel – “Versace On The Floor” by Bruno Mars

Avalie a performance:

Luana: Meu Deus, que brega. Eu já nem gosto dessa música, e sinceramente, Mike é super datado, minha gente. Além disso, tem alguma coisa no timbre dele que me irrita, viu. Lógico, não tem como negar o grande cantor que ele é, mas quase sempre é preciso mais do que isso para avançar, né. Quanto mais a competição aperta, mais você precisa provar que é versátil, que tem aquele “que” a mais que te destaca dos outros, e acho que nesse quesito o Mike vem falhando.

Clarice: Cantar Bruno não é fácil pois exige bastante alcance, Mike foi bem esperto ao pegar uma música que cativa e que permite que ele mostre todos seu vocal desde o princício e ainda assim vá crescendo ao longo da melodia. Belíssima apresentação do Mike.

Erik: Primeiro: essa música é muito chata. Segundo: ele também é muito chato. Apresentação extremamente brega, sem nada inovador e mais do mesmo, reciclou os melismas das outras apresentações e pronto. Gostei nadinha.

Darious vs. Mike

VENCEDOR: MIKE | ELIMINADO: DARIOUS

Nossa, descordei dessa dessa decisão, viu. Entendo que o Mike tem todo o hype por ter virado 4 cadeiras nas audições, mas acho que o Darious vinha se provando bem mais interessante na competição. Eu fico até cansada de reclamar do John, mas ele tem essa tedência a optar por artistas datados, sem muito diferencial dentro do jogo. Mike é pura técnica e talento vocal, mas falta sim um “tempero”, algo que faça ele se destacar dos demais artistas de seu gênero musical.

KO #4: Team Nick
Roderick Chambers vs Tate Brusa

Roderick Chambers – “Redbone” by Childish Gambino

Avalie a performance:

Luana: Vocês está vendo, Mike? É disso que eu estou falando. Roderick fez audição com a música mais brega possível, “Back at One”, daí nas batalhas ele cantou Billie Eilish, e agora ele chega aqui nos KOs cantando até o talo de “Redbone”! Se isso não é mostrar que você é um cantor COMPLETO, eu não sei o que é. Eu achei essa apresentação incrível, e acho muito difícil o Tate conseguir superar isso aqui. Tate só avança se o Nick for idiota mesmo, e se for, já pode ser cancelado como coach.

Clarice: Eu fico surpresa com o quanto Roderick cresceu desde as Blinds. Ele poderia ser aquele act cafona que cantou um hit vintage (amooooo “Back At One” ♥), mas fez uma Battle bem bacana e aqui está se mostrando ainda mais solto, se arriscando e dominando o palco. Todo trabalhado no gingado, falsete, com uma versão um pouco diferente do habitual e ele tava todo fodão dono do palco! Nick fez um belo trabalho com Roderick!

Erik: Alguém diz que não foi só eu que sentiu o roderick EXTREMAMENTE sexy nessa apresentação, eu tô chocado. Ele tava muito confortável com a canção e isso tornou a apresentação muito agradável, porque eu nem acho a música isso tudo mas ele me cativou. Vocalmente foi tudo nos conformes, o começo no falsete foi TUDOOOOO! Acho que ele arriscou e deu o nome, massacrou a poc biscoiteira do Tate.

Tate Brusa – “The Scientist” by Coldplay

Avalie a performance:

Luana: Meu pai, pra que um teclado pra destruir um clássico do Coldplay assim? Eu não vou nem fingir aqui, eu detestei esse arranjo DEMAIS. Sinceramente, antes do Tate entrar no palco eu já tinha decidido que ele estava derrotado e essa performance não ajudou em absolutamente nada o caso dele. Ele tem um rasgado na voz bem bonito, mas desde as audições, isso é tudo que ele consegue mostrar. Enfim, performance bem uózinha.

Clarice: Tate tinha potencial, mas ainda não vi o Tate das Blinds! Estava bem perdido nas Battles e hoje foi uma bagunça só. Nesse novo arranjo do hit do Coldplay ele fez a Holly Henry e se perdeu todinho, coitado. Começou bem irregular, do meio pro fim até que se encontrou mas ainda fiquei com a sensação de que tava uma bagunça real oficial. Os melhores momentos foram quando Tate de fato soltava a voz e fazia vocais mais intensos, e não tão suaves.

Erik: Esse menino ESTRAGOU uma das músicas mais lindas que existe. Eu não entendo como alguém pode olhar pra isso aqui e ter pensado de alguma forma que daria certo, não entendo real. A música não casou com a voz do menino, ficou um negócio meio forçado e ele tava querendo inventar coisa na música. Se eu pudesse dar uma nota seria dó.

Roderick vs. Tate

VENCEDOR: RODERICK | ELIMINADO: TATE

É, né. Não tinha nem o que discutir aqui. O Roderick pegou o Tate e usou de pano de chão até ficar bem desgastado. O menino tinha até potêncial, mas seria extrema burrice optar por potêncial, quando você teve o Roderick entregando o ápice do que pode ser um bom KO. Parabéns pelo mínimo, Nick!

KO #5: Team Blake
Cam Spinks vs Todd Tilghman

Cam Spinks – “Rumor” by Lee Brice

Avalie a performance:

Luana: Aqui rolou aquela “largada de mão” por parte da produção de som, né. Deu para perceber que essa performance do Cam não foi tão cuidadosamente tratada como o dos outros, o aúdio estava bem mais “bruto”. Mesmo assim, ele é bem básico e eu já acho isso desde as audições, por isso, não faço em muita questão. Bem básico, genérico, sem personalidade. Enfim, dispensável demais.

Clarice: Quem me conhece sabe que não sou uma real entendedora de country, tampouco conheço músicas, essa música que Cam cantou é desconhecida pra mim, mas ele parecia fora de tempo por diversas vezes, sem falar na afinação que foi bem ruinzinha. É, amigo, assim não dá!

Erik: Aí gente, pelo amor de santo cristoooooooo que coisa mais brega. A gente pode elencar trocentas pessoas que já fizeram apresentações iguais a essa. E foi isso, né gente? Foi mais do mesmo, e ele nem é tão bom assim. Apresentação chata e brega, ainda bem que caiu fora.

Todd Tilghman – “Anymore” by Travis Tritt

Avalie a performance:

Luana: Gente, o pastor é finalista e resta aceitar, né? HAHAHAHAHA. O Blake dá muita sorte quando leva essa pessoal nas audições, e eles são bem espertos quando migram pro country. E olha, o crossover appeal desse cara é tão bom, que até eu estou rendid! Eu gosto muito do Todd, além dele ter uma voz muito gostosa, ele consegue se entregar de corpo e alma em suas performance. Você consegue sentir que ele tem uma conexão com o que canta, e isso é essêncial para criar destaque no programa.

Clarice: Pastor country?! Hahaha Essa música é daquelas que sempre tem no The Voice e parece que sempre trazem uma versão diferente. Gostei desse início mais intimista e a banda mais presente bem quando Todd começou a se soltar e dar os pulinhos clássicos. Apresentação super consistente e Todd se manteve conectado à música o tempo todo.

Erik: Eu tenho certeza que esse cara vai longe no Blake e pode ser seu finalista, e digo com tranquilidade que sera merecido. Eu simplesmente AMO a maneira como esse cara canta, de verdade. Nem digo isso pela voz, que inclusive é linda, mas ele canta com uma animação e um fervor que duvido que não cative qualquer um. Achei a música bem mais ou menos, mas a apresentação no geral foi muito boa. AMÉM TODD.

Cam vs. Todd

VENCEDOR: TODD | ELIMINADO: CAM

Decisão mais fácil da vida, não tinha nem o que discutir aqui. Cam totalmente descartável, Todd totalmente finalista, hahaha. É isto.

KO #6: Team Legend
Joanna Serenko vs Zan Fiskun

Joanna Serenko – “Angel from Montgomery” by Bonnie Raitt

Avalie a performance:

Luana: É, bem bom. Minha versão preferida dessa música segue sendo a da Addison Agen, mas achei bem curioso essa songchoice da Joanna. Apesar de ter gostado MUITO, fugiu bastante da proposta inicial dela nas audições, né? Eu acredito, e já disse várias vezes, que um artista precisa ser versátil no The Voice, mas ainda estou bem confusa sobre a identidade musical que Joanna pretende seguir aqui. Vou ficar atenta nas próximas fases, mas hoje, ela mandou bem demais, até mesmo vocalmente. A performance foi linda e ela se portou magistralmente no palco, Nick não deveria ter aberto mão dela. Ou melhor, não deveria ter pareado ela com o Roderick nas batalhas. Deveria ter mantido os dois. Mas adianta chorar sob o leite derramado, né. E vamo que vamo.

Clarice: Essa música me traz boas lembranças do The Voice! Joanna fez uma versão um pouco diferente do que estou acostumada, mas olha, me surpreendeu positivamente! Suave quando precisava ser, mas fazendo algumas escolhas vocais bem interessantes e ainda assim se mantendo segura e consistente. Adorei quando ela arriscou as notas mais alongadas e ainda assim terminou com um melisma matador! Pisãoooooo!!!!

Erik: JOANNA PRA MIM VOCÊ É TUDOOOOO ainda mais cantando a música da minha eterna fave Addison. Eu achei a apresentação vocalmente perfeita, a voz linda e tudo muito bem feito. Só achei que faltou um pouquinho mais de sal kkkk mas acho que tive essa impressão pela escolha musical da sua adversária, que é algo mais explosivo. Eu amei muito essa apresentação e fiquei muito feliz que ela continuou na competição, com certeza ela não merecia a eliminação porque precisamos de artistas do seu estilo.

Zan Fiskun – “The Story” by Brandi Carlile

Avalie a performance:

Luana: Olha, eu amei, mas confesso que esperava mais da Zan, sei lá. Eu AMO essa música e acho que ela esteve bem conectadazinha durante toda a performance, o que, ao meu ver, colocou ela em certa vantagem sob a Joanna, que não senti tanta conexão emocional. Além disso, acho que Zan tem o seu “eu musical” já muito bem delineado, ela sabe quem é quanto artista, sabe o que quer fazer e chega lá e faz com muita personalidade e marca pessoal. Acho que falta um pouco disso da Joanna, apesar de achar que ela tem uma qualidade vocal bem acima da Zan. Seria um embate super difícil de decidir, viu. Estrategicamente valeria seguir com a Joanna, e acho que EU faria isso, pois vejo mais potêncial com o público. Mas a Zan é muito competente, e parece bem mais coesa consigo mesma.

Clarice: A Mari Maria do The Voice! hahahaha Que KO é esse, gente? Duas deusas fazendo apresentações brilhantes com músicas maravilhoras! Zan dominou a apresentação do início ao fim, cresceu ao longo da música e mostrou todo potencial de sua voz. Tiveram momentos mais intimistas, como também tiveram momentos mais intensos, porém todos eles foram bem marcantes! Que arrasoooooooo!!!

Erik: Eu AMO essa música demais, tipo muito mesmo. Acho que Zan venceu esse KO totalmente por causa da songchoice. Joanna veio com mais calma enquanto Zan trouxe uma cancão que por si só tem momentos de explosão que garantem uma ótima apresentação a quem está cantando se souber conduzir bem. Foi o caso de Zan, eu prefiro a voz de Joanna, mas Zan soube fazer um KO bem marcante e por isso acho que mereceu a vitória.

Joanna vs. Zan

VENCEDORA: ZAN | STEAL: JOANNA (#TeamBlake)

Decisão bem difícil, e apesar de ter dito que eu optaria por seguir com a Joanna, eu entendo a decisão do John. Zan tem uma identidade musical bem melhor trabalhada, e não merecia ir embora. Já Joanna é uma lacuna a ser preenchida, mas que pode render MUITOS bons frutos daqui em diante, ainda mais se optar por esse estilo mais country estando no #TeamBlake. Joanna pode ir muito longe ainda, viu.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

E aí, vocês gostaram dessa premiere dos KOs? Eu achei bem legal, viu. Tivemos performances bem mornas, mas também disputas bem apertadas e emocionantes, como Megan x Camwess e Joanna x Zan! Acho que esse elenco pode render nos lives, indepedente de como seja o formato! Vamos ficar atentos! No mais, não deixem de votar na enquete, e nos vemos semana que vem! XOXO

gostou da matéria? deixe um comentário!

Luana Medeiros

Sinceramente, não sei mais há quanto tempo estou nesse site? Mas olha, faz um bom tempo! HAHA. Atualmente cuido mais de reviews de realities musicais, mas também faço meus corres nos seriados, porque a vida é isso aí! Tenho 24 anos, sou formada em rádio/tv/internet, e nas horas vagas vocês me encontram por aqui! ;)

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries